Recicla Net

Óticas Olhar Brasil
Lojas Surya
Supermercado Compre Bem
Natália Calçados

Seg Vida
 

Para visualizar este conteúdo corretamente, é necessário ter o Flash Player instalado.

REFLEXÕES DO PASSADO E PRESENTE: PERSPECTIVA DE MELHORA PARA O FUTURO


 

Monthly Archives: setembro 2020

O deputado federal Gonzaga Patriota (PSB) anunciou que votará pela derrubada do veto imposto por Jair Bolsonaro ao parágrafo único do art. 8º do PL 1.581/20, que prevê a destinação de 60% dos precatórios para pagamento aos professores ativos, inativos e pensionistas, na forma de abono, sem incorporação salarial.  “O dinheiro do Fundef é da educação. Não podemos tirar um direito conquistado em lei, isso será um retrocesso e um prejuízo para a educação do país. Os professores e os trabalhadores da educação precisam mais é de investimentos e não que tirem o pouco que já foi conquistado ao longo dos anos. Por isso, como forte defensor da educação, vou votar pela derrubada desse veto que fere a educação pública e seus trabalhadores”, afirmou Patriota. O trecho vetado por Bolsonaro previa o pagamento de precatórios oriundos da cobrança de repasses referentes à complementação da União, aos Estados e Municípios, por causa do Fundo de Desenvolvimento e Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb). O texto aprovado pelos parlamentares garantia pelo menos 60% do valor para os professores, ativos, inativos e pensionistas, na forma de abono, sem incorporação à remuneração.

      Para a glória de Deus e nossa alegria, o oculto realizado pela Mocidade da Igreja Evangélica Assembleia de Deus em Santa Terezinha PE, neste domingo (27/09),  foi muito avivado. Com a presença do cantor e presbítero Betinho e os irmãos Joel de Souza Leite e Adalberto Júnior, ambos colaboradores da obra de Deus na cidade de Tabira-PE.
      A palavra foi pregada pelo irmão Davi Afro Pereira, que é daqui, mas reside em São Paulo.
     A Igreja se alegrou e glorificou o nome de Jesus. Deus tem operado maravilhas no nosso meio e vai continuar fazendo para a glória do Seu Nome. Avivar significa despertar, acordar, tornar mais vivo, apressar, reanimar-se, cobrar o animo; Avivamento significa um retorno a vida em todos os sentidos, em toda a sua plenitude. Avivamento ESPIRITUAL é para quem já tem vida em Cristo.
Pastor presidente: Ailton José Alves e o  pastor local: Evangelista Audeir Lopes.
Rafa Kalimann comandará o tapete vermelho do programa nas redes sociais (Foto: Divulgação)
Rafa Kalimann comandará o tapete vermelho do programa nas redes sociais (Foto: Divulgação)

Debutando no especial Criança Esperança 2020, a influencer digital, atriz, empresária e ex-BBB Rafa Kalimann comandará, nesta segunda-feira (28), o tapete vermelho do programa, que chega à 35ª edição, direto das redes sociais da Globo. Rafa receberá convidados ilustres para entrevistas. “O ‘Criança Esperança’ sempre me motivou, aprendi ali a importância de doar e, na verdade, é muito mais que isso, é um chacoalhão para agir”, contou Rafa à Quem.

Em vez do tradicional 0500, o público, desta vez, é convidado a fazer doação de esperança, através de uma plataforma colaborativa (www.criancaesperanca.com.br), onde poderá enviar vídeos inspiradores de até 15 segundos com a possibilidade de vê-los exibidos ao longo da programação.  Os recursos, este ano, serão provenientes de doações corporativas, de empresas que se unem com seu propósito ao Criança Esperança. Foram 111 projetos selecionados em edital pela UNESCO para serem beneficiados e estão disponíveis no site oficial da campanha. A celebração contará com números musicais produzidos à distância e também fará reflexões sobre temas sociais relevantes na atualidade, como a força da mulher no contexto da pandemia. Desde o último sábado (26), o elenco da Globo tem conversado com o público a fim de os telespectadores doarem esperança através da plataforma colaborativa do Doe Esperança, nos Mesões da Esperança que, desta vez, em formato inédito, acontecem virtualmente.

Rafa Kalimann comandará o tapete vermelho do programa nas redes sociais (Foto: Divulgação)

Rafa Kalimann comandará o tapete vermelho do programa nas redes sociais (Foto: Divulgação)

revistaquem

Segundo o senador Marcio Bittar, o Renda Cidadã, programa idealizado pelo governo Jair Bolsonaro em substituição ao Bolsa Família, será custeado com valores do próprio Bolsa Família e do Fundeb, além da sobra de recursos após o pagamento de precatórios

Reunião com ministros e parlamentares
Reunião com ministros e parlamentares (Foto: Alan Santos/PR)

Reuters – O Renda Cidadã, programa de transferência de renda a ser criado pelo governo do presidente Jair Bolsonaro em substituição ao Bolsa Família, será custeado com a verba do próprio Bolsa Família, com a sobra de recursos após o pagamento de precatórios e ainda com uma pequena fatia da verba do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb), afirmou o senador Marcio Bittar (MDB-AC). Na entrevista coletiva na porta do Palácio da Alvorada, com a presença de Bolsonaro, ministros e líderes, Bittar disse que houve um “consenso” e o presidente deu sinal verde para fechar a proposta do Renda Cidadã. A proposta será incluída na chamada PEC Emergencial, em tramitação no Senado, disse Bittar, que é relator dessa matéria. Não se falou qual o valor do novo programa de transferência de renda. O líder do governo na Câmara, Ricardo Barros (PP-PR), disse que o Renda Cidadã será apresentado respeitando o teto de gastos públicos e tem por objetivo atender aos milhões que, a partir de janeiro, ficarão sem receber o auxílio emergencial pago durante a pandemia do novo coronavírus. Contudo, não houve por ora consenso sobre a segunda etapa da reforma tributária, que foi outro tema debatido no encontro que segue durante almoço no Palácio da Alvorada.

