Lojas Surya
Ateliê Geilson
Lojas Surya Acessórios
Natura
Natália Calçados

CLIQUE NA IMAGEM PARA AMPLIAR

  • 28
  • 22
  • 24
  • 20
  • 11
  • 09
  • 11
  • 01
  • 29
  • 03
  • 04
  • 05
  • 07
  • 02

Supermercado
Portal Correio-PB

 
CLIQUE E ACESSE!
 

 Para visualizar este conteúdo corretamente, é necessário ter oFlash Player instalado. 

Para visualizar este conteúdo corretamente, é necessário ter o Flash Player instalado.

REFLEXÕES DO PASSADO E PRESENTE: PERSPECTIVA DE MELHORA PARA O FUTURO


 

REFLEXÕES DO PASSADO E PRESENTE: PERSPECTIVA DE MELHORA PARA O FUTURO


 

Monthly Archives: agosto 2019

Eliana 

A apesentadora Eliana enlouqueceu seus fãs com uma publicação na tarde desta terça-feira (20), nas redes sociais.

É que a loira postou uma foto ao lado dos gêmeos mais queridinhos da TV por assinatura, Jonathan Drew Scott, do programa ‘Irmãos à Obra’. Os dois desembarcaram nesta última segunda-feira (19) no Brasil onde participarão de dois eventos fechados no Credicard Hall, com a presença de convidados, jornalistas e alguns fãs que foram sorteados pela promoção ‘Irmãos à Obra no Brasil’, organizado pelo canal a cabo, Home & Health. No Instagram, Eliana postou o click ao lado dos gêmeos e escreveu: “Eu e eles”. Nos comentários, os fãs ficaram admirados pelo encontro e claro, com um pouquinho de inveja também. “Oh inveja, como queria ser eu nessa foto”, disse uma internauta. “Aí meu Jesus, queria ser a Eliana nesse momento”, afirmou outra. “Não creio”, se espantou outra. Teve seguidor que quis saber se Jonathan e Drew participariam do programa de Eliana no SBT, no entanto, a apresentadora não comentou sobre o assunto.

Corpo definido

Eliana esteve aproveitando as férias que merece. Mostrando que ninguém é de ferro, a apresentadora do SBT está bem longe do Brasil, e resolveu curtir suas férias na Itália. Claro que, como qualquer outra pessoa, ela também aproveita para dar uma pausa e realizar alguns clicks durante o percurso. Pouco tempo depois de ter surpreendido ao ter posado com a barriga chapada na beira da piscina, ela resolveu desejar “bom dia” para os seus mais de 20 milhões de seguidores de uma outra forma: boiando numa piscina natural.

Agatha Moreira Instagram
Agatha Moreira 

A atriz Agatha Moreira, está dando um show com sua personagem Josiane,na novela “A Dona do Pedaço”. Na trama ela vive uma mulher obcecada por dinheiro e que odeia a própria mãe.

Amizade é algo que a atriz leva a sério, Agatha Moreira e Reynaldo Gianecchini prestaram homenagem para a convidada de Ana Maria Braga, no Mais Você, a beldade Juliana Paes.Na última segunda feira, nos bastidores da Rede Globo, no “Criança Esperança”ela usou as redes sociais, seu storys e publicou um momento ao lado da amiga. Alice Wegmann.Vale lembrar que Alice também vive uma vilã Dalila Abdala na novela das seis da Rede Globo “Orfãos da Terra”. Na publicação elas dizem: “Quando uma vilã se junta com outra vilã para assistir a vilaninha (risos) . As duas se conheceram em 2012, quando atuaram juntas na série “Malhação”, desde então a amizade só cresceu.

Personagem de coração de pedra

Certamente uma das personagens de maior destaque do folhetim ‘A Dona do Pedaço‘, Josiane, interpretada por Agatha Moreira, surpreende o público cada vez mais com tanta maldade.Para você ter noção, entre as maldades da ‘mocinha’ está dar um golpe na própria mãe. Em entrevista ao portal UOL, Agatha Moreira foi questionada de onde vem tanto ódio no coração da personagem: Saiba mais

Fazendo homenagem a amiga

Agatha Moreira usou suas redes sociais para homenagear a atriz Juliana Paes. As duas atrizes que estão na novela das nove, ‘A Dona do Pedaço’, interpretam mãe e filha, Maria da Paz e Josiane. As duas estão fazendo bastante sucesso e agitaram as redes sociais após a cena mais aguardada da trama ir ao ar: a surra em Jo

Resultado de imagem para Caixa cria linha financiamento corrigida pelo IPCA e prestação pode cair até 51%

(foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil )
Caixa cria linha financiamento corrigida pelo IPCA e prestação pode …
em.com.br
presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, afirmou nesta terça-feira que a nova linha de crédito imobiliário lançada pelo banco, que será indexada ao IPCA, terá taxas variando de 2,95% a 4,95% ao ano. Para esses contratos, a mudança significará uma queda de 51% no valor das prestações em contratos com a taxa mais barata e de 35% no caso mais caro.

