Recicla Net

Óticas Olhar Brasil
Lojas Surya
Supermercado Compre Bem
Natália Calçados

Seg Vida
 

Para visualizar este conteúdo corretamente, é necessário ter o Flash Player instalado.

REFLEXÕES DO PASSADO E PRESENTE: PERSPECTIVA DE MELHORA PARA O FUTURO


 

Monthly Archives: janeiro 2021

O presidente do SINDISERVE-ST Sindicato dos Servidores Públicos de Santa Terezinha-PE Damião do Nascimento Silva e uma comissão formada por Professores ativos e inativos se reuniram dia 12/01/2021 para tratarem sobre o atraso dos vencimentos referentes à Dezembro de 2020 e como o Prefeito Adeílson Lustosa da Silva “Delson” e sua equipe. E no dia 15/01/2021 aconteceu a segunda reunião, onde foram discutidos vários assuntos de interesse das classes entre eles o atraso de Dezembro de 2020 e na oportunidade ficou acertado entre o Sindicato, comissão de Professores, o Prefeito sua equipe jurídica e financeira que o mês de Janeiro do ano em curso será pago dia 30/01/2021, e a partir de Fevereiro será pago o atrasado em parcelas. Também foi informado que forão pagos todos os consignados para que os servidores não tenham maior prejuízo. O Sindicato cumpre o seu papel de cobrar, reivindicar, defender os servidores e ajudar a gestão, ficamos certos que o diálogo é a melhor saída para solucionar entraves.

 

O nosso blog vai além do que vocês possam pensarem, o mesmos como pioneiro já vêm mostrando a muito tempo inúmeras notícias sociais.

Esta semana, os trabalhadores do setor bancário e automobilístico foram atingidos por mais notícias bombásticas, resultado da política de gafanhotos do governo Bolsonaro, capitaneada pela política demolidora de Paulo Guedes. A missão de Guedes é servir ao grande capital e para isso não importa o quanto destrua a economia brasileira e sua capacidade de recuperação.

Na segunda, o ministro da depressão econômica anuncioufechamento de 361 agências, postos e escritórios do Banco do Brasil, com a eliminação de 5 mil postos de trabalho. A Caixa Econômica Federal, que ontem completou 160 anos e é o único banco inteiramente público do país, também está na mira da privatização. Também na última segunda (11/01), com Bolsonaro afirmando que o “país está quebrado”, a Ford, uma indústria centenária no Brasilfechou suas plantas e anunciou que pararia de produzir no país. Só de empregos indiretos que eram gerados cadeia produtiva da Ford, o saldo do fechamento de suas últimas 3 plantas no Brasil resultará em mais de 50 mil desempregados que se somarão aos índices recordes de desemprego no Brasil.

Ford do Brasil não resistiu a Bolsonaro

A Ford foi a primeira fabricante de automóveis a chegar no Brasil, em 1919. A diretoria da Ford Motor Company aprovou a criação da filial brasileira no dia 24 de abril, com o capital inicial de US$ 25.000. Em 1º de maio de 1919, a empresa iniciou a montagem do Modelo T em um galpão na Rua Florêncio de Abreu, em São Paulo, com peças importadas. A Ford sobreviveu um século no Brasil, mas não resistiu aos gafanhotos Guedes e Bolsonaro que, como Midas ao contrário, destroem tudo o que tocam. Na última terça-feira (12/01), o canal da Fórum entrevistou o Secretário Geral da Industriall, Valter Sanches e o Secretário Geral da CUT- SP, João Cayres, ambos metalúrgicos, sobre este quadro de desalento gerado pela política ultraneoliberal do inepto Paulo Guedes, assista:

Entidades dos metalúrgicos afirmam: Brasil sem rumo, sem indústria, sem governo, sem futuro

Ontem (12/01), as Confederações dos Metalúrgicos da CUT e Força Sindical, juntamente com a Industriall do Brasil soltaram uma nota corrosiva onde apontam Bolsonaro e a política destruidora de Guedes como responsáveis pela desindustrialização, desinvestimento, depressão econômica, desemprego e falta de qualquer perspectiva futura para o país. Para nós trabalhadores o que nos resta é nos organizar, sobreviver, resistir e lutar para reconstruir o Brasil.

BRASIL SEM RUMO, SEM INDÚSTRIA, SEM EMPREGO, SEM GOVERNO, SEM FUTURO

O anuncio de fechamento de todas as fábricas da Ford no Brasil (a planta de SBC já havia sido fechada, em 2019) confirma as piores previsões e avisos do movimento sindical sobre os rumos da economia nacional. Novamente de forma unilateral, a Ford informa que irá encerrar suas atividades no país, com o fechamento das plantas de Camaçari-BA, Taubaté-SP e Horizonte-CE. A ação da empresa global é consequência da completa ausência de um projeto de retomada da economia brasileira, que contemple a reindustrialização do país. O governo despreparado e inepto de Bolsonaro e Guedes finge ignorar a importância da indústria como motor do desenvolvimento nacional, não apresenta qualquer estratégia para a atuação da indústria no Brasil e condena o país a uma rota de desindustrialização e desinvestimento, como vínhamos alertando há tempos. Não só alertamos como fizemos propostas, como o Inovar-Auto. É incontestável a desconfiança interna e internacional e o descrédito quanto aos rumos da economia brasileira com este governo que aí está; não se toma uma decisão empresarial como essa sem considerar a total incapacidade do governo Bolsonaro. No momento em que a indústria automobilística global passa por uma das mais intensas ondas de transformação, orientada pela eletrificação e pela conectividade, assistimos à criminosa omissão, e até boicote do subserviente governo brasileiro à indústria, com consequências nefastas para a classe trabalhadora, ante um presidente incapaz de conduzir qualquer diálogo sobre a inserção do país no cenário que se configura rapidamente. A Ford “foge” do Brasil deixando um rastro de desemprego e desamparo, após ter se valido durante muitos anos de benefícios e isenções tributárias dos regimes automotivos vigentes desde 2001, e que definiram a instalação da empresa em Camaçari, bem como a permanência das suas atividades no Ceará. A decisão da empresa significa cerca de 50 mil empregos na cadeia produtiva em torno das três plantas desativadas, mas a ausência de compromisso e respeito aos trabalhadores e à sociedade por parte da Ford não é surpresa. A tragédia é ainda evidentemente maior considerando o conjunto de plantas fechadas, ou com anúncio de fechamento desde 2019, e o impacto sobre os diferentes setores da indústria brasileira, que rebaixam nossa posição econômica no cenário global de forma acelerada e dramática. O desgoverno afunda ainda mais nossa população no roteiro de precarização, desemprego, desalento e pobreza. O desastre na condução da economia se casa e se completa, tragicamente, com a crise sanitária.

Reverter esse descaminho é mais do que urgente. É nossa luta.

Toda solidariedade aos trabalhadores/as e famílias afetados.

Estamos juntos nessa luta!!!!!!!!

Aroaldo Oliveira da Silva, presidente da INDUSTRIALL Brasil

Paulo Cayres, presidente da CNM-CUT Confederação Nacional dos Metalúrgicos da CUT

Miguel Torres, presidente da CNTM-Confederação Nacional dos Trabalhadores Metalúrgicos da Força Sindical Força

revistaforum

Ford já havia suspendido operações no país durante a pandemia

Um ano e meio após encerrar atividades na fábrica de São Bernardo do Campo (SP), a multinacional estadunidense Ford anunciou nesta segunda-feira (11) que não produzirá mais veículos no Brasil.

