Lojas Surya
Óticas Olhar Brasil
Farias Calçados

Lojas Surya
Supermercado
Natália Calçados

Seg Vida
 

Para visualizar este conteúdo corretamente, é necessário ter o Flash Player instalado.

REFLEXÕES DO PASSADO E PRESENTE: PERSPECTIVA DE MELHORA PARA O FUTURO


 

Monthly Archives: agosto 2017

Um grupo de 20 alunos da rede pública de Pernambuco embarcou neste domingo para uma temporada de dois meses de intercâmbio esportivo em Montreal, no Canadá. São estudantes da capital, Agreste e Sertão, praticantes de seis modalidades esportivas: atletismo (10); judô (3); luta olímpica (3); natação (2); ciclismo (2) e caratê (1). O Recife foi a cidade com mais escolhidos, 6. Em seguida vêm Petrolina (4);  Jaboatão dos Guararapes (3); Paulista (1); Abreu e Lima (1); Ouricuri (1); Arcoverde (1); Bezerros (1); Bodocó (1) e Trindade (1).
Eles integram a terceira edição do programa Ganhe o Mundo Esportivo, do governo estadual, que já beneficiou com bolsas de estudo de inglês e treinamento em centros de excelência de universidades de referência outros 11 estudantes em 2015 e 20 em 2016.“Esses alunos foram contemplados não só pelo mérito esportivo, mas porque são bons alunos e se preparam para ganhar o mundo”, disse o governador Paulo Câmara, que esteve no embarque deles. “É uma experiência importante, que vai oportunizar o conhecimento de um outro idioma e aperfeiçoar as técnicas do esporte que cada um pratica”. Dos 20 escolhidos para esta terceira edição,  16 foram campeões dos Jogos Escolares de Pernambuco.  Uma dos estudantes do grupo, Ingrid Gomes, foi campeã Norte/Nordeste do hepttatlo em 2015 e 4º lugar no brasileiro do ano passado. Sua irmã gêmea, Yasmim Gomes, participou do intercâmbio de 2015. Ao retornar, bateu o recorde de salto em altura do Norte/Nordeste (1,59m, marca que ainda não foi batida) e obteve a 3ª colocação do Campeonato Brasileiro Interclubes. Quem descobriu as duas foi o treinador Daniel Gonçalves, da  Escola Manoel Borba do Centro de Esporte Lazer e Cultura Alberto Santos Dumont, onde elas estudam. “Elas passavam para ir para a ginástica, eu via aquelas meninas altas (1,75 m) e insisti tanto que elas começaram a treinar, mas ainda sem compromisso, faltavam muito. Quando ganharam as primeiras medalhas, começaram a se interessar. Depois da iniciação,coordenação, despertaram para o esporte”, conta ele. A agenda do programa continua esta semana. Na próxima sexta-feira acontece o segundo embarque do ano do Ganhe o Mundo tradicional, quando 71 estudantes seguem para o Chile e 28 para a Argentina. No sábado, mais 47 alunos viajam para a Argentina. “A partir do dia 31 de agosto e até o dia oito de  setembro, mais 400 irão para o Canadá e no dia cinco de setembro, dez estudantes beneficiados pelo Ganhe o Mundo Musical embarcam para o Canadá”, pontua Renata Serpa Vieira, superintendente do programa que já beneficiou cerca de 5.500 estudantes da rede pública em Pernambuco. Para participar, os estudantes precisam atender a critérios como ter entre 14 e 17 anos (completos em 2017), ser matriculado em uma escola da rede estadual de ensino, possuir média anual mínima de 6,0 nas disciplinas português e matemática. No caso da edição esportiva, os alunos devem ser beneficiado pelo Bolsa Atleta Estadual ou nos últimos 12 meses ter obtido os melhores resultados esportivos em sua modalidade olímpica individual (resultado deve ser referendado pela respectiva Confederação da modalidade) e ter obtido na fase estadual o título de campeão dos Jogos Escolares de Pernambuco 2016 (JEPs). 

Isis Valverde vive a personagem Ritinha na novela A Força do Querer (Foto: Estevam Avellar/TV Globo)
Isis Valverde vive a personagem Ritinha na novela ‘A Força do Querer’: sandália rasteria, mochila de crochê, top e saia bordada ajudam a compor look sereia para trama de Glória Perez (Foto: Estevam Avellar/TV Globo)

A novela A Força do Querer, que estreou nesta de segunda-feira, 3, tem tudo para agradar as ‘musianes’ do litoral brasileiro e fãs do estilo praiano. É que a personagem Ritinha, vivida por Isis Valverde, promete encantar a turma da moda com seus looks coloridos e sensuais. Inspirada nas sereias, a personagem abusa de roupas coloridas e estampadas com desenhos do fundo do mar como conchas e peixes.

Para dar um toque especial ao visual, a atriz fez questão de encomendar um amuleto feito sob medida para usar em todas as cenas. Assinado pela grife Benipardi, o escapulário é feito com pedras em tons de azul e branco e está avaliado em R$98 . “Para remeter ao sereismo, a inspiração foi o fundo do mar, e o uso de conchas é fundamental na composição do look e dos acessórios como cordões, pulseiras e tornozeleiras. Além de tons quentes da praia, o uso da técnica em tie dye promete voltar com força nesta temporada. No caso do amuleto de Ritinha, o tom roxo foi para neutralizar os acessórios,  já que ela tem um figurino colorido”, afirma a designer Ana Lu Reis.

Peças com bordados feitos à mão garantem feminilidade e delicadeza no visual. Além de muito top cropped e saias curtinhas, que deixam a barriga e as pernas de fora, Rita abusa de roupas em crochê e com recorte de ombro a ombro, garantindo um sex appeal extra. Veja looks usados por Isis Valverde na novela de Glória Perez e como adaptar o look com peças que já estão nas lojas. Inspire-se!

