O abuso sexual infantil ainda é um tema complicado e difícil de ser abordado, justamente pelos tabus que o cercam, pelo preconceito e pelo silêncio das vítimas – que nem sempre compreendem exatamente o que está acontecendo com elas – e também das famílias que sentem “vergonha” ou não sabem como lidar com a situação. Esse silêncio que permeia o tema torna difícil ter estatísticas que realmente abranjam o problema de forma real. 

De acordo com um estudo da Rainn, a maior organização social contra a violência sexual dos Estados Unidos, em 93% dos casos, as vítimas norte-americanas com menos de 18 anos conhecem o agressor. Lembrando que nem sempre ele precisa ser um adulto, podendo também ser um jovem ou adolescente que, de certa forma, possui poder sobre a vítima. Por tudo isso, falar sobre esse tema é tão importante. 

Quer saber como ajudar os seus filhos a se protegerem do abuso sexual infantil? Continue a leitura e informe-se sobre o assunto! 

Por que precisamos falar sobre o abuso sexual infantil? 

Apesar de ser uma causa nobre, nem todo mundo tem ideia do quanto crianças são vitimadas todos os dias e precisam de proteção. 

A dificuldade de ter números precisos sobre essa situação é uma realidade e o maior indicador do problema está no Disque-Denúncia. De acordo com a publicação desse órgão, em 2017, foram mais de 120 mil denúncias recebidas, sendo que desse número mais de 70 mil eram relacionadas à violência e violação dos Direitos Humanos de crianças e adolescentes. 

Todas essas denúncias são encaminhadas individualmente para as polícias estaduais e demais autoridades que investigam e apuram os casos. 

Sistema Público de Saúde (SUS) 

Outra forma de compreender o problema é pelos dados do sistema público de saúde (SUS). Em 2016, foram registrados 22,9 mil atendimentos a vítimas de estupro no país, segundo dados apurados pela BBC. Mais de 57% desses casos eram de vítimas entre 0 e 14 anos, sendo que 6 mil vítimas tinham menos de 9 anos de idade. 

Além desses números alarmantes, vale à pena também enfatizarmos o quanto muitas vítimas acabam sofrendo em silêncio, já que o tema ainda é um tabu na nossa sociedade. Quebrar o silêncio pode significar ajudar outras vítimas a terem força de lutar contra seus agressores e de relatar a realidade vivida. Para se ter uma ideia da importância do tema, existe até um dia específico voltado ao combate do abuso sexual infantil. O objetivo é mobilizar a sociedade e engajá-la no tema, motivando as denúncias de violência e abuso e também oferecendo informações para que os pais e protetores consigam reduzir os casos e manter as crianças mais seguras. 

A data foi escolhida porque, em 18 de maio de 1973, uma menina de apenas 8 anos de Vitória (ES) foi sequestrada, violentada e morta. O corpo foi encontrado dias depois carbonizado. O crime chocou o país, mas os agressores nunca foram punidos. 

O perfil do abusador 

Como dissemos, na maioria dos casos de abuso sexual infantil, o abusador é alguém que a criança conhece, convive, confia e ama. Na maior parte das vezes, ele é membro da família e dispõe de certo poder sobre a vítima, como pai padrasto, irmãos, primos, tios ou avós. Dados corroborados pelo Guia de Referência produzido pela Childhood Brasil. Fora do âmbito familiar, o abuso também pode acontecer e o abusador costuma ser alguém conhecido da criança e com quem ela tem uma relação de confiança, como amigos da família, vizinhos, educadores, médicos, psicólogos, responsáveis por atividades de lazer e até técnicos de modalidades esportivas. Raras vezes o abusador é uma pessoa desconhecida. 

 Consequências do abuso sexual infantil 

Uma criança abusada sempre sofrerá sequelas dessa violência, desenvolvendo problemas de relacionamento e até de comportamento, como o abuso de drogas e medicamentos na adolescência, atitudes agressivas, quadro depressivo e assim por diante. A vítima poderá apresentar sentimentos confusos e nem sempre a criança consegue compreender o que está acontecendo no momento, percebendo a situação posteriormente, quando ela processa que aquilo vivido foi uma agressão. É comum que essas crianças cresçam com sentimentos como: 

  • medos aparentemente infundados; 
  • culpa; 
  • imagem corporal negativa; 
  • dificuldades para estabelecer confiança interpessoal

Como prevenir o abuso sexual infantil? 

Como você viu, embora o abuso sexual infantil seja um tema complicado de ser abordado, ele é extremamente importante. Primeiro, porque ainda é algo que acontece frequentemente em muitos lares brasileiros e, segundo, porque ele pode ter consequências danosas às vítimas. Veja algumas dicas que podem ajudar a proteger o seu filho contra essa violência: 

Converse com a criança sobre as partes íntimas do corpo 

As crianças precisam saber nomear corretamente as partes do corpo e identificar o que é íntimo, para assim, poderem relatar aos pais quando algo fora do comum acontecer. Ensine ao seu filho o nome correto de todas as partes do corpo e explique sobre as partes íntimas, ensinando que ninguém poderá tocar nessas regiões e nem vê-las, apenas os pais quando forem dar banho ou trocar de roupa. 

Explique sobre os limites do corpo 

Ensine a criança a não permitir que ninguém toque as suas partes íntimas, ou ainda, que ela não toque nas partes íntimas de nenhuma pessoa, seja ela conhecida ou desconhecida. Alerte a criança para possíveis artimanhas usadas pelos abusadores, como trocar carícias por doces, apresentar um “cachorrinho” e assim por diante. 

Incentive a criança a conversar com você 

É preciso que o seu filho se sinta seguro para lhe contar qualquer coisa, inclusive uma situação de abuso. Muitas vezes, os abusadores pedem às crianças para manterem o ocorrido em segredo, seja ameaçando-a ou de maneiras lúdicas. 

Se o seu filho for ensinado que segredos não são coisas boas e que ele sempre poderá (e deverá) contar a você tudo o que acontece, será mais fácil de identificar uma situação de abuso. Lembre-se que essa relação de confiança é muito importante e, por isso, a criança NUNCA deverá ser punida, criticada ou castigada por contar qualquer coisa sobre o seu corpo. 

Saiba com quem seu filho anda e o que ele está fazendo 

Muitos dos casos de abuso infantil acontecem quando uma criança passa horas sozinha com um adulto, que pode ser um membro da família ou um conhecido. Por isso, saiba o que seu filho está fazendo mesmo na sua ausência. 

Se for preciso deixá-lo por horas com um adulto ou um adolescente responsável, tenha meios de vigiá-los por um tempo para saber como é esta relação. O melhor é sempre preferir situações nas quais seu filho integre-se a um grupo, pois isso dificulta a ação de abusadores. 

Porém, tente saber sobre as pessoas que cuidarão da criança mesmo nesses casos. Por exemplo, se você for inscrever seu filho em um acampamento, saiba quem são os monitores e qual preparo eles possuem para prevenir e reagir contra um possível abuso. 

Analise a reação da criança 

Muito importante: sempre analise a reação da criança. Se ela demonstra não ter afeição por alguém próximo, que ela teoricamente deveria desenvolver afeto, tente entender o motivo. 

Identifique os possíveis sinais de um abuso 

Embora não seja fácil notar os sinais físicos de um abuso sexual, é possível que a criança tenha alterações no seu comportamento, como: irritação, ansiedade, dores de cabeça, alterações gastrointestinais frequentes, rebeldia, raiva, introspecção ou depressão, problemas escolares, pesadelos constantes, xixi na cama e presença de comportamentos regressivos (por exemplo, voltar a chupar o dedo). Outro sinal de alerta é quando a criança passa a falar abertamente sobre sexo, de forma não-natural para a sua idade, física e mental. Se você notar algum desses sinais, tome cuidado com a sua reação, porque ela poderá fazer com que a vítima se sinta ainda mais culpada. O importante é oferecer apoio à criança, escutando o que ela tem a dizer e não duvidando da sua palavra. Busque ajuda e orientação profissional para que o seu filho consiga falar sobre o ocorrido e lidar com o fato. Claro, busque medidas legais para afastar o abusador. Romper o silêncio é uma forma ativa de lidar com o problema e impedir que ele continue acontecendo. 

Como a sociedade pode ajudar na prevenção do abuso sexual infantil? 

Apesar de ser um assunto íntimo, o abuso sexual infantil deve ser combatido pela sociedade. Afinal, um país que se preocupa e cuida das suas crianças e jovens é uma sociedade que oferece mais possibilidades de crescimento e de futuro. Nesse sentido, as escolas e demais instituições de atenção à infância e à adolescência podem contribuir de várias maneiras: 

oferecendo informações às crianças para que elas consigam entender quando estão sendo expostas a uma situação perigosa ou que possa se configurar como abuso sexual; 

sensibilizando os familiares ou os responsáveis pela educação das crianças, demonstrando o quanto é importante desenvolver maneiras de fortalecer o seu filho contra o abuso sexual, com uma relação de confiança; 

treinando o olhar dos educadores para que eles identifiquem casos de violência doméstica e de abuso sexual. Reduzir as desigualdades sociais e a pobreza também é uma forma de combater o abuso sexual infantil e a violência contra a criança, oferecendo a esses jovens mais oportunidades e evitando que eles tenham de conviver durante anos em lares desestruturados e que não oferecem suporte adequado às suas necessidades. Nesse ponto, você também pode ajudar, conhecendo o trabalho de instituições sociais que buscam modificar a realidade de várias crianças, dando a elas novas oportunidades educacionais e também maior infra-estrutura para que possam se desenvolver de forma segura. Se você é solidário ao tema e também entende o quanto é importante combater a violência sexual e o abuso contra crianças, dê o primeiro passo, conhecendo o trabalho de instituições que buscam transformar a vida desses jovens. Um desses exemplos é o Childfund Brasil, com diversos programas para reduzir os índices de pobreza e modificar a vida de jovens e adolescentes em nosso país. Ficou interessado? Entre em contato conosco e saiba somo transformar vidas! 

Crédito: Marcelo Camargo/ Agência Brasil

Dinheiro pode ser sacado até o dia 1º de julho de 2025 (Agência Brasil)

Quando se fala em PIS/Pasep a lembrança é quase sempre o abono salarial. No entanto, o governo federal aponta que cerca de R$23 bilhões estão esquecidos nas chamadas cotas PIS/Pasep. 

O que são as essas cotas? 

Diferente do abono salarial, as cotas PIS/Pasep é o dinheiro para quem trabalhou via CLT ou era servidor público entre 1971 e 1988. Caso o trabalhador ainda não tenha feito o saque, o valor está disponível. 

Como consultar? 

Para saber se você tem esse dinheiro à disposição, é preciso baixar o aplicativo do FGTS ou ir até uma agência da Caixa munido de qualquer documento oficial com foto para fazer a consulta.

Herdeiros ou familiares podem sacar? 