As fábricas de Camaçari (BA), com cerca de 3 mil trabalhadores, e Taubaté (SP), com 700, fecharão as portas imediatamente. A unidade de Horizonte (CE) permanecerá em atividade até o 4º trimestre de 2021. A empresa, que já havia suspendido parte das operações no país em função da pandemia, disse que trabalhará em colaboração com os sindicatos para “minimizar os impactos do encerramento da produção”. O Brasil de Fato entrou em contato com o Sindicato dos Metalúrgicos de Taubaté e Região (Sindmetau). Segundo a assessoria de comunicação, a entidade foi surpreendida pela notícia e convocou uma assembleia emergencial com os trabalhadores para as 17h30. Somente após essa reunião, serão divulgadas informações ou posicionamentos oficiais à imprensa. “Sabemos que essas são ações muito difíceis, mas necessárias, para a criação de um negócio saudável e sustentável”, disse Jim Farley, presidente e CEO da Ford, em nota.  Em 2020, a Ford registrou queda de 39,2% nas vendas, quase 11 pontos percentuais acima da queda geral do setor automobilístico. Mesmo assim, a empresa anunciou um plano de investimento de cerca de US$ 580 milhões – o equivalente a R$ 3,2 bilhões – na Argentina até 2023, para produzir o novo modelo da caminhonete Ranger. O fechamento de unidades produtivas no Brasil parece ser uma tendência do setor. Há menos de um mês, a Mercedes Benz anunciou o fechamento de uma fábrica em Iracemápolis (SP), com 370 trabalhadores. A alta do dólar, que encarece a importação de peças para montagem dos automóveis foi considerada um elemento decisivo para o encerramento das atividades.

” Um grande prejuízo para o Brasil”

Bélgica: dose da vacina Pfizer-BioNTech conforme ela é descongelada em Leuven neste domingo (27). País se prepara para iniciar a campanha de vacinação contra a covid na segunda (28)
Bélgica: dose da vacina Pfizer-BioNTech conforme ela é descongelada em Leuven neste domingo (27). País se prepara para iniciar a campanha de vacinação contra a covid na segunda (28) – FREDERIC SIERAKOWSKI / POOL / AFP

A Diretoria Colegiada da Anvisa se reunirá no próximo domingo (17) para decidir sobre os pedidos de uso emergencial das vacinas da Fiocruz e do Instituto Butantan contra a covid-19. A reunião será transmitida ao vivo pelo órgão. Ao todo, cinco diretores votarão sobre a liberação do medicamento. Dos cinco dirigentes, três foram indicados pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido): Antônio Barra Torres, que é presidente da Anvisa, Cristiane Rosa Jourdan Gomes e Romison Rodrigues Mota. O quarto integrante, Alex Machado Campos, é uma indicação do centrão. Somente uma diretora, Meiruze Sousa Freitas, é servidora de carreira da agência.

Perfil

Torres sempre esteve aliado com a conduta negacionista adotada por Bolsonaro, em relação à covid-19. Em 15 de março de 2020, o presidente da Anvisa participou de uma manifestação ao lado do presidente sem utilizar a máscara, equipamento recomendado pela Organização Mundial de Saúde (OMS) para coibir a contaminação do vírus. Com formação médica pela Fundação Técnico-Educaciona Souza Marques, Torres ingressou na carreira militar e está há 33 anos na Marinha, onde chegou ao posto contra-almirante, o terceiro na hierarquia. Sua indicação à direção da Anvisa foi feita pelo presidente. No grupo indicado por Bolsonaro, está, também, Cristiane Rose Jourdan Gomes, médica especialista em endocrinologia, com graduação em Direito e que dirigia o Hospital Federal de Bonsucesso até agosto de 2020.Em suas redes sociais, Gomes expressava o alinhamento ideológico com Bolsonaro. A médica chegou a postar links com textos defendendo o uso da hidroxicloroquina, criticando a imprensa e o Supremo Tribunal Federal (STF). Durante o ano de 2020, a diretora da Anvisa também condenou os grupos antifascistas, que foram às ruas protestar contra o presidente. O último dos indicados por Bolsonaro é Romison Rodrigues Mota, economista por formação e servidor da Anvisa desde 2005. Mota porém sempre ocupou cargos administrativos dentro do órgão. Antes de ser nomeado para a diretoria colegiada, era gerente geral de gestão administrativa e financeira. O advogado Alex Machado Campos fez sua carreira como servidor na Câmara dos Deputados. Mas ganhou visibilidade em Brasília quando chefiou o gabinete de Luiz Henrique Mandetta, ex-ministro da Saúde. De lá, teria sido indicado ao cargo na Anvisa pelo centrão, de acordo com o jornal Estado de Minas.

Meiruze Sousa Freitas é formada em tecnologia farmacêutica e está na Anvisa desde 2007, com ampla experiência em projetos técnicos da agência. No órgão, já ocupou o cargo de diretora-adjunta.

Obs: Uma observação caótica ,os cinco dirigentes, três foram indicados pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido): Antônio Barra Torres, que é presidente da Anvisa, Cristiane Rosa Jourdan Gomes e Romison Rodrigues Mota. Por isto que se encontra nesta blá-blá como se fossem na época da ditarura, quase tudo centralizado e sobre as ordens de um só homem.

“O que me levou a ter essa vocação foi a promessa de Deus em minha vida. Desde criança, Ele já havia me prometido. Gravei meu primeiro cd em 2020 em Bauru, São Paulo no estúdio WR Gospel Music. Recebi muito apoio da minha família, do meu esposo Laianderson, do meu tio Rambo Maia, que já é muito conhecido nesse ramo, ele me ajudou bastante.
A data de lançamento do meu primeiro EP será dia 17/01/21, na Igreja Evangélica Assembleia de Deus em Santa Terezinha PE, às 19 horas. Também já tenho muitas ideias para o meu próximo trabalho. Já presenciei alguns shows de cantores gospel como Mattos Nascimento, Daniel e Samuel, entre outros, que são referências no mundo gospel, cantores renomados que eu admiro muito.
O meu objetivo com esse trabalho e outros que virão é alcançar vidas pra Jesus, pessoas que precisam de Deus, de um amigo de um consolo. Creio que Deus há de edificar a vida de muitos, através desses louvores”. Comentou a mesma.
CONTATOS:
Facebook:  Quezia Paz
Instagram: queziapaz_oficial

Whatsapp: (17) 996346311

Apresentadora está curtindo os dias de folga na praia
Patrícia Poeta (Foto: Reprodução/Instagram)

Patrícia Poeta

“Boa tarde! Tudo azul por aqui…”, escreveu ela, com biquíni e óculos azuis, em um jardim. Os elogios, claro, não demoraram a surgir. “Tá linda”, comentou um seguidor. “Musa desse Brasil!”, escreveu outro. Ela ainda foi chamada de “lindíssima”, “maravilhosa” e “belíssima!”. Patrícia, que já foi fortemente criticada por conta de sua magreza, já disse à Quem em 2018 sobre sua relação com a saúde e as curvas. “Eu diminuí muito o açúcar; não a sobremesa em si, mas o carboidrato. Porque é o carboidrato que faz a gente crescer para os lados. Aprendi isso aos 39 anos de idade. Se diminuir o açúcar, é nítido como vai melhortar seus exames e você perde peso, diminui a numeração.” Para a apresentadora do É De Casa, tem que tomar cuidado com os exageros e privações, que são vilões de resultados positivos. “Alimentação associada ao exercício é uma coisa. Não adianta se exercitar e continuar comendo de tudo, porque só fica correndo atrás do prejuízo.” Mesmo com a silhueta que queria, Patrícia disse que não se priva de nada, mas faz tudo com consciência. “Eu como de tudo. Quando fiz dieta, restringi um monte de coisas e depois a gente engorda tudo de novo no segundo mês. Penso na lei da compensação: se chutei o pau da barraco no almoço, passei dos limites, não vou fazer de novo no jantar. Não deixo de comer absolutamente nada, mas no meu prato a proporção é mais proteína e salada, menos carboidratos.”