Isis Valverde vive a personagem Ritinha na novela A Força do Querer (Foto: Estevam Avellar/TV Globo)Isis Valverde vive a personagem Ritinha na novela ‘A Força do Querer’: saia curta e top para deixar pernas e barriga em evidência ans cenas da trama das 21h da Globo  (Foto: Estevam Avellar/TV Globo)
Isis Valverde (Foto: Estevam Avellar / Globo)Isis Valverde vive a personagem Rita na novela ‘A Força do Querer’: acessórios ajudam a compor look praiano  com estilo e sensualidade (Foto: Estevam Avellar / Globo)
Isis Valverde vive a personagem Ritinha na novela A Força do Querer (Foto: Estevam Avellar/TV Globo)Isis Valverde vive a personagem Ritinha na novela ‘A Força do Querer ‘: muitas cores nos looks garantem jovialidade e despojamento no visual praiano (Foto: Estevam Avellar/TV Globo)
Estados e municípios recebem R$ 393 milhões para alimentação e transporte escolar

Os recursos referentes à quinta parcela de 2017 do Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae) e do Programa Nacional de Apoio ao Transporte do Escolar (Pnate) estão disponíveis a partir desta quinta-feira, 6, nas contas correntes de estados e municípios de todo o país. Responsável pelos repasses dos dois programas, o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), autarquia vinculada ao MEC, transferiu R$ 393,3 milhões aos entes federativos na última terça-feira, 4. FNDE repassou, esta semana, a quinta parcela de 2017 para entes federativos de todo o Brasil Os recursos referentes à quinta parcela de 2017 do Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae) e do Programa Nacional de Apoio ao Transporte do Escolar (Pnate) estão disponíveis a partir desta quinta-feira, 6, nas contas correntes de estados e municípios de todo o país. Responsável pelos repasses dos dois programas, o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), autarquia vinculada ao MEC, transferiu R$ 393,3 milhões aos entes federativos na última terça-feira, 4. Para apoiar a alimentação escolar de estudantes da educação básica de todo o país, o FNDE repassou R$ 322,8 milhões. No caso do transporte de alunos residentes em áreas rurais às escolas públicas de ensino básico, foram transferidos R$ 70,5 milhões.

Somente este ano, o FNDE já repassou R$ 1,8 bilhão para alimentação escolar e R$ 292,2 milhões para o transporte dos alunos das redes públicas. O montante transferido a cada beneficiário pode ser conferido no portal eletrônico do FNDE, em Liberação de recursos.

Os recursos do Pnae são liberados em dez parcelas, de forma a cobrir os 200 dias do ano letivo da educação básica. As secretarias da educação, que são responsáveis pelas redes de ensino, recebem os valores e operam a alimentação escolar.

São atendidos pelo Pnae os alunos de toda a educação básica (educação infantil, ensino fundamental, ensino médio e educação de jovens e adultos) matriculados em escolas públicas, filantrópicas e em entidades comunitárias (conveniadas com o poder público). Um mínimo de 30% dos recursos transferidos deve ser utilizado na compra de produtos da agricultura familiar.

Transporte – O Pnate também repassa recursos em dez parcelas a cada ano. São beneficiados estados e municípios que possuem estudantes da educação básica pública residentes nas zonas rurais. A transferência é automática, sem necessidade de convênio, e os recursos devem ser utilizados no custeio de despesas diversas, como consertos mecânicos, compra de combustível ou terceirização do serviço de transporte escolar.

Novo portal do FNDE entra no ar nesta quarta-feira, 2

Proposta é de modernidade e navegação simplificada

A partir desta quarta-feira, 2/8, o portal do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação – FNDE (www.fnde.gov.br) ganha uma nova roupagem. Mais moderno e com navegação simplificada, o portal, que reúne informações sobre diversos programas governamentais voltados para a educação, passa a adotar o modelo de identidade visual dos demais sites oficiais do Governo Federal. Agora, páginas de programas como o da Alimentação Escolar (PNAE), Programa Nacional de Apoio ao Transporte Escolar (PNATE), Programa dinheiro Direto na Escola (PDDE), Programa Nacional do Livro Didático (PNLD) e outros, geridos pelo FNDE, terão seus conteúdos padronizados, proporcionando ao usuário mais facilidade ao buscar informações e dados sobre a execução de cada programa nas regiões brasileiras.

Para o presidente do FNDE, Silvio Pinheiro, além de maior navegabilidade, a mudança também vai gerar ainda mais transparência às ações desenvolvidas pela autarquia. “Com mais facilidade de acesso conseguimos alinhar cada vez mais a comunicação entre o FNDE e a sociedade, bem como prestar contas das nossas ações, enquanto agentes que dão assistência técnica e financeira aos estados e municípios”, afirmou.

A chefe da Assessoria de Comunicação Social, Poliana Oliveira, explicou que a nova plataforma seguirá os padrões estabelecidos pela Secretaria de Comunicação da Presidencia da República para os órgãos do Poder Executivo Federal. “ É uma infraestrutura desenvolvida com base nos eixos conteúdo, arquitetura da informação e identidade visual. Permite que o portal de cada órgão seja reconhecido como propriedade digital do Governo Federal, gerando um ambiente com credibilidade junto aos internautas” e acrescentou que “além disso, é um modelo responsivo, ou seja, foi concebido de maneira flexível para se adaptar a diferentes tamanhos de tela, atendendo a uma ampla variedade de dispositivos, mantendo a gestão do conteúdo organizada e eficaz.”

O trabalho foi desenvolvido em parceria entre a Assessoria de Comunicação Social e a Diretoria de Tecnologia e Inovação do FNDE e levou cerca de um ano para ser finalizado. Caso sejam observados inconsistências no site, o usuário poderá relatar o ocorrido através do e-mail: ascom@fnde.gov.br.

frutas onu

Países que aprovaram a resolução da Assembleia Geral da ONU sobre a Década de Ação pela Nutrição – lembrada de 2016 a 2025 – podem consultar um programa de trabalho com recomendações sobre metas globais de combate à fome e à má nutrição. Publicação foi elaborada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e pela Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO).

O objetivo do documento é levar países a traduzir compromissos assumidos junto à ONU – como os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável e as metas aprovadas pela II Conferência Internacional de Nutrição (CIN-2) – em iniciativas concretas.

 

O programa de trabalho define seis áreas principais de atuação: sistemas alimentares resilientes e sustentáveis para dietas saudáveis; sistemas de saúde com cobertura universal de ações essenciais em nutrição; proteção social e educação em nutrição; comércio e investimentos para melhorar a nutrição; ambientes saudáveis e de apoio à nutrição em todas as idades; e governança fortalecida e prestação de contas para a nutrição.