Sim. Caso o trabalhador tenha falecido, um herdeiro ou familiar do beneficiário pode fazer o saque. Para isso, é preciso ir até uma agência da Caixa ou do BB com um dos seguintes documentos: 

Certidão de óbito do familiar e declaração de dependente habilitado à pensão por morte emitido pelo INSS;

Certidão de óbito e a certidão ou declaração de dependente habilitado à pensão por morte emitida pela entidade empregadora; Através de um alvará judicial designando os beneficiários ao saque; Escritura pública de inventário

Até quando posso sacar? 

Os valores estarão disponíveis nas contas até o dia 1º de julho de 2025. Caso não sejam resgatados, eles voltam para os cofres públicos e poderá ser usado pelo governo. 

istoedinheiro

Crédito: Photo Mix/Pixabay

Entre as famílias de renda muito baixa, houve pressão em abril especialmente dos aumentos de preços no arroz (2,2%), feijão (7,1%), macarrão (3,5%) e batata (18,3%) 

As famílias de renda mais baixa foram as que mais sentiram o aumento nos preços da economia em abril. A alta de preços foi de 1,06%, ante um resultado de 1,00% na faixa de renda mais alta, informou nesta segunda-feira, 16, o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea).“Enquanto a elevação dos preços dos alimentos no domicílio foi o principal fator de pressão inflacionária para as três classes de renda mais baixa no mês, para os outros três segmentos de renda os aumentos do grupo ‘transportes’ foram os que tiveram maior impacto”, apontou a técnica Maria Andreia Parente Lameiras, autora da Carta de Conjuntura do Ipea. Entre as famílias de renda muito baixa, houve pressão em abril especialmente dos aumentos de preços no arroz (2,2%), feijão (7,1%), macarrão (3,5%), batata (18,3%), leite (10,3%), frango (2,4%), ovos (2,2%), pão francês (4,5%) e óleo de soja (8,2%), assim como do encarecimento de 6,1% dos medicamentos.No grupo de renda mais elevada, o maior impacto partiu do grupo transportes, devido aos reajustes das passagens aéreas (9,5%), transporte por aplicativo (4,1%), gasolina (2,5%), etanol (8,4%) e diesel (4,5%).No acumulado em 12 meses, a inflação percebida pelo grupo de renda muito baixa foi 17,6% maior do que a sentida pela alta renda, segundo o Indicador Ipea de Inflação por Faixa de Renda. No grupo de renda muito baixa, a inflação acumulada nos 12 meses terminados em abril foi de 12,7%, enquanto que entre as famílias de renda alta essa variação foi de 10,8%.

“Os dados desagregados revelam que, para as famílias de renda mais baixa, as maiores pressões inflacionárias nos últimos doze meses residem nos grupos de alimentos e bebidas e de habitação. No primeiro caso, as altas dos alimentos in natura – cenoura (178,1%), tomate (103,3%) e batata (63,4%) -, das proteínas – frango (21,7%), ovos (17,7%) e leite (23,4%) -, dos farináceos – farinha de trigo (23,2%) e pão francês (13,1%) – e dos óleos e gorduras – óleo de soja (31,5%) e margarina (22,2%) – explicam boa parte do impacto inflacionário no período. No caso da habitação, as principais influências altistas vieram dos reajustes do gás de botijão (32,3%) e da energia elétrica (20,5%). Já para as famílias de renda mais alta, os pontos de pressão estão, sobretudo, no grupo transportes, refletindo os aumentos dos combustíveis – gasolina (31,2%), etanol (42,1%) e gás veicular (45,2%) -, além da alta no transporte por aplicativo (67,2%), no táxi (11,5%) e nas passagens aéreas (14,3%)”, escreveu Lameiras, na Carta de Conjuntura.

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), apurado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e usado pelo Ipea para fazer o cálculo da inflação por faixa de renda, foi de 1,06% no mês de abril e de 12,13% em 12 meses. O indicador do Ipea separa por seis faixas de renda familiar as variações de preços medidas pelo IPCA. Os grupos vão desde uma renda familiar menor que R$ 1.726,01 por mês, no caso da faixa com renda muito baixa, até uma renda mensal familiar acima de R$ 17.260,14, no caso da renda mais alta.

istoedinheiro

A deputada federal Marília Arraes, que rompeu com o PT e foi para o Solidariedade, lidera nos principais cenários da pesquisa ao governo do estado de Pernambuco realizada pelo instituto Paraná entre os dias 10 e 14 de maio e divulgado nesta segunda-feira (6). No principal cenário, ela tem 28,8% das intenções de voto contra 16% da ex-prefeita de Caruaru Raquel Lyra (PSDB); 13,6% do ex-prefeito de Petrolina Miguel Coelho (União Brasil); 12,1% do ex-prefeito de Jaboatão dos Guararapes Anderson Ferreira (PL); e 7,1% de Danilo Cabral. Marília Arraes: “O Solidariedade está sob meu comando e vai ser bastante lulista” Marília Arraes também lidera, com 34,9%, no cenário sem Raquel Lyra e com 32,6% na simulação sem Miguel Coelho. No primeiro, Danilo Cabral aparece em quarto, com 8,3%; no segundo, o candidato governista tem 7,7% e também fica em quarto.

Segundo turno

Nas simulações de segundo turno, Cabral perde para Marília Arraes (18,7% a 51,4%), para Coelho (22,7% contra 35%) e para Raquel Lyra (20,3% a 41,8%). O candidato do governo empata tecnicamente com Anderson Ferreira (29,1% contra 28,1%), que é o candidato apoiado pelo presidente Jair Bolsonaro (PL).

revistaforum

Foto: Reprodução/Facebook – Osmar Terra, Anderson Matei e Luciano Hang

O Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Sul (TRE-RS) julgará na segunda-feira (16), o processo que pede a cassação do prefeito do município gaúcho de Santa Rosa, Anderson Mantei, e anulação da eleição de 2020 no município.A motivação do processo é a visita do empresário Luciano Hang, dono da rede de Lojas Havan, a Santa Rosa, às vésperas da eleição de 2020, sob o pretexto de encaminhar documentos referente à construção de uma filial da rede no município.Na realidade, a visita foi um evento eleitoral: o empresário condicionou o investimento ao resultado da eleição municipal, pregou voto útil no candidato do prefeito (que acabou sendo eleito) e fez propaganda contra a a coligação recorrente.O recurso da Coligação União do Povo por Santa Rosa (PT-PCdoB-PDT-PL) também solicita a suspensão dos direitos políticos dos candidatos beneficiados, do ex-prefeito Alcides Vicini, do deputado Osmar Terra e de Hang, por abuso de poder político e econômico.

O parecer do Ministério Público Eleitoral é favorável ao recurso.

As informações são do escritório Félix, Floriano, Rondon e Ribeiro Advogados Associados, representantes da chapa da coligação recorrente, e referentes ao Processo n. 0600658-54.2020.6.21.0042.

Fonte: BdF Rio Grande do Sul

Edição: Extra Classe

brasildefato.

Presidente dirige jet ski no Lago Paranoá, em Brasília, durante “lanchaciata” esvaziada – Reprodução/Twitter

Em mais uma semana em que tenta reduzir a distância para o ex-presidente Lula (PT) na corrida eleitoral, o presidente Jair Bolsonaro (PL) enfrenta desafios na gestão do Executivo Federal que impactam diretamente suas pretensões no pleito pelo Palácio do Planalto. No domingo (15), Bolsonaro passeou de jet ski em meio a uma lanchaciata em seu apoio, mas foi vaiado em um passeio em feira no Guará, no Distrito Federal.

O noticiário desta segunda-feira (16) aponta três temas sensíveis para o chefe do Executivo, que tem cerca de 10 pontos de distância para Lula nas pesquisas, segundo diversos institutos: a diminuição de verbas para o estado de São Paulo, o mais importante colégio eleitoral do país; a suspensão das atividades do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) por falta de verbas; e o julgamento da privatização da Eletrobras no Tribunal de Contas da União (TCU).

Incra suspenso

Com as atividades suspensas no Incra por falta de recursos, o presidente disse, no domingo, que irá pedir a liberação de verbas para que o órgão retome as atividades. “Vou ver se acerto com o Paulo Guedes esta semana, precisamos de mais recurso. Porque custa dinheiro você mandar o pessoal para as áreas, trabalhar, emitir o respectivo título de propriedade. E isso não pode parar”, disse à imprensa na Praça dos Três Poderes.”E estou pronto, vou falar com Paulo Guedes [para que], se não tiver recurso, cortar de algum ministério.”  A preocupação do capitão reformado são as emissões de títulos de propriedade a antigos assentados, que se tornaram uma política em seu governo, em detrimento do desenvolvimento da reforma agrária no país. A situação de penúria foi informada ao governo pelo presidente do Incra, Geraldo Melo Filho, na última sexta-feira. Ele ordenou a suspensão de novas atividades técnicas de campo, como fiscalizações e vistorias. Segundo o Portal da Transparência, o orçamento para a aquisição de propriedades caiu de R$ 930 milhões em 2011 para R$ 2,4 milhões neste ano. No mesmo movimento a verba discricionária total – as quais o governo federal pode decidir como e quanto gastar – saíram de R$ 1,9 bilhão em 2011 para R$ 500 milhões em 2020. Sem dinheiro direto do governo federal, Geraldo Melo Filho afirmou no ofício que as atividades do Incra puderam continuar até então devido às emendas do relator, controladas pelo Congresso Nacional. Mas neste ano nenhum direcionamento foi feito. 

 

Verbas em São Paulo

Os valores transferidos para o estado de São Paulo também diminuíram. Em relação ao governo anterior, de Michel Temer (MDB), a transferência de recursos voluntária caiu 36,5%, de acordo com dados da Secretaria da Fazenda do estado. Foram R$ 3,3 bilhões entre 2016 e 2018, diante de R$ 2,1 bilhões entre 2019 e 2021. A diminuição não gera surpresas, em partes, uma vez que a transferência voluntária depende de acordos entre os governos. O ex-governador de São Paulo, João Doria (PSDB), até utilizou da onda bolsonarista de 2018 durante sua campanha eleitoral. O slogan #BolsoDoria foi uma das ferramentas de marketing do tucano. Mas, pouco depois que chegou ao Palácio dos Bandeirantes, a distância entre ambos aumentou dando lugar aos embates públicos em torno da pandemia de covid-19.

Privatização no TCU

O TCU começa a segunda fase de análise do processo de privatização da Eletrobras, nesta quarta-feira (18). Nessa etapa serão estudadas a oferta secundária de ações e redução da participação da União na companhia. Em entrevista recente ao Brasil de Fato, a vice-presidente da Confederação Nacional dos Urbanitários (CNU), Fabíola Antezana, disse que o governo tem pressa para privatizar a Eletrobras porque sabe que o calendário eleitoral tende a atrapalhar a operação.Antezana alertou que, apesar da decisão do TCU, ainda há, sim, chances de a Eletrobras ser privatizada por Bolsonaro neste mandato. Ela ressaltou, porém, que uma lei sobre a privatização da Eletrobras foi aprovada pelo Congresso e sancionada por Bolsonaro. Ela não estabelece prazo para que isso ocorra. Portanto, caso Bolsonaro seja reeleito ou outro presidente queira dar continuidade à venda, isso está oficialmente autorizado.“A única coisa que não deixará a Eletrobras ser privatizada é uma nova legislação, que não vira deste agora”, afirmou ela. O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), pré-candidato à eleição e líder em todas as pesquisas de intenções de voto, já declarou ser contra a venda da Eletrobras. Ciro Gomes (PDT) também.