Patrícia Poeta (Foto: Reprodução/Instagram)
Patrícia Poeta

Trabalhadores da Ford protestam contra o fechamento da fábrica da montadora em Camaçari, região metropolitana de Salvador, na manhã desta terça-feira (12). Na segunda (11), a montadora anunciou que encerrará a produção de veículos em suas fábricas no Brasil após um século.Depois do protesto na sede da fábrica, o grupo seguiu em carreata para o Centro Administrativo de Camaçari. De acordo com o presidente do Sindicato dos Metalúrgicos da Bahia, Júlio Bonfim, durante uma reunião com o presidente da Ford na América do Sul, a empresa informou que a decisão de encerramento da produção foi tomada por causa da instabilidade econômica do país.

Funcionários da Ford iniciaram protesto em Camaçari — Foto: Reprodução/TV Bahia

Funcionários da Ford iniciaram protesto em Camaçari — Foto: Reprodução/TV Bahia

“Ontem eu tive uma convocação por parte da Ford e nessa reunião, eu esperava que a tratativa era referente aos 460 trabalhadores da Ford que estavam suspensos por contrato em lay-off [suspensão temporária]. Mas fomos surpreendidos por um anúncio, por parte do presidente América do Sul, informando da instabilidade econômica do país e a incerteza econômica do país por parte do governo federal, isso dito pelo próprio presidente América do Sul da Ford. E também a questão do coronavírus impactou diretamente no encerramento das atividades da Ford”, contou Júlio. Por meio de nota, o Ministério da Economia afirmou que lamenta a decisão global e estratégica da Ford de encerrar a produção no Brasil. Disse ainda que a decisão da montadora destoa da forte recuperação observada na maioria dos setores da indústria no país; que muitos registram resultados superiores ao período pré-crise.

5 pontos: Ford encerra produção no Brasil

Com o encerramento das atividades no Brasil, a Ford também fechará as fábricas de Taubaté (SP) e Horizonte (CE), além de Camaçari. De acordo com o presidente do sindicato, o impacto será da perda de emprego de 12 mil trabalhadores diretos. No entanto, a Ford alega que serão cinco mil empregos afetados. “O que a Ford tá fazendo hoje é um atrocidade com mais de 12 mil trabalhadores. Por que eu falo isso? A Ford está mentindo quando ela fala que são, simplesmente, cinco mil trabalhadores que estão sendo desligados. Nós temos um acordo coletivo aqui, em que empresas parceiras de autopeças produzem nas mesmas condições como trabalhador direto Ford. Então só somando essas empresas são oito mil, mais quatro mil trabalhadores de empresas satélites que fornecem diretamente para a Ford”, disse. Júlio Bonfim falou ainda sobre os empregos dos trabalhadores indiretos, de empresas que prestam serviço à montadora. Segundo ele, esses empregos indiretos somam 60 mil trabalhadores.

Trabalhadores da Ford protestam contra fechamento de fábrica em Camaçari — Foto: Reprodução/TV Bahia

Trabalhadores da Ford protestam contra fechamento de fábrica em Camaçari — Foto: Reprodução/TV Bahia

São 12 mil trabalhadores diretos, e para cada um trabalhador direto demitido, são cinco trabalhadores indiretos. Estou falando de quase 60 mil trabalhadores indiretos que perdem seus empregos e 12 mil diretos. São 72 mil trabalhadores. Isso é uma camuflagem que a Ford está fazendo, para retirar a responsabilidade social dela, referente a essa atrocidade que ela está fazendo no país e na Bahia, impactando diretamente na economia do PIB baiano e na região metropolitana como um todo, nessa grande massa de trabalhadores que vão ser desligados”, pontuou. Ao todo, a Ford possui 6.171 funcionários no Brasil e fechou 2020 como a quinta montadora que mais vendeu carros, com 7,14% do mercado nacional. Em comunicado divulgado para a imprensa, a fabricante diz que a decisão foi tomada “à medida em que a pandemia de Covid-19 amplia a persistente capacidade ociosa da indústria e a redução das vendas, resultando em anos de perdas significativas”.

Funcionários da Ford iniciaram protesto em Camaçari — Foto: Reprodução/Redes Sociais

Funcionários da Ford iniciaram protesto em Camaçari — Foto: Reprodução/Redes Sociais

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou que a demora do início da vacinação contra a covid-19 no Brasil pode levar à abertura de um processo de impeachment contra o presidente Jair Bolsonaro. A declaração foi feita em entrevista ao portal Metrópoles divulgada nesta segunda-feira (11). Na avaliação de Maia, a vacinação contra o novo coronavírus gerou uma pressão da sociedade sobre Bolsonaro não vista nos últimos anos. “Talvez ele [Bolsonaro] sofra um processo de impeachment muito duro se não se organizar rapidamente. Porque o processo de impeachment, você sabe, é o resultado da pressão da sociedade”, afirmou Maia ao portal.Porém, o parlamentar disse que não abrirá processo de impeachment nas últimas semanas como presidente da Casa, que elegerá novo comando em 2 de fevereiro, e que esse papel caberá ao novo dirigente da Câmara. De acordo com ele, a abertura, no meio do recesso parlamentar e da disputa pelo comando do Congresso, só traria “desorganização”.

congressoemfoco

Governador de Pernambuco, Paulo Câmara

As primeiras doses das vacinas devem chegar no dia 20 de janeiro (Heudes Regis/SEI)

Em reunião realizada na manhã desta segunda-feira (11), o Governo do Estado informou as prefeituras que as primeiras doses da vacina contra a Covid-19 vão chegar no dia 20 de janeiro. Na ocasião, participaram os secretários de saúde dos municípios pernambucanos, o Secretário de Saúde de Pernambuco, André Longo e a Coordenação de Vigilância em Saúde do Estado. O encontro ocorreu, por videoconferência, para tratar sobre o esquema de imunização. De acordo com as prefeituras, o Governo informou que as vacinas serão distribuídas para as 12 Gerências Regionais de Saúde (Geres), responsáveis por direcionar as doses para os municípios. A Secretária de Saúde de Belo Jardim, Aline Cordeiro participou da reunião. “Este é um momento muito aguardado pela população. Estamos confiantes de que todas as medidas para imunização em massa seja bem sucedida. Vamos trabalhar para isso”, afirmou. Após a distribuição feita pela Geres, a previsão é de que até o dia 25 de janeiro a vacina chegue em todos os municípios pernambucanos. Os imunizantes utilizados serão a CoronaVac, e a vacina da Pfizer.

