Supermercado Compre Bem

Judivan Contábil

 
Profissionais de saúde em hospital em Seattle, EUANova variante do Sars-CoV-2 foi identificada no interior de São Paulo e tem o nome de P.4 (Foto: Fusion Medical Animation)

Variante Delta se dissemina com facilidade mesmo entre pessoas vacinadas

Variante Delta se dissemina com facilidade mesmo entre pessoas vacinadas

Variante delta é tão contagiosa quanto vírus da catapora, alerta documento do CDC (Foto: Fusion Medical Animation)

De acordo com um documento interno do Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos Estados Unidos, a variante delta (B.1.617.2) do novo coronavírus é capaz se espalhar tão facilmente quanto o vírus da catapora e pode causar um quadro de Covid-19 mais grave do que as cepas registradas em momentos anteriores da pandemiaO relatório foi obtido pelo jornal norte-americano The Washington Post no formato de uma apresentação de slides. Conforme publicou o veículo, um dos profissionais do CDC afirmou que os dados dos estudos mencionados no documento devem ser disponibilizados ainda nesta sexta-feira (30).Um dos slides estava atrelado ao aumento de casos no condado de Barnstable, no estado de Massachusetts. O órgão federal de saúde dos EUA divulgou a pesquisa, revelando que, entre 3 e 17 de julho de 2021, foram registrados 469 casos positivos de Covid-19. Desses, 346 (74%) foram pessoas vacinadas e, sendo que em 133 indivíduos foi identificada a variante delta. As informações de estudos recentes sobre surtos de Covid-19 mostram que pessoas vacinadas, uma vez contaminadas com a variante delta, podem transmitir o vírus com tanta facilidade quanto aquelas que não foram imunizadas. Além disso, observou-se que os vacinados apresentaram uma carga viral similar ao restante dos indivíduos.

Variante delta é tão contagiosa quanto vírus da catapora, alerta documento do CDC (Foto: Reprodução Twitter/@DataDrivenMD)
Slide mostra que variante delta é mais transmissível do que a cepa ancestral do Sars-CoV-2 e os vírus que causam Mers, Sars, Ebola, resfriado comum e gripe sazonal (Foto: Reprodução Twitter/@DataDrivenMD)

“Apesar de ser raro, nós acreditamos que, a nível individual, os vacinados podem transmitir o vírus, e foi por isso atualizamos a nossa recomendação”, explicou um integrante do CDC, sob a condição de anonimato, referindo-se à diretriz que volta a solicitar o uso universal de máscaras em espaços fechados nas regiões com alta transmissão — em maio, o órgão havia dispensado a proteção para quem estivesse com o esquema vacinal completo contra o Sars-CoV-2.Um dos slides constata ainda que o risco de hospitalização e morte em decorrência da variante delta é maior entre os mais velhos, independentemente do status de vacinação, e em pacientes com problemas imunológicos. As estimativas também indicam que há aproximadamente 35 mil infecções sintomáticas por semana entre os 162 milhões de norte-americanos imunizados.

Desafio norte-americano

O documento reflete um dos grandes obstáculos dos Estados Unidos para controlar a pandemia: fazer com que a vacinação seja aderida em massa. Os slides destacam que o CDC deve continuar enfatizando a eficácia dos imunizantes na prevenção de casos severos e de mortes e, ao mesmo tempo, informar à população que surtos de infecções leves talvez não sejam tão raros e que indivíduos vacinados ainda podem transmitir o vírus. O material evidencia que os imunizantes fornecem uma proteção expressiva contra o Sars-CoV-2 e que é dever do órgão de saúde norte-americano “aprimorar a comunicação quanto ao risco individual entre os vacinados” e que essa possibilidade depende de outros fatores, como a idade e o sistema imunológico de cada um. Para Kathleen Neuzil, especialista em imunizantes da Escola de Medicina da Universidade de Maryland entrevistada pelo The Washington Post, vacinar o máximo de pessoas possível ainda é uma prioridade. E, junto a essa medida, é importante que todos entendam que a humanidade ainda vai conviver com o Sars-CoV-2 por um bom tempo. “Nós realmente precisamos mudar o foco para a prevenção de quadros graves, deficiências e consequências médicas, e não nos preocuparmos com todos os vírus detectados no organismo de alguém”, diz Neuzil. “É difícil, mas acredito que devemos nos conformar com a presença do coronavírus”, finaliza.

revistagalileu

Groenlândia
Em 2019, a Groenlândia derramou cerca de 532 bilhões de toneladas de gelo no mar.
Foto: Ulrik Pedersen/NurPhoto/Getty Images

A Groenlândia está experimentando seu evento de degelo mais significativo do ano, devido ao aumento das temperaturas no Ártico. A quantidade de gelo que derreteu só na última terça-feira (27) seria suficiente para cobrir todo o estado da Flórida em cinco centímetros de água. É o terceiro caso de derretimento extremo no continente na última década, período durante o qual o derretimento se estendeu mais para o interior do que toda a era dos satélites, que começou na década de 1970. A Groenlândia perdeu mais de 8,5 bilhões de toneladas de massa superficial na terça-feira e 18,4 bilhões de toneladas desde domingo, de acordo com o Instituto Meteorológico da Dinamarca.

                                                 

Embora a perda total de gelo desta semana não seja tão extrema quanto um evento semelhante em 2019 – um ano recorde de derretimento – a área do manto de gelo que está derretendo é maior. “É um derretimento significativo”, disse Ted Scambos, pesquisador sênior do National Snow and Ice Data Center da Universidade do Colorado, à CNN. “Em 27 de julho, a maior parte da metade oriental da Groenlândia, desde a ponta norte até a ponta sul, derreteu, o que é incomum.” À medida que as mudanças climáticas causadas pelo homem aquecem o planeta, a perda de gelo aumentou rapidamente. De acordo com um estudo recente publicado na revista Cryosphere, a Terra perdeu impressionantes 28 trilhões de toneladas de gelo desde meados da década de 1990, uma grande parte das quais veio do Ártico, incluindo a camada de gelo da Groenlândia. “Na última década, já vimos que o derretimento da superfície na Groenlândia se tornou mais severo e errático”, disse Thomas Slater, glaciologista da Universidade de Leeds e co-autor do relatório. “À medida que a atmosfera continua a esquentar na Groenlândia, eventos como o derretimento extremo de ontem se tornarão mais frequentes.”

Manto de gelo na Antártica
Manto de gelo na Antártica
Foto: Alessandro Dahan/Getty Images

Embora o atual derretimento do gelo na Groenlândia não seja recorde, a magnitude com que esses eventos ocorrem é um sinal claro de como a mudança climática está criando mais períodos de derretimento.”No geral, estamos vendo que a Groenlândia derrete com mais frequência”, disse Scambos, que também é o autor das atualizações do National Snow and Ice Data Center da Groenlândia. “Em décadas ou séculos anteriores, é extremamente raro ficar acima de temperaturas de congelamento no cume da Groenlândia. “Em 2019, a Groenlândia derramou cerca de 532 bilhões de toneladas de gelo no mar. Durante aquele ano, uma primavera quente inesperada e uma onda de calor em julho fizeram com que quase toda a superfície do manto de gelo começasse a derreter. O nível global do mar aumentou permanentemente em 1,5 milímetros como resultado. À medida que a superfície da Groenlândia continua a derreter, Slater disse que as cidades costeiras ao redor do mundo são vulneráveis a enchentes, especialmente quando o clima extremo coincide com as marés altas. O derretimento da Groenlândia deve elevar o nível do mar global entre 2 e 10 centímetros até o final do século, acrescentou. Enormes mantos de gelo podem derreter rapidamente quando a temperatura do ar é quente. Mas a água mais quente do oceano também está erodindo a camada de gelo em torno das bordas. À medida que os humanos liberam gases de efeito estufa que prendem o calor, a atmosfera em aquecimento descongela o gelo branco e fresco – que reflete a energia do sol de volta ao espaço – na superfície. Isso expõe o gelo mais escuro abaixo, que absorve a energia solar e causa mais derretimento. Além disso, a água costeira mais quente derrete a camada de gelo em torno das bordas, quebrando icebergs massivos que contribuem para a elevação do nível do mar. Os cientistas dizem que as tendências nas quais as mudanças climáticas estão se acelerando são bastante claras e que, a menos que as emissões sejam reduzidas, esses eventos extremos continuarão a ocorrer com mais frequência. “Embora tais eventos sejam preocupantes, a ciência é clara”, disse Slater. “Metas e ações climáticas significativas ainda podem limitar o quanto o nível do mar global aumentará neste século, reduzindo os danos causados por inundações severas às pessoas e à infraestrutura em todo o mundo.”

cnnbrasil

Fila para vacinação na campanha contra a Covid no Complexo da Maré (RJ)
Fila para vacinação na campanha contra a Covid no Complexo da Maré (RJ)
Foto: Bruna Carvalho/CNN

Um levantamento divulgado nesta sexta-feira (30) pela Confederação Nacional de Municípios (CNM) mostra que 90,3% das cidades brasileiras concordam com a obrigatoriedade da vacinação contra o novo coronavírus, com ressalvas para as pessoas com recomendação médica para a não imunização.  