Racha entre aliados em SP 

A confirmação de que Bolsonaro terá o apresentador José Luiz Datena (PSC), da Band, como candidato ao Senado na chapa de Tarcísio Gomes de Freitas (Republicanos) em São Paulo incendiou ainda mais a fogueira das vaidades de bolsonaristas no Estado. Após Abraham Weintraub (PMB) disparar contra o ex-chefe ao ser escanteado da disputa ao governo, Janaína Paschoal (PRTB) fez ameaças nas redes após ser desprezada pelo presidente. Além de Datena, Janaína disparou contra Paulo Skaf (MDB), ex-presidente da Fiesp cotado para vice de Tarcísio e afirmou que não vai se “omitir”. “Skaf fez par com Lula e com Dilma; e Datena votou em Lula a vida toda! Não estou falando mal de ninguém, só estou lembrando fatos. Diante das pesquisas e dos muitos depoimentos que ouço, decido não me omitir”, escreveu.

Vaias no Distrito Federal

No domingo (15), antes de uma “lanchaciata” esvaziada, o presidente foi vaiado por cidadãos que estavam na Feira do Guará. Ao chegar no local, uma multidão cercou o presidente e o “homenageou” com gritos de “fora, Bolsonaro”. No vídeo, também é possível notar que alguns apoiadores tentaram reverter a cena gritando “mito”. Organizada por apoiadores Bolsonaro, a “Lanchaciata pela Liberdade no Brasil”, realizada no Lago Paranoá, em Brasília, “flopou”. Isto é, o número de participantes foi muito abaixo do esperado. Ao anunciar o evento, os bolsonaristas falavam em centenas de lanchas e jet-ski manifestando apoio ao presidente. O que se observou, no entanto, foram pouquíssimas embarcações – algo em torno de 40, segundo um dos participantes, que transmitiu a “lanchaciata” ao vivo em seu canal do YouTube. 

Edição: Rebeca Cavalcante

Este trabalho é de inteira responsabilidade de seu autor

Documento divulgado pelo TSE apresenta principais modificações nas transparência das eleições no país – Antonio Augusto/Ascom/TSE

Sob ataque do presidente Jair Bolsonaro (PL) e de militares que integram o seu governo, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) tem realizado avanços importantes em mecanismos e práticas de transparência pública para o processo eleitoral de outubro.

No fim do mês passado, a Corte Eleitoral apresentou o documento Plano de Ação para Ampliação da Transparência do Processo Eleitoral, com compromissos para proporcionar inovações que garantam a segurança e a confiabilidade das eleições, além de fortalecer a participação social em todas as etapas. A estratégia reúne dez medidas elaboradas a partir das contribuições dos membros da Comissão de Transparência das Eleições (CTE), da qual fazem parte representantes da Câmara dos Deputados, do Senado Federal, das Forças Armadas, da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), e de órgãos públicos e da sociedade civil, como universidades e organizações. Foram recebidas 44 sugestões, sendo três da Open Knowledge, seis das Forças Armadas, 11 da Polícia Federal, dez da Universidade de São Paulo (USP), quatro da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), quatro da Fundação Getulio Vargas (FGV), três da Universidade de Campinas (Unicamp), duas da Transparência Brasil e uma da OAB. Entre as sugestões acolhidas estão: a de antecipação do código-fonte, a ampliação da amostra do teste de integridade, o início de projeto-piloto para futura disponibilização do código-fonte, o aumento da comunicação às entidades fiscalizadoras para que tomem parte na cerimônia de preparação das urnas, a incorporação da ideia de publicação dos arquivos RDV ao plano de ação, além da contínua melhoria da comunicação institucional do TSE. A CTE foi instituída pelo TSE em setembro de 2021 (Portaria 579/2021) e os membros se reuniram periodicamente para acompanhar eventos importantes do calendário eleitoral e apresentaram, até o dia 17 de dezembro de 2021, as sugestões para avaliação por parte do Tribunal. 

Confira as 10 medidas:

1 – Instituição da Comissão de Transparência das Eleições (CTE)

Os objetivos principais foram o aprimoramento dos mecanismos de segurança das etapas de preparação e realização das eleições; a ampliação da transparência; e o fomento à participação de especialistas, instituições públicas e entidades da sociedade civil no acompanhamento do processo eleitoral. A criação da CTE segue 17 marcos que abrangem toda a fase de preparação e testes das urnas para as Eleições 2022.

2 – Instituição do Observatório de Transparência das Eleições (OTE) 

É formado por instituições da sociedade civil que colaboram com a Comissão e com o TSE na ampliação da transparência do processo eleitoral; no aumento do conhecimento público sobre o sistema de votação; e no resguardo da integridade das eleições. Para alcançar esse objetivo, os representantes das instituições que integram o Observatório atuarão em diversas etapas, incluindo a participação na elaboração de material informativo e campanha institucional para a sociedade sobre a transparência, a segurança e a integridade das eleições. A OTE reúne 17 marcos de atuação, desde a fase do Teste Público de Segurança (TPS), realizado um ano antes das eleições, até a diplomação dos eleitos, prevista para ocorrer em dezembro de 2022.

3 – Antecipação da inspeção dos códigos-fonte

O objetivo é ampliar o prazo concedido às entidades fiscalizadoras para o acompanhamento dos trabalhos de especificação e desenvolvimento dos sistemas eleitorais nas dependências do TSE. A iniciativa busca ampliar, de seis meses para um ano, o período de participação das entidades fiscalizadoras nas fases de especificação e de desenvolvimento dos sistemas eleitorais. A medida atende cinco marcos principais, todos já realizados nas dependências do TSE com participação das entidades.

4 – Aperfeiçoamento do Teste Público de Segurança (TPS)

Será estimulada a participação da comunidade acadêmica e especializada no TPS com a implementação de propostas trazidas nas edições anteriores do evento e de melhorias idealizadas pelo corpo técnico do TSE e pelas comissões Reguladora, Avaliadora e de Comunicação Institucional do Teste Público. Entre as melhorias, está o aumento do número de inscrições de investigadores de 10 para 15, totalizando até 45 (quarenta e cinco) investigadores e a ampliação do tempo de acesso dos investigadores aos códigos-fonte, que passou de uma para duas semanas. Esse item apresenta uma dezena de marcos de atuação; entre eles, a realização do Teste de Confirmação.

5 – Publicação dos códigos-fonte

Será ampliado o acesso ao código-fonte dos softwares eleitorais para a comunidade acadêmica e especializada, visando aumentar a confiabilidade no processo eletrônico de votação, bem como receber contribuições de melhoria. O conhecimento e o debate qualificado deverão gerar repercussão na sociedade civil e reduzir a desinformação, com a consequente e diminuição de fake news e notícias especulativas. São 14 marcos definidos e executados desde a definição das entidades parceiras até a publicação de documento, relatando a experiência, os principais achados e as medidas adotadas pelo TSE.

6-Ampliação da participação das entidades fiscalizadoras na Cerimônia de Preparação das Urnas

Tal participação é fundamental para averiguar se os procedimentos realizados pelos técnicos da Justiça Eleitoral, no momento da preparação das urnas, estão de acordo com a legislação e se atendem às exigências de transparência. Nessa cerimônia, as urnas são preparadas e lacradas fisicamente para o dia da votação. A preparação da urna consiste em instalar os softwares e os dados (por exemplo, dados de candidatos e eleitores) necessários para a realização da eleição. Durante o evento, as entidades fiscalizadoras podem verificar a integridade e a autenticidade dos sistemas eleitorais instalados nas urnas eletrônicas, bem como o correto funcionamento desses equipamentos. Para alcançar esse objetivo de ampliação, um dos marcos de atuação é identificar as razões pelas quais as entidades fiscalizadoras não participam ativamente da Cerimônia de Preparação de Urnas. Para tanto, foram realizadas reuniões com representantes de todos os partidos políticos, que também é uma das premissas definidas no Plano de Ação.

7 – Evolução dos Testes de Integridade das Urnas Eletrônicas

O aperfeiçoamento dos testes ampliará a amostragem de urnas submetidas a essa auditoria e fomentará a participação dos partidos políticos, das demais entidades fiscalizadoras e da sociedade civil. Os Testes de Integridade das Urnas Eletrônicas, previstos como um mecanismo de auditoria pela Lei nº 9.504/1997 (art. 66, § 6º), são realizados pela Justiça Eleitoral desde as eleições de 2002.

Esses testes demonstram a integridade dos sistemas inseridos na urna eletrônica, os quais já foram auditados durante as fases de desenvolvimento dos sistemas e de preparação das urnas eletrônicas, possibilitando a comprovação de que os votos inseridos na urna de fato correspondem à vontade do eleitor. Entre os principais marcos desse item, está a revisão do termo de referência e a contratação da empresa de auditoria externa para acompanhamento dos testes de integridade.

8 – Publicação dos arquivos Registros Digitais dos Votos (RDV) e Logs das Urnas

Desta forma, espera-se facilitar a verificação da apuração dos votos em cada urna eletrônica, possibilitando análises a partir de estatísticas da votação e a apuração do resultado da seção eleitoral a partir dos registros dos votos do RDV, comprovando-se o resultado do Boletim de Urna. A partir dos arquivos RDV e log da urna é possível, sem a participação da Justiça Eleitoral, com autonomia e independência, apurar o resultado de cada seção eleitoral do país e compará-lo com o resultado do Boletim de Urna divulgado na seção eleitoral e, posteriormente, na Internet. Para fortalecimento dessa medida, o TSE divulgará toda a documentação necessária para a conferência e análise dos arquivos, organizando-a de forma que o usuário possa verificar os RDVs de apenas um estado, município ou zona eleitoral. Um dos principais marcos dessa medida é a publicação do RDV e logs de urna em repositório integrado com o Programa de Dados Abertos, bem como de toda a documentação necessária para que possa ser feita a conferência e análise desses documentos.

9 – Incentivo à conferência dos Boletins de Urna pelos mesários

A medida apresentada é uma conferência adicional a ser feita pelos mesários, mas que pode ser estendida a qualquer interessado, uma vez que o aplicativo Boletim na Mão, desenvolvido pelo TSE, permite que o eleitor tenha acesso a uma cópia digital dos Boletins de Urna em seu próprio celular ou tablet. Assim, os presidentes das mesas receptoras de votos passam a ter como uma de suas obrigações a conferência dos resultados da seção eleitoral que presidiu, comparando uma das vias do BU impresso pela urna eletrônica com os arquivos publicados na internet pelo TSE. Um dos marcos a serem seguidos será a sensibilização dos chefes de cartórios em todo o país para que reforcem a medida junto aos seus respectivos mesários.