Vacinação

A primeira etapa da vacinação vai priorizar os profissionais de saúde que trabalham na linha de frente contra o coronavírus, em centros e unidades de saúde. Também fazem parte do grupo priotitário as pessoas com mais de 80 anos. A imunização acontecerá diariamente nas Unidades Básicas de Saúde (UBS’s).“Vamos precisar fazer adaptações para receber a vacina, como viabilizar geradores e câmaras refrigeradas, e na logística, uma vez que a vacina só dura seis horas fora do refrigerador”, explicou a Secretária de Saúde de Belo Jardim, Aline Cordeiro.Antes de começar a vacinação será feito um levantamento do quantitativo necessários de seringas e Equipamentos de Proteção Individual (EPI’s,) usados pelos profissionais que vão aplicar as doses. Os materiais devem ser enviados até a sexta-feira (15).O Governo do Estado garantiu que dispõe de seringas suficientes para atender, no mínimo, a primeira e a segunda etapa da vacinação. Ao todo, serão utilizadas 1,5 milhões de seringas para aplicar a vacina contra a Covid-19.

Governo de PE diz que ainda não há data confirmada para chegada de vacinas

A Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE) esclareceu por meio de nota que ainda não há data confirmada pelo Ministério da Saúde para envio das primeiras doses da vacina contra covid-19 para o estado. De acordo com a Secretaria, as vacinas ainda estão sendo analisadas pela Anvisa para receberem a liberação. Na reunião extraordinária da Câmara Técnica entre a SES-PE e o Conselho dos Secretários Municipais de Saúde (Cosems-PE) realizada na manhã da segunda-feira (11), a Secretaria explica que apenas foi dito que o próprio Ministério levantou a possibilidade de cronograma, se os trâmites forem concluídos.

10.uol.com.br

Crédito: Reprodução Instagram

 

 

 

 

 

 

 

 

Andressa Suita aproveitou o final de semana para curtir com as amigas no Rio de Janeiro. No domingo (10), a modelo postou uns cliques na rede social em que apareceu tomando sol no hotel Copacabana Palace e esbanjou beleza.Nas postagens foi possível ver um acessório de luxo usado pela morena. Ela posou com uma bolsa de grife da marca Prada, que custa cerca de 9,7 mil reais.A ex-mulher de Gusttavo Lima arrancou elogios dos seguidores. “Linda demais”, disse um admirador; “Perfeita, meu Deus”, comentou outro.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

istoe

Xuxa Meneghel e Jair Bolsonaro
Xuxa Meneghel e Jair Bolsonaro
Na noite de sábado (16), a recepção do Hospital Geral do Estado (HGE), em Maceió, estava lotada de pacientes com suspeita de Covid-19 e acompanhantes — Foto: Arquivo pessoal

Xuxa Meneghel, de 57 anos, usou seu perfil no Instagram  para demonstrar indignação com o presidente Jair Bolsonaro (sem partido). 

“Bolsonaro diz que a ‘melhor vacina’ que evita a covid-19 é pegar a doença”, dizia a manchete compartilhada por Xuxa. Em resposta a isso, a apresentadora lamentou. “Ele não disse isso!? O que dizer para as mais de 200 mil famílias que perderam seus familiares? Morrer todo mundo vai. Por favor me diga que é mentira”Boa parte dos fãs, incluindo a filha da apresentadora, Sasha Meneghel, lhe deram apoio. “Tempos difíceis, Rainha”, escreveu um. “Infelizmente é o presidente”, disse outro. “aaaaa”, escreveu Sasha, que usou um emoji envergonhado para reagir à fala de Bolsonaro.

Histórico de Meneghel e Jair

Esta não é a primeira vez que a eterna Rainha dos Baixinhos vem a público criticar o atual presidente . No sábado (09), em sua coluna na revista Vogue, ela lamentou as dezenas de informações falsas sobre a imunização e acusou o político de defender os filhos.

“Um ministro da Saúde foi arrancado [por Bolsonaro] porque nos falava a verdade, o outro porque não quis compactuar com um remédio que a eficácia não foi comprovada […] Você acha que acaba por aí? Não. Cada dia tem mais. A família que não pode ser ‘tocada’, tudo para proteção de seus filhos. Se não há nada a temer, por que não deixam revirarem tudo? Por que não cooperam com a PF [Polícia Federal do Brasil]? Pelo contrário, trocam todas as pessoas que são contra seus pensamentos”, escreveu Xuxa. “O nosso desgoverno virou piada e chacota no mundo todo, é vergonhoso ver o mundo rir do nosso país. Tem muita gente ainda que diz que o ama e, pasmem, o chamam de ‘mito’, riem das nossas leis”, acrescentou. Para Xuxa, o Brasil é diferente dos demais países já que o “presidente ri de tudo: do ozônio, tira sarro com o uso de máscaras, chama a pandemia de ‘gripezinha’, diz que todos um dia vão morrer, não é mesmo?”. “O.”O assunto é sério, nunca imaginei que esse desgoverno pudesse desestimular o povo a se vacinar. Não sei onde essas pessoas estão com a cabeça […] Vejo alguns bares cheios e me pergunto onde esse povo vive? Como podem fazer isso? Milhares de pessoas já morreram no mundo e no nosso país não é diferente”. “Hoje me vejo contando os dias para essa vacina sair. Já pensei em ir para São Paulo com Ju [Junno Andrade, seu namorado] e tomar lá, já pensei tanta coisa menos em não ser vacinada. Ouvi tanta gente ignorante falando que ela daria doenças, teria um chip… Mas o pior é saber que tem pessoas que estão na dúvida se vacinam ou não porque ela é da China ou da Inglaterra”. “Há muito tempo eu fiz uma campanha que dizia: ‘Gotinha, gotinha e tchau tchau paralisia infantil’. E hoje eu digo: ‘Vacina, vacina e tchau tchau aos mitos”, finalizou Xuxa.

Fonte:  iG 

José Múcio, ex-presidente do TCU, em entrevista aos jornalistas Roseann Kennedy (SBT) e Edson Sardinha (Congresso em Foco) no programa Poder em Foco. Foto: SBT

José Múcio, ex-presidente do TCU, em entrevista aos jornalistas Roseann Kennedy (SBT) e Edson Sardinha (Congresso em Foco) no programa Poder em Foco. Foto: SBT

Sob o argumento de que era preciso pressa na liberação da verba pública ou várias pessoas morreriam, gestores corruptos se aproveitaram da luta contra a covid-19 para fraudar os cofres públicos. “Esse vírus chegou aqui e retroalimentou um velho conhecido nosso, que vem do império, que é o vírus da corrupção”, afirmou o ex-presidente do Tribunal de Contas da União (TCU), ministro José Múcio, em entrevista ao Poder em Foco, no SBT, neste domingo (27). 