A pesquisa contou 2,2 mil prefeituras, que foram ouvidas entre 26 e 29 de julho. Destes, 216 municípios do país discordam do método de vacinação forçada da população contra a Covid-19. Atualmente, a vacinação contra a Covid-19 no Brasil não é obrigatória. Entretanto, uma decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), em dezembro de 2020, deu aval para os estados brasileiros e os municípios estabelecerem a vacinação compulsória, ou seja, medidas legais para tornar a imunização obrigatória.  A anuência dos municípios pela obrigatoriedade da vacinação é explicada pelo não comparecimento do público aos postos de imunização.O levantamento da CNM aponta que 72,6% das cidades registraram casos de pessoas que foram convocadas e não compareceram para tomar a primeira dose. A pesquisa destaca ainda que 68,7% dos municípios tiveram pessoas que não voltaram para completar o esquema vacinal. Raphael Guimarães, pesquisador em saúde pública da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) afirmou à CNN que não concorda com a vacinação compulsória. De acordo com ele, tornar a imunização obrigatória é uma medida de controle o estado e não uma política sanitária.  “Esse tema cria polêmica há mais de 100 anos. Por um lado, você entende que é uma medida sanitária para conter uma pandemia. Por outro, você viola o direito humano dela escolher. Existem municípios que querem obrigar a vacinação, mas não aplicam médicas sanitárias de distanciamento, por exemplo. A obrigação da vacina é uma medida de controle estatal”, disse.

cnnbrasil.

TEXTO AUREO

“Tenha já fim a malícia dos ímpios, mas estabeleça-se o justo; pois tu, ó justo Deus, provas o coração e a mente.” (Sl 7.9)

VERDADE PRATICA

A coragem de Elias é exemplo e incentivo para os que são chamados a pregar e a exortar segundo a Palavra de Deus, independentemente de classe, raça ou credo.

LEITURA DIARIA

Segunda – Js 1.9   Deus sempre está com os seus, por isso, não há o que temer

Terça – 1 Co 16.13 O Senhor conta com homens e mulheres de coragem

Quarta – 1 Co 10.7 A idolatria deve ser banida

Quinta – 2 Tm 1.7   Deus deu aos seus o espírito de poder

Sexta – Jn 2.8        A misericórdia de Deus é desprezada quando se buscam coisas vãs

Sábado – 1 Cr 16.25,26    Somente o Senhor deve receber todo louvor e glória

LEITURA BÍBLICA EM CLASSE

2 Reis 1.1-8,13-17

1- E, depois da morte de Acabe, Moabe se revoltou contra Israel.

2 – E caiu Acazias pelas grades de um quarto alto, que tinha em Samaria, e adoeceu; e enviou mensageiros e disse-lhes: Ide e perguntai a Baal-Zebube, deus de Ecrom, se sararei desta doença.

3 – Mas o anjo do SENHOR disse a Elias, o tisbita: Levanta-te, sobe para te encontrares com os mensageiros do rei de Samaria e dize-lhes: Porventura, não há Deus em Israel, para irdes consultar a Baal-Zebube, deus de Ecrom?

4 – E, por isso, assim diz o SENHOR: Da cama, a que subiste, não descerás, mas sem falta morrerás. Então, Elias partiu.

5 – E os mensageiros voltaram para o rei, e ele lhes disse: Que há, que voltastes?

6 – E eles lhe disseram: Um homem nos saiu ao encontro e nos disse: Ide, voltai para o rei que vos mandou e dizei-lhe: Assim diz o SENHOR: Porventura, não há Deus em Israel, para que mandes consultar a Baal-Zebube, deus de Ecrom? Portanto, da cama, a que subiste, não descerás, mas sem falta morrerás.

7 – E ele lhes disse: Qual era o trajo do homem que vos veio ao encontro e vos falou estas palavras?

8 – E eles lhe disseram: Era um homem vestido de pelos e com os lombos cingidos de um cinto de couro. Então, disse ele: É Elias, o tisbita.

13 – E tornou o rei a enviar outro capitão dos terceiros cinquenta, com os seus cinquenta; então, subiu o capitão de cinquenta, e veio, e pôs-se de joelhos diante de Elias, e suplicou-lhe, e disse-lhe: Homem de Deus, seja, peço-te, preciosa aos teus olhos a minha vida e a vida destes cinquenta teus servos.

14 – Eis que fogo desceu do céu e consumiu aqueles dois primeiros capitães de cinquenta, com os seus cinquenta; porém, agora, seja preciosa aos teus olhos a minha vida.

15 – Então, o anjo do SENHOR disse a Elias: Desce com este, não temas. E levantou-se e desceu com ele ao rei.

16 – E disse-lhe: Assim diz o SENHOR: Por que enviaste mensageiros a consultar a Baal-Zebube, deus de Ecrom? Porventura, é porque não há Deus em Israel, para consultar a sua palavra? Portanto, desta cama, a que subiste, não descerás, mas certamente morrerás.

17 – Assim, pois, morreu, conforme a palavra do SENHOR, que Elias falara; e Jorão começou a reinar no seu lugar, no ano segundo de Jeorão, filho de Josafá, rei de Judá, porquanto não tinha filho.

HINOS SUGERIDOS: 116, 242, 382 da Harpa Cristã

OBJETIVO GERAL

Ressaltar a imprescindibilidade de se ter um relacionamento íntimo com Deus.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS

  1. Descrever a idolatria e a infidelidade de Acazias;
  2. Assinalar a coragem de Elias;

III. Identificar as consequências dos atos de Acazias.

INTERAGINDO COM O PROFESSOR

Acreditava-se que Baal-Zebube era um deus que tinha o dom da profecia. Por isso Acazias enviou mensageiros a Ecrom para saber se viveria ou não, após sua queda e consequente enfermidade. Essa atitude de Acazias evidencia a descrença e o desrespeito do rei pelo Deus de Israel. Como Acazias podia ignorar que aquele falso deus era irreal, sem sentido e impotente, e que jamais receberia qualquer resposta sobre seu destino? Como podia fazer de um ídolo mudo e morto, seu oráculo? Converse com seus alunos e mostre o quanto a cegueira e a tolice de certas pessoas as fazem buscar alternativas para servirem a Deus. Só existe um Deus verdadeiro, o Deus de Israel, que responde às nossas dúvidas, incertezas e anseios.

PONTO CENTRAL: A infidelidade leva o nosso relacionamento com Deus à ruína.

Tudo mudou agora!

COMENTÁRIO INTRODUÇÃO

O reinado de Acazias foi fortemente marcado pela idolatria, assim como o de seus antepassados. Após uma queda da sacada do palácio real e consequente ferimento, Acazias cometeu um ato de infidelidade a Deus ao consultar Baal-Zebube sobre o seu destino. O Senhor, através do profeta Elias, advertiu severamente o rei sobre esse gravíssimo erro, anunciando o decreto de sua morte (2 Rs 1.16).

Comentário

ACAZIAS

No hebraico, a quem Yahweh sustenta (I Reis 22:40,41 tem uma forma mais longa do nome; e II Reis 16:2, uma forma mais breve). Foi filho e sucessor de Acabe, como rei de Israel. Foi o oitavo rei de Israel. Reinou apenas por dois anos (cerca de 853-852 A.C.). Jezabel exerceu sua péssima influência sobre ele, tal como influenciara seu pai, tendo seguido toda espécie de coisas malignas.

  1. Revolta. Por ocasião da morte de Acabe, os moabitas revoltaram-se e recusaram-se a pagar tributo a Israel, o qual consistia de cem mil ovelhas e de um igual número de carneiros (ver II Reis 1:1 e 3:4.5).
  2. Acazias e Josafé, rei de Judá. Esses dois monarcas tentaram reavivar o tráfico marítimo por via do mar Vermelho, mas o projeto terminou em nada (ver II Crô. 20:35,37).
  3. Acazias e o oráculo. Acazias caiu pelas grades de um quarto elevado em seu oalácio, e quis saber se teria chances de recuperação. Então enviou alguém para consultar o oráculo de Baal-Zebube, deus de Ecrom. Mas Elias saiu ao encontro do grupo, enviando-os de volta, a fim de informarem ao rei que ele não mais recuperaria a saúde (ver II Reis 1:4). Assim sucedeu, e Acazias foi substituído no trono por seu irmão, Jeorão (ver II Reis 1:17; II Crô. 20:35). (S UN)

CHAMPLIN, Russell Norman, Antigo Testamento Interpretado versículo por versículo. Editora Hagnos. pag. 3735.

Aqui encontramos Acazias, o genuíno filho e sucessor de Acabe, no trono de Israel. Seu reinado não durou dois anos. Ele morreu, devido a uma queda em sua própria casa, da qual, após a menção à revolta de Moabe (v. 1), temos aqui um relato. I. A mensagem que, naquela ocasião, ele enviou para o deus de Eerom (v. 2). II. A mensagem que ele recebeu do Deus de Israel (w. -3-8). A destruição dos mensageiros que ele enviou para prender o profeta, mais de uma vez (w. 9-12). IV Sua compaixão, e condescendência, para com o terceiro mensageiro, diante de sua submissão, e a entrega da mensagem para o próprio rei (w. 13-16). V A morte de Acazias (w. 17,18). Na história podemos observai’ quão grande parece o profeta e quão pequeno o príncipe.

HENRY. Matthew. Comentário Matthew Henry Antigo Testamento Josué a Ester. Editora CPAD. pag. 543.