10 – Fortalecimento da Comunicação Institucional

Continue lendo

Por Fantástico

Golpe no Farmácia Popular: no lugar de uma drogaria, funciona uma loja que vende galinhas
Golpe no Farmácia Popular: no lugar de uma drogaria, funciona uma loja que vende galinhas

Fantástico apresentou o resultado de uma investigação jornalística sobre um problema crônico brasileiro: o desvio de dinheiro público do programa Farmácia Popular, do governo federal. O repórter Giovani Grizotti conseguiu informações exclusivas e descobriu as estratégias usadas pelos golpistas. Entre as fraudes, que provocam um rombo bilionário nos cofres públicos, tem até farmácia fantasma. A função mais conhecida do ConectSUS: ser um comprovante de que você tomou todas as doses da vacina contra a Covid-19. Mas, ao mostrar também o histórico de atendimentos na rede pública de saúde, o aplicativo se tornou o dedo duro de uma fraude.

“Mexendo no aplicativo que eu não conhecia, eu vi que tinha uma parte de medicamentos”, conta John Lennon Santos dos Santos, enfermeiro.

E aí, muita gente teve a mesma surpresa: no aplicativo, aparece a retirada de remédios, mas a verdade é que a pessoa nunca pegou nem solicitou nada.

“Diz que eu tirei o medicamento em Sidrolândia, Mato Grosso do Sul. Só que eu nunca pisei no Mato Grosso. Tão pouco tenho parentes lá”, diz Luiz Felipe da Silva Cruz, analista fiscal.

Luiz Felipe mora em São Paulo, que fica a mais de mil quilômetros de Sidrolândia. Já o John vive no Rio Grande do Sul. E nunca esteve em Pitangueiras, no interior paulista, a 1.500 de distância.

“O que impressiona é a quantidade de retirada dos medicamentos no meu CPF, 800 unidades de uma medicação, mais 420 de outra”, relata.

Os remédios liberados irregularmente são do programa Farmácia Popular, do governo federal, que fornece medicamentos para diversas doenças, como hipertensão, diabetes, asma e colesterol alto.Durante dois meses, o repórter Giovani Grizotti acompanhou processos judiciais e descobriu as principais artimanhas dos golpistas atualmente: a compra e a venda das chamadas farmácias populares. Principalmente, para aplicar golpes e driblar a burocracia, porque o processo normal para ter um estabelecimento credenciado no Farmácia Popular costuma ser demorado. E o governo suspendeu temporariamente novos credenciamentos. Por isso, o fraudador compra o CNPJ de drogarias já habilitadas pelo governo. A Polícia Federal investiga uma quadrilha de Goiás que agia com farmácias fantasmas. O desvio: cerca de R$ 10 milhões.

“Uma organização adquiria essas farmácias única e exclusivamente para promover fraudes no sistema da Farmácia Popular. Promoviam lançamentos fraudulentos no sistema utilizando o CPF de terceiros”, destaca Franklin Medeiros, delegado.

Ministério da Saúde diz que a orientação para quem descobriu que teve o nome usado em retiradas irregulares de remédios é procurar a ouvidoria do Sistema Único de Saúde. Quanto à existência de farmácias fantasmas e à demora na realização de fiscalizações, o diretor do Denasus reconheceu os problemas e prometeu mudanças.

“Nós criamos uma nova metodologia baseada em matriz de risco. É como se fosse uma malha fina e a gente consegue identificar os pequenos casos e a gente direciona a ação do Denasus naqueles casos de risco maior”, afirma Cláudio Costa.

Na quinta-feira passada, um dia depois da entrevista do diretor do Denasus ao Fantástico, o Ministério da Saúde anunciou que o novo modelo de fiscalização já entrou em vigor.

“Sempre,sempre corrupções, já não basta alguns “políticos”, agora vêm estes espertalhão (as). Parece que este país as autoridades só tem o nome o direito de fazer com que seja amenizada estar alargar de corrupção no país não tem jeito, como é que pode “? Pelo menos o dinheiro é recuperado? O mesmo vai para onde? É aplicado em que?

Por Fantástico

Quadrilha especializada em roubar idosos ricos mantém mulher dopada e em cárcere privado no Rio
Quadrilha especializada em roubar idosos ricos mantém mulher dopada e em cárcere privado no Rio
A professora aposentada Sônia Maria da Costa, de 79 anos, foi vítima de uma quadrilha especializada em roubar idosos ricos. Ela foi dopada e mantida em cárcere privado enquanto os criminosos faziam saques e transferências. Mas o plano saiu do controle e a mulher morreu.Imagens mostram Dona Sônia em uma agência bancária após fazer uma transação: cheia de saúde, cuidava sozinha da própria vida e dos negócios. Dez dias depois, estava novamente numa agência, mas de cadeira de rodas, muito debilitada e cercada por duas mulheres.Elas levaram o dedo de Sônia até a maquininha para autorizar transferências, e movimentaram uma fortuna.

“Ela não ostentava. Uma pessoa muito simples”, conta o vizinho Alexandre Peres.

Todos estranharam quando uma nova inquilina, recém-chegada, conseguiu se aproximar de Sônia. Era Danielle Esteves de Pinho — segundo a polícia, uma criminosa que sabia como ganhar a confiança de idosos. E que não agia sozinha.A amizade aparentemente desinteressada escondia o início de um golpe muito bem planejado por uma quadrilha especialista em enganar e roubar pessoas com um perfil parecido: mais velhas, sozinhas e ricas. Mesmo que isso custasse a vida da vítima.Para chegar ao dinheiro da Dona Sônia, os criminosos precisavam mais do que ter acesso à casa dela: precisavam controlá-la. E os investigadores descobriram como eles fizeram isso: passaram a dopá-la. Só que a mudança de comportamento dela despertou ainda mais desconfiança nos vizinhos.E um fato foi marcante: ao ser procurada para uma conversa sobre contratos de aluguel, a idosa desmaiou. Os vizinhos chamaram a ambulância e ficaram surpresos ao ver que, na nessa hora, Danielle entrou na casa. Todos foram para o hospital, e o médico relatou que Sônia estava bem de saúde, mas desorientada. Na volta para casa, Sônia contou que lembrava de ter assinado uns papéis, mas não soube dizer quais.Pouco tempo depois, os vizinhos não viram mais Dona Sônia. Ela desapareceu deixando para trás a casa e os negócios, como nunca tinha feito antes. Mas a cobrança dos aluguéis não parou.

Inquilinos desconfiaram

Os inquilinos receberam um comunicado de que todos os negócios dela seriam administrados por um escritório de advocacia. A justificativa: ela teria viajado. O escritório que deu o aviso era do advogado José Pinto — a polícia diz que ele comprou um carro conversível com R$ 200 mil de Sônia. Mas a maioria dos inquilinos não aceitou pagar o aluguel a um estranho. Eles procuraram a polícia para denunciar o desaparecimento de Sônia no dia 14 de novembro de 2020. Logo os policiais descobriram que o patrimônio dela também estava sumindo. Na casa, o cofre onde ela tinha dinheiro estava arrombado, e relatórios de movimentação financeira mostraram saques de R$ 800 mil nas contas da idosa.A polícia descobriu que para levar Sônia às agências bancárias sem levantar suspeitas, os criminosos a tiraram de casa e a levaram para um apartamento em Copacabana, bairro onde há muitos idosos. Os investigadores afirmam que ela ficou em cárcere privado, sendo dopada diariamente por pelo menos por três semanas. Até acontecer o pior.A quadrilha preparou uma última farsa para tentar esconder o crime mais grave contra Sônia: a morte dela. A polícia suspeita que a idosa não aguentou tantos remédios que a mantinham drogada. Para ocultar o corpo, os criminosos enterraram Sônia com outro nome no Cemitério do Caju, Zona Norte do Rio. Foi preciso exumar o corpo para provar que o personagem criado pela quadrilha era para esconder o corpo de Dona Sônia.

O que dizem os citados

A polícia prendeu três integrantes da quadrilha, apontados pelos investigadores como participantes do golpe e do assassinato: o advogado José Pinto; a inquilina, Danielle Esteves de Pinho; e Andréa Cristina, dona da empresa que ficou com dinheiro da idosa e seria uma das chefes do grupo. Eles vão responder por extorsão com resultado em morte. Fantástico procurou a defesa dos acusados. Danielle Esteves conseguiu a revogação da prisão preventiva e está em liberdade. A defesa afirma que ela é inocente e que confia na Justiça.O advogado de José Pinto disse, em nota, que é infundada a acusação atribuída a ele, e que configura uma ilação. Afirmou ainda que a defesa será feita nos autos do processo e será esclarecida a inocência dele.

O Fantástico não conseguiu contato com a defesa de Andréa Cristina.

Um primo de Dona Sônia falou com o Fantástico sobre a crueldade dos criminosos.

“Uma das coisas que a autópsia revelou foi uma fratura nos ossos do nariz. Tenho impressão de que eles andaram realmente a tratando muito mal. Foi um fim de vida muito trágico, realmente”, disse Mauro Proto.

“Que tantas atrocidade neste país, e a leis são frágeis e a justiça fica a desejar, é lamentável”.

7 LIÇÃO 2 TRI 22 NÃO RETRIBUA PELOS PADRÕES HUMANOS

TEXTO ÁUREO

“Não te vingarás, nem guardarás ira contra os filhos do teu povo; mas amarás o teu próximo como a ti mesmo. Eu sou o Senhor.” (Lv 19.18)

VERDADE PRÁTICA

O cristão não deve guardar rancor e nem buscar vingança. Antes, deve vencer o mal com o bem. Dessa forma, ele demonstra que verdadeiramente teve o seu caráter transformado por Cristo.

LEITURA DIÁRIA

Segunda – Rm 12.19-21 Vença o mal com o bem

Terça – Pv 20.22 Espere a vitória pelo Senhor

Quarta – Is 35.3-4 O Senhor virá com vingança

Quinta – Dt 32.35 A vingança pertence ao Senhor

Sexta – Jr 15.15 Orando pelo auxílio de Deus

Sábado – Rm 2.6-8 Deus retribuirá a cada um

LEITURA BÍBLICA EM CLASSE

Mateus 5.38-48

38 – Ouvistes o que foi dito: Olho por olho e dente por dente.

39 – Eu, porém, vos digo que não resistais ao mal; mas, se qualquer te bater na face direita, oferece-lhe também a ou

40 – e ao que quiser pleitear contigo e tirar-te a vestimenta, larga-lhe também a capa;

41 – e, se qualquer te obrigar a caminhar uma milha, vai com ele duas.

42 – Dá a quem te pedir e não te desvies daquele que quiser que lhe emprestes.

43 – Ouvistes que foi dito: Amarás o teu próximo e aborrecerás o teu inimigo.

44 – Eu, porém, vos digo: Amai a vossos inimigos, bendizei os que vos maldizem, fazei bem aos que vos odeiam e orai pelos que vos maltratam e vos perseguem,

45 – para que sejais filhos do Pai que está nos céus; porque faz que o seu sol se levante sobre maus e bons e a chuva desça sobre justos e injustos.

46 – Pois, se amardes os que vos amam, que galardão tereis? Não fazem os publicanos também o mesmo?