Desde o início da pandemia, o TCU já abriu mais de 170 processos para checar a regularidade dos gastos. Múcio destacou que o mal intencionado não tem partido e possui vários sotaques. “Esse povo que vive enganchado no governo para tirar proveito telefonava e dizia: olha, se o tribunal não decidir isso hoje, vai morrer gente. Então, imagina como era o drama”, lamentou. Sem citar nomes, Múcio contou que até deputados e senadores sugeriram o “liberou geral”. “É para comprar respirador? Libera qualquer preço. É pra comprar máscara, libera qualquer preço, avental, remédio… Não!”, contrapôs-se. Ele explicou que o Tribunal de Contas lançou o programa Coopera e liderou um movimento dizendo que durante a pandemia todas as ações do coronavírus seriam separadas, mas analisadas posteriormente. “Todos serão fiscalizados. Alguns serão chamados a posteriori achando que foram esquecidos ou que passaram desapercebidos”, alertou. Em 2020, devido à situação de calamidade, o Congresso Nacional aprovou um orçamento de guerra e as contas da pandemia foram postas numa conta diferente. Isso vai exigir do TCU trabalho dobrado em 2021 para analisar dois orçamentos – o de guerra e o geral da União. “Na guerra é tudo diferente. O tribunal vai ter que se adaptar, vai ter que entender as justificativas, nós vamos discutir caso a caso, evidentemente, nós somos guardiões dos orçamentos da república”, comentou. Para José Múcio, a pandemia não pode ser usada como desculpa para o governo ter autorização para furar o teto de gastos e o TCU não será mais maleável nas exigências. “Você é casado? É a mesma coisa que você chegar em casa perguntar a sua mulher – nesta semana eu posso lhe trair? A regra é não trair. Então, nós somos pagos para não permitir isso, é isso que faz com que nós não aprovemos as contas”, comparou. O ministro disse que numa análise política da situação pode até ser que alguns considerem normal, mas avisou que os técnicos não acham. “Se isso for permitido uma vez, qual é a autoridade que você tem para que não seja permitido para sempre? Aí cada um vai ter um modelo de prestação de conta na sua cabeça”,concluiu.

Vida pública

José Múcio, 72 anos, foi deputado federal cinco vezes, ministro de Relações Institucionais e líder do Governo na Câmara dos Deputados na gestão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Ele teria mais três anos de mandato, até a aposentadoria compulsória, mas vai deixar o cargo nesta semana, em 31 de dezembro.O ex-presidente do TCU afirma que também vai deixar a vida política. Não vai mais disputar eleições e nem quer cargo no governo. Em 3 de dezembro, o presidente Jair Bolsonaro fez um convite informal para ele assumir um ministério. “Zé Múcio, me permite, eu sou apaixonado por você. Gosto muito de Vossa Excelência. Se a saudade lhe bater, venha para cá, estará entre nós, pode ter certeza, no nosso primeiro time”, afirmou o Bolsonaro na ocasião. José Múcio disse que se sentiu honrado, mas que jamais poderia aceitar. “Sabe qual era a pergunta que você ia me fazer, se eu aceitasse? Vocês iam dizer, então, houve uma negociação com o governo para o senhor se aposentar antes de ser ministro. Eu não ia provar nem a mim que não negociei”, argumentou. Mas, pela amizade que tem com o presidente da República, de quem foi colega de Congresso desde 1991, Múcio disse que pode ser um conselheiro, um colaborador afetivo. Perguntado se Bolsonaro deveria se envolver com a eleição para as presidências da Câmara e do Senado, deu uma dica para o presidente avaliar se valem a pena os riscos. “Atuando você vence, elegeu um amigo, quando você perde, construiu um desafeto. E toma tempo construir pontes com desafeto. Mas é muito temperamento. Eu se fosse presidente da República, o presidente seria o que o Congresso escolheu, que a Câmara escolheu. Os poderes são independentes”, finalizou. 

Continue lendo

Banco-do-Brasil
Banco do Brasil fechará 12 agências na Bahia.
(Foto: Jorge Abreu/G1)

O Banco do Brasil vai fechar 12 agências bancárias na Bahia e transformar outras 33 unidades em postos de atendimento, em 2017. As medidas, aprovadas pelo Conselho de Administração da empresa e anunciadas no domingo (20), fazem parte de uma proposta de reestruturação da empresa para cortar despesas e melhorar a produtividade. Dez unidades serão fechadas em Salvador, uma em Feira de Santana, a 100 quilômetros da capital, e uma em Vitória da Conquista, sudoeste baiano. Das que serão transformadas em postos de atendimento, três ficam em Salvador e 30 no interior do estado.A reorganização institucional também prevê um plano extraordinário de aposentadoria incentivada. [Confira abaixo a lista completa das agências que vão fechar e das que serão transformadas em postos]

Os clientes das agências que vão fechar serão automaticamente transferidos para outras agências e poderão manter cartões e senhas, mesmo se houver alteração no número da conta. Segundo informou o banco, a transferência será feita para a agência mais próxima.

Atualmente, o Banco do Brasil possui 447 unidades de atendimento na Bahia, sendo.328 agências e 119 postos de atendimento. Os clientes do Banco do Brasil também contam com 1.084 correspondentes bancários, 2.779 caixas eletrônicos BB e 994 terminais da rede Banco 24h no estado. O banco informou que, com reorganização, permanecerá com  283 agências e 152 postos de atendimento. O BB possui 5.206 funcionários na Bahia e 1.003 fazem parte do público potencial do Plano Extraordinário de Aposentadoria Incentivada, que prevê adesão voluntária.

Reestruturação
Em todo o país, 379 agências serão transformadas em postos de atendimento e 402 serão desativadas, disse o banco, acrescentando que as mudanças não vão comprometer a presença da instituição nos municípios em que atua. “A economia anual com despesas administrativas, exceto pessoal, é estimada em 750 milhões de reais, sendo 450 milhões de reais decorrentes da nova estrutura organizacional e R$ 300 milhões da redução de gastos com transporte de valores, segurança, locação e condomínios, manutenção de imóveis, entre outras”, informou o banco. Simultaneamente ao processo de redução de agências, o banco pretende abrir 255 unidades de atendimento digital em 2017. Com isso, o banco espera elevar dos atuais 1,3 milhão para 4 milhões o número de clientes atendidos por esse canal até o fim do ano que vem. A rentabilidade do BB sobre o patrimônio, que mede como os bancos remuneram o capital do acionista, foi de 9,6% no terceiro trimestre, queda de 4,6 pontos percentuais sobre mesma etapa do ano passado. Assim, o BB piorou pela segunda vez no ano a previsão de rentabilidade em 2016, de 9 a 12% para 8 a 10%. Para comparação, o índice do Bradesco no terceiro trimestre foi de 17,6%, enquanto o do Itaú Unibanco chegou a 19,9%.

Aposentadoria incentivada
O período de adesão voluntária ao plano de aposentadoria incentiva vai até 9 de dezembro. O plano tem como público alvo 18 mil funcionários que já reúnem as condições para se aposentar. O BB disse que vai divulgar o impacto financeiro do plano de aposentadoria incentivada após o período de adesão. Para incentivar a adesão, o banco vai oferecer valor correspondente a 12 salários, além de indenização por tempo de serviço, que varia de 1 a 3 salários, dependendo do tempo de empresa. O BB também vai oferecer redução de jornada de 8 para 6 horas diárias a 6 mil assessores da direção geral e superintendências, com objetivo de diminuir em 16,25 por cento o salário médio.