Dessa forma, os contratos de crédito imobiliário não serão mais atualizados pela Taxa Referencial (TR), utilizada nos vínculos mais antigos. Hoje, as taxas dos contratos da Caixa indexados à TR possuem juros variando entre 8,30% e 9,95%, citou Guimarães.”Vamos manter linhas atuais e vamos oferecer linha nova, com o IPCA”, disse Guimarães durante o anúncio. Segundo ele, com a adoção do IPCA, haverá queda de 35% no valor da prestação no caso de um financiamento com taxa mais cara (4,95%). Isso na comparaçãocom os contratos tradicionais, ligados à TR. No caso de contratos com taxa mais barata (2,95%), a queda no valor da prestação foi estimada em 51%. “Acreditamos que a linha corrigida pelo IPCA é o futuro“, disse Guimarães. De acordo com o banco, os contratos com financiamento indexado ao IPCA serão aplicados em novos contratos no Sistema Financeiro Imobiliário (SFI) e no Sistema Financeiro de Habitação (SFH). Os contratos indexados ao IPCA terão prazo de 360 meses e financiamento máximo de 80%.

em.com.br

O partido vota nesta quarta-feira (21) a admissibilidade do pedido de expulsão de Aécio no Conselho de Ética. O argumento apresentado se relaciona com os casos de corrupção em que o ex-governador de Minas Gerais é réu

Foto Lula Marques

Os diretórios estaduais do PSDB de São Paulo e do Rio Grande do Sul se juntaram nesta terça-feira (20) ao diretório municipal da capital paulista na defesa da expulsão do deputado federal e ex-presidente nacional do PSDB, Aécio Neves (PSDB-MG). A informação foi dada pelo presidente da sigla, Bruno Araújo, aliado do governador João Doria.

O partido vota nesta quarta-feira (21) a admissibilidade do pedido de expulsão de Aéciono Conselho de Ética. O argumento apresentado se relaciona com os casos de corrupçãoem que o ex-governador de Minas Gerais é réu. Doria é um dos grandes articuladores da saída de Aécio em seu projeto de “novo PSDB”. “O deputado Aécio Neves tem todo direito a formular a sua defesa na plenitude e confiante na sua inocência e confiante também na justiça, mas pode fazê-lo fora do PSDB”, disse a Ainda segundo o jornalista, Aécio tem criticado setores do partido por promover uma “Sharia”, o conjunto de leis islâmicas, dentro do partido, para penalizá-lo, e que quer um julgamento adequado ao Código Penal Brasileiro.

revistaforum

O ministro Paulo Guedes não foi denunciado nem ouvido em todo o processo - Créditos: Fernando Frasão | Agência Brasil
 O ministro Paulo Guedes não foi denunciado nem ouvido em todo o processo
         / Fernando Frasão | Agência Brasil

O ministro da Economia, Paulo Guedes, foi blindado pela Lava Jato quando esta descobriu que uma empresa de sua propriedade, a GPG, participou de um esquema de lavagem de dinheiro investigado pela força tarefa. O nome da empresa remete às iniciais do ministro e de seu irmão e sócio Gustavo Guedes.

Em 2007, a GPG pagou meio milhão de reais (R$ 560,8 mil) a uma empresa de fachada denominada Power Marketing Assessoria, que era operada por um assessor do ex-governador do Paraná Beto Richa (PSDB). Segundo a Lava Jato, essa empresa emitia notas frias relativas a serviços fictícios e, com o dinheiro recebido, distribuía propinas a agentes públicos.

O esquema todo, de acordo com o MPF de Curitiba, servia para beneficiar o Grupo Triunfo nos processos de concessões de rodovias no estado. Entre 2005 e 2015, o grupo teria repassado à Power Marketing R$ 2,9 milhões. Entre as empresas desse grupo está a Triunfo Participações e Investimentos (TPI), da qual Paulo Guedes também foi acionista, além de integrar o Conselho de Administração.

Em abril do ano passado, a força tarefa apresentou denúncia sobre o caso e denunciou 18 pessoas, mas deixou Paulo Guedes de fora. O pagamento feito pela GPG é citado apenas numa nota de rodapé da denúncia, que tem 138 páginas. Na época, Guedes integrava a equipe do então candidato à presidência Jair Bolsonaro (PSL).Os advogados de Carlos Felisberto Nasser, o assessor de Beto Richa que operava a Power Marketing, chegaram a incluir Paulo Guedes no rol de testemunhas, mas desistiram de ouvi-lo três dias antes da audiência, marcada para 27 de agosto. A defesa alegou que um ofício com questionamentos já teria sido enviado à GPG pela Justiça, o que dispensaria o depoimento de Guedes e seu irmão.Segundo o jornal Folha de S.Paulo, esse ofício nunca foi entregue porque os oficiais de Justiça, após quase um ano de diligências, não teriam encontrado a GPG no endereço informado. A reportagem da Folha, no entanto, diz ter confirmado o endereço da empresa (que foi extinta e deu lugar à BR Corporate Advisory, cujo diretor é Gustavo Guedes) por meio de simples telefonema.Procurada pelo jornal, a Lava Jato informou que não incluiu Paulo Guedes e a GPG na denúncia porque não havia “prova robusta” contra eles.

” É a onde? No Brasil a onde a impunidade só existem para os pobres.”