Reportagem de Ricardo Brito

      O Deputado Federal Ricardo  Teobaldo fez entrega de trator neste sábado (26/09) a Associação  BARRA Z, cujo presidente é  o ex vereador Hélder de Viana. O Deputado também  foi recepcionado  por Hemerson Lustosa filho do ex prefeito  Delson Lustosa  e simpatizantes.
    O presidente agradeceu ao ex prefeito  Delson. O  trator servirá  para beneficiar agricultores da associação e afins, o que significa uma boa ação, destacou o mesmo.

 O Plano Assistencial Seg Vida, na cidade de Santa Terezinha PE, vem se destacando dia após dia, com Plano Assistencial e uma equipe de médicos especialistas com grande qualificação, incluindo o oculista Dr. Moisés, que é profissional de alta capacidade. A cada dia a ótica recebe muitos clientes, que demonstram muita satisfação. Também encontra-se no SEG VIDAuma variedade de armações de óculos e lentes de ótima qualidade. Isso sem falar, na equipe de médicos especialistas e ótimos preços nos Planos Assistenciais.
Faça uma visita e comprove o enunciado.

Enquanto a inflação oficial medida pelo IPCA acumula 2,44% em 12 meses — muito abaixo do centro da meta definida pelo Conselho Monetário Nacional para este ano, de 4% —, o IGP-M passa dos 13% no período. Chamado de inflação do aluguel, o índice é usado como referência para reajustes de contratos.  Em seu relatório trimestral de inflação, o Banco Central admitiu nesta semana que há um descolamento entre os preços ao produtor e os preços ao consumidor, cuja diferença observada em agosto é a maior desde 2003. O Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA), que engloba variações de preços de produtos agropecuários e industriais, como commodities e insumos, representa 60% do IGP-M. “Essa parte de commodities é muito volátil. Se o câmbio sobe, o valor vai junto”, explica Julia Passabom, economista do Itaú. No acumulado do ano, o real já desvalorizou 38% em relação ao dólar.

As principais commodities industriais, como soja, trigo, minério de ferro, boi no pasto, frango na granja, café, laranja e outras estão indo para 50% de alta, segundo André Braz, coordenador de IPC do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (FGV/Ibre). “Em partes, essa alta se sustenta por uma demanda maior de países como a China. Há também aumento de preços em dólar que, somados à desvalorização cambial, gera esse efeito”, diz.

O IGP-M também tem em sua composição 20% de Índice de Preços ao Consumidor (IPC) e 10% de Índice Nacional de Custo da Construção (INCC). Apesar de os preços de bens industriais estarem inflacionados, os preços ao consumidor não têm absorvido esse movimento. Parte dessa realidade é explicada pelo hiato do produto, segundo Passabom, ou seja, a indústria ainda não está usando toda sua capacidade instalada para produzir. Outra parte desse cenário tem a ver com o fato de os consumidores finais ainda não conseguirem arcar com esse aumento, de forma que os reajustes não são repassados pelos produtores. “Vivemos um pouco essa queda de braço agora: o IGP muito forte, mas as pessoas ainda perdendo renda”, diz Passabom. 

Continue lendo

Os maiores supermercados do país estão no topo do ranking de empresas do varejo com o maior faturamento, segundo ranking divulgado pelo Ibevar (Instituto Brasileiro de Executivos de Varejo & Mercado de Consumo). O instituto acaba de divulgar sua pesquisa anual sobre as maiores varejistas do país, feita em conjunto com a FIA (Fundação Instituto de Administração). O lançamento do ranking, que normalmente ocorre presencialmente em um grande evento, foi feito de forma remota por teleconferência. Entre as cinco maiores varejistas do Brasil, três são do ramo de supermercados e hipermercados: Carrefour, Grupo Pão de Açúcar e Grupo Big (ex-Walmart). O setor é responsável por 15% das vendas totais do varejo. Essas empresas devem deve ser ainda mais relevantes no consumo daqui para a frente, uma vez que os supermercados assumiram de vez um protagonismo na vida de seus consumidores durante a pandemia do novo coronavírus. Durante a fase mais rigorosa de isolamento, passaram a ser quase o único ponto de contato dos brasileiro com o mundo exterior.As outras empresas entre as cinco maiores varejistas estão no setor de móveis e eletroeletrônicos: Via Varejo e Magazine Luiza. As duas empresas investiram fortemente no seu comércio eletrônico e na distribuição logística, além de aumentar seu marketplace, com milhares de novos lojistas e categorias de produtos. No top 5, o Magazine Luiza foi a empresa que mais cresceu em relação ao ano passado, com alta de 17%. O setor mais importante para o varejo, no entanto, é outro: o de veículos, motos e autopeças, responsável por 37,8% das vendas totais. Nenhuma empresa do ramo automotivo está entre as maiores do varejo, o que mostra o quanto o setor é pulverizado e composto por empresas pequenas.