Elias e Acazias (2Rs 1.1-8). O historiador mostra que o embate entre Elias, com sua crença absoluta no Senhor Deus (Javé), e a monarquia israelita, cuja crença ainda repousava basicamente em outras deidades, continua. Acazias é reprovado por consultar um deus estranho (v. 2-8) e sua tentativa em reverter a desaprovação de Javé a seu respeito mostra-se dramática (v. 9-17a). O ponto continua sendo o mesmo do episódio em Carmelo. Deus mostra, através do fogo, que ele não irá dividir sua glória com nenhum outro deus. 2Reis segue o primeiro sem qualquer interrupção.

Wiseman. Donald J., 1 e 2Reis Introdução e Comentário. Editora Vida Nova. pag. 169.

I – UM REINADO MARCADO PELA IDOLATRIA

1.O deus de Acazias.

Acazias era filho de Acabe e Jezabel e foi sucessor de seu pai no trono de Israel. Acazias venerava o deus Baal-Zebube de Ecrom, uma das cinco cidades dos filisteus, a sudoeste de Canaã. Ao adoecer em razão de uma queda, enviou mensageiros para consultar essa divindade a fim de saber se viveria ou morreria (2 Rs 1.2).

Comentário

E caiu Acazlas. A narrativa do breve dia e do governo desse rei de Israel teve início em I Reis 22.52-53.1 e II Reis, na Bíblia hebraica, formavam um único livro e, realmente, não havia nenhuma interrupção entre os dois livros. Portanto, aqui a história desse homem, que era filho de Acabe e Jezabel, continua. “Acazias estava amaldiçoado por maus pais. Ele foi criado na casa da crueldade e da irreligiosidade. Acabe e Jezabel eram seus pais! Como podia um filho de tal casal fazer outra coisa senão ter um mau fim? Acazias andou pelo caminho de seu pai, e pelas veredas de sua mãe (I Reis 22.53). Ruskin observou que a história de uma nação não se escreve por suas guerras, e, sim, por seus lares” (Raymond Calking, in loc.). Na verdade, lares onde dominam a ganância, a luxúria, o materialismo, as indulgências exageradas e a sensualidade são lugares apropriados para a criação de crianças perturbadas, pelo menos do ponto de vista espiritual. Apesar de não haver garantias — bons pais, às vezes, produzem filhos maus — um bom lar oferece a melhor esperança para que os filhos obtenham a virtude. A Queda de Acazias. Os cenáculos (no hebraico, ‘aliyyah) normalmente eram uma câmara sobre o teto de uma casa, construída sobre um portão da cidade (II Samuel 18.33), no canto de um telhado de casa (Neemias 3.31). Usualmente dispunham de uma escadaria para acesso. O cenáculo de Acazias era rodeado por alguma espécie de cerca. Ao que tudo indica, Acazias chegou perto demais; a cerca partiu-se e ele desabou. A queda não o matou instantaneamente, mas o feriu de tal modo que ele nunca mais se recuperou. Josefo (Antiq. IX. 2.1), entretanto, conjecturou que ele caiu quando começava a descer pela escadaria. Ou então havia uma grade protetora em uma larga janela aberta, que deixava entrar ar para ventilação. Acazias apoiou-se nessa grade, ela cedeu, e ele caiu. Buscando Ajuda Divina. A queda afetou muito a saúde de Acazias. Talvez tenha havido infecções e hemorragias internas. Assim sendo, ele buscou ajuda em altar ou santuário do deus pagão Baal-Zebube, uma das divindades do panteão de Ecrom. Esse culto não era para alguma obscura divindade local, conforme alguns têm pensado, mas antes, uma manifestação local do baalismo. No altar ou santuário (ou talvez até templo) haveria sacerdotes capazes de receber oráculos. Ver no Dicionário os artigos chamados Oráculos e Adivinhações. Baal significa “senhor”, e Baal-Zebube quer dizer “senhor das moscas”, com referência a seu alegado poder de livrar as pessoas das pragas de moscas. Entretanto, a maneira original de grafar a palavra era Baal-Zebul, que significa “senhor exaltado”. Entre seus muitos poderes estava, alegadamente, o seu poder de curar, sendo essa a razão pela qual ele foi consultado, em lugar de qualquer outro deus.

CHAMPLIN, Russell Norman, Antigo Testamento Interpretado versículo por versículo. Editora Hagnos. pag. 1470.

Em sua agonia ele envia mensageiros para inquirir ao deus de Ecrom se ele iria se recuperar ou não (v. 2). E aqui:

  1. Sua pergunta foi muito tola: Sararei desta doença? Até a própria natureza perguntaria: “Que meios posso usar para que eu possa me recuperar?” Mas como alguém solícito apenas por saber sua sorte, não por saber seu dever, a sua pergunta é somente esta: Sararei desta doença? Pergunta para a qual um pouco de tempo daria a resposta. Nós devemos estar mais preocupados com o que será de nós após a morte do que como, ou quando, ou onde, nós morreremos, e mais desejosos de saber como nos conduzir bem em nossa doença, e conseguir, por meio dela, o bem para as nossas almas, do que se iremos nos recuperar dela.
  2. Seu envio de mensageiros a Baal-Zebube foi um ato muito ímpio. Fazer de um ídolo morto e mudo, talvez recentemente erigido (por idólatras que gostavam de fazer novos deuses), seu oráculo, não foi menos uma vergonha para a sua razão do que para a sua religião. Baal-Zebube, que significa o senhor de uma mosca, foi um de seus Baals que talvez desse suas respostas, pelo poder dos demônios ou pela astúcia dos sacerdotes, com um zumbido barulhento, como o de uma grande mosca, ou que tinha (como eles imaginavam) livrado seu país do enxame de moscas, com o qual ele foi infestado, ou de alguma doença pestilenta que lhes fora trazida por moscas. Talvez esse deus abjeto tenha sido tão famoso quanto foi o oráculo de Delfos, muito tempo depois, na Grécia. No Novo Testamento, o príncipe dos demônios é chamado Belzebu (Mt 12.24), pois os deuses dos gentios eram demônios, e este talvez tenha se tornado um dos mais famosos.

HENRY. Matthew. Comentário Matthew Henry Antigo Testamento Josué a Ester. Editora CPAD. pag. 544.

Baal-Zebube, “O Senhor das Moscas”, (Septuagintas, Baal-Mvian) não está provado que seja uma troca deliberada de Baal-Zebul (“O Príncipe senhor” ou, possivelmente, “O Senhor da casa”; um epíteto de Baal ou, no ugarítico (“a chama”), como, por exemplo, de Mefibosete para Mefí-Baal). Embora o nome da divindade seja singular, é citado em Mateus 10.25. Consultar aqui significa buscar a vontade divina por meio de um oráculo (Am 5.5-6), uma prática de adivinhação proibida ao povo de Deus (Lv 19.31). Essa prática significava um desterro para Ecrom, atual Khirbet el-Muqanna, próximo a Aqir, cerca de dezesseis quilômetros a sudeste de Jaffa, cidade mais ao norte de Filístia, na fronteira com Judá. Este deus deve ter sido famoso pelas qualidades de cura. Tal consulta, em razão de alguma doença, a despeito da causa (no hebraico h°lî), ‘doença’, ou ‘ferimento’ era uma prática comum daquela época. O resultado, como normalmente referido nos textos com prognósticos médicos, é ‘ele viverá/morrerá’, cf. versículos 6,16 (“Você certamente morrerá ’).

Wiseman. Donald J., 1 e 2Reis Introdução e Comentário. Editora Vida Nova. pag. 169.

2.Acazias segue os passos de seus pais.

O reinado de Acazias foi um dos mais difíceis para Israel. Ele é mencionado na Bíblia como um rei que fez o que era mau aos olhos do Senhor e imitou Acabe, Jezabel e Jeroboão. No seu curto reinado de dois anos, conseguiu superar a maldade de seus antecessores. Acazias seguiu o péssimo exemplo de seus pais que certamente não acataram o sábio conselho de Salomão: “Instrui o menino no caminho em que deve andar, e, até quando envelhecer, não se desviará dele” (Pv 22.6)