Baixar
Com a chegada do verão amazônico, a floresta seca e fica suscetível a incêndios, o principal método de derrubada - Créditos: Foto: Prefeitura de Diamantino (MT)
Com a chegada do verão amazônico, a floresta seca e fica suscetível a incêndios, o principal método de derrubada / Foto: Prefeitura de Diamantino (MT)

 A fumaça originada nas queimadas em ritmo acelerado na floresta amazônica tornou-se visível nesta segunda-feira (19) na capital paulista. As partículas das queimadas viajaram milhares de quilômetros, primeiro rumo ao oeste do continente, chocando-se contra a cordilheira dos Andes, para depois vir para o sul. A fumaça que atingiu São Paulo retornou ao Brasil potencializada pelos incêndios da floresta na Bolívia e no Paraguai. O Brasil vive a maior onda de queimadas dos últimos cinco anos, segundo o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe).  Se bem nesta época de seca na Amazônia e em outras zonas de florestas do Brasil, a mata torna-se suscetível a incêndios, o fogo tem origem majoritariamente na ação predatória de fazendeiros, em busca de expansão das áreas de pastagem ou para plantações de soja, por exemplo. No sudoeste do Pará, fazendeiros chegaram a realizar um “dia do fogo”, promovendo queimadas simultâneas às margens da BR 163, para chamar a atenção do governo de que “o único jeito que tem para trabalhar é derrubando”. Enquanto isso, o presidente Jair Bolsonaro (PSL), que se autointitulou“capitão motosserra” segue brigando com os dados divulgados pelo Inpe e já trocou o comando do Instituto, substituindo o físico Ricardo Galvão por um oficial da Força Aérea. Desde janeiro, foram registrados 71.497 focos de incêndio, um número 82% maior do que o mesmo período do ano passado, quando foram registrados 39.194 focos. Ao G1, o pesquisador do programa de queimadas do Inpe, Alberto Setzer enfatizou que a seca pode ajudar alastrar o fogo, mas que as queimadas são todas de origem humana. 

Imagem do sistema de monitoramento climático Windy do dia 18 de agosto mostra alta concentração atmosférica (manchas vermelhas) de monóxido de carbono (CO) nos Estados do Acre, Rondônia, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, passando por Bolívia e Paraguai.  (Foto: windy.com) Os estados onde as queimadas mais cresceram foram Mato Grosso do Sul (260%), Rondônia (198%), Pará (188%), Acre (176%) e Rio de Janeiro (176%). Somente entre 17 e 19 de agosto, o Inpe registrou 5.253 focos de queimadas no Brasil, 1.618 na Bolívia, 1.116 no Peru e 465 no Paraguai.

Continue lendo

GOVERNADORES EM EVENTO ‘DIÁLOGOS CAPITAIS’, EM SÃO PAULO. (FOTO: WANEZZA SOARES)

Governadores destrincham o Consórcio Nordeste no evento Diálogos Capitais, realizado por CartaCapital nesta terça-feira. Governadores do Nordeste se reuniram nesta terça-feira 20, no evento Diálogos Capitais, realizado por CartaCapital, com o objetivo de apresentar o projeto Consórcio Nordeste para investidores. Estiveram presentes os governadores do Ceará, Camilo Santana (PT), do Rio Grande do Norte, Fátima Bezerra (PT), do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), e do Piauí, Wellington Dias (PT). No Consórcio, estão representados os nove estados da região.

Segundo os gestores estaduais, a ideia é atrair investimentos internos e externos, estabelecer projetos de desenvolvimentos em conjunto e realizar compras para setores públicos em maior escala e a menor preço. Em discurso de abertura, o jornalista Mino Carta, diretor de redação de CartaCapital, exaltou a iniciativa de apostar na união dos estados para explorar as potencialidades de cada local.“Somos todos paraíbas”, iniciou Mino Carta. “A revista que tenho a honra de dirigir até hoje sempre entendeu que o Nordeste, a partir das eleições, mostrou claramente ser um rincão especial, um lugar muito diferente do resto do país. Um lugar onde existe uma consciência política muito claramente definida e provada pelo próprio resultado eleitoral.” Após o discurso de Mino Carta, o evento exibiu um vídeo institucional do Consórcio Nordeste, com imagens das expressões culturais, dos pontos turísticos e da infraestrutura tecnológica dos estados da região. Em seguida, a primeira exposição foi do governador do Piauí. Em sua fala, Wellington Dias destacou que o projeto não é novo: a ação conjunta vem desde a criação do Fórum de Governadores do Nordeste, na década passada.

“Não é nova essa ideia. Ainda antes da Lei dos Consórcios, já experimentamos atuar integrados. Nós criamos o primeiro fórum dos governadores do Brasil, de uma região, a partir dele nasceu a ideia de um fórum nacional. O fórum tinha uma lógica do posicionamento político, e vai continuar assim. Mas percebíamos a necessidade de ter um instrumento que pudesse ligar os interesses que são comuns, na relação com o Brasil e com o mundo.”O governador citou os setores mais promissores dos estados para parcerias com o setor privado. Entre eles, está a indústria de geração e distribuição de energia. Segundo Dias, o Brasil tem em seu planejamento a geração de 50 gigas de energia até 2030, e o Nordeste tem condição de gerar 80% da energia necessária, principalmente eólica e solar. Só o estado do Piauí, diz ele, seria capaz de produzir 20 gigas de energia eólica. Na área do turismo, Dias defende um plano em que os estados não sejam concorrentes entre si. Para isso, o governador apontou a possíveis medidas no ramo aeroportuário, para melhorar a integração com outras regiões brasileiras e com outros países do Mercosul, da América do Norte, da Europa e da África.

Já no campo da mineração, o petista afirmou que o Nordeste possui grandes reservas, mas é preciso investir na infraestrutura. Para isso, ele diz que é necessário conectar eixos ferroviários, como previsto no projeto da Ferrovia Transnordestina, ainda em obras. Ligar portos também é uma das intenções da coalizão de governadores.