Parte desse levantamento já havia sido divulgado com exclusividade por EXAME: as varejistas mais eficientes do país. Pela conta, a Via Varejo é a varejista de eletroeletrônicos e móveis mais eficiente dentre as maiores, à frente da rival Magazine Luiza. Tok&Stok e Fast Shop também aparecem com eficiência máxima no segmento. A menos eficiente no segmento é a rede mineira EletroZema, com eficiência de 0,1. Com um PIB de 7,25 trilhões de reais do Brasil e consumo das famílias de 4,7 trilhões de reais, o varejo de bens corresponde a quase um sexto de todo o PIB. Em 2019, as vendas do varejo de bens levantaram 1,3 trilhão de reais – apenas as 120 maiores empresas do setor foram responsáveis por quase metade, 527 bilhões de reais. O ranking foi elaborado com base nos números do ano passado. Ou seja, ainda não há impacto do coronavírus no levantamento divulgado.

Confira abaixo as 10 maiores varejistas do país de 2019, segundo o Ibevar:

Continue lendo

Divergência entre promotor e juiz por causa de uma lei sobre o uso de máscaras vigente em todo o país, levou os julgamentos a um desfecho polêmico.

Maio de 2019. Briga na porta de uma boate em Araguaína, Tocantins. Um homem é flagrado com uma arma na mão. É Alessandro Soares Ribeiro, que foi preso, acusado de matar Valter Alves Muniz. Um dia antes, outro crime. Francimar Queiroz de Oliveira foi detido, acusado de matar a ex-companheira, no banheiro de um bar, em Santa Fé do Araguaia, também em Tocantins. Os dois acusados estavam presos há cerca de um ano e tiveram o julgamento marcado para o início de setembro – junto com outros três casos – quando foram retomadas as primeiras sessões presenciais do Tribunal do Júri, que estavam suspensas desde o início da pandemia da Covid-19. Mas uma divergência entre promotor e juiz do caso durante a primeira sessão, por causa de uma lei sobre o uso de máscaras vigente em todo o país, levou os julgamentos a um desfecho polêmico.

Fonte- G1 

Créditos: EBC
O prefeito Bruno Covas adiou a definição sobre a retomada das aulas para novembro
Três em cada quatro eleitores da capital paulista (75%) acham que as escolas deveriam permanecer fechadas pelos próximos dois meses. 24% afirmam que elas deveriam ser reabertas, e 1% não opinou. Os dados são de pesquisa Datafolha realizada nos dias 21 e 22 de setembro, com 1.092 eleitores com 16 anos ou mais na cidade de São Paulo. De acordo com o levantamento, a percepção sobre a a possível retomada das aulas presenciais no contexto da pandemia se modifica de acordo com a renda familiar mensal. Entre os que ganham até dois salários mínimos (R$2.090), 77% afirmam que as escolas deveriam permanecer fechadas nos próximos dois meses. Entre os que têm renda mensal de mais de 10 salários mínimos (R$ 10.450) o índice cai para 56%.O apoio pela manutenção das escolas fechadas é semelhante quando verificada a percepção dos entrevistados que têm em casa estudantes matriculados na rede privada ou na rede pública. Entre o primeiro grupo, 75% entendem que as escolas devem ficar sem aulas pelos próximos dois meses. O índice vai a 79% para os que têm em casa uma criança matriculada em creches da prefeitura, 80% na rede municipal e 77% na estadual.  O prefeito Bruno Covas anunciou a retomada das aulas presenciais para estudantes do Ensino Superior a partir de 7 de outubro. A decisão vale para o ensino público e privado na cidade. A partir da data, escolas de educação básica também poderão retornar, de maneira não obrigatória, com atividades de de reforço e acolhimento nas etapas da Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio. A definição sobre a retomada das aulas regulares para esses alunos, entretanto, só deve ser definida em novembro.

cartacapital

Imagens compartilhadas nas redes sociais mostram as consequências dos tremores na Bahia. – Reprodução do Twitter

Centenas de tremores de terra foram registrados no Brasil somente no último mês. A informação pode parecer estranha, levando-se em consideração o fato de que pouco se falou sobre todos esses fenômenos. Mas é fato que eles ocorrem com mais frequência do que se imagina. O país está no interior da placa tectônica sul-americana e, assim como outras nações em condições geográficas semelhantes, está sujeito a terremotos. Há, inclusive, relatos históricos sobre ocorrências de séculos atrás.Como explica o professor Adérson Nascimento, coordenador do Observatório Sismológico da Universidade Federal do Rio Grande do Norte:

As pessoas afirmam isso, tem até música dizendo que no Brasil não tem terremoto. Mas isso é uma percepção que a gente tem e que não condiz com a realidade. É um fenômeno que já é observado e conhecido desde o tempo do império

Recentemente, tremores no recôncavo baiano e no mar de Pernambuco ganharam as manchetes. No primeiro caso, um terremoto de 4,6 graus na escala de magnitude atingiu algumas regiões da Bahia no final de agosto. Moradores da cidade de Mutuípe, relataram o fenômeno, que não teve vítimas, mas causou rachaduras e derrubou prateleiras em comércios da região. Já nesta semana foram registrados terremotos de escalas 6.9 e 5.7 no Oceano Atlântico, próximo ao arquipélago de São Pedro e São Paulo, região que fica a cerca de 800 quilômetros de Fernando de Noronha. Novos tremores nos próximos dias não estão descartados. Mas a Rede Sismográfica Brasileira já informou que eles não trazem riscos, por exemplo, de causarem tsunamis. Esses não forma os únicos fenômenos registrados recentemente, no entanto. Na cidade de Canhoba, em Sergipe, foram identificados mais de 120 tremores somente desde 11 de setembro. Em Caruaru, Pernambuco, já são mais de 130 terremotos desde agosto. No sábado (19), a terra tremeu em Chaval, cidade cearense que fica a 400 quilômetros da capital Fortaleza. 