Comentário

O reinado de Acazias foi dos mais difíceis para Israel. A Bíblia menciona-o como um rei que fez mal aos olhos do Senhor e imitou Acabe, Jezabel e Jeroboão. Portanto, no seu curto reinado de dois anos, Acazias conseguiu juntar a sua maldade aos seus antecessores.  Ele teve o exemplo danoso de pais que não serviram ao Senhor e que haviam introduzido e incentivado em Israel toda forma de idolatria e ideologias pagãs. Todos se esqueceram do que havia dito o seu antepassado Salomão: “Instrui o menino no caminho em que deve andar, e, até quando envelhecer, não se desviará dele” (Pv 22.6). Assim, observamos que pais perversos geralmente vão gerar e criar filhos perversos, e essa perversidade esteve presente no reinado de Acazias. Portanto, a consequência de uma educação anti-bíblica refletiu-se também nos súditos de Acazias, da mesma forma como foi com os seus pais. A idolatria estava tão incrustada no coração de Acazias que ele não conseguiu ver as consequências que sucederam aos seus pais por estes terem sido tão idólatras. Mas não é somente o pecado da idolatria que está em jogo aqui. O rei mandou consultar o falso deus, e isso significa buscar a vontade dele por meio de um oráculo, o que era terminantemente proibido em Israel, conforme a Lei mosaica: “Não vos virareis para os adivinhadores e encantadores; não os busqueis, contaminando-vos com eles. Eu sou o Senhor, vosso Deus” (Lv 19.31). Portanto, Acazias estava num só gesto infringindo dois preceitos da Lei: adorar e consultar um falso deus. Esse exemplo de Acabe e Jezabel na educação de Acazias serve-nos de alerta na maneira pela qual educamos nossos filhos, pois, na maioria das vezes, aquilo que fazemos de bom ou mal é aquilatado na vida deles de maneira “infinita”. Acazias viu os seus pais adorando Baal, caluniando e perseguindo profetas, ameaçando-os de morte, e foi exatamente isso que ele repetiu no seu reino. Não fosse a intervenção divina duas vezes matando os soldados que vieram buscá-lo, o fim de Elias certamente teria sido trágico nas mãos de Acazias. Além do problema do mau exemplo deixado pelos seus pais, Acazias foi educado mediante o autoritarismo exagerado de Jezabel e de um pai títere da esposa. Isso causava muita tensão na família, além de todas as pressões normais de pessoas famosas e com muito poder, como é o caso. Quando adultos agem com os seus filhos em frequente estado de tensão e coação, as crianças são vencidas interiormente pelo poder exagerado e não conseguem construir os seus próprios pontos de vista, não separam o certo do errado na atitude dos adultos, o que as manterá a predominância do erro durante toda a vida, não construindo princípios de justiça. Pais controladores, restritivos, hostis, agressores, ou permissivos, negligentes e/ou indiferentes (ambas como formas de rejeição), geram crianças que não sabem expressar suas ansiedades e raivas, podendo tornarem-se depressivas, autodestrutivas, suicidas, passivas, introvertidas, tímidas, desenvolverem hábitos nervosos, terem pesadelos e apresentarem sintomas psicossomáticos. Acazias, criado e educado na corte real, certamente teve muitos problemas com a sua educação e formação, aliado ao mau exemplo dos seus pais, e isso foi refletido no seu reinado.

Pommerening. Claiton Ivan,. O Plano de Deus para Israel em meio a infidelidade da Nação. Editora CPAD.

Cerca de uma década antes do acidente de Acazias, Elias havia conquistado uma grande vitória sobre Baal (1 Rs 18), mas Acabe e Jezabel não haviam sido convencidos nem convertidos, nem sua família (1 Rs 22:51-53). Quando Acazias feriu-se gravemente ao cair pelas grades de um quarto alto, buscou a orientação de Baal, não do Senhor Deus de Israel.

WIERSBE. Warren W. Comentário Bíblico Expositivo. A.T. Vol. II. Editora Central Gospel. pag. 492.

SÍNTESE DO TÓPICO I

Os erros ou as más condutas cometidas por nossos antecessores não devem ser repetidas.

SUBSÍDIO DIDÁTICO-PEDAGÓGICO

Escreva na lousa ou em um flip-chart a seguinte pergunta: O que significa “fazer o que é mau aos olhos do Senhor”? Dê cinco minutos aos alunos para elaborarem a resposta. Ao cabo do tempo determinado, solicite que cada um, por seu turno, exponha sua resposta. Todas as respostas deverão ser anotadas no quadro. Não importa nesse momento se elas estão corretas ou não. A seguir, leia com eles os textos de 1 Rs 11.6; 14.22; 15.26,34; 21.25; 2 Rs 3.2. Ao terminarem a leitura, peça a eles que, baseados nos textos lidos, respondam novamente à pergunta inicial. Não deixe de analisar e comparar as duas respostas.

II – ELIAS DESAFIA A ADORAÇÃO A BAAL

1.A corajosa intervenção de Elias.

O rei Acazias enviou seus emissários para consultar o falso deus Baal-Zebube. Mas o anjo do Senhor ordenou ao profeta Elias que se encontrasse com eles em Samaria e os exortassem com uma dura palavra: “Porventura, não há Deus em Israel, para irdes consultar Baal-Zebube, deus de Ecrom?” (2 Rs 1.3b).

Comentário

O anjo do Senhor falara a Elias, instruindo-o a interceptar os mensageiros de Acazias, que estavam a caminho para consultar Baal-Zebube (vs. 2). Uma dura mensagem de repreensão deveria ser dita. Havia o Deus verdadeiro em Israel para ser consultado, Yahweh-Elohim, o Deus Eterno e Todo-poderoso. Mas Acazias insistia em sua idolatria até em momentos de agonia e de morte provável. Ele seguia os maus caminhos exemplificados por seus pais, Acabe e Jezabel (ver I Reis 22.52). Acazias, sem dúvida, sabia que Elias sempre trouxera uma mensagem triste para seu pai (ver I Reis 22.17,18). Ele queria ouvir falar em esperança, e não em desespero; e Elias não era um bom profeta para dar-lhe esse tipo de palavra. Deus de Israel, ”… todos os povos andam, cada um em nome do seu deus; mas, quanto a nós, andaremos no nome do Senhor nosso Deus para todo o sempre” (Miquéias 4.5).

CHAMPLIN, Russell Norman, Antigo Testamento Interpretado versículo por versículo. Editora Hagnos. pag. 1470.

Elias, guiado por Deus, encontra os mensageiros, e os envia de volta com uma resposta que os livraria do trabalho de irem a Ecrom. Tivesse Acazias enviado mensagem para Elias, se humilhado, e implorado suas orações, ele poderia ter recebido uma resposta de paz. Mas se ele enviou mensagem para o deus de Ecrom, ao invés de fazê-lo ao Deus de Israel, este, como Saul ao consultar a feiticeira, preencherá a medida de sua iniquidade, e trará sobre si a sentença de morte. Aqueles que não pedirem a palavra de Deus para o seu conforto deverão ainda assim ouvi-la, queiram eles ou não, para o seu espanto.

1.Ele lealmente reprova seu pecado (v. 3): Porventura não há (isto é, vós pensais que não há) um Deus em Israel (porque não há Deus nenhum em Israel, isto pode ser lido assim), para irdes consultar a Baal- Zebube, deus de Ecrom, uma cidade desprezível dos filisteus (Zc 9.7) desde há muito vencida por Israel? Aqui: (1) O pecado era mau o suficiente, dar ao demônio a honra que é devida apenas a Deus, um pecado realizado tanto por suas perguntas quanto por seus sacrifícios. Note: E uma coisa muito perversa, sob qualquer circunstância ou pretexto, consultar-se com o demônio. Essa impiedade reinou no mundo pagão (Is 47.12,13) e continua muito comum mesmo no mundo cristão, e o reino do demônio é apoiado por essa prática. (2) A interpretação que Elias, em nome de Deus, dá a isso, o torna algo muito pior: “Isso é porque tu pensas que não somente o Deus de Israel não é apto a lhe dizer, mas que não há Deus algum em Israel, de outra forma, tu não enviarias mensagem a um lugar tão distante para obter uma resposta divina”. Note: Um ateísmo prático e construtivo é a causa e a perversidade de nosso afastamento de Deus. Certamente nós pensamos que não há Deus em Israel quando vivemos à vontade, fazemos da carne o nosso braço, e buscamos uma porção nas coisas deste mundo.

HENRY. Matthew. Comentário Matthew Henry Antigo Testamento Josué a Ester. Editora CPAD. pag. 544.

Obs: Querem adquirir mais conhecimento clik em continuar lendo

Continue lendo

Débora Nascimento é clicada deslumbrante em momento espontâneo e arranca suspiros dos admiradores

Mais uma vez, Débora Nascimento (35) conquistou o coração dos seus admiradores com a sua beleza natural

Na noite da última quarta-feira, 28, a atriz arrancou suspiros ao compartilhar uma belíssima sequência de cliques em suas redes sociais. No carrossel compartilhado em seu Instagram, a musa apareceu apostando em um lindo sorriso espontâneo enquanto é clicada de perfil admirando uma linda vista. Sempre leve e divertida, a morena arrancou suspiros ao refletir sobre a natureza feminina. “Minha natureza”, destacou. “Linda”, destacou Isis Valverde (34). “Deusa”, continuou Déborah Secco (41). “Sou completamente apaixonada”, apontou uma admiradora. Débora Nascimento é mãe da pequena Bella, de 3 anos, fruto de seu ex-casamento com José Loreto (37).

caras

Sandy (Foto: Reprodução/Instagram)
Sandy 
 “Talvez este seja um dos convites mais inusitados e, literalmente, saborosos da minha carreira. E nem preciso dizer que topei na hora, né? Já tô em gravação no estúdio, ooops, cozinha!”, afirma Sandy, que grava com os chefs Paola Carosella, Murakami, Lili Almeida, Tiago Castanho, Renata Vanzetto e João Diamente. “Tenho me divertido muito, mesmo de forma remota, com os chefs. Não bastasse serem renomados e talentosos, eles são muito divertidos, generosos e didáticos.” A estrela vai ter que lidar com receitas de todos os tipos e com os chefs vai compartilhar dicas e truques valiosos na atração, versão nacional do programa apresentado por Selena Gomez. As gravações acontecem em estúdio, em São Paulo, seguindo todos os protocolos de segurança estabelecidos pela Organização Mundial da Saúde. Sandy já recebeu a primeira dose da vacina contra a Covid-19.
revistaquem