47 – E, se saudardes unicamente os vossos irmãos, que fazeis de mais? Não fazem os publicanos também assim?

48 – Sede vós, pois, perfeitos, com o é perfeito o vosso Pai, que está nos céus.

Hinos Sugeridos: 324, 432, 438 da Harpa Cristã

PLANO DE AULA

1- INTRODUÇÃO

Quando se recebe uma ofensa, a reação natural é devolvê-la com outra. Entretanto, o Senhor Jesus nos convida a agir de uma maneira mais elevada, pondo em prática a instrução divina de acordo com o Sermão do Monte. Nesse sentido, retribuir o mal com o bem é uma ação que vem do Céu. O crente cheio do Espírito Santo é capaz de viver esse ensino do Sermão proferido pelo nosso Senhor.

2- APRESENTAÇÃO DA LIÇÃO

A) Objetivos da Lição:

I) Avaliar que a vingança não é de natureza do Reino;

II) Validar que o amor é a expressão natural do Reino”;

III) Valorizar a busca pela perfeição na perspectiva do Reino de Deus. B) Motivação: Retribuir o mal com o bem é transcender o senso comum de que temos que pagar a ofensa na mesma moeda. Fazer o bem é o melhor antídoto para deter o mal: “ Não te deixes vencer o mal, mas vence o mal com o bem ” (Rm 12.21).

C) Sugestão de Método: A perfeição cristã está fundamentada na prática do amor, com o bem formula o terceiro tópico. Por isso, enfatiza ao longo da exposição em classe as expressões: “oferecer a outra face”; “caminhar duas milhas”; “não desviar de quem pede emprestado”; “amar o inimigo”; “saudar quem não é irmão”. Todas essas expressões estão no cerne do desenvolvimento da perfeição cristã (Mt 5.48).

3- CONCLUSÃO DA LIÇÃO

A) Aplicação: A presente lição deve levar o aluno a conscientizar-se a respeito da incoerência da vingança com a prática cristã. “Pagar na mesma moeda” nada tem a ver com o estilo de vida cristão. Por isso, o seguidor de Jesus é estimulado a desenvolver o fruto do Espírito na vida cristã.

4- SUBSÍDIO AO PROFESSOR

B) Auxílios Especiais: Ao final dos tópicos, você encontrará dois auxílios que darão suporte na preparação de sua aula

1) O texto “Amar os Inimigos”, localizado após o segundo tópico, amplia o ensinamento a respeito do amor aos inimigos;

2) O texto “ Sobre a Perfeição ”, localizado ao final do terceiro tópico, traz uma reflexão a respeito da perfeição cristã, com o que o texto do Sermão do Monte nos estimula a buscar esse ideal bíblico.

INTRODUÇÃO COMENTÁRIO

Quando as pessoas nos ofendem, muitas vezes a nossa primeira reação é desejar a vingança. Mas Jesus, ao contrário, disse que devemos fazer o bem àqueles que nos ofendem! Ao invés de nos vingar, devemos amar e perdoar. Isso não é uma coisa natural, é sobrenatural. Somente Deus pode nos dar forças para que amemos com o Ele ama.

COMENTÁRIO

Estaremos agora adentrando a quinta ilustração dita por Cristo Jesus, conforme leitura de Mateus 5.38-42. Vamos analisar essa seção de Mateus, primeiramente, para descobrir o porquê de constar na Lei mosaica e de ser reforçada por Cristo Jesus. Antes de prosseguirmos com nossa análise textual, de imediato podemos dizer que cumprir o que Jesus ensina só é possível pela nova natureza implantada pelo seu Santo Espírito, dependendo constantemente dEle. Se assim não for, jamais conseguiremos evidenciar amor para com as pessoas perversas e inimigas. Nas páginas anteriores, expusemos que o pecado nos tornou seres de natureza maléfica, de modo que quando sofremos uma ofensa, um ataque de qualquer pessoa, logo estamos prontos para reagir com todo o ímpeto, não somente isso, queremos um revide maior para tal erro cometido. Para seguirmos a recomendação de Cristo: “Não resistas ao perverso”, que do grego é o ponerós, uma pessoa de natureza ou condição má, só mesmo se for uma nova criatura (2Co 5.17), caso contrário, logo que for ofendido por alguém buscará vingança, o que pode envolver tanto perdas no campo físico como até mesmo a própria vida. Na essência de uma natureza não transformada aloja-se a ira carnal, que busca de imediato reagir sem medir as consequências, uma vez que deseja a retaliação custe o que custar.

O apóstolo Paulo nos aconselha a irar, mas não pecar (Ef 4.26).

Com tais palavras ele esclarece que o cristão que vive em Cristo não procede mais como um pagão, o qual age segundo seu propósito e entendimento, escurecido pelas trevas do pecado sem qualquer ligação com Deus (Ef 2.12; Cl 1.21), por isso se entrega a um estilo de vida sem compromisso, sem perdão e sem amor, pois vive na devassidão (Cl 3.5). É possível, para o cristão, ter um padrão elevado como consta em Mateus 5.38-42 porque nosso coração e nossa mente estão dominados pelos verdadeiros ensinos de Jesus Cristo. Aquele que aprende dEle torna-se manso e humilde (Mt 11.28,29), de modo que no seu coração não há espaço para que o homem velho com suas concupiscência e atos pecaminosos de ódio e vingança reine; pelo contrário, pela presença do novo homem somos impulsionados a ter disposição de amor, justiça, santidade, verdade e bom tratamento para com o próximo.

Jesus intensifica novamente a força da antiga lei, transcende-a e cumpre o seu âmago. O princípio de olho por olho e dente por dente era comum no antigo Oriente Próximo e tinha o desígnio de manter feudos de sangue sob controle (Êx 21.24,25; Lv 24.20; Dt 19-21). Jesus exige que seus seguidores não reclamem seus direitos, que “não resistam ao mal”. Ele não está nos instruindo a ficarmos sentados passivamente enquanto o mal triunfa, ou a sermos cúmplices implícitos de violência física quando podemos mantê-la sob controle. O sentido de Jesus levantar-se em favor do bem e atacar o mal torna impossível tal ideia. Considerando o contexto que se segue, parece que Ele está chamando os discípulos para rejeitarem seus direitos legítimos de propriedade e reparação de queixas. “Mal”, neste contexto, não é tanto o Diabo ou o oposto do bem ideal, mas é aquele que quer desapossar injustamente o discípulo de sua dignidade ou propriedade.

Os exemplos que se seguem são exatamente isso, exemplos cie como vivenciar o princípio. Mas qual é o princípio? Não é que os discípulos de Jesus devem ser intimidados à vontade ou que eles não são muito importantes. A resposta acha- se nas bem-aventuranças cruciais, onde temos a chave para destrancar o significado do restante do Sermão da Montanha: “Bem-aventurados os mansos, porque eles herdarão a terra”. Os mansos, os pobres de espírito, entendem que têm total confiança em Deus para o sustento próprio, e não nos recursos efêmeros e ilusórios das instituições do mundo. Santo Basílio, quando ameaçado por Modesto, o ajudante de toda confiança do imperador, com o confisco de sua propriedade, replicou: “Como podes ameaçar um homem que está morto para o mundo? Com exceção de minhas roupas e alguns livros, não tenho mais nada. Quanto à morte, ela me impulsiona para onde desejo estar” (Gregório, Panegeric ofBasil[Panegírico de Basílio]).

A maior questão não é “os meus direitos” mas os assuntos do Reino de Deus. A pessoa pode estar legalmente correta numa ação judicial e acabar totalmente emaranhada no materialismo. “Algo tão bom nos aconteceu que não há nada comparativamente que possa sertão ruim” (rev. RobertJ. Stamps) Os discípulos podem se prender ligeiramente aos bens deste mundo porque eles sabem que Deus os sustentará. Deus é a sua fonte e fundação; tudo o mais é areia movediça. As duas antíteses finais levam-nos ao ponto mais alto do Sermão do Monte, pelo qual ele tem sido mais admirado e, ao mesmo tempo, objeto da maior indignação. Trata-se da atitude de amor total que Cristo manda que demonstremos ao perverso (v. 39) e aos nossos inimigos (v. 44). Em nenhum outro ponto o Sermão é mais desafiador do que neste. Em nenhum outro ponto a nitidez da contracultura cristã é mais óbvia. Em lugar nenhum nossa necessidade do poder do Espírito Santo (cujo primeiro fruto é o amor) é mais constrangedora.

Palavra-Chave: RETRIBUIÇÃO

I – A VINGANÇA NÃO É NATUREZA DO REINO

1- A Lei de Talião.

A Lei de Talião, olho por olho, dente por dente (Mt 5.38), pode ser definida como o castigo dado ao culpado, fazendo-o sofrer o mesmo mal ou dano que causou à vítima (Êx 21.24; Lv 24.20; Dt 19.21). Esse era o princípio da justiça visto na Lei de Moisés. É preciso compreender a natureza dessa ordem do Senhor, que não intencionava acirrar os homens a retribuir a agressão de qualquer maneira, e sim colocar um certo limite, não deixando que o vingador fizesse uma execução maior que o crime. Na verdade, essa lei procurava ajustar o castigo ao crime. A lei do Talião se tratava de uma norma para os tribunais civis, que no seu propósito desejava que em particular a pessoa jamais praticasse a vingança.

Não há nessa lei qualquer incentivo à vingança pessoal, pelo contrário, quando uma pessoa sofresse algum dano, era com um que ela desejasse que a justiça fosse feita e que os tribunais administrassem a devida punição (Lv 24.14; Dt 19.15-21). Os fariseus fizeram uma má interpretação desta lei, usando-a com o propósito de justificar a vingança a retribuição pessoal, descaracterizando-a do seu real objetivo, isso porque em momento algum a Lei de Moisés defendia a busca pela vingança, mas eles a citavam buscando destruir o seu significado real (Mt 15.3,6). A Bíblia proíbe terminantemente a vingança pessoal (Lv 19.18; Pv 20.22; 24.29).

COMENTÁRIO

ACESSEM

Continue lendo

TEXTO PRINCIPAL

“Não porei coisa má diante dos meus olhos; aborreço as ações daqueles que se desviam; nada se me pegará.” (SI 101.3)

RESUMO DA LIÇÃO

É preciso, por questão de vigilância e temor a Deus, estarmos atentos à direção e à forma como olhamos as pessoas à nossa volta.

LEITURA SEMANAL

SEGUNDA-2 Sm 11.2

Um rei que se descuidou

TERÇA – 2 Sm 11.5

Uma das consequências do pecado

QUARTA – 2 Sm 11.15

A morte que vem do pecado

QUINTA – 2 Sm 12.7

Deus confronta o rei

SEXTA – Sl 32.3

O preço de se ocultar o pecado

SÁBADO – 2 Sm 12.10

Marcas que não se acabam

OBJETIVOS

  • SABER que Davi estava ocioso em tempo de guerra;
  • MOSTRAR que Davi estava olhando na direção errada;
  • APONTAR  as consequências da ação de Davi.