Os tremores recentes se devem a “grandes e antigas falhas geológicas” e que continuarão acontecendo, segundo geólogo. / Pixabay

O professor  de geologia, Marcus Vinicius Almeida Junior, da Universidade Federal do Recôncavo Baiano, detalha como acontecem os fenômenos. “O contexto geológico da região permite que tenha tremores naquela área. Existem falha geológicas que permitem isso. Como se fossem rupturas que existem nas rochas”, explica ele. “No momento em que ocorrer essas rupturas, há uma liberação de energia, que se propaga a partir de ondas. A partir do momento em que a gente tem blocos de rochas falhados, eles podem se mexer no interior da Terra, por conta da dinâmica do nosso planeta.” completa o professor. Ele vai além, ressalta que é falsa a percepção de que países que estão em centros de placas tectônicas, como é o caso do Brasil, não correm riscos de terremotos.

Isso é um mito. Esses grande blocos de rocha, por conta da própria evolução geológica do planeta, se chocam e vão formando blocos cada vez maiores. Só que dessa movimentação há a existência de zonas de falha. Esses grandes blocos, mesmo estáveis, apresentam zonas de ruptura, que podem se movimentar buscando acomodação de terreno. 

É consenso entre estudiosos que hoje o Brasil tem mais condições tecnológicas e mais investimento em pesquisa para monitorar os abalos sísmicos. O professor Adérson  Nascimento afirma, “A detecção da sismicidade é muito mais facilitada pelo fato de gente ter uma rede de monitoramento muito mais forte e adequada para o tamanho do Brasil. Ainda não é a ideal, mas é mais adequada do que o que a gente tinha há 10, 15 anos atrás.” Antes dessa melhorias, os relatos ficavam muito por conta das iniciativas dos pesquisadores e da própria população, relatos jornalísticos e até diários mantidos por padres.”Essa compilação de terremotos, principalmente no nordeste existe desde o começo do século vinte. John Branner, (pesquisador dos EUA) tem um artigo de mais de 100 anos em que já dizia que a sismicidade no brasil era concentrada no recôncavo baiano, Ceará, borda da baia potiguar e agreste pernambucano. Ele já sabia disso e falava que as causas para esses terremotos eram falhas geológicas.”Não há nenhum estudo que indique que esses fenômenos estão acontecendo em maior escala no Brasil. Mas o professor Adérson ressalta que a falta de planejamento e o crescimento desordenado das cidades e estruturas aumentam o perigo. “Existe uma diferença entre ameaça e o risco. Como a gente se expõe ao risco?” questiona.

A ameaça ao longo dos séculos é basicamente a mesma. Mas com a população crescendo, verticalização das cidades, quantidade de barragens, e infraestruturas de grande porte, o que acontece é que a gente está mais exposto à ameaça e, portanto, o risco é maior. Tem a ver com condições de moradia, infraestrutura, variáveis sociais e econômicas. O risco de um terremoto causar uma grande repercussão é aumentado. A ameaça, a gente não pode fazer nada contra ela, é uma coisa da natureza, o que agente pode gerenciar é o nosso risco.

Ministro pautou revogação de normas que fragilizam o meio ambiente para favorecer agronegócio e setor imobiliário

ricardo salles

A pressa de Salles com a boiada é tanta que a nova resolução, se for aprovada, entra em vigor na data da publicação no Diário Oficial – Lula Marques

Com aval de Jair Bolsonaro, o ministro Ricardo Salles pretende passar uma mega boiada nesta segunda-feira (28), durante reunião do Conselho Nacional de Meio Ambiente (Conama). O objetivo é acelerar ainda mais o ritmo da destruição ambiental no país em novo agrado ao agronegócio e ao setor imobiliário.

Para isso, Salles colocou em pauta uma minuta de resolução que revoga três resoluções do Conama. Trata-se da Resolução nº 284, de 30 agosto de 2001, que estabelece regras para o licenciamento de empreendimentos de irrigação; da Resolução nº 302, de 20 de fevereiro de 2002, sobre parâmetros, definições e limites de áreas de preservação permanente de reservatórios artificiais e o regime de uso do entorno. E a de nº 303, de 13 de maio de 2002, que cria parâmetros, definições e limites de Áreas de Preservação Permanente. A Advocia-Geral da União deu parecer favorável à proposta.