Outro ponto central da publicação é a recomendação de que países adotem, para o prazo da Década, os chamados objetivos SMART — sigla em inglês para “específicos, mensuráveis, atingíveis, relevantes e com prazo”.

Em maio, o Brasil se tornou o primeiro Estado-membro a definir que metas almeja alcançar no marco do decênio. A nação se comprometeu a deter o crescimento da obesidade entre adultos, reduzir o consumo regular de bebidas adoçadas com açúcar em pelo menos 30% no mesmo grupo etário e ampliar, em no mínimo 17,8%, a proporção de adultos que consomem frutas e hortaliças regularmente. O prazo para o cumprimento dos objetivos é mais curto – 2019.

O programa de trabalho aborda ainda a criação de Redes de Ação entre países para o enfrentamento de problemas específicos de nutrição. As redes podem ser formadas nos níveis regional ou global a partir da solicitação de um ou mais Estados. Podem promover encontros, apresentar iniciativas conjuntas e envolver sociedade civil, setor privado – assegurada a ausência de conflito de interesses – e academia.

Os países que já tenham apresentado compromissos específicos para a Década e que apoiem ativamente outras nações por meio das Redes serão reconhecidos como “Nutrition Decade Champions”. O programa de trabalho conta com uma lista de sugestões de temas para a criação das Redes.

Brasília – Os primeiros mil dias de vida são determinantes para o futuro. É neste período, que vai da gravidez até o bebê completar três anos de idade, que os sistemas nervoso e imunológico se desenvolvem. Com o estímulo adequado nesta fase, a criança terá a chance de se tornar um adulto saudável tanto no aspecto físico quanto emocional.

Estudos recentes mostram que o olho no olho, o carinho e a conversa dos pais com o bebê são atitudes simples que fortalecem todas as estruturas neurais da criança. Essas ações são importantes para formar capacidades como falar, andar, aprender e até mesmo o pensar.

Para a diretora da Sociedade Brasileira de Pediatria, Maria Tereza da Costa, crianças que têm privação do estímulo naturalmente podem ter dificuldade futuras para inserção no aprendizado e no trabalho. “Não são exercícios e atitudes difíceis. São atitudes, muitas vezes, muito naturais, mas que a gente vem perdendo e achando que é algo que tem a ver só com o conhecimento científico. Na verdade tem a ver com a interação humana”.

Para levar este conhecimento às famílias mais vulneráveis, o governo federal criou o Criança Feliz. O programa vai orientar os pais sobre os estímulos adequados na primeira infância. A intenção é fazer com que as crianças tenham uma vida melhor no futuro, quebrando o ciclo da pobreza. Coordenada pelo Ministério do Desenvolvimento Social, a iniciativa é fundamentada em pesquisas científicas sobre as melhores práticas na área.

Doutora em Psicologia Clínica e Cultura pela Universidade de Brasília (UnB), Ivânia Ghesti afirma que o diferencial do Criança Feliz é a base científica. “Com o respaldo em muitos estudos, a gente pode fazer essa intervenção de forma planejada, otimizando conforme a idade, qual a melhor a habilidade mais propicia naquele momento da vida”. De acordo com ela, apesar de o programa ser bem estruturado, ele também poderá sofrer aprimoramento ao logo da implementação nos municípios.

Um dos principais países referência em cuidados na primeira infância é o Canadá, que é parceiro do Brasil na promoção do desenvolvimento infantil. O governo canadense colaborou com o governo federal doando um material pedagógico feito especialmente para o público brasileiro.

“Para nós é muito importante concentrar intervenções que produzam bons resultados e salvam vidas. Estamos convencidos que eliminar barreiras e ajudar a criar melhores oportunidades aqui no Brasil e no mundo inteiro vai fazer com que as mulheres e meninos sejam agentes poderosos de mudanças, melhorando suas vidas e comunidades”, destacou o embaixador do Canadá no Brasil, Riccardo Savone.

Primeira Infância – As primeiras visitas do Criança Feliz já começaram e, até o final de 2018, a expectativa é alcançar quatro milhões de crianças. Serão atendidas as que possuem de zero a três anos beneficiárias do Bolsa Família e as de até seis anos que recebem o Benefício de Prestação Continuada (BPC). Até agora, 2.547 municípios aderiram ao programa.

Informações sobre os programas do MDS:
0800 707 2003

Brasília – Representantes das Forças Armadas e de diversos órgãos do governo federal estiveram reunidos nesta quinta-feira (3), em Brasília, para a reunião gerencial do Programa Forças no Esporte – iniciativa desenvolvida pelo Ministério da Defesa com o apoio das Forças Armadas e em parceria com os ministérios do Desenvolvimento Social (MDS) e do Esporte. O encontro reuniu os 164 comandantes gestores do programa. Durante a abertura, o secretário-executivo do MDS, Alberto Beltrame, destacou a importância do programa, que garante duas refeições diárias para mais de 20 mil crianças e jovens em todo o país. Eles têm acesso a esportes e uma alimentação adequada no contraturno da escola. Os alimentos são comprados da agricultura familiar com recursos da pasta. Nos próximos 18 meses, serão investidos R$ 33 milhões.

“Este programa tem um ganho duplo: fortalece os vínculos das crianças com iniciativas relacionadas ao esporte, promovendo a inclusão social, e promove o desenvolvimento econômico de pequenos produtores da agricultura familiar”, enfatizou Beltrame.

Rafael Zart/MDS

Segundo o secretário nacional de Segurança Alimentar e Nutricional do MDS, Caio Rocha, o programa simboliza o esforço permanente do governo federal para fortalecer as famílias que vivem da terra. “Nosso papel é organizar a demanda dos órgãos da União e, depois, levá-los para conhecer a força da produção dos agricultores familiares”, disse. Atualmente, um decreto do governo federal determina que pelo menos 30% dos alimentos adquiridos por órgãos públicos federais venham da agricultura familiar.

A maior parte das compras é realizada pelas Forças Armadas. Segundo o secretário de Pessoal, Ensino, Saúde e Desporto do Ministério da Defesa, brigadeiro Ricardo Machado Vieira, a parceria com o MDS marca de forma positiva a vida de muitas das crianças em situação de vulnerabilidade social.