INTERAÇÃO

Professor (a), a lição desta semana trata da falta de vigilância e do pecado de Davi com Bete-Seba. Davi deveria estar no campo de batalha, mas não se sabe por que abandonou tudo e resolveu tirar um dia de folga no palácio. A Bíblia de Estudo Aplicação Pessoal diz que “o que levou o rei Davi a abandonar seus propósitos de rei e de líder em tempos de guerra fora sua ambição pela prosperidade Ne pelo conforto- Será? Não temos como afirmar, mas o que importa aqui é o fato de que ele foi tentado e sucumbiu diante da tentação. O pecado, uma vez concebido, fez com que o “homem segundo o coração de Deus” passasse da vitória para o tormento. Mas, diante do seu erro, Davi não tentou se justificar, e arrependeu-se profundamente confessando o seu pecado (2 Sm 12.13ª; Sl51.4). A Palavra de Deus é incisiva: “O que encobre as suas transgressões nunca prosperará; mas o que as confessa e deixa alcançará misericórdia” (Pv 28.13). Deus perdoou Davi, porém ele sofreu as consequências do seu pecado (2 Sm 12.10-14).

ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA

Professor (a), divida a classe em 3 grupos. Depois que os grupos já estiverem formados, entregue a cada grupo uma das questões abaixo.

Cada grupo terá três minutos, no máximo, para discutir seu tema e dois minutos para expor sua opinião à classe. Conclua o debate explicando que embora vivamos em uma sociedade que tem se tornado complacente com o pecado, o mesmo é fatal, por isso deve ser erradicado de nossas vidas. O pecado não pode ser, em tempo algum, considerado como uma simples fraqueza ou imperfeição.

  1. Podemos considerar o pecado de Davi como uma simples fraqueza ou imperfeição?
  2. O que devemos fazer diante da tentação?
  3. O fato de ser um servo fiel a Deus nos isenta da tentação?

TEXTO BÍBLICO: 2 Samuel 11.1-5,14,15, 26, 27

INTRODUÇÃO

A forma como olhamos as coisas que nos cercam, como também a ocasião em que estamos, pode ser um meio pelo qual seremos tentados. Precisamos estar vigilantes, pois a ocasião e lugar não podem se tornar um elemento que facilite a ação de Satanás em nossas vidas. Mesmo sendo pessoas a quem o Eterno salvou pela sua graça, não estamos isentos de ocupar nossas mentes e o nosso olhar com aquilo que não agrada a Deus, por isso precisamos estar sempre atentos.

I – NO TEMPO DA GUERRA, OCIOSO

  1. O homem segundo o coração de Deus.

Ao estudarmos a respeito da tentação e queda de Davi, é preciso

dizer que, na época, ele não era um jovem com pouca experiência devida, e sim um rei coroado e experiente em batalhas. A Palavra de Deus faz referência a ele como um homem segundo o coração do Senhor (At 13.22). Em seu histórico, Davi tinha diversas vitórias contra seus inimigos, vários livramentos da parte de Deus, o hábito de consultar ao Senhor para tomar certas ações e o fato de congregar sob sua liderança homens desajustados, transformando-os em valorosos. Some-se a essa Lista o fato de trazer de volta a Arca de Deus para Jerusalém e de buscar fazer com que o povo adorasse ao Senhor. Ele também foi chamado de poeta, compositor e profeta. Davi, sem dúvida, tinha habilidades e era dono de um currículo diferenciado para um rei daqueles dias.

2 Um homem de ação.

A Palavra de Deus nos mostra que a tentação de Davi aconteceu em um momento de guerra. Naás, rei dos amonitas, faleceu, e seu filho, Hanum, reinou em seu lugar. Davi se lembra de que Naás o havia tratado com bondade (2 Sm 10.2), e decide enviar mensageiros para consolar o novo rei. Hanum, inexperiente, ouve seus conselheiros, que acusam os mensageiros de Davi de serem espiões. O rei rapa metade da barba dos homens enviados por Davi, além de cortar-lhes as roupas de maneira que ficaram muito envergonhados. Como esses homens retornariam a Israel naquele estado? Davi, sabendo do ocorrido, pede que os homens fiquem em Jerico, até que suas barbas cresçam. Esse foi um ato de grande humilhação para com os mensageiros enviados por Israel. Como se isso fosse pouco, os filhos de Amon contrataram mercenários sírios, para atacarem Israel, num total de 33.000 homens. A guerra estava a caminho e Davi precisava se preparar para esse momento.

3. No tempo em que os reis saem para as guerras.

É notório que o rei Davi havia sido generoso para com a memória do rei Naás. mas sua ação foi interpretada de forma errada pelos amonitas. e isso lhes custaria caro. Davi havia vencido muitos inimigos na sua jornada e Deus o havia preservado de ser morto por Golias e Saul. Ele derrotou os filisteus, moabitas, e também os arameus. Suas vitórias lhe deram prestígio como rei, e paz para a nação. Mas logo todas essas benesses podem ter deixado o rei em uma situação de despreparo para o que haveria a seguir. A Palavra nos diz que a Davi, sem duvida, tinha habilidades e era dono de um currículo diferenciado para um rei daqueles dias, queda de Davi se deu “no tempo em que os reis saem para a guerra” (2 Sm 11.1), e podemos compreender esse momento como um período em que os monarcas conduziam suas tropas contra seus inimigos, para preservar a soberania de seus países. Não era um momento de descanso, mas de alerta, pois vidas estariam em jogo, e o nome do Senhor, numa guerra, seria glorificado ou blasfemado.

SUBSÍDIO 1

Professor (a), inicie o tópico fazendo a seguinte indagação: Qual o significado da palavra ociosidade? Ouça os alunos com atenção e incentive a participação de todos. Depois, explique que a ociosidade significa inatividade, preguiça, moleza e indolência. Em seguida, explique que foi o que acorreu a Davi em tempos de guerra. Enfatize que a ociosidade abre a porta para a tentação.“Quando o inverno e sua estação chuvosa passaram, Davi enviou Joabe e o seu exército israelita para renovar a guerra contra Amon e estabelecer o cerco à capital, Rabá — ‘porém Davi ficou em Jerusalém’ (2 Sm 11.1). Como teria sido melhor se ele tivesse ido com as tropas para o campo de batalha. A ociosidade abre a porta para todos os tipos de tentações. Durante este periodo, Davi se levantou depois que o calor do dia havia passado, e enquanto caminhava pelo terraço de sua casa, viu uma mulher que se banhava no pátio de sua casa na cidade baixa. A tarde começava às 3 horas, de acordo com a nossa maneira de medir o tempo, e continuava até depois do escurecer. A consulta do rei tornou 0 nome da mulher conhecido: Bete-Seba, filha de Eliã e mulher de Urias, o heteu. O rei assim tinha o conhecimento completo de que a mulher era casada.”

II – OLHANDO NA DIREÇÃO ERRADA

1.Passeando pelo terraço.

A Palavra de Deus nos diz que Davi estava passeando pelo terraço do seu palácio, e naquele lugar, viu-se observando uma mulher tomando banho (2 Sm 11.2). Isso era, com certeza, algo incomum. Por sua vez, Davi estava em um lugar alto, e quem está em um andar mais alto em um prédio consegue ver quem está nas partes mais próximas do nível do chão. Aquela visibilidade chamou a atenção de Davi, e foi o começo de sua queda. Bate-Seba era “mulher mui formosa à vista” (2 Sm 11.2), e 0 coração do rei havia sido envolvido pelo desejo. Não raro, o olhar pode ser a fonte de sérias tentações. O texto bíblico nos dá a ideia de que a contemplação de Davi não foi por um momento rápido, acidental, mas uma ação que encheu o seu coração, que durou tempo suficiente para que ele desejasse a mulher de outro homem.

2. O adultério consumado.

Antes de dar prosseguimento ao seu plano, Davi pergunta a algumas pessoas do palácio quem era aquela mulher, e lhe disseram que era “Bate-Seba, filha de Eliã e mulher de Urias, 0 heteu?” (2 Sm 11.3). Ele soube que ela tinha uma família, e um marido. Mesmo assim, essas informações não frearam o ímpeto do rei. Ele envia mensageiros para falarem com a mulher a fim de que ela fosse para o palácio, onde o rei a esperava. Ali, Davi consumou um dos seus pecados.

3. Matando um marido e soldado honrado.

Continue lendo

Camilla Camargo se pronunciou após a separação da irmã, Wanessa, com Marcus Buaiz. Nas redes sociais, a atriz fez uma homenagem ao ex-casal. Confira:
Wanessa Camargo e Marcus Buaiz anunciaram a separação na segunda-feira (02), após 17 anos de casados. Em um comunicado em conjunto, o ex-casal explicou que a decisão foi tomada em comum Momentos após o anúncio, Camilla Camargo, irmã de Wanessa, fez uma homenagem ao ex-casal. No Instagram, a atriz publicou uma foto na qual ela está ao lado do marido, Leonardo Lessa, de Wanessa e de Marcus. “Sempre”, escreveu Camilla na legenda da imagem junto a um emoji de coração.Juntos, Wanessa e Marcus tiveram dois filhos: José Marcus, de 10 anos, e João Francisco, de 7. Discretos, os dois costumavam aparecer juntos nas redes sociais em registros ao lado do resto da família da cantora, que, no ano passado, participou do “Show dos Famosos”, no Domingão.

DESCUBRA O MOTIVO DO TÉRMINO DE WANESA E MARCUS

Segundo Leo Dias, do “Metrópoles”, os motivos da separação de Wanessa e Marcus são delicados. Os dois tomaram a decisão pelo rompimento do relacionamento na quinta-feira (28), mas só anunciaram nesta segunda.De acordo com o colunista, o casal começou a se afastar por causa das crises de Síndrome do Pânico de Wanessa. Apesar de sofrer com a doença, a cantora se recusa a procurar tratamento. Segundo Leo Dias, o casal não dormia no mesmo quarto há três anos.Ainda segundo o colunista, Wanessa tem crises frequentes, com crises de choro todas as noites. A cantora também não vê a mãe há três anos.Wanessa também passou por algumas internações por pouco tempo. A última delas, na semana passada, no Hospital Albert Einstein, em São Paulo. Com isso, o casal não conseguiu mais manter um relacionamento saudável.Ainda de acordo com Leo Dias, o estopim para a separação foi um encontro entre a cantora e o ex, Dado DolabeSegundo a publicação, o ex-casal esteve junto durante uma viagem de Wanessa com as amigas para Valparaíso, município de Goiás localizado a 190 km da capital, onde Dado reside atualmente. O reencontro aconteceu por intermédio de um maquiador que é amigo do ator. De acordo com a coluna de Leo Dias, este seria “o principal motivo para o fim do casamento”. 