Boiada pró-ruralistas

A revogação da primeira resolução é demanda da Confederação Nacional da Agricultura (CNA). No final de 2019, a comissão de irrigação da entidade anunciou que a trabalharia pela derrubada de regras para a irrigação em 2020. Para os ruralistas, não há embasamento técnico/legal da promulgação desta resolução (284), já que “a irrigação não é um estabelecimento ou atividade, mas apenas uma tecnologia utilizada pela agricultura para o fornecimento de água para as plantas em quantidade suficiente e no momento certo”. Alinhado com os interesses do setor, o governo trabalha pela revogação. Tanto que no final de julho já tinha parecer favorável.

Amigos de Salles

A revogação da Resolução nº 302 interessa diretamente a imobiliárias e proprietários de terrenos às margens de represas, já que dita parâmetros complementares à legislação que impede intervenções urbanísticas nessas áreas de proteção ambiental. É o caso de rancheiros da Ilha Solteira, no rio Paraná, próxima à divisa dos estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul, que ocupam áreas lindeiras ao reservatório da Usina Hidrelétrica. Ou seja, áreas que cercam uma área protegida até determinada distância. O Ibama chegou a multar proprietários por intervenções não autorizadas, que inclusive impediam a regeneração dessas áreas que deveriam ser protegidas. Outro afago ao setor é a extinção da Resolução nº 303, que definia limites de áreas de preservação permanente para a vegetação rasteira nas regiões costeiras, como aquelas que protegem os manguezais. A pressa de Salles com a boiada é tanta que a nova resolução, se for aprovada, entra em vigor na data da publicação no Diário Oficial. pauta nefasta ao meio ambiente inclui ainda a autorização para a queima de poluentes orgânicos persistentes, como resíduos de agrotóxicos, em fornos de produção de clinquer, o principal insumo para indústria de cimento.

Fome aumenta durante a pandemia, alerta ONU

A fome nunca esteve tão presente como agora. Os números da desnutrição acompanharam o crescimento populacional, ao longo das décadas. E a falta de comida para os mais pobres piorou à medida que o novo coronavírus alcançou praticamente todos os países. Um relatório divulgado pelo programa mundial de alimentos da ONU indica que o número de famintos, no mundo, praticamente dobrou por causa da pandemia de Covid-19. Se nada for feito, 265 milhões de pessoas não terão o que comer até o final do ano. Milhões de pessoas na República Democrática do Congo, na região nordeste da Nigéria, no Sudão do Sul, assim como no Iêmen, enfrentam o risco de desnutrição. Agora é hora de um esforço coletivo pela paz e pela reconciliação. O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, usou o discurso de abertura da Assembleia-Geral da organização para listar o que agrava a situação da fome.66% da população que está em crise alimentar, em todo o mundo, vive em Iêmen, República Democrática do Congo, Afeganistão, Venezuela, Etiópia, Sudão do Sul, Síria, Sudão, Nigéria ou Haiti. Estamos falando de 88 milhões de pessoas que, além da miséria, vivem em meio a conflitos armados ou instabilidade política. O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) manteve a tradição do Brasil em ser o primeiro a discursar. No trecho do pronunciamento dedicado aos números recordes da safra de grãos, o presidente destacou a importância do Brasil no abastecimento mundial. “O mundo cada vez mais depende do brasil para se alimentar”, disse ele.  Só que o volume de exportação dos maiores produtores agrícolas do mundo não será suficiente para abastecer a quantidade de pessoas que passou para a linha da miséria depois do início da pandemia.O cálculo feito pelas Nações Unidas prevê 100 milhões de toneladas de alimentos para os mais pobres, em 2020, por meio de programas internacionais de assistência. Só que 30 milhões de novos miseráveis continuarão sem ajuda. Pelo menos a ideia de cooperação apareceu nos discursos. O tempo dirá se a intenção das grandes potências vai sair do papel. É por isso que devemos abraçar a visão de uma comunidade com um futuro compartilhado, no qual todos estejam unidos.

Foto: CNN Brasil

Dona de um corpão, atriz que é uma das apresentadoras da edição 2020 elegeu look poderoso

Dona de um corpão, atriz que é uma das apresentadoras da edição 2020 elegeu look poderoso
Bruna Marquezine elege top e deixa barriga trincada de fora – MTV/Divulgação

A atriz Bruna Marquezine roubou a cena ao eleger um look bem ousado para o Pink Carpet do MTV MIAW.

Ela apareceu com uma saia preta, top e deixou a barriga totalmente de fora. Com o abdômen trincado, a musa atraiu olhares e se tornou um dos assuntos mais comentados nas redes sociais.  Quem também causou foi a cantora Luisa Sonza. Sem sutiã, ela combinou um top com uma saia com uma fenda poderosa. Ela ainda apareceu com um longo cabelo na altura da cintura. Assim que chegou, ela posou para um vídeo e gerou muita repercussão nas redes sociais. A namorada de Vitão ainda arrematou o look com uma faixinha na cabeça. A premiação, que elege os favoritos entre o público jovem em várias categorias, será apresentada por Bruna Marquezine e Manu Gavassi.