“A prática esportiva e cultural não seria suficiente se a gente não oferecesse uma alimentação adequada às crianças. O MDS é fundamental para oferecermos o pacote completo de esporte, disciplina, carinho e alimentação. É disso que essas crianças precisam.”

O resultado desse trabalho é visível. O jovem Iuri Gonçalves, de 13 anos, estuda em uma escola pública no Distrito Federal. Pratica atletismo graças ao Forças no Esporte. “Lá é muito bom. Tem café da manhã e almoço. O projeto mudou muita coisa para a gente. A gente vai para a escola, mas quando sai já sabe que tem um lugar pra ir; não vai ficar na rua. Isso é legal”.

Para a representante da União das Cooperativas de Agricultura Familiar e Economia Solidária (Unicafes), Paula Castanho Ansarah, programas como o Forças no Esporte geram mercado para os agricultores e divulgam o potencial da agricultura familiar. “Trabalhamos com 700 cooperativas, que, geralmente, vendiam localmente. Esses programas vêm com uma força muito grande para divulgar dentro do nosso país o que existe de potencial da agricultura familiar. Os produtos são de qualidade, o que garante às crianças os nutrientes necessários para o desenvolvimento. Muitas delas podem estar se beneficiando dos alimentos produzidos pelos seus pais”. 

O Forças no Esporte é uma iniciativa focada no desenvolvimento integral de crianças e jovens – entre 6 e 18 anos – em situação de vulnerabilidade social e regularmente matriculados na rede de ensino. No contraturno da escola, eles praticam diversos esportes, como tênis, corrida, lutas e atletismo em 164 unidades militares de todo o Brasil. Além disso, têm atendimento médico, reforço escolar e orientações sobre civismo, cidadania e desenvolvimento das habilidades profissionais. Também participam de palestras e campanhas educativas.

Informações sobre os programas do MDS:
0800 707 2003


Certos hábitos podem detonar a beleza do rosto – e alguns a gente nem percebe que faz. Abaixo, com a consultoria das dermatologistas Carla Vidal, de São Paulo (SP), e Valéria Campos, de Jundiaí (SP), listamos as 5 piores atitudes que você pode ter com a sua pele

Espremer espinhas 

Aquela pontinha branca incomoda e é quase impossível não cutucar. No entanto, ao fazer isso, você corre o risco de piorar a inflamação e, ainda por cima, ganhar manchas e cicatrizes. 
O que fazer: surgiu uma espinha? Passe, com um bastonete, um produto secativo sobre ela e mantenha as mãos longe. 

Exagerar no açúcar 

Esse alimento dispara no organismo um processo chamado de glicação, que “quebra” proteínas como colágeno e elastina, responsáveis pela sustentação dos tecidos. O que fazer: a primeira medida é, claro, diminuir o consumo de doces. Prefira chocolates com maior teor de cacau, por exemplo. Também vale a pena investir no uso de antioxidantes orais ou tópicos, que ajudam a frear a glicação. 

Ficar o dia todo na frente do computador 

Ou do tablet, ou do celular. Esses aparelhos emitem um tipo de luz que estimula a melanina e, assim, piora casos de melasma (manchas amarronzadas). O que fazer: para quem tem no computador sua principal ferramenta de trabalho, a solução é usar, todos os dias, um protetor solar com cor de base (que além do FPS forma barreira física), mesmo que não esteja sol e que você fique o dia todo no escritório. 

Beber pouca água 

Ela é essencial para a hidratação do corpo, incluindo a pele. Mas com a chegada dos meses mais frios, o consumo tende a diminuir.  O que fazer: beber dois litros de água por dia. Se não consegue se lembrar disso, coloque avisos no celular e deixe sempre uma garrafinha à mão (uma dica: anote a quantidade de líquido ingerido para facilitar). 

Dormir pouco 

A vida anda corrida, mas o sono de qualidade é essencial para a saúde. É à noite que a pele se regenera, se equilibra e descansa.  O que fazer: se tem dormido pouco, tire um tempinho para se organizar, relaxar e ter boas noites de sono. Fazer esportes ajuda bastante.

corpoacorpo

O “Dança dos Famosos ” é um dos quadros mais aguardados do “Domingão do Faustão” e sua edição deste ano vai estrear neste domingo (06) com alguns nomes surpreendentes. De acordo com a coluna “Telinha”, do jornal “Extra”, Adriane Galisteu é a principal novidade: a mãe de Vittorio, com quem protagonizou um musical, assinou contrato com a emissora carioca e vai disputar o prêmio na competição de dança. Baby do Brasil está no elenco feminino

Além de Isabella Santoni, que já havia revelado sua participação ao voltar de viagem, a cantora Baby do Brasil é outro nome que integra o elenco feminino da disputa, vencida por Felipe Simas no ano anterior. Mariana Xavier, a modelo plus size Abigail na novela “A Força do Querer”, Maria Joana e Cris Vianna fecham o time, cada uma dançando com seu respectivo par, que será revelado neste domingo (06).

Time masculino tem atleta, apresentador e atores

Já no elenco masculino estão o nadador Thiago Pereira, medalista olímpico e atual comentarista do esporte na emissora, Nicolas Prattes, Lucas Veloso – que em breve retorna às telinhas no especial “Os Trapalhões” -, o apresentador do “Vídeo Show” Joaquim Lopes, Rafael Zulu e Raul Gazolla.

Xuxa relembra programas infantis: ‘Vários bebês’

À frente do “Dancing Brasil”, programa de dança da Record que tem ganhado destaque na web e teve a atriz Maytê Piragibe como campeã da primeira edição, Xuxa relembrou, ao participar do programa “Legendários”, a época em que gravava programas infantis. “Sinto muita falta. Morro de saudade, do cheiro, da voz. Eu gostava mais nos intervalos porque não tinha câmera gravando e eu podia ficar brincando de verdade. Na Argentina, então, entravam vários bebês, que coisa cheirosa e gostosa. Nos intervalos era bom, na hora de gravar eu tinha que seguir roteiro. Quando terminava eu pedia as mães para ficar mais um pouco para eu poder brincar. Era bom porque a câmera não precisava pegar”, afirmou a mãe de Sasha, universitária que teria sido presenteada com uma empresa de moda pela mãe.