Camilla Camargo faz homenagem à irmã e ex-cunhado nas redes sociais
Camilla Camargo faz homenagem à irmã e ex-cunhado nas redes sociais
Camilla Camargo publicou uma foto com o marido, Wanessa e Marcus
Camilla Camargo publicou uma foto com o marido, Wanessa e Marcus
Wanessa e Marcus são pais de dois filhos: J osé Marcus, de 10 anos, e João Francisco, de 7
Wanessa e Marcus são pais de dois filhos: José Marcus, de 10 anos, e João Francisco, de 7 / 10
Segundo Leo Dias, o casamento chegou ao fim por causa das síndromes de pânico de Wanessa
Segundo Leo Dias, o casamento chegou ao fim por causa das síndromes de pânico de Wanessa
utro motivo para o fim teria sido o reencontro de Wanessa com Dado Dolabella
Reencontro de Wanessa e Dado aconteceu durante uma viagem da cantora com amigas
Reencontro de Wanessa e Dado aconteceu durante uma viagem da cantora com amigas

Como esta coluna antecipou, a confirmação de Teresa Leitão no Senado da Frente Popular levou o deputado federal André de Paula desembarcar do Governo e ser anunciado na chapa da pré-candidata a governadora Marília Arraes (SD), na próxima segunda-feira.  Outra articulação feita por Marília foi atrair o deputado Sebastião Oliveira ofertando a ele a vaga de vice. Aliados de Sebá já confirmam que ele aceitou o convite e vai lançar seu irmão Valdemar Oliveira em seu lugar como candidato a federal. A estratégia de Marília é criar um fato por semana. Por isso, Sebastião só deve ser anunciado na outra semana. Ele esteve recentemente no Palácio numa articulação para que permaneça na Frente Popular. Diante desse quadro, Marília amplia  sua força na sucessão estadual, pois sai do isolamento do seu partido. Com o PSD e Avante, ela amplia o tempo de propaganda eleitoral e ainda pode receber a adesão do PP de Eduardo da Fonte. 

AGENDA COM SIMBOLISMO – A agenda do Plano Retomada comandada pelo governador Paulo Câmara trouxe um simbolismo nesta edição. Ele visitou cidades que André de Paula era votado como federal como Tracunhaém, Itaquitinga, Buenos Aires e Aliança. 

REFORÇANDO APOIO – Em seu discurso, o prefeito de Buenos Aires Fabinho Queiroz reforçou seu voto em André de Paula para o Senado e Danilo Cabral ao Governo. Ele fez o discurso mais enérgico da agenda. 

FIRME NA DISPUTA – Quem conversa ou participa de algum ato de pré-campanha de Raquel Lyra (PSDB) fica convencido que ela estará firme na disputa até o final ao contrário do que andam pregando que ela abdicaria para se unir a Miguel Coelho. 

AGENDA 40 – O pré-candidato a governador Danilo Cabral comanda a primeira agenda 40 na Mata Norte. A região historicamente teve uma inclinação a votar em candidatos de esquerda desde Arraes. O ato está marcado para as 11h, em Nazaré da Mata. 

PINGA-FOGO: Quando Eduardo da Fonte anuncia a saída do Governo?

www.cbnrecife.com

Bruna Hamú (Foto: Sergio Baia)Bruna Hamú (Foto: Sergio Baia)Bruna Hamú (Foto: Sergio Baia)
Bruna Hamú (Foto: Sergio Baia)

LICENÇA-MATERNIDADE
Mãezona, Bruna teve a vida transformada com a chegada de Julinho, seu primeiro filho com o empresário Diego Moregola. Nascido em abril de 2017, o menininho arrebatou o coração da atriz, que passou os últimos dois anos dedicada exclusivamente a ele. “Me descobri apaixonada por ser mãe”, derrete-se.Aos 29 anos, Bruna, que começou a carreira como modelo aos 19, fez sua estreia na Globo em 2013 e esteve no elenco de três novelas: Sangue BomMalhação: Sonhos A Lei do Amor, onde descobriu que estava grávida. “Foi tudo muito no susto”, lembra a atriz, confessando que está feliz com o carinho que vem recebendo do público. “Sempre recebia direct [no Instagram, onde tem 3,6 milhões de seguidores] dos fãs me cobrando fazer novela e quando eles ficaram sabendo ficaram bem excitados com a notícia”, comemora.Morando em São Paulo, ela se mudou para o Rio para gravar a novela e, por isso, tem passado a semana longe do marido e do filho. “Sinto que ele sofre mais na hora de dormir. Tenho conseguido ligar para ele por vídeo mais à noite. E ele fica mal porque sempre o fazia dormir, era a hora de ‘nanar’. Outro dia ele até brigou comigo: ‘naná, mamãe, naná!’ Ele não entendia, porque o Diego vai trabalhar e volta, eu não volto. Mas ele está bem, está muito bem amado e bem cuidado pelas avós”, garante.

INÍCIO DA CARREIRA
“Morava em Brasília, onde já tinha feito um book fotográfico, e quando estava com 19 anos fui para São Paulo sozinha, bati na porta de uma agência de modelos e falei: ‘oi, sou a Bruna, adoraria trabalhar’. Apresentei as fotos para eles e em um mês fui para Tóquio. Foi tudo muito rápido, era uma menina. Foi maravilhoso em Tóquio, as pessoas me acolheram super bem. O mercado da moda de lá é diferente, é mais comercial. Depois fui para Paris. Fui do oito para o oitenta. Para mim foi um choque muito grande porque o mercado de moda de Paris é muito exigente quanto a padrão. Modelo tem que ser magra, é uma exigência da profissão. Mas lá tinha que ser esqueleto. É um mercado muito fashion”.

PADRÕES
 “Nunca tinha feito dieta. Nem entendia esse mundo, não sabia o que fazer. Já cheguei em Paris um pouco acima do peso porque engordei em Tóquio. Só que não me preocupava. Eles me mediam com fita métrica toda sexta-feira. E tinha o pocket money da semana que era o dinheiro que eles davam para comer, andar de metrô e ir para os castings. Se estivesse acima do peso, eles me davam metade do pocket money. Para mim foi um choque bizarro e já entrou no meu psicológico que não podia comer”.

“Em vez de não comer, comia mais. E fui engordando, engordando, engordando. E começou o negócio: ‘já que não posso comer, vou vomitar’”

DISTÚRBIO ALIMENTAR
O povo francês não é muito acolhedor, é mais frio, seco. Fui ficando cada vez mais sem vontade de estar ali. Morava com mais duas meninas, uma da Rússia e outra da Polônia. Uma delas já tinha tido anorexia nervosa e passava o dia inteiro me mostrando fotos dela e contando sobre o distúrbio alimentar. Isso foi entrando cada vez mais na minha cabeça, ela me contaminou. Não queria mais estar lá, mas descobri que não podia voltar por uma questão de passagem. Fui ficando cada vez pior e não podia comer. Em vez de não comer, comia mais. E fui engordando, engordando, engordando. Acho que engordei uns 10 quilos em Paris. E começou o negócio: ‘já que não posso comer, vou vomitar’. Porque a outra menina passava o dia inteiro no meu ouvido falando sobre essas coisas. Quando vi, fiz isso duas vezes e pensei: ‘não estou bem! Para!’ Liguei para a minha mãe e disse que estava acontecendo isso. Minha tia pegou um avião e foi para Paris me ver. Graças a Deus consegui botar minha cabeça no lugar.

Bruna Hamú (Foto: Sergio Baia)

VOLTA À TV
“Já estava querendo voltar ao trabalho e avisei sobre meu desejo ao meu empresário [Átila Migliari]. Quando surgiu o teste para A Dona do Pedaço, meses atrás, cheguei a fazer, não sei nem para que personagem era, só que não rolou e pensei: ‘vida que segue’. Continuei minha vida e a Joana surgiu no começo de agosto, foi tudo muito rápido. O Átila me ligou e falou: ‘tem uma personagem nova que vai entrar na novela e eles estão pensando no seu nome. Você toparia?’ Falei: ‘claro! Sem dúvidas’. Ele avisou que a resposta sairia em dois dias. Foi tudo muito rápido! Dois dias depois ele me ligou e pensei: ‘atendo ou não?’ [risos]. Quando atendi, ele falou: ‘é você!’ Fiquei extremamente feliz porque já queria voltar. E nunca tinha feito uma novela do Walcyr [Carrasco, autor de A Dona do Pedaço]. Sempre admirei muito o trabalho dele, acho um gênio”.

“Os fãs são bem sinceros. É bom esse retorno, porque quando a crítica é construtiva, acho que vale, absorvo

TORCIDA
“Fiquei bem feliz de ver a reação das pessoas com a minha volta. Já me perguntavam quando ia voltar para a TV, sempre recebia direct [no Instagram] dos fãs me cobrando fazer novela e quando eles ficaram sabendo ficaram bem excitados com a notícia. Até reabri minha conta no Twitter [tinha desativado] para ver o movimento dos fãs. Eles são bem sinceros. É bom esse retorno, porque quando a crítica é construtiva, acho que vale, absorvo”.

NOVA ROTINA
“Sofro mais que o Julinho com a minha mudança para o Rio para gravar a novela. Até porque meu filho é uma criança muito independente, ele ama ir para a escola, brincar com os amiguinhos. Sinto que ele sofre mais na hora de dormir. Tenho conseguido ligar para ele por vídeo mais à noite. E ele fica mal porque sempre o fazia dormir, era a hora de ‘nanar’. Outro dia ele até brigou comigo: ‘naná, mamãe, naná!’ Ele não entendia, porque o Diego vai trabalhar e volta, eu não volto. Mas ele está bem, está muito bem amado e bem cuidado pelas avós. Ele fica com o Diego, minha sogra e  minha mãe também, que se mudou para São Paulo em julho e deu tudo certo. Ele está rodando de casa em casa, mas está feliz. Fico tranquila porque sei que ele está sendo bem cuidado, não está com uma pessoa desconhecida. Ele ama minha mãe, minha sogra, o pai dele. Mas sei que sente saudade de mim”.

Bruna Hamú (Foto: Sergio Baia)

GRAVIDEZ
“Engordei 18 quilos na gravidez. No final chutei o balde [risos]. Se queria comer chocolate, comia. Lembro que passei uma época na Bahia e fazia brigadeiro de panela e comia tudo. Porque no final da gestação tinha muita vontade de comer doce. Minha gravidez foi tranquila, não enjoei muito. Descobri um pouco tarde, só no terceiro mês. Até o quarto mês só conseguia comer alimentos gelados, se sentia cheiro de comida já ficava enjoada. Tomei vitamina e comia salada até o quarto mês. Minha barriga começou a aparecer no sexto mês. Até então não tinha muita barriga”.