Veja!

contigo

Mais de 90% dos professores foi contra o retorno presencial das atividades

Sindicato entra em diálogo na próxima segunda (30) com a Secretaria de Educação para rever decisão do governo – Divulgação/Sintepe

Nesta quinta-feira (24), trabalhadores e trabalhadoras da educação, representados pelo Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Pernambuco (Sintepe), anunciaram estado de greve em uma Assembleia Geral virtual. A decisão foi motivada, principalmente, pela decisão do governo de Pernambuco, que anunciou na última segunda-feira (21) o retorno das aulas presenciais a partir do dia 6 de outubro para alunos do Ensino Médio. Na reunião, estiveram presentes mais de mil trabalhadores e os encaminhamentos tiveram aprovação de mais de 90% dos presentes. Além de vetar o retorno às atividades presenciais na rede estadual de ensino e deflagrar o estado de greve, o Sintepe teve outros encaminhamentos aprovados. Um deles é que os trabalhadores pedem a divulgação ampla do parecer da Rede Solidária em Defesa da Vida contra o retorno das aulas presenciais e também uma ação jurídica impedindo a volta. Além disso, na próxima segunda-feira (28), o Sintepe entra em diálogo com a Secretaria de Educação em uma reunião para rever a decisão que, segundo a categoria, foi unilateral por parte do governo. Após a discussão, uma nova assembleia virtual acontecerá, na quarta-feira (30), para definir os próximos passos. 

O Sintepe pede que os trabalhadores em educação e demais interessados acompanhem as redes sociais do Sindicato para estarem informados sobre as próximas ações. Twitter e Instagram: @sintepedigital | Site: www.sintepe.org.br

Fonte: BdF Pernambuco

Levantamento divulgado pelo CNJ em 25 de agosto deste ano, mostra que há 19.673 mil juízes no Brasil. Em 2019, os magistrados emitiram 32 milhões de sentenças e decisões terminativas – Foto: Agência Brasil

Entre 2010 e agosto de 2020, o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) recebeu nove denúncias de posturas racistas de juízes em suas decisões. Desse total, seis foram arquivadas, duas suspensas e uma está em tramitação. O Brasil de Fato acessou o dado via Lei de Acesso à Informação (LAI). A juíza Inês Marchalek Zarpelon afirmou, em sentença de 19 de junho deste ano, que um suspeito de cometer assaltos em Curitiba, praticava os crimes por ser negro.

Sobre sua conduta social nada se sabe. Seguramente integrante do grupo criminoso, em razão da sua raça, agia de forma extremamente discreta os delitos e o seu comportamento, juntamente com os demais, causavam o desassossego e a desesperança da população, pelo que deve ser valorada negativamente

O caso, revelado pelo Brasil de Fato em agosto deste ano, foi denunciado três vezes no CNJ. Dois processos foram suspensos e o terceiro, movido pela Corregedoria Nacional de Justiça, ainda tramita no órgão. Na última decisão, dia 19 de agosto, o ministro Humberto Martins ofereceu 60 dias para que a defesa de Zarpelon se manifeste. Entre os seis processos arquivados, está o caso da juíza Lissandra Reis Ceccon, da 5ª Vara Criminal de Campinas, que condenou, em julho de 2016, um réu a 30 anos de prisão por latrocínio e destacou, na sentença, que o homem não corresponde ao perfil de um criminoso. “Vale anotar que o réu não possui o estereótipo padrão de bandido, possui pele, olhos e cabelos claros, não estando sujeito a ser facilmente confundido”, afirmou Ceccon. O ministro Humberto Martins, do CNJ, decidiu arquivar a denúncia contra a magistrada em agosto de 2019. “Não há que se falar em abuso de liberdade e independência funcional, pois não evidenciada qualquer afronta aos deveres elencados na LOMAN (Lei Orgânica da Magistratura Nacional) ou no Código de Ética da Magistratura”, afirma Martins em sua decisão. “Os elementos não traduzem que o magistrado possuía o intuito ofensivo, nem preconceituoso que pudessem revelar a quebra de desvio ético ou de conduta”, completa.Thiago Amparo, advogado e professor de políticas de diversidade na Fundação Getúlio Vargas (FGV), discorda da decisão do CNJ. “Está muito evidente a violação ética, dentro das regras da Magistratura, quando a raça de uma pessoa está associada ao cometimento de crime. Ao falar que uma pessoa não tem o perfil de bandido, associando o perfil à raça da pessoa, há um crime, pois não há legislação brasileira que descreva isso, então não é uma interpretação da lei.”

Para Sheila Carvalho, coordenadora do núcleo de Violência Institucional da Comissão de Direitos Humanos da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) de São Paulo, a juíza “emitiu uma sentença racista”. “Ela usa elementos diretos de práticas do racismo. Agora, na decisão que exime ela de responsabilidade, em nenhum momento se usa a palavra ‘racismo’. Eles não usam deliberadamente, uma vez que você coloca o ato do racismo, ele é um crime inafiançável e imprescritível.”

Sobre a decisão do CNJ, Amparo avalia que o “judiciário não pune crime de racismo ou injúria racial, porque ele percebe que não existe o intuito ofensivo. Nesse caso, não tem outra forma de punir, se não usando as palavras que a juíza escolheu para usar na sentença, não há como fazer um exame psicológico na juíza para saber se ela é racista.”

“Judiciário racista”

Um levantamento divulgado pelo CNJ em 25 de agosto deste ano, mostra que há 19.673 mil juízes no Brasil. Em 2019, os magistrados emitiram 32 milhões de sentenças e decisões terminativas. Com dados tão elevados da estrutura do sistema judiciário, o baixo número de denúncias de racismo chama a atenção de Amparo.

“De fato, é um caso de subnotificação, justamente porque se entende que não haverá uma investigação profunda sobre racismo, justamente porque sabemos que os órgãos como o CNJ não vão punir os desembargadores e os juízes. A subnotificação vem dessa sensação de impunidade”, explica o advogado.