GOVERNADOR WELLINGTON DIAS, DO PIAUÍ, FALA NO EVENTO CONSÓRCIO NORDESTE. (FOTO: WANEZZA SOARES)

“O que nós queremos é trabalhar com o setor privado no sentido de, de forma moderna, desenvolver essa região. Nós estamos trabalhando com o Ministério da Infraestrutura para examinar o que ele vai tocar, para poder separar o que cada estado vai poder trabalhar individualmente. E temos muitas oportunidades nessa área de parcerias público-privadas”, disse o governador.

Não é separatismo, diz Flávio Dino

O governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), arrancou risos da plateia ao explicar que não há propósito separatista no Consórcio Nordeste. “Não queremos ser separatistas, até porque seria difícil pactuarmos onde seria a capital. Por razões práticas, não temos essa perspectiva.”

Brincadeiras à parte, o governador fez questão de frisar que não é objetivo do grupo inaugurar uma oposição de governadores ao presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL). Segundo Dino, a estratégia é exatamente o contrário: mostrar como é possível fazer política priorizando o diálogo em vez do conflito.“O consórcio representa esta perspectiva democrática que não significa oposição, significa diferença. Nós acreditamos na democracia, no pluralismo e na limitação do poder, de quem quer que seja”, destacou o governador, alvo de ataques do presidente da República no mês passado, que disse ao ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, que “daqueles governadores de paraíba, o pior é o do Maranhão”.O aspecto integralista, em vez de separatista, foi o primeiro ponto ressaltado por Dino. O segundo foi sobre a perspectiva “popular”, já que a meta crucial é conciliar o crescimento econômico com o desenvolvimento social na região. Para isso, o governador defendeu parcerias público-privadas, com mediação estratégica do Estado.“Nós, orgulhosamente, não aderimos aos modismos que acham que o Estado nada tem a dizer na conjuntura brasileira atual. Nós não aderimos à ideia de que o mercado pode tudo e vai resolver tudo. Nós acreditamos que, para que haja um país autenticamente unido, é preciso combater as desigualdades sociais e regionais. E isso só se faz mediante uma perspectiva distributiva, portanto, uma perspectiva popular, em que os Estados procuram cumprir aquilo que socialistas utópicos, portanto, pré-Marx, já diziam que era o papel indissociável dos governos: a urna corrige o mercado”, declarou.

Fátima levanta bandeira da educação

Continue lendo

"Fora, Interventor": assim os estudantes do Cefet-RJ expulsaram Maurício Aires Vieira da escola - Créditos: Divulgação
“Fora, Interventor”: assim os estudantes do Cefet-RJ expulsaram Maurício Aires Vieira da
escola / Divulgação

Estudantes do Centro Federal de Educação Tecnológica do Rio de Janeiro (Cefet-RJ) protestaram na manhã desta segunda-feira (19) contra a nomeação de Maurício Aires Vieira, assessor do ministro da Educação Abraham Weintraub, para ocupar o cargo de diretor-geral da escola. O interventor não faz parte do quadro de servidores da instituição.Maurício Vieira chegou no Cefet-RJ às 8h para uma reunião, mas foi surpreendido por dezenas de estudantes que formaram uma barreira humana na diretoria da escola, impedindo a passagem. Entre cartazes e palavras de ordem, Maurício Aires Vieira deu meia volta e acabou sendo expulso do Cefet-RJ por volta das 10h, escoltado por um policial militar. “Fora interventor”, protestaram os alunos. Segundo relatos, a sensação é de insegurança no campus, com o possível retorno do interventor.Em maio deste ano, o professor Maurício Motta foi eleito democraticamente pela comunidade acadêmica como diretor. Porém, um decreto publicado em julho pelo presidente Jair Bolsonaro (PSL) torna legal a nomeação de um diretor-geral pro tempore “por qualquer motivo” pelo ministro da educação.Na última quinta-feita (15), Maurício Vieira foi nomeado por Abraham Weintraub como diretor-geral do Cefet-RJ. “Estamos perplexos, muito tristes e resistentes. Não aceitamos essa nomeação desse diretor geral que não foi escolhido por nós de forma democrática”, disse Elika Takimoto, professora e coordenadora de Física do Cefet ao Brasil de Fato.


Material será sistematizado por equipe da Seplag e ajudará na construção do Plano Plurianual

A primeira rodada da 4ª edição do Seminário Todos por Pernambuco foi finalizada com o evento em Serra Talhada, no Sertão do Pajeú, nesta sexta-feira (16). Na quarta e na quinta-feira a escuta popular aconteceu nas cidades de Floresta, contemplando a região do Sertão de Itaparica; e Arcoverde, para a população do Sertão do Moxotó. Ao todo, mais de 4.000 pessoas compareceram aos três primeiros seminários. As propostas e apoios foram contabilizadas tanto presencialmente quanto de forma digital, o que aumentou a capacidade do Governo do Estado de ouvir a população.
O Seminário Todos por Pernambuco é realizado sempre no primeiro ano da nova gestão Estadual, por meio da Secretaria de Planejamento e Gestão (Seplag). O governador Paulo Câmara convoca grande parte do secretariado para rodar o Estado e escutar as demandas da sociedade. Representantes dos legislativos estadual e municipal também prestigiaram os eventos. Alexandre Rebêlo, secretário de Planejamento e gestão, é o responsável por abrir cada um dos seminários, apresentando toda a metodologia de funcionamento, além de mostrar as ações já realizadas pela gestão de Paulo Câmara.