Lista de agências que serão encerradas na Bahia:

FEIRA DE SANTANA – RUA J.J.SEABRA                                              
SALVADOR – AVENIDA GARIBALDI                                           
SALVADOR – CABULA
SALVADOR – CIDADELA                                                    
SALVADOR – COELBA
SALVADOR – COSTA AZUL                                                  
SALVADOR – GARCIA                                                      
SALVADOR – IAPI                                                        
SALVADOR – ONDINA                                                      
SALVADOR – PAULO VI                                                    
SALVADOR – SHOP.PASEO ITAIGARA                                         
VITORIA DA CONQUISTA – AV.REGIS PACHECO                                                                      

Agências que serão transformadas em postos de atendimento:

ANTAS – ANTAS                                                       
APORA – APORA                                                       
BARREIRAS – RIO DE ONDAS                                                
BIRITINGA – BIRITINGA                                                   
BONINAL – BONINAL                                                     
CAEM – CAEM                                                        
CANDEAL – CANDEAL                                                     
CONCEICAO DA FEIRA – CONCEICAO DA FEIRA                                          
CONCEICAO DO ALMEIDA – CONCEICAO DO ALMEIDA                                        
CRISOPOLIS – CRISOPOLIS                                                  
FEIRA DE SANTANA – AV.GETULIO VARGAS                                           
IBITITA – IBITITA                                                     
IGUAI – IGUAI                                                       
ITAPITANGA – ITAPITANGA                                                  
JUAZEIRO – SHOP.AGUAS CENTER                                           
LAURO DE FREITAS – VILAS DO ATLANTICO                                          
LENCOIS – LENCOIS                                                     
LUIS EDUARDO MAGALHAES – MIMOSO DO OESTE                                             
MATA DE SAO JOAO – COSTA DO SAUIPE                                             
OLINDINA – OLINDINA                                                    
RIBEIRA DO AMPARO – RIBEIRA DO AMPARO                                           
SALVADOR – PELOURINHO                                                  
SALVADOR – PETROBRAS SALVADOR                                          
SALVADOR – SALVADOR SHOPPING                                           
SAO DESIDERIO – RODA VELHA                                                  
SAO FELIPE – SAO FELIPE                                                  
SAO SEBASTIAO DO PASSE – SAO SEBASTIAO PASSE                                         
SATIRO DIAS – SATIRO DIAS                                                 
SERROLANDIA – SERROLANDIA                                                 
TANQUINHO – TANQUINHO                                                   
TEODORO SAMPAIO – TEODORO SAMPAIO-BA                                          
UIBAI – UIBAI                                                       
VITORIA DA CONQUISTA – PCA.BARAO RIO BRANCO 

g1

Michael Melo/Metrópoles
 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O vice-presidente Hamilton Mourão (PRTB) afirmou, em entrevista à Rádio Gaúcha, na manhã desta segunda-feira (11/1), que o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), teria promovido uma “briga de rua” ao responsabilizar o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) pelas 200 mil mortes em decorrência da Covid-19.

metropoles
Favela em Manaus, Amazonas

Ao mesmo tempo em que a economia brasileira dá os primeiros passos para sair do buraco, um cenário bem diferente se desenha para o ano novo dos brasileiros mais pobres.

A falta de emprego e o fim do auxílio emergencial compõem a fórmula que levará mais brasileiros a caírem em situação de extrema pobreza no começo de 2021, segundo especialistas em economia e transferência de renda. A pobreza extrema deve atingir, em janeiro, uma taxa entre 10% e 15% da população brasileira, de acordo com projeção calculada pelo economista Daniel Duque, pesquisador do Ibre-FGV (Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas), a pedido da BBC News Brasil. Isso significa que a proporção de brasileiros vivendo na extrema pobreza (ou seja, com menos de US$ 1,90 por dia) pode dobrar em relação a 2019, quando a taxa foi de 6,5% da população — ou 13,7 milhões de pessoas, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Para a pobreza (quem vive com menos de US$ 5,50), Duque projeta que a taxa ficará entre 25% e 30% no começo do ano que vem. Em 2019, ela foi de 24,7%, ou mais de 51 milhões de brasileiros.

Fim do Talvez também te interesse

“A taxa de pobreza extrema será muito alta devido a dois fatores: a população mais pobre depende basicamente de programas sociais e do mercado de trabalho, que foi muito impactado negativamente para ocupações de menor escolaridade e rendimento”, diz Duque. O economista explica que a projeção considera o fim do auxílio emergencial e pressupõe um reajuste de 15% no Bolsa Família. O governo do presidente Jair Bolsonaro chegou a considerar a criação de um novo programa, que ganhou até nome: Renda Brasil. A expectativa era de que ele fosse uma reformulação de programas sociais e que substituísse o auxílio emergencial, criado no contexto da pandemia de covid-19 e considerado fundamental para a proteção da população mais vulnerável nesse período. Embora batizado, esse programa não chegou a virar uma proposta de fato. E o governo também avisou que não vai prolongar o pagamento do auxílio emergencial. Bolsonaro afirmou, em entrevista à Band na terça-feira (15/12), que não haverá prorrogação do auxílio ou a criação de um novo programa e disse que quer “tentar aumentar um pouquinho” o Bolsa Família. O presidente defendeu que não pode haver desequilíbrio nas contas. “Eu tenho pena, tenho compaixão da população, dos mais humildes, mas se o Brasil se desequilibrar com nova prorrogação do auxílio emergencial, tudo pode ir embora.” “O legado que podemos deixar na economia para o povo é uma economia estável”, disse Bolsonaro. “Quem dá emprego não sou eu. Eu só dou emprego quando crio cargos ou faço concurso público. Fora isso, é o empresariado.”

Casas em Paraisópolis, com prédios ao fundo

Populações mais pobres foram afetadas mais duramente pela crise causada pela pandemia

Sem emprego e sem movimento

Se houvesse perspectiva de um mercado de trabalho aquecido, que pudesse absorver a mão de obra dos trabalhadores mais afetados pela pandemia, o cenário não seria tão ruim. Mas não é o que se espera, como aponta Duque. “Um dos impactos bastante previsíveis é que muitas pessoas que tinham deixado de procurar emprego devido à pandemia vão acabar voltando. Com isso, a taxa de desemprego vai aumentar, porque nem todo mundo vai encontrar emprego.” Além de o fim de 2020 não prometer as antes tão comuns contratações de fim de ano, Duque lembra que o começo de ano é tradicionalmente pior para o emprego. “A taxa de desemprego no primeiro trimestre geralmente é a mais alta do ano, o que vai se somar a esses fatores negativos”, diz. E mesmo quem ganha a vida com alguma atividade informal depende de uma economia aquecida e de trabalhadores circulando. Antes da pandemia, Vanda Sousa, de 44 anos, trabalhou por três anos, de segunda a sábado, vendendo lanches (café, tapioca, chá, suco, bolo) no bairro Couto Fernandes, em Fortaleza. Mãe de dois filhos que dependem dela, Vanda passou a contar com a ajuda do auxílio emergencial durante a pandemia. Conseguiu comprar comida, pagar gás e luz, além do remédio para diabetes, que “sempre está em falta no posto de saúde”.