O ex-presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e ministro aposentado do Supremo Tribunal Federal (STF) Carlos Ayres Britto afirmou em entrevista à CNN que se o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) não provar as acusações contra a urna eletrônica, o chefe do Executivo terá cometido um delito. “É possível, sim, que ele [Bolsonaro] responda por uma afirmação que não é correta. Ele está sendo interpelado para provar o que alegou. Se ele não provar, certamente estará em curso em alguma figura delituosa e a Justiça Eleitoral saberá tomar as providências”, disse. “Quem coloca um órgão do Poder Judiciário em dúvida tem que responder por isso.”Nesta semana, Bolsonaro prometeu apresentar provas de que as eleições de 2018 foram fraudadas. Na tradicional transmissão ao vivo que faz às quintas-feiras, no entanto, o mandatário afirmou que não seria possível comprovar que pleitos anteriores tiveram resultados burlados. Segundo o magistrado, a atitude do presidente da República — de não aceitar o resultado das urnas — pode significar um atentado à soberania popular, o que justificaria um impeachment. Em uma avaliação que classificou como “subjetiva”, Ayres Britto disse que Bolsonaro prepara a “ambiência social” para não aceitar uma eventual derrota nas eleições.  “Eu não sei qual a verdadeira intenção do presidente da República ao dizer isso, mas eu temo… estou no plano da especulação… que se prepare a sociedade brasileira para esse trauma democrático. Essa irresignação absolutamente inadmissível sem que se recorra aos meios que a própria Constituição e a lei indicam”, afirmou. “Eu espero estar enganado nessa avaliação subjetiva.” Ainda de acordo com o ex-presidente do TSE, os que não aceitam o resultado das eleições têm na Constituição Federal meios para tentar prevalecer a impugnação eleitoral. Ayres Britto ressaltou também que não foi surpreendido pelas tentativas de provar que as urnas eletrônicas são viciadas, visto que “todo ano aparece alguém” com essa ideia, mas que, até agora, ninguém conseguiu provar.  “Quem passou pela presidência do TSE descansou no conforto da urna eletrônica”, afirmou. “Nós somos felizes eleitoralmente graças às virtudes da urna eletrônica”.

Ex-presidente do TSE Carlos Ayres Britto em entrevista à CNN
Ex-presidente do TSE Carlos Ayres Britto em entrevista à CNN (29.jul.2021)
Foto: Reprodução / CNN

cnnbrasil

Luana Piovani impressiona internautas com cliques passeando por Istambul, na Turquia

Luana Piovani mostra registros de sua viagem pela Turquia

Nesta quinta-feira, 29, Luana Piovani (44) deixou seus seguidores deslumbrados ao revelar o álbum de viagem por Istambul. Aproveitando os dias ensolarados, a atriz conheceu pontos turísticos e ainda se jogou no mar para tomar um banho só de biquíni. Turquia. Constantinopla. Assim, preencho meus dias, armazenando memórias, distribuindo sorrisos e ganhando conhecimento. Grata Deus, por tanto. Saio daqui já pensando em voltar”, escreveu ela na legenda. Nos comentários, os fãs encheram a loira de elogios. “Aquela vibe positiva e leve que ninguém tira”, disse um. “Deusa”, disparou outro. “Você é o próprio Sol”, declarou outro.Morando em Lisboa, Portugal, a artista é mãe de Dom (9) e dos gêmeos, Liz e Bem (5), frutos de seu ex-casamento com Pedro Scooby (32).

caras

Luiz Henrique Mandetta
Luiz Henrique Mandetta Foto: Marcos Oliveira/Agência Senado

Ex-ministro da Saúde no governo Bolsonaro, Luiz Henrique Mandetta (DEM) publicou nas redes sociais mais críticas ao presidente da República pela atuação do governo federal no combate à Covid-19. Primeiro ministro da Pasta a enfrentar a pior crise sanitária da história do país, Mandetta se posicionou após o presidente afirmar que se ele estivesse “coordenando a pandemia, não teria morrido tanta gente”.Possível candidato nas eleições 2022, Mandetta afirmou que “praticamente desenhou” o que deveria ser feito para lidar com a pandemia. Na esteira de críticas do presidente ao Supremo Tribunal Federal (STF), o ex-ministro também declarou que ninguém proibiu Bolsonaro de fazer nada. “Bolsonaro teve TODOS OS PODERES para coordenar a pandemia. Eu mesmo praticamente desenhei o que ele tinha que fazer. Não fez, deu maus exemplos e adiou o quanto pode a compra de vacinas, porque tinha motivações obscuras. Não minta, presidente. Ninguém te proibiu de nada”, pontuou Mandetta no Twitter.

Em uma série de críticas ao Supremo, Bolsonaro repete que o tribunal tirou os poderes dele para combater a pandemia. Na realidade, o que o STF decidiu, em abril do ano passado, foi que estados e prefeituras também teriam autonomia para tomar decisões relacionadas à Covid-19. Na mesma decisão, a corte deixou claro que o governo federal também pode tomar medidas para conter a pandemia, mas em casos de abrangência nacional. Bolsonaro se opôs a medidas que restringem a circulação de pessoas, recomendadas por especialistas para diminuir a proliferação do novo coronavírus. Ao longo da epidemia, ele também defendeu a utilização de medicamentos sem eficácia comprovada contra a Covid-19. Nesta quinta-feira, após ser rebatido pelo STF nas redes sociais, Bolsonaro voltou a atacar o colegiado com a mesma tese. Segundo ele, o STF divulgou uma “fake news”. Nas redes sociais, apoiadores do presidente reforçaram a teoria e colocaram a #STFproibiuSim em primeiro lugar entre os assuntos mais comentados no Twitter. Segundo a plataforma BotSentinel, que usa algoritmos para detectar a atuação de robôs na rede social, a hashtag levantada pelos bolsonaristas conta com ajuda massiva de bots desde o fim da manhã desta quinta.

extra

Ao todo foram 2,1 mil cestas de alimentos e 2,6 mil litros de leite partilhados na ação solidária – Foto: Wellington Lenon/MST-PR

Cerca de 20 caminhões de diferentes tamanhos carregaram as mais de 48 toneladas de mandioca, feijão, arroz, fubá, batata, legumes, frutas e leite doados por famílias camponesas de Quedas do Iguaçu e Espigão Alto do Iguaçu a moradores da região, na última sexta-feira (23). Ao todo foram 2,1 mil cestas de alimentos e 2,6 mil litros de leite partilhados na ação solidária que marcou o Dia Internacional da Agricultura Familiar, comemorado no domingo, 25 de julho. Os alimentos chegaram a famílias urbanas dos municípios e também da Terra Indígena Rio das Cobras, localizadas em Nova Laranjeiras, formada pelos povos Kaingang e Guarani. Nove comunidades rurais se uniram para a atividade, como forma de amenizar os efeitos da crise econômica e sanitária potencializada pelo governo Bolsonaro. Em todo o Brasil, mais de 116,8 milhões de pessoas não têm o suficiente para se alimentar ou passam fome – segundo pesquisa feita em dezembro de 2020 pela Rede Brasileira de Pesquisa em Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional. 


Doações vieram de famílias camponesas de Quedas do Iguaçu e Espigão Alto do Iguaçu / Foto: Wellington Lenon/MST-PR

A bênção dos alimentos marcou o início da partilha, na Praça São Pedro, centro de Quedas do Iguaçu, com participação do Padre Carlos de Oliveira Egler, vigário geral da Diocese de Guarapuava, representando o Bispo Dom Amilton Manoel da Silva. Depois de um mês de preparação, o momento da entrega emocionou camponeses e autoridades presentes. “Hoje é o grande dia da gente poder compartilhar o que nós temos na nossa casa. Às famílias da cidade eu quero estender um grande abraço em nome de toda a ‘companheirada’, se sintam abraçados pelos nossos alimentos. Hoje a gente está doando um pouquinho da nossa vida para vocês, e dizendo que há solução, sim, para fome no Brasil, a solução se chama Reforma Agrária”, disse Jonas Furis, morador do acampamento Dom Tomás Balduíno, de Quedas, e integrante da coordenação do MST, no ato de abertura da ação. Oito das nove comunidades que participaram da ação integram o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), somando mais de duas mil famílias: em Quedas do Iguaçu são os assentamentos Celso Furtado e Rio Perdido; e os acampamentos Vilmar Bordin; Dom Tomás Balduíno; Fernando de Lara; e Leonir Orbach. Já em Espigão Alto do Iguaçu estão o acampamento Segunda Conquista (conhecido como Solidor) e o assentamento Primeira Conquista (conhecido como Bracatinga). Também participa da mobilização a comunidade Araucária, de Quedas Iguaçu, não integrante do Movimento. 


Oito das nove comunidades que participam da ação integram

o MST / Foto: Juliana Barbosa/MST-PR

Além do gesto de solidariedade e protesto contra o crescimento da fome, a iniciativa foi uma forma de comemoração da conquista do Cadastro de Produtor Rural (CAD/PRO) por mais de 800 famílias acampadas em Quedas do Iguaçu. As emissões ocorreram nas últimas semanas, respondendo a uma reivindicação antiga das famílias camponesas acampadas, e também a uma nota técnica emitida pelo Ministério Público do Paraná, publicada em março.