“Quem ouve mais, acerta mais. É para isso que fazemos o Todos por Pernambuco. Ouvindo a população podemos fazer as escolhas certas para atingir aqueles que mais precisam, melhorar o dia-a-dia da população e projetar um futuro melhor para os pernambucanos”, afirmou Alexandre Rebêlo. O governador Paulo Câmara também definiu a essência do Seminário: “O Todos por Pernambuco é isso: ir às regiões e ouvir as propostas das pessoas, planejar e realizar entregas.

Continue lendo

Mesmo depois dos 30 anos, Mariana Rios mantém seu ritual de cuidados de belezainalterado. “Sempre fui vaidosa, mas não sou neurótica. Faço limpeza de pele a cada quatro meses e passo creme diariamente.” Quando acorda, aplica protetor solar FPS 43. Para a praia, aumenta o fator para 80. Seu escudeiro fiel é o sabonete da Under Skin. Ela usa o produto para higienizar a pele no dia a dia e também para retirar a maquiagem. Depois, aplica apenas um tônico.  No make, faz o estilo básico. “Uso protetor com cor da Shiseido, que cobre bem as manchinhas, passo rímel, blush e batom. Dispenso até a base”, declara.

Adeus, olheiras

Mari tem um truque ótimo para isso. “Depois que aprendi, mudou a minha vida”, diz. Mas ele só serve para quem tem a cútis morena, como a dela. “Você passa o corretivo laranja antes de começar a maquiagem. Em seguida, aplica o bege. Tapa tudo! O primeiro neutraliza o tom. Faz toda a diferença!”, ensina.

Cabelo de dar inveja

Ela combina com qualquer visual. Mas para garantir fios hidratados e iluminados, a atriz aposta na linha de tratamento Siàge Blindagem dos Fios, da Eudora. O detox é feito em casa mesmo, duas vezes por semana.  “Como faço chapinha com frequência, não posso descuidar”, reforça. No badalado salão Laces and Hair, em São Paulo (SP), Mariana deixa o corte nas mãos de Cris Dios, que usa uma técnica chamada bordado, que elimina apenas as pontinhas danificadas dos fios.

É melhor prevenir

Esse é o lema da cantora, que tem pavor de agulha. Por esse motivo, confessa que nunca fez botox, nem preenchimento. “Quanto mais eu puder postergar, melhor.”  Entre os poucos procedimentos realizados pela morena está o laser Repair. “Ele renova e mantém o viço da pele e clareia as manchas. Mas ela não o faz com muita frequência”, explica Denise Barcellos, dermatologista, do Rio de Janeiro (RJ), que acompanha a atriz

Crédito: Reprodução/Instagram

Rachel Sheherazade usou as redes sociais para explicar o por quê de ter sido afastada do comando do SBT Brasil às sextas-feiras. “Peço desculpas aos meus amigos jornalistas, pois recebi muitos pedidos de entrevista mas, por uma questão contratual, não posso dar entrevista”, afirmou. Ela apresenta o jornal da emissora de Silvio Santos desde 2011. Para dar uma satisfação aos seguidores, Sheherazade explica que recebeu uma determinação da empresa. “Também fui pega de surpresa. Recebi uma determinação, na semana passada, de que eu estaria afastada às sextas-feiras, por tempo indeterminado. Então, não tenho como precisar quando e se vou voltar a apresentar o SBT Brasil às sextas-feiras”, disse.

Sheherazade esclarece que segue contratada da emissora até setembro de 2020. “É um contrato que pretendo seguir, como sempre cumpri meus contratos em quase 20 anos de profissão. Nunca descumpri nenhuma cláusula de nenhum contrato”, alega. “Resumindo, gente, ‘sextou’ mais cedo pra mim. Toda quinta-feira ‘sextou’ pra mim. E pretendo fazer um bom uso desses dias que terei de folga”, concluiu a jornalista, que não deixou claro os motivos desse afastamento determinado pelo SBT.

No Twitter, internautas estranharam a situação. “Padre Fábio de Melo e Rachel Sheherazade abandonaram o Twitter após serem veementemente atacados por darem opiniões”, escreveu um seguidor.

Em abril de 2017, durante a entrega do Troféu Imprensa, Silvio Santos, em tom de brincadeira, repreendeu a jornalista por dar opiniões. “Você começou a fazer comentários políticos no SBT e eu pedi para você não fazer mais, porque você foi contratada para ler notícias, não para dar sua opinião. Eu contratei você para você continuar com sua beleza e com sua voz para ler as notícias do teleprompter”, afirmou na época o dono da emissora. Depois do episódio, Sheherazade saiu em defesa de Silvio Santos: “Patrão, há que haver um mínimo de inteligência para entender nossas brincadeiras! Obrigada pela chance de fazer brilhar o meu intelecto!”, escreveu a jornalista.

No mesmo Troféu Imprensa de 2017, Silvio Santos alertou Danilo Gentili também. “Não fala sobre política porque aí você me complica”, disse o dono do baú, que pediu para o apresentador “puxar o saco dos políticos”.