Carvalho acredita que haja uma “naturalização” do racismo no sistema jurídico do país, que impede que as denúncias sejam levadas adiante. “Nós temos um judiciário extremamente racista, mas que não se enxerga como racista. Isso é muito grave. Nós temos todo um sistema judiciário racista, que vai desde a polícia, passando pelo Ministério Público, até os juízes. Essa estrutura pratica o racismo em bases cotidianas sem entender que estão fazendo isso. É uma banalização da violência racial e o judiciário não é diferente”, aponta Carvalho.

Outro lado

Continue lendo

Ivy Moraes corta os cabelos na altura do ombro e recebe chuva de elogios nas redes sociais

Ivy Moraes corta os cabelos na altura do ombro e recebe chuva de elogios nas redes sociais
Ivy Moraes, do BBB20, corta o cabelo no ombro e fãs elogiam 

Ivy Moraes decidiu passar por uma transformação nesta sexta-feira, 25! A modelo, que sempre teve o cabelo bem compridão e com mechas loiras, decidiu assumir o moreno por completo e passar a tesoura. Em seu Instagram, ela publicou uma selfie mostrando o resultado e conquistou os internautas. “Sim, estou de novo visual! De volta às minhas raízes, cabelo castanho escuro e agora, pela primeira vez, curtinho!”, escreveu a ex-participante do BBB20 na legenda. As sisters da gata não perderam a chance de tietar a mudança. “Eu achei que não tinha como você ficar mais linda e você conseguiu, quebrou a internet”, babou Gizelly Bicalho“Meu deus, está chique demais, amor da minha vida”, comentou Mari Gonzalez.

caras

O Facebook também informou que vai parar de aceitar novos anúncios políticos na semana anterior à eleição

O Google vai impedir a exibição de anúncios eleitorais em suas plataformas depois da eleição norte-americana de 3 de novembro, afirmou uma porta-voz da companhia nesta sexta-feira. A Axios, que divulgou a notícia inicialmente, afirmou que o Google enviou mensagens aos anunciantes para alertá-los que não vai exibir propagandas que “referendem candidatos, eleição ou seu resultado, dada a quantidade sem precedentes de votos que serão contados depois do dia da eleição neste ano”.

REUTERS/Steve Marcus
Companhias de mídia social estão enfrentando crescente pressão para interromperem a exibição de anúncios com informações mentirosas e que possam influenciar nos resultados das eleições. O Facebook também informou que vai parar de aceitar novos anúncios políticos na semana anterior à eleição e que vai rejeitar propagandas que busquem clamar vitória para algum lado antes da apuração oficial do resultado. No ano passado, o Twitter proibiu a exibição de propaganda política em sua plataforma.

PIX deve tornar transferências rápidas, pagamentos instantâneos e transações por QR Code comuns no Brasil

19 de fevereiro foi a data escolhida pelo Banco Central para o anúncio oficial do PIX, sistema de transferências e pagamentos instantâneos que entrará em vigor em novembro de 2020. TED, DOC, boleto, cheque? Tudo isso ficará obsoleto (mais do que já é). A proposta é tão audaciosa que deixa uma pergunta no ar: como o PIX funcionará? O Banco Central ainda não liberou todos os detalhes, mas os documentos já disponíveis nos dão uma boa noção das vantagens e do modus operandi do PIX. Confira o que já sabemos a seguir.

O que é PIX?

O PIX é um sistema de transferências de dinheiro e pagamentos instantâneos que, quando em funcionamento, permitirá transações 24 horas por dia, inclusive em fins de semana e feriados. Mas é preciso levar em conta que essa não é apenas mais uma mera modalidade de serviço: o PIX promete avanços tão importantes que poderá mudar toda a dinâmica do mercado financeiro no Brasil.

Essa mudança é necessária. O ecossistema bancário brasileiro é um dos mais avançados do mundo, mesmo assim, estamos limitados a métodos de transferências e pagamentos que já são um tanto arcaicos. Se já temos tecnologia que permite envio de dinheiro em questão de segundos a partir do celular, por exemplo, não faz sentido uma transação ser concluída depois de horas ou dias. Basta pegarmos o boleto bancário como exemplo: pague um agora usando o seu smartphone, mas o pagamento só será dado como concluído no prazo de um a três dias úteis. Com o PIX, a mesma transação poderia ser reconhecida na hora, talvez até de modo mais rápido do que o se pagamento tivesse sido feito por cartão de crédito.

Detalhando o PIX

De acordo com o Banco Central, o PIX será formado por seis características principais. São elas:

  • Disponibilidade: as operações poderão ser realizadas 24 horas por dia, inclusive em fins de semana e feriados, como você já sabe;
  • Velocidade: o valor enviado chegará ao recebedor praticamente em tempo real (a operação deve levar cerca de 10 segundos para ser concluída);
  • Conveniência: a experiência de uso deve ser intuitiva para o usuário;
  • Segurança: as transações serão baseadas na Rede do Sistema Financeiro Nacional (RSFN) e terão como base tecnologias de proteção atuais;
  • Ambiente aberto: o PIX estará disponível não só para bancos como também para financeiras, fintechs e afins;
  • Multiplicidade de casos de uso: o PIX permitirá transferências de qualquer valor entre pessoas e/ou empresas, pagamentos em estabelecimentos físicos ou virtuais e recolhimentos ao governo federal (impostos).