A nova rotina com o bebê é delicada, tem a falta de sono, a amamentação. Mas nasce um bebê, nasce uma mãe. Aprendi muito com meu filho”

Continue lendo

Raquel Lyra (PSDB), pré-candidata ao Governo de Pernambuco, afirmou hoje (13) que a pesquisa divulgada pela IBGE, que aponta Pernambuco como líder no índice de desemprego no país, é uma prova da incompetência do governo do PSB de Paulo Câmara Danilo Cabral.Segundo o IBGE, Pernambuco alcançou um índice de 17% no nível do desemprego no primeiro trimestre, ficando bem acima da média nacional (11,1%).“A lentidão, o desânimo e a falta de liderança do governo do PSB têm feito muito mal aos pernambucanos. São milhares de homens, mulheres, de jovens, que procuram oportunidade e não encontram, porque o estado é incapaz de promover políticas públicas que enfrentem essa situação. Pernambuco é campeão de desemprego porque não tem governo”, afirma Raquel. A pré-candidata lembra que dados divulgados, ontem (12), pelo Cadastro Geral  de Empregados e Desempregados (Caged), mostram que em Caruaru, cidade que administrou até o último mês de abril, o volume de empregos formais superou o do período de pré-pandemia. A Capital do Agreste passou dos 66.911 empregos em março de 2020 para 71.666 no mesmo período de 2022.“Em Caruaru, nós não ficamos de braços cruzados. Enfrentamos a pandemia, cuidamos da saúde da população, mas sem descuidar da administração como um todo, do ambiente econômico, da geração de oportunidades”, pontua.Para Raquel Lyra, o problema do desemprego em Pernambuco é estrutural. “Somos o pior estado para se fazer negócios no País, segundo o Banco Mundial. Um relatório do Tesouro Nacional também nos mostra nas últimas posições no quesito investimento público. Pernambuco é ainda um dos únicos estados do Brasil que ainda não retomou o nível de emprego e que apresenta a maior taxa de informalidade, de mais de 50%. São mais de 1,7 milhão de pernambucanos na informalidade. E anunciaram um Plano de Retomada que não retomou. É isso o que Paulo Câmara nos entrega ao final de oito anos”, protesta.

A pré-candidata ao Governo do Estado, Raquel Lyra (PSDB), afirmou, nesta sexta-feira (13), que os dados divulgados pelo IBGE apontando Pernambuco como o líder de desemprego no País, ao lado da Bahia, é o maior atestado da incompetência do governo do PSB de Paulo Câmara e Danilo Cabral. Segundo o IBGE, Pernambuco alcançou um índice de 17% no nível do desemprego no primeiro trimestre, ficando bem acima da média nacional (11,1%).“A lentidão, o desânimo e a falta de liderança do governo do PSB têm feito muito mal aos pernambucanos. São milhares de homens, mulheres, de jovens, que procuram oportunidade e não encontram, porque o estado é incapaz de promover políticas públicas que enfrentem essa situação. Pernambuco é campeão de desemprego porque não tem governo”, afirma Raquel. A pré-candidata lembra que dados divulgados, ontem (12), pelo Cadastro Geral  de Empregados e Desempregados (Caged), mostram que em Caruaru, cidade que administrou até o último mês de abril, o volume de empregos formais superou o do período de pré-pandemia. A Capital do Agreste passou dos 66.911 empregos em março de 2020 para 71.666 no mesmo período de 2022.“Em Caruaru, nós não ficamos de braços cruzados. Enfrentamos a pandemia, cuidamos da saúde da população, mas sem descuidar da administração como um todo, do ambiente econômico, da geração de oportunidades”, pontua.Para Raquel Lyra, o problema do desemprego em Pernambuco é estrutural. “Somos o pior estado para se fazer negócios no País, segundo o Banco Mundial. Um relatório do Tesouro Nacional também nos mostra nas últimas posições no quesito investimento público. Pernambuco é ainda um dos únicos estados do Brasil que ainda não retomou o nível de emprego e que apresenta a maior taxa de informalidade, de mais de 50%. São mais de 1,7 milhão de pernambucanos na informalidade. E anunciaram um Plano de Retomada que não retomou. É isso o que Paulo Câmara nos entrega ao final de oito anos”, protesta.

cbnrecife

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que mede a inflação oficial, de abril foi 1,06%. A taxa ficou abaixo da registrada em março (1,62%). Mas, ao mesmo tempo, foi o índice mais alto para um mês de abril desde 1996 (1,26%). Segundo dados divulgados nesta quarta-feira (11) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a inflação acumulada em 12 meses chegou a 12,13%, acima dos 12 meses imediatamente anteriores e a maior desde outubro de 2003 (13,98%). A taxa acumulada no ano chegou a 4,29%.Oito dos nove grupos de produtos e serviços pesquisados tiveram alta de preços em abril. Os alimentos, com inflação de 2,06%, tiveram o maior impacto na inflação oficial do mês.“Em alimentos e bebidas, a alta foi puxada pela elevação dos preços dos alimentos para consumo no domicílio (2,59%). Houve alta de mais de 10% no leite longa vida, e em componentes importantes da cesta do consumidor como a batata-inglesa (18,28%), o tomate (10,18%), óleo de soja (8,24%), pão francês (4,52%) e as carnes (1,02%)”, explica o pesquisador do IBGE André Almeida.Os transportes tiveram alta de preços 1,91% e foi o segundo principal responsável pelo IPCA do mês. Juntos, os dois grupos contribuíram com cerca de 80% da inflação do mês. Entre os transportes, o principal responsável pela alta de preços foram os combustíveis que subiram 3,20%, com destaque para gasolina (2,48%).Também registraram alta de preços os grupos saúde e cuidados pessoais (1,77%), artigos de residência (1,53%), vestuário (1,26%), despesas pessoais (0,48%), comunicação (0,08%) e educação (0,06%).O único grupo de despesas com deflação (queda de preços) foi habitação (-1,14%), devido à queda de 6,27% no preço da energia elétrica.

Agência Brasil

Caixa Econômica Federal inicia hoje (13) a liberação do saque de até R$ 500 em contas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS).

Os trabalhadores nascidos em maio já podem sacar até R$ 1 mil das contas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) a partir deste sábado (14). A Caixa Econômica Federal depositará o dinheiro na conta poupança digital, usada para o pagamento de benefícios sociais e previdenciários. Os valores só podem ser movimentados por meio do aplicativo Caixa Tem (disponível para sistemas operacionais Android e iOS), que permite o pagamento de contas domésticas e a realização de compras virtuais em estabelecimentos não conveniados. O Caixa Tem também permite o saque em caixas eletrônicos e a transferência para a conta de terceiros.Em todo o calendário de pagamento, serão liberados cerca de R$ 30 bilhões para aproximadamente 42 milhões de trabalhadores com direito ao saque. Pelo calendário divulgado em março, a liberação dos recursos segue cronograma baseado no mês de nascimento. O dinheiro será liberado em etapas até 15 de junho, quando recebem os nascidos em dezembro.

Todo o processo para pedir o saque será informatizado. O trabalhador não precisará ir à agência da Caixa, bastando entrar no aplicativo oficial do FGTS, disponível para smartphones e tablets, e inserir os dados solicitados.Porém, o trabalhador precisará ficar atento. A maioria receberá o dinheiro automaticamente, na conta poupança social digital da Caixa. No entanto, em caso de dados incompletos que não permitam a abertura da conta digital, o trabalhador terá de pedir a liberação dos recursos.O aplicativo dá a opção para o trabalhador pedir o crédito em conta corrente ou poupança de qualquer banco. A possibilidade, no entanto, só vale para quem aceitar fornecer documento oficial com foto para cadastrar a biometria.

Retirada

Outro ponto a que o trabalhador precisa ficar atento é a retirada do dinheiro. Os recursos estarão disponíveis até 15 de dezembro e voltarão para a conta vinculada do FGTS depois dessa data, caso o dinheiro não seja gasto, retirado ou transferido para conta corrente.O dinheiro não movimentado será restituído ao FGTS, com correção pelo rendimento do Fundo de Garantia correspondente ao período em que ficou parado na conta poupança digital.

Consulta

Para saber se receberá automaticamente o dinheiro ou se precisará pedir o saque, o trabalhador deve fazer uma consulta. O processo pode ser feito tanto no site do FGTS quanto pelo aplicativo FGTS (disponível para sistemas operacionais Android e iOS).O site informa apenas a data da liberação e se o crédito será feito de forma automática. O aplicativo tem mais funcionalidades, como a consulta aos valores, a atualização dos dados da conta poupança digital e o pedido para desfazer o crédito e manter o dinheiro na conta do FGTS.

Agência Brasil

São Paulo – A Igreja Mundial do Poder de Deus terá 25% do faturamento penhorado segundo decisão recente da Justiça de São Paulo, de acordo com o portal UOL. A ação faz parte de um processo movido por um proprietário de um imóvel, que cobra mais de R$ 117 mil em dívidas de aluguéis da instituição.Segundo decisão da juíza Ana Cláudia Guimarães e Souza, a penhora poderá ser realizada já durante o culto, após o período de recolhimento de dízimo. Para que o cumprimento da medida seja realizado e o valor da dívida devidamente quitado, foi nomeado um administrador judicial que acompanhará o processo. Ele irá fiscalizar a movimentação financeira diária da Igreja Mundial.No processo, a Mundial alegou que a medida decretada pela juíza cria problemas para o seu funcionamento e agrava a crise financeira que atinge a entidade. A defesa ainda afirmou que a penhora pode, inclusive, dificultar sua “sobrevivência”.Esse não é o primeiro processo de cobrança que a igreja enfrenta. Na Justiça, tramitam ações contra a igreja do apóstolo Valdemiro Santiago, cobrando dívidas referente a aluguéis não pagos, com ações de despejos e execuções de rendimentos.

” É falsante”.

metropoles

Em trocadilho, o presidente do TSE ironizou a atuação de militares no pleito. O ministro disse ainda que “ninguém interferirá” nas eleições

Ministro Edson Fachin no TSERafaela Felicciano/Metrópoles

Em trocadilho, o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Edson Fachin, afirmou nesta quinta-feira (12/5), durante visita à sala do órgão onde estão sendo realizados testes de segurança nas urnas eletrônicas, que quem trata das eleições são as “forças desarmadas”.Na ocasião, Fachin comentou a sugestão de Jair Bolsonaro (PL) de que as Forças Armadas poderiam fazer apuração paralela dos votos no decorrer das eleições de 2022. De acordo com o ministro, a Corte aceita colaborações, mas a palavra final é do TSE.“Quem trata de eleição são forças desarmadas e, portanto, dizem respeito à população civil que, de maneira livre e consciente, escolhe seus representantes. Logo, diálogo sim, colaboração sim, mas a palavra final é da Justiça Eleitoral”, frisou o presidente do órgão. Datas de posse: para os cargos de presidente e vice-presidente da República, bem como de governador, a posse ocorre em 1º de janeiro de 2023. Parlamentares assumem os mandatos em 1º de fevereiroAgência Brasil.Janela partidária: entre 3 de março e 1º de abril, deputadas e deputados federais, estaduais e distritais poderão trocar de partido para concorrer às eleições sem perder o mandatoTSE/Divulgação

O TSE está em fase de busca pela correção de falhas nas urnas eletrônicas encontradas na etapa de novembro. Nenhuma dessas, porém, de acordo com o tribunal, é grave a ponto de comprometer a legitimidade da contagem de votos.Atuam nos testes diversos especialistas em tecnologia da informação, que tentaram acessar o sistema das urnas a fim de identificar possíveis falhas de segurança.De acordo com o tribunal, foram encontradas cinco falhas. Agora, o objetivo é mostrar que essas vulnerabilidades estão sanadas. (Colaborou Manoela Alcântara.

metropoles