 BOMBA: RACHEL SHEHERAZADE QUEBRA O SILÊNCIO SOBRE CENSURA NO SBT

istoe

O ex-capitão abriu mão da ideia de formar uma maioria para sustentar o governo. O que lhe resta é a defesa da antidemocracia
O ex-capitão Bolsonaro não é um político normal. Não por ser “espontâneo” e “franco”, como alguns afirmam, comparando-o ao estereótipo do político tradicional e enxergando uma qualidade em sua anormalidade.  Normais, ao longo de sua vida e na Presidência, foram José Sarney, Fernando Collor, Itamar Franco, Fernando Henrique, Lula, Dilma e até Michel Temer, cada um à sua maneira e apesar de suas diferenças. Podemos não admirar nenhum deles e ter forte rejeição a vários, mas os sete foram normais e fizeram a carreira com base em princípios democráticos. Bolsonaro, não. Nem nas atitudes nem no comportamento o ex-capitão mostra ter apreço pelos valores ou respeito pelos códigos de conduta democráticos. Se quisermos encontrar um antecessor de hábitos semelhantes, vem à mente o ex-presidente que ameaçava prender e arrebentar e que preferia cheiro de cavalo àquele de povo. Bolsonaro consegue ser, porém, um João Figueiredo piorado, sem capacidade para se tornar general.Nas democracias, políticos normais, quando disputam cargos majoritários, buscam obter o máximo possível de votos. Ganhar é bom, mas melhor é ganhar por larga margem. Não por acaso, essas vitórias são chamadas de consagradoras.

Depois da performance surpreendente de Donald Trump na última eleição nos Estados Unidos, tivemos de admitir a existência de outro modo de ganhar uma disputa nas urnas. Não foi pela busca do máximo possível de votos que o republicano venceu. Ele queria apenas o mínimo suficiente para superar a adversária. Deu-se bem, apesar de derrotado no voto popular do conjunto do país e de receber cerca de 70 mil votos a mais (equivalentes a 0,0005% do eleitorado) em três estados, nos quais a eleição se resolveu. Foi um caso excepcional. De um lado, só deu certo por causa das regras peculiares do sistema eleitoral norte-americano. De outro, inaugurou um tipo novo de trapaça para o qual ninguém estava preparado. O uso ilegal das redes sociais por Trump não se repetirá, no entanto, pois todos estarão preparados e atentos. O presidente dos EUA pode até se reeleger, mas por motivos convencionais, diferentes dos que explicam sua primeira vitória. 

Quando Bolsonaro se dirige ao núcleo que o apoia na sociedade, não faz como o ídolo. Trump age para manter seu eleitorado mobilizado e busca os temas potencialmente mais eficazes naquele ambiente institucional. Não é isso que o ex-capitão busca, pois tem, ao que parece, outra meta. O comportamento de Bolsonaro, sua capacidade de inventar impropriedades gratuitas, afugentar eleitores e assustar possíveis novos apoiadores não é normal. Para que desafiar o bom senso e os sentimentos de gente comum, que vive fora de bolhas ideológicas amalucadas e não compartilha sua violência verbal e a ilimitada disposição para agredir e humilhar?

O ex-capitão abriu mão da ideia de formar uma maioria para sustentar o governo e disputar com chances a reeleição, por reconhecer que, para ele, é um sonho inalcançável. Ao que parece, desistiu também de executar uma estratégia à Trump, pois será muito difícil repetir as manobras imorais que usou em 2018.

Seu cálculo é que a coalizão antiesquerda, formada por militares, banqueiros, Rede Globo, políticos, bispos empresários, a maioria do Judiciário, do Ministério Público e de outras corporações, permanecerá unida. Ele não é o candidato preferencial de nenhum de seus integrantes, mas pode obrigá-los a engoli-lo, impedindo que busquem opções melhores, desde já e em 2022.

O que lhe resta é enveredar por um caminho que nada tem de democrático. Antes, é inteiramente antidemocrático (o que não o detém).

O ex-capitão investe na formação de uma milícia ideológica, um núcleo largamente minoritário na sociedade, mas suficientemente grande para ameaçar as instituições e seus atores. Deve acreditar que serão poucos os políticos com coragem para enfrentá-lo no Congresso, os jornalistas dispostos a criticá-lo, os magistrados que ousarão decidir contra ele, os procuradores que o investigarão, as cidadãs e cidadãos que sairão às ruas para repudiá-lo, sabendo que terão de enfrentar os milicianos bolsonaristas e se expor à violência.

Quem confia na democracia e sabe quão tosco é Bolsonaro aposta que isso não dará certo. O ex-capitão imagina que vencerá. Sua meta não é ter o apoio de 50% mais um dos votantes ou de 30% da sociedade. O que almeja é uma matilha pronta para morder, uma milícia que, ao seu comando, saia para bater nos outros. 

cartacapita

Ala econômica da gestão Bolsonaro não liberou recursos para o orçamento deste ano - Créditos: UFPE
Ala econômica da gestão Bolsonaro não liberou recursos
para o orçamento deste ano / UFPE

O governo do presidente Jair Bolsonaro (PSL) oficializou, na noite desta quinta-feira (15), que não haverá dinheiro para financiar 84 mil bolsas de estudos e pesquisas em andamento e fazer novos contratos, que estavam previstos para este ano no Orçamento do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), órgão ligado ao ministério da Ciência e Tecnologia. O valor suplementar que deveria ser sido repassado pelo Ministério da Economia para garantir a produção de pesquisas acadêmicas é de R$ 330 milhões.

A nota do CNPq diz que a suspensão das bolsas se deve ao “cenário orçamentário”. A divulgação foi feita após o órgão ter a “indicação” que não haveria mais a recomposição integral do Orçamento para 2019.