Vanda Sousa

Com dinheiro do auxílio, Vanda conta que conseguiu comprar comida, pagar gás e luz, além do remédio para diabetes, que “sempre está em falta no posto de saúde”

Agora, sem perspectiva de receber o auxílio, está preocupada com o começo do ano porque os clientes dela são exatamente as pessoas que trabalham na região, que não é mais tão movimentada quanto antes. “Eu estou pensando como vai ser, porque janeiro vai começar e nada de emprego. Como vendo merenda na beira de uma pista que tem sucata (oficinas e lojas de autopeças), quando fecha, eu já não vendo. E se eu cozinhar para não ter pra quem vender, aí que perco totalmente”, diz. “Até então a pandemia continua aqui. E ainda tem muita coisa fechada, tá muito difícil mesmo.”

Jair Bolsonaro ao lado de Paulo Guedes

‘Quem dá emprego não sou eu. E é o empresariado’, disse Bolsonaro.

Casas precárias, sem pintura, na beira de canal poluído no Rio de Janeiroarroz e feijão

Inflação mais alta

Quais são as causas da corrupção no Brasil?
A corrupção no Brasil afeta diretamente o bem-estar dos cidadãos ao diminuir os investimentos públicos na saúde, na educação, em infraestrutura, segurança, habitação, entre outros direitos essenciais à vida, e fere a Constituição ao ampliar a exclusão social e a desigualdade econômica.
Quanto custa a corrupção?
O preço da CORRUPÇÃO no Brasil – valor chega a R$69 bilhões de reais por ano. Um estudo realizado pelo Departamento de Competitividade e Tecnologia (Decomtec) da Fiesp (Federação das Indústrias de São Paulo) revelou os prejuízos econômicos e sociais que a corrupção causa ao País.
corrupção é definida como o ato de solicitar ou receber alguma vantagem indevida, segundo a “lei de Gérson”: “levar vantagem em tudo”, não importando o meio para se alcançar o que se almeja. … Mas não apenas o Direito recrimina a corrupção; também a reflexão ética reprova tal conduta.

Um estudo realizado pelo Departamento de Competitividade e Tecnologia (Decomtec) da Fiesp (Federação das Indústrias de São Paulo) revelou os prejuízos econômicos e sociais que a corrupção causa ao País. O valor chega a R$ 69 bilhões de reais por ano.

As denúncias de corrupção vêm de todos os cantos do país e de todos os setores – públicos e privados. Denunciadas em parte pela imprensa, em parte por setores privados fiscalizadores, não se havia medido ainda o tamanho do rombo e o mais alarmante: o prejuízo que este montante de dinheiro causa em setores fundamentais, como educação, saúde, infraestrutura, habitação e saneamento. O relatório da Fiesp informa que o custo disso chega até R$ 69 bilhões de reais ao ano. Segundo o levantamento, a renda per capita do País poderia ser de US$ 9 mil, 15,5% mais elevada que o nível atual.

Continue lendo

Na semana que se encerrou no sábado (9), o Brasil registrou o maior número de casos da covid-19 em sete dias desde os primeiros relatos da doença do país. Foram quase 360 mil novos casos de infecção no período. Até então, o patamar mais elevado foi observado na semana entre 13 e 19 de dezembro, quando a soma de contaminados ultrapassou 320 mil. Dados sobre mortes também apresentaram crescimento. Até 9 de janeiro foram 6.906, resultado mais expressivo registrado desde a segunda semana de agosto. A média móvel de mortes – soma de todos os casos dos últimos sete dias, dividida por sete – chegou a 987, o que também não era observado desde agosto. As informações estão disponíveis no site do Ministério da Saúde, que fornece atualizações diárias dos números oficiais da pandemia no Brasil. Ainda segundo a página, o país tinha mais de 720 mil pacientes com a covid-19 em acompanhamento até este domingo (10). O Brasil registrou 29.792 casos da covid-19 somente neste domingo (10), segundo dados do Conselho Nacional de Secretários de Saúde. Com isso, o total de infectados desde o início da pandemia é de 8.105.790 no país. O número de óbitos confirmados em 24 horas foi de 469. Mais de 203 mil vidas já foram perdidas para o coronavírus em território nacional. 

A novela das vacinas

Nesse sábado (9), a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) pediu novos documentos ao Instituto Butantan para o processo de aprovação do uso emergencial da CoronaVac. Segundo a agência, faltam documentos que são “condição necessária para viabilizar a avaliação, a conclusão e a deliberação sobre a autorização de uso emergencial das vacinas”.Os levantamentos requisitados pela Anvisa dizem respeito à demografia, resultados do estudo por população de intenção de tratamento, descrição de desvios de protocolo, entre outros. Por meio de nota, o Instituto Butantan informou que atendeu prontamente ao pedido e “permanece fornecendo todos os documentos necessários”.  De acordo com o órgão, o prazo para autorização de uso da vacina não foi alterado.

O governador de São Paulo, João Doria, criticou indiretamente o pedido. Sem citar a requisição, ele escreveu em uma rede social: “É preciso senso de urgência da Anvisa p/ liberação da vacina do Butantan. Ritos da ciência devem ser respeitados, mas devemos lembrar que o Brasil perde cerca de mil vidas/dia para a covid-19. Com a liberação da Anvisa, milhões de vacinas que já estão prontas poderão salvar vidas”. Doria está envolvido em um embate político com o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) desde o início da pandemia. Nos últimos meses, a disputa tem como principal objeto de polêmica a campanha de vacinação contra o coronavírus. A vacina do Instituto Butantan, ligado ao governo de São Paulo, é fruto de uma parceria com uma empresa chinesa. Em julho, o presidente já alardeava críticas sem embasamento ao imunizante produzido na China, maior parceiro comercial do Brasil. No início de novembro, ele chegou a comemorar, como uma vitória pessoal, a suspensão dos testes da vacina, determinada temporariamente pela Anvisa por um efeito adverso. A morte de um voluntário, que foi relatada pelo Butantan, não tinha relação com a substância.

Saiba o que é o novo coronavírus

É uma vasta família de vírus que provocam enfermidades em humanos e também em animais. A Organização Mundial da Saúde (OMS) indica que tais vírus podem ocasionar, em humanos, infecções respiratórias como resfriados, entre eles a chamada “síndrome respiratória do Oriente Médio (MERS)”. Também pode provocar afetações mais graves, como é o caso da Síndrome Respiratória Aguda Severa (SRAS). A covid-19, descoberta pela ciência mais recentemente, entre o final de 2019 e o início de 2020, é provocada pelo que se convencionou chamar de “novo coronavírus”. 

Como ajudar quem precisa?

A campanha “Vamos precisar de todo mundo” é uma ação de solidariedade articulada pela Frente Brasil Popular e pela Frente Povo Sem Medo. A plataforma foi criada para ajudar pessoas impactadas pela pandemia da covid-19. De acordo com os organizadores, o objetivo é dar visibilidade e fortalecer as iniciativas populares de cooperação.

brasildefato

A escola municipal José Paulino de Siqueira convida toda comunidade para realização de matrículas e renovações de matrículas no período de 11 a 22 de janeiro, das 8 às 11 da manhã para alunos do 6º ao 9º ano, e de 1 às 4 da tarde para alunos do 4º e 5º ano, lembrando que para os alunos novatos as cópias dos documentos citados na imagem são obrigatórios, contamos com a presença de todos.

   Agradece a direção.