(Por Marilise Gomes)

O presidente do Senado, senador Eunício Oliveira, afirmou, nesta quarta-feira (2), que irá se reunir com os líderes partidários e demais senadores, a partir da semana que vem, com o objetivo de definir uma pauta prioritária sobre segurança pública. – Queremos fazer, a partir da semana que vem, uma discussão com o Plenário, com os líderes sobre a questão da segurança pública. Vamos pegar todos os projetos que estão nas comissões e vamos fazer uma pauta da segurança pública – disse. Diversos senadores se manifestaram a favor de uma pauta prioritária sobre o tema. O senador Jorge Viana (PT-AC) disse que, ao discutir segurança pública, Eunício aproximará o Senado da opinião pública brasileira. O senador alertou que o país vive uma enorme insegurança e destacou que há uma ação do crime organizado se deslocando do Rio e de São Paulo para a Região Norte, especialmente para as áreas próximas às fronteiras, para chegar mais perto da produção de drogas.

– Se for perguntado hoje aos brasileiros que tema o Senado deveria não só debater, mas também tomar atitudes em relação a ele, certamente, a questão da insegurança estaria em primeiro lugar ou entre os mais cotados. É muito grave o que nós estamos vivendo – disse.

Fronteiras

O senador João Capiberibe (PSB-AP) defendeu a elaboração de uma política nacional de segurança pública para controlar as fronteiras.  O senador lembrou que, como as fronteiras são nacionais, as polícias estaduais não têm a formação e o conhecimento necessário para o seu controle. Capiberibe destacou a importância da aprovação da PEC 24/2012, que propõe a criação do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Segurança Pública. Ele disse que a medida obrigará a União a interagir com os estados.

– Mais do que recursos, esse fundo criará uma vinculação da União com os estados. Ela vai ser obrigada a ter uma política de segurança pública e interagir com os estados, com os governos estaduais e com as polícias – explicou.

Sugestões

O senador Lindbergh Farias (PT-RJ) destacou que há vários projetos prontos para serem votados, entre eles, o PLS 239/2016, que altera o Código de Processo Penal (CPP), suprimindo do artigo 292 o chamado “auto de resistência”.

O senador sugeriu que o presidente Eunício solicite também dos partidos algumas sugestões de projetos para serem votados.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

Cássio Cunha Lima e o filho Pedro Cunha Lima: unidos pelo sobrenome e pelo mandato no Congresso

Palco de escândalos políticos, troca de acusações e agressões verbais, o Congresso Nacional é também um ambiente familiar. Pelos plenários, corredores e gabinetes, uma bancada expressiva de  parlamentares bem poderia chamar de pai, filho, tio, sobrinho, primo ou, até mesmo, de amor aqueles que tratam pelo formal Vossa Excelência. Ao menos 60 deputados e senadores têm familiares no exercício do mandato, na suplência ou licenciados na Câmara e no Senado. Eles estão longe de ser exceção. De pai para filho, a política brasileira virou um grande negócio de família. Levantamento da Revista Congresso em Foco revela que pelo menos 319 deputados (62%) e 59 senadores (73%) têm laços de sangue com outros políticos. Há parlamentares com sobrenomes associados nacionalmente à política, como Maia, Calheiros, Cunha Lima, Caiado, Barbalho e Magalhães, outros de influência regional e aqueles que inauguraram essa tradição.Os números são tão expressivos que fazem o Brasil superar nesse quesito a Índia e sua conhecida sociedade de castas. Pesquisa publicada em 2011  pelo historiador britânico Patrick French mostra que 28% das cadeiras da Câmara indiana eram ocupadas por deputados com políticos na família.

Caso a caso

No Parlamento brasileiro, a árvore genealógica política é mais enraizada no Nordeste, mas tem ramificações frondosas por todos os estados e partidos representados no Congresso. O papel da família na eleição de cada um desses parlamentares deve ser analisado caso a caso. Há descendentes de ex-senadores, ex-deputados e ex-governadores, assim como familiares de políticos de expressão regional, bem como aqueles que se elegeram conciliando a força do nome com atuação destacada em outras áreas.

Também há casos de congressistas que, a despeito do parentesco, ou não fizeram uso do sobrenome ou até que são adversários políticos. Existem, ainda, os que desbravaram sozinhos o espaço na política e agora preparam, dentro de casa, seus sucessores. Qualquer que seja a situação, é inegável que o capital político familiar representa uma vantagem em relação aos adversários e um atalho para o sucesso eleitoral.

Conhecer desde o berço os bastidores do meio é apenas um dos diferenciais. Além do poder político, muitos herdam o poder econômico. São mais ricos ou têm mais facilidade de arrecadar dinheiro  para as campanhas eleitorais do que seus concorrentes. Muitos são donos de veículos de comunicação, como rádios e TVs e controlam ainda as principais máquinas partidárias de seus estados.

Caça ao dinheiro

O cientista político Ricardo Costa Oliveira, da Universidade Federal do Paraná (UFPR), observa que, em vez de diminuir, a influência do parentesco na política, herança da colonização portuguesa, tem crescido no país, principalmente por causa do encarecimento das campanhas eleitorais.

“A política é cada vez mais um negócio de família no Brasil. As eleições estão cada vez mais caras. Muitos políticos bem sucedidos têm de organizar e  possuir uma estrutura de dinheiro, uma estrutura familiar política para beneficiá-los. Os candidatos mais fortes e com boas condições de elegibilidade concentram mais dinheiro e muitas vezes contam com a família na política. Isso é um fenômeno também de reprodução do poder político”, explica o professor.

Nesse ciclo vicioso, sobra pouco espaço para renovação de nomes e ideias. “No atual sistema político, só se elege quem é profissional, quem tem muito dinheiro, quem tem muita estrutura. Quem é amador,  político novo, só com suas idéias, não consegue se eleger de primeira vez, ressalvadas as exceções. Somos uma república de famílias”, avalia o professor, que estuda o tema há mais de 20 anos. Esse tipo de relação não se restringe ao Congresso e à política.