No início desta semana, o presidente do CNPq, João Luiz Filgueiras de Azevedo, deu uma entrevista para o Jornal da USP em que lamentava a situação de risco em relação ao financiamento de novas bolsas e a continuidade das bolsas em andamento.“Vamos pagar as bolsas de agosto normalmente; mas de setembro em diante não tem como pagar mais nada. A folha de agosto, essencialmente, zera o nosso orçamento”, disse Azevedo, ao Jornal da USP.O valor reservado para o CNPq, na Lei Orçamentária Anual (LOA) deste ano, é de R$ 785 milhões para bolsas e de R$ 127 milhões para fomento à pesquisa. Somando ao todo, R$ 912 milhões. Essa reserva foi aprovada no Congresso.Os cortes foram confirmados um mês após o Ministério da Educação apresentar o plano “Future-se”, que tem como horizonte a privatização do ensino público superior e a participação de empresas na escolha dos objetos de pesquisas acadêmicas. 

Confira em breve mais informações sobre a repercussão dos cortes.

” O governo do Bolsonario é baseado na miserabilidade do povão”

Acessem o vídeo, vocês irão encontrar várias novidades tanto na parte de confecções como na de acessórios, tudo top. A receptividade das atendentes é surpreendente! Vocês podem constatarem. 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Carol Ribeiro na campanha que celebra os 10 anos da Hector Albertazzi (Foto: Divulgação)

Carol Ribeiro na campanha que celebra os 10 anos da Hector Albertazzi (Foto: Divulgação)

Salvar

Quando ainda nem morava por aqui, o designer de acessórios argentino Hector Albertazzi já era encantado pela nossa cultura e natureza: a bossa nova, as praias, o clima tropical, a leveza dos brasileiros. Tanto que considera sua vinda em definitivo para o País, nos anos 1970, um sonho realizado. “O Brasil é uma fonte de inspiração contínua, aqui não há monotonia. Posso passar várias vezes por um mesmo lugar e ainda me surpreender com seus detalhes”, disse ele em entrevista à edição de agosto da VogueNatural, portanto, que escolhesse celebrar a primeira década da marcaque leva seu nome, neste mês, homenageando o Brasil. A começar pelo nome — Tom, em referência a Tom Jobim –, a coleção de aniversário é uma ode à música e às paisagens brasileiras.

Carol Ribeiro na campanha que celebra os 10 anos da Hector Albertazzi (Foto: Divulgação)

São cinco famílias de peças. Em Casulo, o designer traduz a matemática dos acordes musicais em itens com shapes espirais e aplicações de pérolas e cristais black diamond. Na Onda, o mar e seus elementos, assim como a canção Marinheiro Só, são as principais inspirações — vale reparar que as peças aparecem em sinuosos contornos, como o de uma espinha de peixe. E como unir a fauna e a música (em especial, Cigarra, de Milton Nascimento)? Com a família Canto, que traz correntes cravejadas de cristais em tom de amestista verde, entre outras aplicações.

Carol Ribeiro na campanha que celebra os 10 anos da Hector Albertazzi (Foto: Divulgação)

Carol Ribeiro na campanha que celebra os 10 anos da Hector Albertazzi (Foto: Divulgação)

As criações made by Albertazzi são sempre superexpressivas, ótimas para compor looks noturnos, por exemplo, mas quem procura acessórios com a cara exata da noite vai encontrá-los em Revoada, marcada por peças com cristais jet hematite e black diamond e gotas de pedras naturais lapidadas artesanalmente. Por fim, a Baía coloca em foco as criações que fizeram a fama da marca: as correntes incrustadas de cristais, que aqui dão origem, por meio de seus elos, a pulseiras, colares, brincos, anéis e piercings para a orelha. 

A coleção Tom já começa a chegar às lojas e faz companhia ainda à linha Classics, composta pelos itens-hit que marcaram da história de Albertazzi. Nela, as peças, que tradicionalmente têm banhos de ouro vintage, prata velha e grafite, ganham uma nova edição com banho de prata boho em tom claro e um leve envelhecimento. Como ponto de contraste, entram em cena os cristais jet hematite, que complementam e destacam as cores das criações.

 

Thais Fersoza
Thais Fersoza 

Amizade! As atrizes Thais Fersoza e Deborah Seccoposaram juntinhas em vídeo gravado por Thais e que compartilhou em seus stories na tarde desta quinta-feira (15). “Deborah Secco, maravilhosa. Olha com quem que eu estou passando o dia hoje… Isso é muito bom, isso é maravilhoso.”, começou Thais falando no vídeo. “Passando o dia com essa maravilhosa aqui em São Paulo mais uma vez.”, concluiu a atriz. E Deborah Secco respondeu a amiga: “Isso é maravilhoso, a gente está se encontrando muito, a gente tem que se encontrar agora com as crianças. Você é maravilhosa, deusa , incrível.”.

FAMÍLIA

Na última terça (14), Thais Fersoza curtiu o dia ao lado do marido, Michel Teló e dos filhos, Teodoro e Melinda, andando de bicicleta em tarde ensolarada no Rio de Janeiro.