Para ser tão abrangente quanto promete, um sistema como esse precisa efetivamente se tornar padrão. É por isso que o Banco Central determinou que todas as instituições financeiras com mais 500 mil contas ativas terão que oferecer o PIX — se esse número for menor, a participação será opcional (mas eu acho que nenhuma empresa do setor ficará de fora). Nessa contagem entram contas correntes, poupanças e contas de pagamentos, como as que são oferecidas pelo Nubank (NuConta). Não é por acaso: o Banco Central já deixou claro que, com o PIX, quer estimular a competitividade no segmento — a briga “bancos versus fintechs” deverá ficar mais acirrada. As instituições poderão participar de maneira direta ou indireta. O primeiro tipo faz liquidações de transações diretamente no Sistema de Pagamentos Instantâneos (SPI) — o “motor” do PIX. Já os indiretos precisarão de um participante direto como intermediário para realizar as transações. Bancos de varejo e múltiplos deverão, obrigatoriamente, ser participantes diretos.

Pagamentos por QR Code

Talvez você já tenha entrado em uma farmácia ou restaurante e visto uma plaquinha para pagamento via QR Code. Essa modalidade está em alta no mundo todo. No Brasil, empresas como Mercado Pago e PicPay já trabalham com ela. É uma tendência que o Banco Central quer abraçar.

O PIX vai suportar QR Code de dois tipos:

  • QR Code dinâmico: o código é exclusivo para cada transação e, além do valor, pode incluir outras informações, como a identificação do recebedor para coibir desvios de dinheiro;
  • QR Code estático: aqui, um único código vale para múltiplas transações e pode trabalhar com valor fixo ou especificado pelo pagador. Trata-se de um código que pode ser usado por um lojista ou prestador de serviços, por exemplo.

Foto por Gerd Altmann/Pixabay

Detalhes técnicos ainda precisam ser definidos, mas o Banco Central sinaliza que o PIX estreará já com suporte ao QR Code. Não totalmente, porém: pagamentos estarão funcionando, mas a função de transferência que permitirá que o usuário receba um valor lendo o código gerado pelo pagador ficará para uma fase posterior — provavelmente, para 2021.

Também para 2021 deverá ficar o suporte a pagamentos por aproximação (como NFC e MST).

É o fim do DOC, TED ou boleto?

O Banco Central quer que o PIX seja de uso tão fácil quanto fazer pagamentos com dinheiro em espécie. Se isso der certo, modalidades como TED (Transferência Eletrônica Disponível), DOC (Documento de Ordem de Crédito) e o próprio boleto bancário deverão perder muito espaço, mas não cair em desuso. Bom, não de imediato. É preciso levar em conta que a adoção de um sistema tão abrangente como esse requer tempo. Até que as próprias instituições adequem seus sistemas e os clientes assimilem o PIX, os métodos de pagamento e transferência atuais continuarão em uso. A tendência é a de que, com o tempo, as modalidades tradicionais fiquem em segundo plano ou, eventualmente, até sejam extinguidas (embora não haja nenhuma movimentação nesse sentido). Primeiro por uma questão de custos: por diminuir ou mesmo dispensar a necessidade de intermediários, transações via PIX devem ser mais baratas (é o que a gente espera). Depois vem a praticidade: além de operações por QR Code ou NFC, o PIX permitirá o uso de chaves ou apelidos para identificação que contarão com os dados do usuário, assim não será necessário preencher CPF, CNPJ e outras informações em cada transação, como acontece com o DOC / TED.

boleto bancário

O PIX visa garantir a volta da CPMF?

Criadores de teorias da conspiração não perderam tempo. Logo após o PIX ser oficializado, surgiram rumores de que o sistema estaria sendo desenvolvido para permitir que o governo controle todas as transações e, assim, crie um imposto sobre operações financeiras, a exemplo da extinta CPMF (Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira). Talvez o PIX realmente facilite a implementação de um imposto do tipo, mas dizer que o sistema está sendo desenvolvido só para isso não tem cabimento. Criar e implementar uma plataforma como essa demanda muito dinheiro, de instituições públicas e privadas. Se o objetivo é criar uma espécie de CPMF, bom, o governo tem meios mais baratos para fazer isso. O PIX é, acima de tudo, uma adequação à mudança de comportamento com relação ao dinheiro proporcionada pela tecnologia. Se o Banco Central se mantivesse alheio a esse cenário, deixaria o sistema financeiro brasileiro como um todo cada vez mais engessado.Não é por acaso que fintechs e a própria Federação Brasileira de Bancos (Febraban) se posicionam a favor do novo sistema: para a entidade, o PIX “irá aumentar a inclusão financeira no país, estimular a competitividade e aprimorar a eficiência no mercado de pagamentos”.

Quando e quanto?

Continue lendo

Farias Calçados

Faça Sua Pesquisa no Google Aqui!
 
bove=""

 

Visitas
contador de visitas
Redes Sociais
Click e acesse
Zé Freitas no Facebook

Clínica Climed / Plano Assistencial

Clínica Climed.

Av: Vereador Horácio José de s/n de frente o Banco do Brasil.

Contato (87) 9.9161-1779

Santa Terezinha PE

Lições Bíblicas
Zé Freitas no Twitter
Portal Correio-PB

 
CLIQUE E ACESSE!
Parceiros