Todos os poderes

Continue lendo

“Quem é que fica andando com 500 mil de um lado para o outro?!”, perguntou, entre nervoso e espantado, o empresário Frederico Pacheco ao lobista Ricardo Saud, da JBS, na tarde do dia 12 de abril deste ano. Fred, como é conhecido o primo do senador Aécio Neves, estava no escritório de Saud, em São Paulo, para apanhar a segunda parcela de R$ 500 mil dos R$ 2 milhões acertados entre o presidente do PSDB e Joesley Batista dias antes. Fred fora designado para a tarefa por Aécio, como registrado em áudio pelo próprio senador: “Um cara que a gente mata antes de fazer delação”. A Polícia Federal monitorava o encontro – uma ação controlada, autorizada pelo ministro Edson Fachin, relator do caso no Supremo Tribunal Federal. Fred estava desconfortável. Não aceitou água nem café. Diante dele, numa mesa da sala de Saud, havia uma mala preta abarrotada de pacotes com notas de R$ 50, amarrados com liguinhas de plástico. Fred parecia verbalizar, um atrás do outro, todos os pensamentos que lhe assaltavam: “Onde eu tô me metendo, cara?”. A mala fora providenciada por Florisvaldo de Oliveira. Ele sempre auxiliava Saud nas entregas de dinheiro e mantinha um pequeno estoque delas à disposição. Para entregas a partir de R$ 500 mil, a mala preta era a mais adequada. Acomodava bem meio milhão de reais, até quase R$ 1 milhão em notas de R$ 50, se observado o método correto de organização de maços. Florisvaldo ajudara a recolher o cash para a propina de Aécio na central da JBS que reunia dinheiro vivo de clientes da empresa, como supermercados e distribuidores de carnes – clientes que giravam bastante dinheiro vivo. Essa central era chamada internamente de “Entrepostos”. Abastecia boa parte dos políticos que, como Aécio, pediam a sua parte em dinheiro vivo.

ÉPOCA reconstituiu a cena por meio de gravações autorizadas pela Justiça (ouça um dos áudios) de entrevistas reservadas com participantes da ação controlada. Reconstituiu, também, as outras quatro entregas de dinheiro vivo acompanhadas pela PF entre abril e maio deste ano, na Operação Patmos, resultado das delações dos executivos da JBS. Os cinco pagamentos somaram R$ 2,4 milhões. Foram três entregas de R$ 500 mil destinadas a Aécio, uma de R$ 400 mil destinada ao doleiro Lúcio Funaro e, por fim, uma de R$ 500 mil. Aquela mala preta com rodinhas, que cruzou velozmente as calçadas de São Paulo graças às mãos marotas de Rodrigo Rocha Loures, o “longa manus” de Michel Temer, nas palavras da denúncia da Procuradoria-Geral da República. A reportagem teve acesso, com exclusividade, a dezenas de imagens das malas, pastas e bolsas de dinheiro da JBS sendo estufadas com notas de R$ 50 e de R$ 100. Algumas poucas já eram públicas e outras estavam reproduzidas, em preto e branco, quase que como borrões, em processos no Supremo. O restante do conjunto, no entanto, permanecia inédito. ÉPOCA publica agora as imagens mais pertinentes. A força da íntegra desse material reside na exposição visceral e abundante do objeto que mobiliza o desejo e os atos dos corruptos, políticos ou não, no Brasil ou fora dele: notas, muitas notas, de dinheiro. Amarelas ou azuis. Em malas ou pastas. Recolhidas por familiares ou assessores. Dois meses após a delação da JBS, após semanas e semanas de discussões jurídicas e políticas sobre a crise que se instalou no Brasil, esse elemento tão primário, tão fundamental, ficou convenientemente esquecido.

De acordo com a reconstituição de ÉPOCA, Fred buscou todas as parcelas de R$ 500 mil de Aécio. Começou no dia 5 de abril, voltou no dia 12, já sob monitoramento da PF, e manteve o cronograma nas semanas seguintes: encontrou Saud, no mesmo local, também nos dias 19 de abril e 3 de maio. Cumpria a tarefa enquanto o Brasil conhecia o teor das delações da Odebrecht; enquanto o país assistia aos depoimentos dos executivos da empreiteira, que tanto incriminavam Aécio. “Eu durmo tranquilo”, disse Fred no segundo encontro, logo após racionalizar os crimes que cometia como um ato isolado, que não o definia. “Se eu te contar uma coisa, você não vai acreditar: a única pessoa com quem eu tratei em espécie foi você. A única pessoa que pode falar de mim é você.” Saud deixou-o à vontade para desabafar. “Como é que eu não faço? Tenho um compromisso de lealdade com o Aécio”, disse, antes de começar a contar o dinheiro:

 Um, dois, três, quatro, cinco… Ih, fiz a conta errada. Peraí. O que tem em cada pacotinho desses?
– Eu te ajudo a fechar aqui [a mala].
– Cem, 200, 300…

Foto da mala de dinheiro entregue ao emissário de Aécio Neves em 12 de abril (Foto: reprodução)
Foto da mala de dinheiro entregue ao emissário do senador Aécio Neves em 12 de abril (Foto: reprodução)
Fotos da mala de dinheiro entregue ao emissário do senador Aécio Neves em 12 de abril (Foto: reprodução)

Naquele mesmo dia, relatórios do Conselho de Controle das Atividades Financeiras, o Coaf, registram operações com suspeita de lavagem envolvendo empresas e um assessor do senador Zeze Perrella, aliado de Aécio. Mendherson Souza trabalhava no gabinete do senador e tinha procuração para movimentar contas dele. Já aparecera em outras operações bancárias em cash, com suspeitas de lavagem. Acompanhava o primo de Aécio, como seu ajudante. No mesmo dia, também, Fred telefonou para um conhecido doleiro de São Paulo, de modo a buscar formas de esquentar o dinheiro. Enquanto conferia os valores e colocava parte dos bolos de dinheiro numa bolsa que levara a São Paulo, o primo de Aécio não parava de falar sobre os riscos aos quais estava submetido. “Amanhã eu vou estar com Aécio na fazenda, em Cláudio, e vou falar que já fiz duas e faltam duas. [Fala como se estivesse se dirigindo a Aécio] ‘Só para você entender: estamos nos cercando de cuidados, mas não é uma operação 100% sem riscos.” Ele bolava maneiras de se proteger. E se fosse parado numa blitz? O que diria? “Pensei em fazer um contrato de compra e venda de uma sala, só para andar com um documento na pasta. ‘Não, acabei de vender uma sala. O cara quis pagar em dinheiro’…” Saud só assentia. Prosseguiu Fred: “O país está num momento esquisito. Se eu tiver de voltar aqui, eu faço uma promissória para você, uma mise-en-scène. Mas Deus vai nos proteger”. Antes de sair com a mala, insistiu: “Não tem perigo de filmar aqui? Vocês fazem varredura?”. “Sim, duas vezes por semana. Tranquilo”, disse Saud. A PF registrara tudo. No terceiro encontro, Fred já estava mais à vontade. Pudera. Apesar do discurso, fora ele, segundo as planilhas de propina da JBS, que buscara R$ 5,3 milhões em cash para Aécio, durante a campanha de 2014. Desta vez, as notas eram de R$ 100 – seis pacotões numa mochila cinza. Após repassar a dinheirama para o assessor de Zeze Perrella, ficou para almoçar com Saud. Traçou uma picanha importada, enquanto falava de política e negócios. Lá pelas tantas, Fred perguntou: “Tem alguma chance de Joesley fazer delação? Se fizer, acaba o Brasil. Tem de inventar outro”. Saud só riu.