Reconhecimento da Reforma Agrária

As mais de duas mil famílias envolvidas na mobilização têm em comum a luta pelo direito à terra para produzir alimentos e conquistar uma vida digna. A maior parte das comunidades onde hoje vivem as famílias camponesas já esteve sob domínio de um único dono, a madeireira Giacomet Marodin, atual Araupel. Pelo menos 83 mil hectares de terras públicas, que abrange diferentes municípios da região, foram adquiridos de forma grilada pela empresa em 1972.

Desde 1996, quando houve a primeira ocupação na região em áreas da empresa, passou a haver a substituição do monocultivo de pinus pela produção de alimentos da agricultura camponesa. Entre as comunidades frutos dessas lutas está o assentamento Celso Furtado, com 1,2 mil famílias, maior assentamento de Reforma Agrária da América Latina, e um dos que participou da ação de sexta. 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

As mais de duas mil famílias envolvidas na mobilização têm em comum a luta pelo direito à terra / Foto: Juliana Barbosa/MST-PR

A confirmação da prática de grilagem veio em agosto de 2017, quando o Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) declarou nulos parte dos títulos de propriedade da madeireira Araupel ocupada pelo MST. A determinação foi resultado de uma ação judicial movida pelo Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), em 2014. Há dez anos, o Instituto contestava a validade dos títulos do imóvel localizado entre os municípios de Rio Bonito do Iguaçu e Quedas do Iguaçu. O desembargador do Tribunal de Justiça do Paraná Fernando Prazeres, presidente da Comissão Estadual de Conflitos Fundiários do Paraná (CEJUSC), esteve presente na abertura das entregas dos alimentos e enfatizou a possibilidade de haver formas pacíficas para resolver os conflitos no campo. “Vejo hoje neste evento o objetivo e a finalidade que deve alcançar no nosso trabalho na Comissão, que é justamente aproximar o campo e a cidade, sem qualquer tipo de conflito. Nós lutamos, e vejo aqui a confluência dos nossos objetivos, por uma sociedade justa, fraterna, igualitária, onde os conflitos fundiários sejam resolvidos de forma consensual.” 


Doação de mais de 48 toneladas de alimentos no dia 23 de julho

/ Foto: Juliana Barbosa/MST-PR

A vice-prefeita da cidade, Edith Helma Maier, reconheceu o papel das famílias agricultoras Sem Terra: “Estou muito emocionada com esse esforço de vocês, por essas mãos dadas dos lutadores da comida, os plantadores da saúde e da vida, porque se nós não temos alimentos, nós não temos vida, e vocês são os responsáveis. Essa união que fez vocês virem até aqui é o maior exemplo de que a união faz a força.” Também estiveram presentes na ação Manoel Caetano, professor da Universidade Federal do Paraná (UFPR) e advogado da equipe do presidente Lula, Darci Frigo, vice-presidente do Conselho Nacional de Direitos Humanos, e Paulo Porto, professor da Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste) e indigenista.

“Solidariedade é amor e união”

Jucimar da Silva, conhecida como Pátria Livre, está entre as milhares de famílias Sem Terra da região que ainda lutam pelo direito de permanecer nas áreas onde vivem. A agricultora mora no acampamento Vilmar Bordim, em Quedas do Iguaçu. “Nós estamos em cima da terra, lutando por um alimento saudável, sem agrotóxicos”, explicou. Além de doar parte dos frutos do seu trabalho, ela e o filho fizeram parte do grupo de mais de 50 pessoas que ajudaram no mutirão de montagem das cestas e carregamento dos caminhões, no barracão comunitário do assentamento Celso Furtado. “Eu, como mãe da família, sei o que é colocar só o arroz na panela e não ter o que dar para o filho, isso é muito triste. Tem muitas famílias que às vezes não têm o pão de cada dia para dar para o seu filho, e hoje nós estamos doando para quem não tem, e isso é muito gratificante”, disse a agricultora, emocionada. A camponesa resume o sentido da palavra solidariedade como “amor e união”.


Alimentos chegaram a famílias urbanas dos municípios e também da Terra Indígena Rio das Cobras / Foto: Wellington Lenon/MST-PR

Iraci Dias, de 61 anos, esteve entre as milhares de pessoas que receberam uma cesta de alimentos em Quedas do Iguaçu, “eu achei muito bonita a atitude de hoje, só tenho a agradecer”. Ela tem amigos que vivem nas comunidades do MST na região e admira as conquistas das famílias Sem Terra ao longo dos anos. “Às vezes eles falam ‘Sem Terra’. Sem terra somos nós que moramos na cidade e que não temos”, disse dona Iraci, em tom de brincadeira. Ela vive em uma casa alugada, junto a outros sete familiares. “A pessoa com salário não pode comprar casa […]. É bem difícil. A gente que pagar aluguel, tem que pagar, porque se não pagar eu fico na rua. Eu não posso ir morar na rua com meus netos”. A renda da família vem do trabalho do esposo e do filho, que trabalham em Cascavel. Joraci França, também moradora de Quedas do Iguaçu, sente que a pandemia piorou as condições de vida. “Meu marido está desempregado, trabalhando por dia. Eu não sou aposentada e tenho muitos gastos com remédio. O meu ganho é o Bolsa Família e vem pouco, só 89 reais. Quero agradecer e dar os parabéns a todos que doaram os alimentos. Eu acho muito bom o que estão fazendo, são pessoas trabalhadoras, que gostam de repartir. Muitos criticam, muitos parabenizam, eu nunca critiquei, eu sou a favor do trabalhador”, disse.

 

 

Moradores urbanos relatam que a pandemia piorou as condições de vida

/ Foto: Juliana Barbosa/MST-PR

Augusto Conde, violinista da Orquestra Sinfônica do Paraná, trouxe a sua arte para o hino do MST. Ele está entre os apoiadores do Movimento que participaram do ato de abertura e de bênção da partilha. “A luta contra a desigualdade é uma responsabilidade de todos e todas. É um privilégio usar a nossa arte nesta causa”, afirmou o músico, que também é militante do coletivo Marmitas da Terra.

Ações de solidariedade do MST na pandemia

As ações fazem parte da campanha nacional do MST em solidariedade a quem enfrenta o desemprego e a fome. Em todo o país, já foram partilhadas mais de cinco mil toneladas de alimentos e um milhão de marmitas. Com a ação realizada nesta sexta, as famílias Sem Terra do Paraná partilharam mais de 760 toneladas de alimentos saudáveis desde o início da pandemia. Somente as famílias camponesas de Quedas do Iguaçu e Espigão já compartilharam mais de 113 toneladas de alimentos. Foram pelo menos 120 ações de doação de alimentos in natura e industrializados, com participação de mais de 60 acampamentos e 130 assentamentos do estado. Desde maio de 2020, o MST também coordena a ação Marmitas da Terra, que produz e distribui refeições a pessoas em situação de rua e moradoras da periferia de Curitiba e Região Metropolitana. Pelo menos 1.100 marmitas são doadas todas as quartas-feiras, num total de mais de 66 mil refeições até agora, produzidas principalmente com alimentos vindos de áreas da Reforma Agrária. Além das mobilizações na região Centro, outras 300 cestas de alimentos da Reforma Agrária foram doadas para famílias da comunidade urbana Vila União, localizada no Tatuquara, também na capital, no sábado (24). Junto aos alimentos industrializados, cerca de três toneladas de alimentos frescos, vindos dos acampamentos Maria Rosa do Contestado e Padre Roque Zimmermann, de Castro, do assentamento Contestado, da Lapa, e do acampamento Maila Sabrina, de Ortigueira. A ação é organizada desde junho de 2020 por um grupo de entidades, pastorais, sindicatos e movimentos, entre eles o MST. O Coletivo Marmitas da Terra produziu e distribuiu duas mil marmitas na última quarta-feira (21), em Curitiba e região.

Fonte: BdF Paraná

Enquanto Bolsonaro falava em sua live semanal nas redes sociais, o Tribunal Superior Eleitoral divulgava desmentidos em tempo real. Confira alguns

(Foto: ABr | Alan Santos/PR)

247 – O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) desmentia em tempo real as falas de Jair Bolsonaro na live transmitida em suas redes sociais em que ele disse que anunciaria “provas” de fraude sobre as eleições de 2018.“Brasil não é o único país que utiliza urnas eletrônicas sem voto impresso”; “urnas eletrônicas não foram fraudadas nas eleições de 2018 em Caxias (MA)” e “resultado da eleição não é apurado de forma secreta” foram alguns dos desmentidos que iam sendo publicados no Twitter ao longo da live. Confira a compilação deles aquiO Tribunal também encaminhou diversos desmentidos aos jornalistas e republicou postagens de agências de checagem – como Aos Fatos e Lupa – que já haviam feito os desmentidos de algumas das mentiras.

brasil247

Crédito: Alan Santos/PR

Como integrante da administração pública, o presidente do Brasil, no caso Jair Bolsonaro, tem a prerrogativa da discricionariedade na outorga de condecorações. Essa liberdade para agir tem de ocorrer, no entanto, dentro de algumas fronteiras normativas. Isso no campo objetivo. Na área da subjetividade, o que conta é a ética. Ou seja: a discricionariedade não transforma o mandatário em proprietário de um título nobiliárquico, de uma comenda ou medalha. Mas o capitão do Palácio do Planalto não tem limites em seu patrimonialismo.