Pedimos desculpas pela errata que houve neste comunicado, não era a EREM SANTA TEZINHA, MAIS SIM A ESCOLA JOSÉ PAULINO DE SIQUEIRA.

07012020 arte CNM FPMO primeiro repasse do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) de 2021 será feito na próxima sexta-feira, 8 de janeiro. Serão repassados aos cofres municipais R$ 5.400.014.834,63, valor nunca antes visto, desde de 2003, quando a Confederação Nacional de Municípios (CNM) lançou a série de levantamentos mensais do fundo.

Mesmo com a retenção do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb), a transferência de R$ 4.320.011.867,70 representa um crescimento de 53,83% em relação ao mesmo período do ano passado. Os números são divulgados pela Secretaria do Tesouro Nacional (STN) e são influenciados pela arrecadação do final do ano. Geralmente, o primeiro decênio representa quase a metade do valor total repassado. Dados da CNM mostram que, em janeiro de 2020, as prefeituras receberam R$ 8,9 bilhões, sendo R$ 3,5 bilhões na primeira transferência do mês.+ 49,49% 
Ao aplicar a inflação do período, a transferência que abre o FPM do ano ainda será 49,49% maior que o valor repassado há um ano. Dos mais de R$ 4 bilhões, Municípios com coeficientes 0,6 ficarão com R$ 1.063.645.382,22, enquanto 168 prefeituras de coeficientes 4,0 receberão R$ 710.997.395,70 do total a ser transferido.

Conforme ressalta o levantamento da CNM, o FPM é a principal receita de grande parte dos Municípios, por isso a entidade divulga os repasses descendais, além de disponibilizar plataforma para o acompanhamento dessa e das demais Transferências Constitucionais. A entidade ainda não tem explicações assertivas sobre o crescimento tão fora do parâmetro, apesar de notícias divulgadas no final do ano passado apontarem desempenho histórico da arrecadação nacional. 07012220 grafico fpm

Sazonalidade

Continue lendo

Estimular a criatividade e evitar vícios são formas de melhorar o desempenho cerebral

O cérebro é indiscutivelmente um dos órgãos mais importantes do corpo. Ele faz tudo, desde raciocinar e regular pensamentos e emoções até controlar a respiração e as habilidades motoras. É por isso que mantê-lo em ótima forma deve ser uma prioridade. Embora as mudanças no cérebro (e no resto do corpo) sejam inevitáveis ​​e totalmente normais à medida que você envelhece, certos hábitos podem ajudar a adiar o declínio cognitivo relacionado à idade e manter a demência sob controle.

1. Exercite-se

“Os exercícios têm um impacto enorme na saúde cerebral”, comenta Dean Sherzai, neurologista e codiretor do Programa de Prevenção de Alzheimer do Centro Médico da Universidade de Loma Linda, na Califórnia (EUA). Eles ampliam a função cognitiva por meio de uma série de processos. “Uma maneira poderosa de fazer isso é pelo efeito nas funções vasculares (sistema circulatório). Exercitar-se pode aumentar o fluxo sanguíneo para o cérebro, reduzir a rigidez dos vasos sanguíneos e prevenir o acúmulo de placas de colesterol nos vasos que levam ao cérebro”.

“As atividades físicas ajudam exponencialmente a liberação de um fator de crescimento cerebral importante chamado BDNF –abreviação de Fator Neurotrófico Derivado do Cérebro. Este neuroquímico ajuda no crescimento das conexões entre os neurônios, aumentando, portanto, o tamanho e a função do cérebro”, explica Sherzai. “O exercício regular também reduz a inflamação e os processos oxidativos”, conta o neurocientista. “A boa notícia é que você não precisa correr uma maratona para obter esses efeitos notáveis”, acrescenta. Apenas 150 minutos de atividade aeróbica de intensidade moderada por semana (como ciclismo, caminhada, natação ou zumba) são suficientes para colher os benefícios cerebrais da atividade física.

forbes

Eliminar terrenos baldios em áreas urbanas, produzir e fornecer hortaliças para o consumo de escolas e famílias e melhorar a qualidade da alimentação da comunidade são algumas das vantagens da implantação de hortas comunitárias nas cidades.

Instaladas em lotes vagos que muitas vezes são utilizados como depósitos de entulho e se transformam em focos de doenças, a produção das hortas comunitárias abastece famílias que moram perto destes terrenos. Na maioria dos casos, a produção é feita a partir dos princípios de agricultura orgânica.Há 15 anos, em uma área pública de cinco mil metros quadrados, a terra vermelha deu lugar a hortaliças e árvores frutíferas, tornando-se o que é considerada hoje a maior horta urbana do Distrito Federal – o Instituto Horta Girassol. A coordenadora do projeto, Hosana Alves, conta que tudo começou em agosto de 2005, quando aconteceu um surto de hantavirose na região. “A comunidade ficou muito preocupada porque tinha um lixão. Todos se mobilizaram e pedimos a ajuda da administração regional, que limpou o local”, lembra. A partir de então, para evitar que o lixo voltasse a se acumular no local, a horta foi criada. Inicialmente, a plantação era pequena e, hoje, o Instituto Horta Girassol tem um projeto chamado Comunidade que Sustenta Agricultura (CSA), que funciona em parceria com produtores orgânicos e membros da comunidade. Os produtos colhidos são fornecidos aos participantes que ajudam com contribuição financeira para o espaço. Toda semana, após a colheita, eles recebem uma cesta de verduras, frutas e legumes em casa.

Outra experiência é a Horta Comunitária do Guará, criada em 2017, por meio da revitalização de um espaço público abandonado nos fundos da unidade básica de Saúde, na QE 38, no Guará II, também no Distrito Federal. Um grupo pequeno de voluntários se reuniu para limpar o mato, fazer a capina, os canteiros e começou a plantar. “A iniciativa, além da produção de alimentação orgânica e saudável, sem agrotóxicos, promove o alívio de stress, bem-estar, segurança alimentar, terapia e educação ambiental e sustentabilidade”, destaca a engenheira ambiental Dahiana Ribeiro. Atualmente, a horta conta com cerca de 200 voluntários que a cada 15 dias se reúnem para plantar, cuidar dos canteiros e fazer a colheita nos encontros comunitários, realizados sempre aos sábados pela manhã. Muitos voluntários visitam a horta em busca de conhecimentos para replicar o modelo em seus bairros. Outros, para estudos acadêmicos e há aqueles que querem frequentar as oficinas de produção de sabão líquido e em barra. A Horta Comunitária também conta com um Centro de Educação Ambiental, onde as crianças participam de brincadeiras e têm contato com legumes, verduras e frutas, aprendendo e se familiarizando com os alimentos produzidos: tomate, couve, beterraba, alface, jiló, repolho, quiabo e outros. Os encontros envolvem plantio de hortaliças, oficinas, discussão de temas, lanches comunitários, colheita e distribuição de cestas aos voluntários, e doação para entidades sociais como creches e igrejas.

Continue lendo

Farias Calçados

Faça Sua Pesquisa no Google Aqui!
 
bove=""

 

Visitas
contador de visitas
Redes Sociais
Click e acesse
Zé Freitas no Facebook

Lições Bíblicas
Zé Freitas no Twitter
Portal Correio-PB

 
CLIQUE E ACESSE!
Parceiros