Fotos da mochila de dinheiro entregue ao emissário de Aécio no dia 19 de abril (Foto: reprodução)
Fotos da mochila de dinheiro entregue ao emissário de Aécio no dia 19 de abril (Foto: reprodução)

No dia seguinte, Florisvaldo teve mais trabalho. Saud precisava entregar R$ 400 mil a Roberta Funaro, irmã do doleiro. Era o mensalinho para manter Funaro, parceiro de negociatas do grupo, em silêncio dentro da prisão. Florisvaldo arrumou uma pasta preta; como as notas eram de R$ 100, seria possível preencher os R$ 400 mil nela. Saud entregou o dinheiro à irmã de Funaro num Corolla. Pediu à filha pequena de Roberta, que acompanhava a empreitada, para esperar num táxi que aguardava as duas: “Deixa o tio conversar com a mãe um pouquinho”. O lobista se sentiu mal com a situação, mas não havia jeito. Era preciso liquidar o assunto. Ele abriu a pasta e pediu que ela contasse o dinheiro. Roberta dispensou. Disse que não era necessário. Agradeceu e embarcou no táxi – e, minutos depois, num Jaguar que a levou para casa.

 Foto da pasta com dinheiro entregue à mulher do operador Lucio Funaro, em 20 de abril (Foto: reprodução)
 Foto da pasta com dinheiro entregue à mulher do operador Lucio Funaro, em 20 de abril (Foto: reprodução)
 Foto da pasta com dinheiro entregue à mulher do operador Lucio Funaro, em 20 de abril (Foto: reprodução)

Uma semana depois, Florisvaldo pôs-se a trabalhar novamente. Mais uma mala preta. Mais R$ 500 mil. Daquela vez, em notas de R$ 50. Era a primeira entrega da semanada acertada entre Saud e Rocha Loures, em troca de um benefício ilegal no Cade a uma empresa do J&F que detinha contrato com a Petrobras. 

Fotos da mala de dinheiro entregue ao emissário de Michel Temer, em 28 de abril (Foto: reprodução)
Foto da mala de dinheiro entregue ao emissário de Michel Temer, em 28 de abril (Foto: reprodução)

A farra das malas da JBS encerrou-se no dia 3 de maio. Foi a vez de Fred, o primo de Aécio, apresentar-se para sua derradeira missão. Florisvaldo cumpriu antes a sua: arranjou uma mala preta semelhante à usada nas entregas anteriores. Separou seis bolos de notas de R$ 100, perfazendo pela quarta vez R$ 500 mil. No total, R$ 2 milhões ao presidente do PSDB. Em troca da promessa de obstruir a Lava Jato e de obter favores ilegais na Vale, onde detém influência, ao grupo J&F. Usou-se o mesmo método das operações anteriores. O primo de Aécio já parecia se acostumar com o papel de mula. 

Quando a operação foi deflagrada, as mulas que botavam a mão no dinheiro da JBS foram presas, a pedido da PGR e por autorização de Fachin. Rocha Loures, Fred, o assessor de Perrella, a irmã de Aécio (que também organizara os pagamentos) – todos presos. A irmã de Funaro foi levada a depor. As semanas se passaram, e as solturas, tão criticadas por aqueles que combatem e estudam crimes de colarinho branco, não tardaram. Fachin concedeu prisão domiciliar a Rocha Loures – e este conseguiu furar a fila por uma tornozeleira. A Primeira Turma do Supremo, sob relatoria do ministro Marco Aurélio Mello, concedeu domiciliar para os demais envolvidos. O primo de Aécio ganhou domiciliar. A irmã de Aécio ganhou domiciliar. O assessor que ajudou Aécio ganhou domiciliar.

Aécio foi afastado por Fachin do exercício do mandato de senador e denunciado pela PGR, mas o Supremo devolveu-o ao cargo – e ainda não analisou a denúncia. Marco Aurélio Mello disse que Aécio tem uma “carreira política elogiável”. Até agora, o Supremo gastou mais tempo debatendo a validade das malas de dinheiro da JBS do que os casos daqueles que as receberam. Temer derrubou a primeira denúncia contra ele, por corrupção passiva, na Câmara. 

Em nota enviada a ÉPOCA, a defesa do senador Aécio Neves disse que os recursos recebidos da JBS são provenientes de um contrato de empréstimo, e que Joesley Batista se usou desse empréstimo para “única e exclusivamente forjar uma situação criminosa que lhe desse o benefício da delação premiada”. A nota não esclarece se Aécio pagou o empréstimo. A defesa diz que o senador é vítima de uma farsa. “Não existem provas que fundamentem as acusações de propina e favorecimentos ilegais. Também inexistem quaisquer atos do senador que possam ser considerados de obstrução aos trabalhos da Lava Jato.”

A defesa do ex-deputado Rodrigo Rocha Loures disse que não vai se manifestar. A defesa de Roberta Funaro afirmou que em momento algum sua cliente teve ciência de que poderia estar envolvida em objeto ou ação ilícita. Os advogados de Lúcio Funaro disseram que têm atendido a todas as necessidades processuais.

Procurado, o Palácio do Planalto não se manifestou.