Andressa Suita
Andressa Suita 

Que fofura gente! Na tarde desta quinta-feira (15), a mamãe Andressa Suita compartilhou em seus stories de seu perfil nas redes sociais vídeos de momentos fofos do caçula, Samuel. No primeiro vídeo, a modelo se derreteu de amores pelo filho enquanto ele fazia carinho no papai, Gusttavo Lima, que estava deitado só recebendo o amor do filho.Já no segundo vídeo, a mamãe se divertiu ao gravar o marido dando comida para Samuel e aproveitou para brincar com menino. “Êêê, filho, em… está com apetite. Isso porque já almoçou, já lanchou… Agora veio aqui dividir o café com o pai.”, concluiu ela.

contigo

Bolsonaro encolheu ainda mais Sergio Moro e declarou que “quem manda” no governo é ele, referindo-se à troca no comando da Polícia Federal no Rio. “Quem manda sou eu. Deixar bem claro. Eu dou liberdade para os ministros todos, mas quem manda sou eu”, disse

247 – Bolsonaro encolheu ainda mais Sergio Moro e declarou que “quem manda” no governo é ele, referindo-se à troca no comando da Polícia Federal (PF) do Rio. “Quem manda sou eu. Deixar bem claro. Eu dou liberdade para os ministros todos, mas quem manda sou eu”, disse (Leia no Brasil 247)

Declaração vem na esteira da polêmica envolvendo a saída de Ricardo Saadi do comando da PF no Rio. Nesta quinta-feira (15), Bolsonaro disse que a substituição estaria sendo feita por questões ligadas à “gestão e produtividade”. No mesmo dia, a PF emitiu uma nota na qual afirmava que a mudança na superintendência fluminense já estava prevista e não estava ligada ao desempenho de Saadi. Ainda segundo a nota, o superintendente da PF em Pernambuco, Carlos Henrique Oliveira Sousa, teria sido o escolhido para a chefia da corporação no Rio de Janeiro. Nesta sexta, porém, Bolsonaro disse que o “combinado” é que o substituto de Saadi viria de Manaus (AM) e se “ele” mudou de ideia”, deveria ter sido avisado com antecedência. Ele, contudo, n não deixou se estava se referindo ao superintendente da PF no Amazonas, Alexandre Silva Saraiva, ou ao ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, a quem a PF é subordinada.  Indagado por jornalistas sobre quem teria decidido mudar o comando da PF no Rio, Bolsonaro disse que a pergunta teria que ser feita a Moro. “Pergunta para o Moro. Já estava há três, quatro meses para sair o cara de lá. Está há três, quatro meses. O que acontece, quando vão nomear alguém, falam comigo. Ué? Eu tenho poder de veto. Ou vou ser um presidente banana agora? Cada um faz o que entende e tudo bem?”, disparou. 

brasil247

Crédito: Divulgação

Luisa Purchio

Quem pensa que a vida das mulheres estaciona após o nascimento do primeiro filho, se engana. A carismática Sabrina Sato, 38 anos, é prova disso e está esbanjando energia após o nascimento de Zoe, de sete meses, fruto do casamento com o ator Duda Nagle. Entre as pausas para amamentar e cuidar da bebê — sempre com a ajuda da avó, Kika Sato —, Sabrina toca mil projetos ao mesmo tempo. “Me tornei uma mulher mais organizada. Nos programamos com antecedência para tudo sair como o planejado”. Apesar de continuar a mil, os trabalhos que assume sempre são casados com a rotina de mãe. É o caso da série de entrevistas com artistas em seu canal no Youtube, a “The Walk Show”, que possui uma rotina de produção mais tranquila. Além disso, Sabrina está avaliando junto a Rede Record, com a qual possui contrato até 2021, qual será o formato do “Programa da Sabrina”, que irá ao ar em breve. A ideia é que a atração tenha a cara dela. “Tínhamos uma agenda de gravações muito atribulada e seria mais difícil conciliar isso com a maternidade. Estamos pensando em ideias para poder deixar a Zoe bem pertinho de nós”, diz ela.
istoe
whatsapp 1400x800 1017 0
PIXIEME/SHUTTERSTOCK

Assim como muitas redes sociais, o WhatsApp requer que seus usuários tenham uma certa idade para fazer uso do aplicativo – e, agora, eles vão passar a fiscalizar melhor quem se adequa ou não a essa regra do cadastro.

WhatsApp ficará mais rígido com idade mínima

De acordo com o site especializado em tecnologia “WABetaInfo”, no ano passado uma atualização do aplicativo estipulou que, em território europeu, os usuários teriam de ter mais de 16 anos, enquanto em outros lugares do mundo, bastaria ter 13 anos.

crianca celular whatsapp 0819 1400x800
DRAGANA GORDIC/SHUTTERSTOCK

Agora, orém, além de haver esse requerimento, o aplicativo deve endurecer a fiscalização sobre os usuários nesse sentido – e banir os que não tem a idade mínima necessária para utilizar o serviço.

vix

Faça Sua Pesquisa no Google Aqui!
 
bove=""

 

Visitas
contador de visitas
Redes Sociais
Click e acesse
  CLIQUE AQUI e fale com os novos ministros, fiquem de OLHO bem aberto alguma informação entre em contato com os ministros. Imagem relacionada
Vejam as verbas de suas cidades ,naveguem e fiquem bem informados CLIQUE AQUI E ACESSE!

CLIQUE AQUI e veja receita e despesa do seu municípios.

Aqui você encontra informações sobre a aplicação do dinheiro público nos municípios e no estado de Pernambuco.

Zé Freitas no Facebook

Zé Freitas no Twitter
Parceiros