É um atropelo à razão Bolsonaro fazer farra com a Medalha do Mérito Oswaldo Cruz, uma das mais tradicionais do Brasil, criada em 1907 para homenagear o sanitarista homônimo que tanto enobreceu nossas pesquisas e práticas científicas. Em 2021, merecem a medalha todos os profissionais da área da saúde que estão há cerca de um ano e meio na linha de frente de combate à Covid-19. A eles tem de ser dada a Medalha Oswaldo Cruz. Bolsonaro, sem o menor pudor ético, acaba de entregá-la a sua mulher, a primeira-dama Michelle — e concedeu-lhe a honraria na denominada categoria ouro. Se Bolsonaro está carecendo agradar Michelle, que vá a uma joalheria e compre, com seu próprio dinheiro e não esfolando o erário, alguma jóia que preste.

Um dos critérios para recebimento da medalha Oswaldo Cruz, na categoria ouro, é ter realizado algo de notável importância no campo da saúde, entre outras áreas do conhecimento. O que Michelle fez pela saúde em um País que soma tragicamente quase seiscentos mil mortos pela Covid? Nada, nada, nada. Que legado nos deixará? Nenhum. A sua condecoração afronta as pessoas que se dedicam à ciência e a pacientes com responsabilidade e empenho. Michelle não demonstrou o menor constrangimento em ser agraciada sem ter merecimento. Em tempos de Jogos Olímpicos, Bolsonaro é capaz de tentar presenteá-la também com alguma medalha olímpica. Modalidade: “não fazer nada”! Apenas ser esposa do presidente!

istoe

goias moradores de rua igreja
Divulgação/Comitê de Direitos Humanos Dom Tomás Balduíno

Goiânia – Em razão da onda de frio que atinge o país nesta semana, quatro paróquias vão acolher, a partir desta quinta-feira (29/7), pessoas em situação de rua. As igrejas pedem doações para ajudar os que precisam.De acordo com o Centro de informações Meteorológicas e Hidrológicas de Goiás (Cimehgo), a previsão é que a temperatura atinja a mínima de 9°C durante esta madrugada. Desta vez, a frente fria chegou a Goiás acompanhada de rajadas de vento de até 20 km/h.

Iniciativa

A iniciativa de abrigo nas paróquias partiu do Comitê dos Direitos Humanos Dom Tomás Balduíno, que fez um comunicado ao arcebispo Dom Washington Cruz. As igrejas foram escolhidas de acordo com a localização geográfica, por estarem em regiões com maior número de pessoas em vulnerabilidade. Moradores em situação de rua ficarão nos salões paroquiais das igrejas. Segundo informações do comitê, um grupo está andando pela cidade para avisar a população de rua sobre o abrigo.

Como doar?

Os interessados em fazer doações podem levar os itens diretamente nas igrejas. Voluntários estarão no local. Os pedidos são por alimentos, roupas, cobertores, kits de higiene pessoal e colchões. Os locais para doação são:

  • Igreja São Judas Tadeu: Rua 242, n° 100, Setor Coimbra
  • Igreja Ateneu Dom Bosco: Alameda dos Buritis, n° 485, Setor Oeste
  • Igreja Sagrado Coração de Jesus: Praça Boaventura, Setor Leste Vila Nova
  • Catedral Metropolitana de Goiânia: Rua 14, Setor Central
  • metropoles
situação de rua
Só em São Paulo, a onda de frio deixou 12 pessoas mortas neste inverno – Rovena Rosa/ Agência Brasil

Neste inverno, o Brasil está enfrentando temperaturas muito baixas. A onda de frio já deixou 12 pessoas mortas em São Paulo e registrou neve em Santa Catarina por três dias seguidos. Em outros países, também foi possível observar grandes mudanças no clima. Canadá e China, por exemplo, registraram 49ºC no fim do mês passado (o Hemisfério Norte está passando pelo verão atualmente) e sofreram com grandes enchentes poucas semanas após o grande calor. De acordo com Stela Herschmann, especialista em política climática do Observatório do Clima, os casos são fruto da destruição ambiental. “A crise climática que já vivemos é causada por um aumento sem precedentes da concentração de gases de efeito estufa na atmosfera. Aumento esse que é causado pelo homem. E o mais conhecido é o CO2 (gás carbônico), emitido pelas indústrias”, explica.

Segundo o Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas, o mundo está chegando perto de um aquecimento médio de 1,5ºC. Segundo estudo publicado na revista Mudança Climática na Natureza, nos próximos 30 anos, as temperaturas recordes vão se tornar duas a sete vezes mais frequentes no mundo.De acordo com Rafael Franca, professor do departamento de geografia da Universidade de Brasília (UnB), a população mais pobre é a que mais sofre com a situação. “Quando uma chuva forte atinge uma cidade, ela não atinge a todos os habitantes desta cidade da mesma forma. Populações que vivem nessas situações de vulnerabilidade irão enfrentar maiores impactos. Então, a população em vulnerabilidade é sempre a mais atingida, o risco climático para elas é maior”, afirma.

brasildefato

Crédito: CCTV/AFP                                                                                                                    

Acessem os vídeos

Um impressionante “muro de areia” de 100 metros de altura envolveu uma cidade à beira do deserto de Gobi, no noroeste da China, no domingo (25). Dunhuang, um lugar turístico e entreposto da histórica “Rota da Seda” na província de Gansu, desapareceu momentaneamente ao ser “engolida” por uma nuvem de areia e poeira. A tempestade de areia também tornou o céu amarelo e reduziu a visibilidade para menos de 5 metros em algumas áreas. A polícia precisou impor controles de tráfego nas ruas da cidade.

                                                                                  

Ela chegou de repente e atravessou a cidade em cinco ou seis minutos, disse um morador ao veículo de comunicação local “Jimu News”. “Eu não conseguia ver o sol”, afirmou Zhang, que também disse que a cidade não sofria com uma tempestade de areia tão forte há vários anos. Tempestades de areia são comuns na região do deserto de Gobi na primavera, mas é raro acontecerem no verão, segundo a agência de notícias estatal China News Service.

É Me dado Todo o Poder no Céu e na Terra. Quem lhe deu Este Poder?

A resposta da Bíblia

A Bíblia fala de coisas que iam identificar o “final do [atual] sistema de coisas”, ou “fim do mundo”. (Mateus 24:3; Ela chama esse período de “últimos dias”, “tempo determinado do fim” ou “tempo do fim”. (2 Timóteo 3:1; Daniel 8:19Nova Versão Internacional) Veja algumas profecias que estão se cumprindo hoje, o que prova que estamos vivendo no tempo do fim:

Será que estamos vivendo no “tempo do fim”?

Sim. A situação do mundo e as profecias bíblicas indicam que os últimos dias, ou tempo do fim, começaram em 1914. Nesse ano, o Reino de Deus começou a reinar no céu. Uma das primeiras coisas que ele fez foi expulsar Satanás e os demônios do céu, permitindo que eles influenciem apenas a Terra. (Apocalipse 12:7-12) A influência de Satanás nos humanos pode ser vista nas coisas ruins que estão acontecendo. Isso tudo faz com que os últimos dias sejam “tempos críticos, difíceis de suportar”. — 2 Timóteo 3:1.

Enchentes deixam 168 mortos na Alemanha e na Bélgica | SBT Brasil (17/07/21)

Terríveis ENCHENTES que arrastaram TUDO e DESESPERAM moradores na Europa

Acessem os vídeos

Inundações mortíferas no centro da China

 

Informações sobre saúde
Sintomas
Prevenção
Tratamentos
A COVID-19 afeta diferentes pessoas de diferentes maneiras. A maioria das pessoas infectadas apresentará sintomas leves a moderados da doença e não precisarão ser hospitalizadas.
Sintomas mais comuns:
febre
tosse seca
cansaço
Sintomas menos comuns:
dores e desconfortos
dor de garganta
diarreia
conjuntivite
dor de cabeça
perda de paladar ou olfato
erupção cutânea na pele ou descoloração dos dedos das mãos ou dos pés.

Mundo passa de 4 milhões de mortes por Covid, mas número ‘subestima o total de vítimas’, diz OMS.

Lucas 21:11

Haverá grandes terremotos, fome e peste em vários lugares, e acontecimentos terríveis e grandes sinais no céu.