Fotos da mala de dinheiro entregue ao emissário do senador Aécio Neves em 3 de maio (Foto: reprodução)
Foto da mala de dinheiro entregue ao emissário do senador Aécio Neves em 3 de maio (Foto: reprodução)

A conta do ex-prefeito Adeilson Lustosa (Delson), referentes ao mandato do ano de 2010 foi rejeitada, na sessão ordinária da Câmara Municipal de Santa Terezinhade – PE, desta quarta-feira 02.08.17. Seriam necessários 2/3 (seis votos) para ser aprovada a referida conta. Mas só cinco (05) parlamentares votaram a favor e quatro (04) votaram contra. 

  Este blog é um canal de informação e imparcialidade. 

TCE

O presidente Manoel Gonçalves (Manoel Grampão) deu abertura a sessão da Câmara Municipal de Santa Terezinha – PE.

Acesse o vídeos

TCE

PARECER Nº 006/2017 EMENTA: Analisa a Prestação de Contas de Governo da Prefeitura Municipal de Santa TerezinhaPE

TCE

Vejam como votaram cada vereador.

Acessem o vídeo.

PAUTA DA SESSÃO ORDINÁRIA DO DIA 02/08/2017.

EXPEDIENTE

N°. DE ORDEM. PROPOSIÇÃO ASSUNTO

  1. Leitura da Ata da Sessão Anterior.

ORDEM DO DIA (PARA VOTAÇÃO)

Nº. DE ORDEM  PROPOSIÇÃO ASSUNTO

  1. PARECER Nº 006/2017 EMENTA: analisa a Prestação de Contas de Governo da Prefeitura Municipal de Santa Terezinha, referente ao Exercício Financeiro de 2010, as quais o tribunal de Contas do Estado julgou irregulares, e dá outras providências.

COMISSÃO DE PLANEJAMENTO, FINANÇAS, ORÇAMENTO E DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO.

  1. PROJETO DE DECRETO LEGISLATIVO Nº 002/2017
  2. EMENTA:  Aprova as Contas do Executivo Municipal relativo ao exercício de 2017.COMISSÃO DE PLANEJAMENTO,FINANÇAS,ORÇAMENTO E DESENVOLVIMENTO 

ANDRÉ FERREIRA DE OLIVEIRA

1°. SECRETÁRIO

“…tudo posso naquele que me fortalece” (Filipenses 4.13).

É muito fácil entender mal um versículo assim. O lemos e imediatamente pensamos em centenas de coisas que não conseguimos fazer. No mundo físico, por exemplo, pensamos em alguma acrobacia ridícula que exigiria poderes sobre-humanos. Ou pensamos em alguma grande proeza mental que está muito além de nós. Então estas palavras se tornam uma tortura para nós, ao invés de um conforto.

O que o versículo na verdade quer dizer, claro, é que o Senhor nos dará poder para fazer qualquer coisa que Ele queira que façamos. Dentro do círculo da Sua vontade não há impossibilidades.

Pedro sabia deste segredo. Ele sabia que, por si só, não poderia andar sobre as águas. Porém, também sabia que se o Senhor lhe havia dito para fazê-lo, ele conseguiria. Assim que Jesus disse “Venha”, Pedro saiu do barco e caminhou sobre as águas até Ele.

Normalmente uma montanha não vai se lançar ao mar ao meu comando. No entanto, se esta montanha estiver entre mim e o cumprimento da vontade de Deus, então posso dizer “Saia do caminho” e ela o fará.

O ponto central é que “Sua vontade é Sua capacidade”. Portanto, Ele proverá a força para enfrentarmos qualquer desafio. Ele me capacitará para resistir a cada tentação e vencer cada hábito. Ele me fortalecerá para ter uma vida de pensamentos limpos, motivos puros e para sempre fazer aquilo que agrada ao Seu coração.

Continue lendo

… uma luz brilhou na cela” (Atos 12.7).

“Tiago – meu irmão!” – Como Pedro deve ter sofrido quando soube da execução de Tiago. Ele foi decapitado por ordem de Herodes. Agora o próprio Pedro estava na prisão. Acorrentado. Vigiado por 16 soldados. O choque sofrido pela igreja foi profundo. Quem seria o próximo?

Você conhece algo semelhante? Subitamente tudo escurece em sua vida. Nuvens negras o amedrontam. A pressão das circunstâncias está como um peso em sua alma. A sua fé começa a vacilar. E agora? Como consigo me arranjar com a realidade da situação? Devo me resignar? Devo contar com o pior? Ah, como me alegro toda vez que leio essas palavras: “… mas a igreja orava intensamente a Deus por ele” (Atos 12.5). Enquanto isso, Pedro dormia tranquilamente como uma criança nos braços de sua mãe. No entanto, o céu estava alarmado. Um anjo desceria para libertar Pedro da prisão. E, devido à presença do anjo, subitamente ficou claro como o dia na cela. A luz de Deus preencheu o local.

Então houve a imediata ação de libertação. Um toque no lado e o chamado: “Pedro, depressa, levante-se!”. As correntes caíram de seus braços – simples assim! Pedro vestiu o manto, pegou o cinto e as sandálias e, sonolento, seguiu caminhando após o anjo. A porta para a liberdade abriu-se por si. Somente então Pedro se deu conta de que a mão de Deus estava agindo.

Enquanto isso, a igreja estava de joelhos. Os intercessores estavam batendo incessantemente às portas de Deus. Que maravilhosa comunhão de oração é essa quando o coração do Pai Celestial é importunado!

A seguir, Pedro estava diante da porta. Ele bateu, insistiu, queria entrar na casa, esperou impaciente que alguém lhe abrisse. A serva da casa, a querida Rode, ouviu a conhecida voz de Pedro e imediatamente voltou para a sala e anunciou, alarmada, aos intercessores que estavam aos prantos: “Pedro está diante da porta!”. Os outros, porém, achavam que ela não estava bem da cabeça: “Você não é normal! – Você está fora de si!”.

Sim, nós somos exatamente assim! Oramos, mas não cremos. Clamamos, mas não esperamos que algo aconteça. Deus, já há algum tempo, ligou a luz, mas nós ainda permanecemos com os olhos fechados.

Continue lendo

Faça Sua Pesquisa no Google Aqui!
 
bove=""

 

Visitas
contador de visitas
Redes Sociais
Click e acesse
Zé Freitas no Facebook

Lições Bíblicas
Zé Freitas no Twitter
Portal Correio-PB

 
CLIQUE E ACESSE!
Parceiros