Mateus 24:7

Flavia Penido tomou iniciativa junto ao Instituto Nacional de Propriedade Nacional e busca evitar lucro em cima do nome da skatista

Uma advogada registrou a marca ‘Fadinha’, relacionada à skatista Rayssa Leal, no INPI, Instituto Nacional de Propriedade Industrial. A responsável por isso foi Flavia Penido, que percebeu a falta de registros da marca para skates. Assim, ela fez o pedido por meio de uma declaração assinada digitalmente, cedendo de forma gratuita o registro para a atleta de 13 anos. Como é menor de idade, Rayssa tem os pais como representantes legais e prováveis donos da marca. Se desejar, ela pode indicar outra pessoa para comandar os diretos de ‘Fadinha’

Rayssa Leal
Rayssa Leal

Penido possui especialidade em propriedade intelectual, tecnologia e direito aplicado ao marketing e decidiu tomar a atitude para evitar que outra pessoa possa lucrar às custas da menina. No Twitter, a advogada disse que “o interesse, obviamente, não é econômico, mas sim preservar eventuais direitos da Rayssa e também mostrar a importância de marketing e jurídico trabalharem sempre juntos”. A dona da ação informou que sabe como disputas desse tipo podem ser demoradas e custarem muito, por isso solicitou o registro da marca, que será feito mais tarde em cartório. Está gostando da notícia? Fique por dentro das principais notícia.O apelido de Rayssa vem de vídeos virais que fez quando tinha sete anos e estava fantasiada de fada ao mesmo tempo que completava manobras tradicionais do skate. A avó da skatista costurou a roupa, que foi usada em um desfile de 7 de setembro de sua escola, tendo Peter Pan como tema. Representando a personagem Sininho, a menina saiu direto do evento e foi para um pico conhecido de Imperatriz, cidade maranhense e sua terra natal. Desde então, o fenômeno faz sucesso com seu talento e caiu nas graças dos brasileiros e da lenda do esporte, Tony Hawk. A Nike, patrocinadora de Fadinha, divulgou um filme nesta segunda-feira intitulado ‘Novas Fadas’. Com a skatista como protagonista, a ideia é que ela inspire milhares de meninas ao redor do Brasil. E pode ter certeza que essa já é uma realidade. Na última madrugada, Rayssa ficou em 2º lugar na prova feminina do skate street e garantiu mais uma medalha de prata para o país nos Jogos Olímpicos de Tóquio.

terra

Ator, de 52 anos de idade, concedeu uma entrevista ao Fantástico depois de passar um mês internado devido a um caso gravíssimo da doença

© Da Redação Ator, de 52 anos de idade, concedeu uma entrevista ao Fantástico depois de passar um mês internado devido a um caso gravíssimo da doença

32 dias depois de uma internação em decorrência de um quadro grave de Covid-19, Luciano Szafir, de 52 anos de idade, teve alta no sábado, dia 24, e concedeu uma entrevista exibida no Fantástico, no último domingo, dia 25, para falar sobre as dificuldades no enfrentamento a doença. Com 15 quilos a menos, intubação e duas cirurgias depois, Szafir ainda revelou que terá que passar por algumas cirurgias em breve, como a reconstrução de seu intestino, que foi acometido pelo vírus.

– Não dá para descrever. Não dá para descrever o quão próximo… Eu achei que eu ia embora, disse ele emocionado.

– O intubar foi a pior coisa da minha vida. Lembro que falei: não sei se saio daqui.

E explicou que ainda está longe de ficar 100%:

– Tenho aí uma luta aí pela frente de alguns meses. Depois eu tenho que fazer muita cirurgia para reconstruir o intestino, mas tudo bem. É um dia de cada vez. Abro o olho hoje, e a primeira coisa que eu faço é agradecer à vida. O ator descobriu a doença pouco antes de se vacinar. Com alguns sintomas, ele ficou isolado em casa antes de procurar o hospital, onde deu entrada já precisando de oxigênio:

– Eu sempre tive muito medo. Eu sempre fui muito cuidadoso. Eu saía com duas máscaras. Como eu peguei? Onde? Não sei.

Família

Sasha Meneghel, filha mais velha do artista, estava em lua de mel após se casar em maio deste ano com João Figueiredo:

– Quando ela soube da internação ela veio correndo. Depois que a gente se encontrou eu falei: pô estraguei a lua de mel. É muito difícil pensar em quem você ama e saber que você pode deixá-los a qualquer instante, disse o ator sobre o encontro com a filha da relação com Xuxa. 

Galeria: Paola Carosella toma segunda dose da vacina contra Covid-19: Dor pelos que se foram; veja os famosos que já receberam o imunizante! (Estrelando)

Além de Sasha, Szafir é pai de Davi e Mikael, frutos da relação com sua atual companheira Luhanna Melloni. Para o ator, a luta não é apenas contra a doença: – São duas lutas: contra vírus e contra a cabeça. O tempo todo eu pensava nos filhos, na minha mulher, na minha família, sabe? Ele ainda pediu responsabilidade das pessoas:  – Sentia muita dor, sentia muito pânico. Eu sentia muitas vezes que não ia passar de quinze minutos. Isso não é fácil. Não queiram sentir isso. Sejam responsáveis. Se vacinem. Eu abro o olho e agradeço; A gente precisa de tão pouco para ser feliz, né?

Complicações

O médico pneumologista e diretor-geral do Copa Star, João Pantoja, falou sobre o quadro de Szafir, revelando que ele teve um comprometimento pulmonar de 50%. Internado no dia 22 de junho, Szafir desenvolveu uma embolia pulmonar no dia 2 de julho. Com o uso dos anticoagulantes, ele perfurou uma alça intestinal e fez sangue na cavidade abdominal.

– É muito grave. Ele poderia ter feito uma sepse fulminante. Ele estava em uso de corticoide, que é uma medicação que reduz a inflamação e reduz a resposta imunológica da pessoa também. Ele teve que ser operado às pressas. Foi feita então uma remoção desse segmento do intestino que estava isquemiado, e ele teve que fazer então uma colostomia, disse o médico. 

msn

Por João Gabriel Rodrigues — Tóquio, Japão

Orgulho de Baía Formosa (RN) ainda mais pela conquista da medalha de ouro do surfe masculino nas Olimpíadas de Tóquio 2020, Italo Ferreira faz questão de embarcar no papel transformador que pode exercer na cidade natal e no Nordeste. Com as pompas de ter se tornado o primeiro campeão olímpico da história do surfe, o potiguar de 27 anos acredita que o feito pode estimular crianças e jovens nordestinos a perseverarem no caminho do esporte.

Italo Ferreira comemora ouro olímpico no surfe — Foto: Reprodução

Italo Ferreira comemora ouro olímpico no surfe 

– Acho que isso (ouro no surfe) serve de inspiração para aqueles que vêm de baixo, que têm sonhos, que acreditam até o final, que foi o que fiz, e (que precisa) aproveitar todas as oportunidades da vida. Às vezes a gente só tem uma. Então eu vivo intensamente. Eu sabia que aqui era uma oportunidade de mostrar meu melhor, de sair com essa medalha, até porque eu vim com esse sentimento, de vir e ganhar o campeonato – afirmou o surfista.

Pai de Italo Ferreira fala sobre a conquista do ouro nas Olimpíadas

 

 

 

 

 

 

 

 

Pai de Italo Ferreira fala sobre a conquista do ouro nas Olimpíadas

Italo Ferreira se emociona com o ouro no surfe nas Olimpíadas de Tóquio — Foto: André Durão

Italo Ferreira se emociona com o ouro no surfe nas Olimpíadas de Tóquio

— Foto: André Durão

Italo não esquece de suas raízes, tanto que mora em Baía Formosa até hoje, assim como os pais. Inclusive, a preparação para os Jogos Olímpicos foi feita grande parte na cidade, localizada no litoral do Rio Grande do Norte e a 94km de Natal.- Eu fiz valer a pena os últimos dois meses de treino. O último mês, na verdade, que eu fiquei em casa mesmo, para recarregar as energias, para estar com as pessoas que eu amo, com aquelas pessoas que realmente acreditavam e estavam ali comigo, com meus amigos que surfavam comigo logo cedo e estavam me incentivando e falando o que estava certo ou errado – contou o surfista. Se Italo já é inspiração para nordestinos, isso já mostrou a carreata em Baía Formosa depois do ouro conquistado. Mas ele quer algo mais concreto. O surfista lembrou que planeja a construção do Instituto Ítalo Ferreira na cidade, com o objetivo de ajudar as crianças por meio do esporte.

"Diz amém que o ouro vem!", Italo Ferreira se emociona ao falar da conquista
“Diz amém que o ouro vem!”, Italo Ferreira se
emociona ao falar da conquista

Parceria nordestina ajuda no ouro

Italo comentou que tinha um desejo de trazer o ouro não só para o Brasil, mas especificamente reforçando que seria uma conquista para o Nordeste. E isso se tornou mais vibrante no convívio com Rudá Carvalho, ex-surfista baiano e um dos membros da delegação brasileira em Tóquio. – Ele estava aqui como coach da Silvana (Lima). Eu pedi para ele: “Vamos levar essa medalha para o Nordeste”. Ele me deu uma força incrível durante esse dias, falava a real mesmo, sempre de homem para homem, olho no olho, e ele falava umas paradas que realmente me deixava bem motivado. Então, gostaria de agradecer ele também pela força.

Foto: Ascom

A Terceira Câmara Cível do Tribunal de Justiça da Paraíba manteve a sentença proferida nos autos da Ação Civil Pública por Ato de Improbidade Administrativa ajuizada pelo Ministério Público estadual contra o ex-prefeito José Lavoisier Gomes Dantas, de São João do Rio do Peixe. As penalidades aplicadas foram suspensão dos direitos políticos pelo prazo de três anos; multa civil no valor correspondente a três vezes o valor da remuneração mensal percebida a época dos fatos; e proibição de contratar com o poder público ou receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios pelo período de cinco anos.

O caso envolve a doação de três terrenos públicos, através da Lei municipal n° 1.140/2012.

O ex-gestor alegou que a doação dos bens públicos se deu por lei previamente aprovada no Parlamento Municipal, dada também a desnecessidade de licitação, posto que se tratou de doação com encargo. A relatora do processo nº 0000134-55.2015.8.15.0051, a juíza convocada Agamenilde Dias Arruda Vieira Dantas, destacou em seu voto que na ação nº 0001510-47.2013.8.15.0051, o Judiciário reconheceu a ilegalidade da doação. 

Continue lendo