Supermercado Compre Bem
Judivan Contábil
 
Fila para vacinação na campanha contra a Covid no Complexo da Maré (RJ)
Fila para vacinação na campanha contra a Covid no Complexo da Maré (RJ)
Foto: Bruna Carvalho/CNN

Um levantamento divulgado nesta sexta-feira (30) pela Confederação Nacional de Municípios (CNM) mostra que 90,3% das cidades brasileiras concordam com a obrigatoriedade da vacinação contra o novo coronavírus, com ressalvas para as pessoas com recomendação médica para a não imunização.  

A pesquisa contou 2,2 mil prefeituras, que foram ouvidas entre 26 e 29 de julho. Destes, 216 municípios do país discordam do método de vacinação forçada da população contra a Covid-19. Atualmente, a vacinação contra a Covid-19 no Brasil não é obrigatória. Entretanto, uma decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), em dezembro de 2020, deu aval para os estados brasileiros e os municípios estabelecerem a vacinação compulsória, ou seja, medidas legais para tornar a imunização obrigatória.  A anuência dos municípios pela obrigatoriedade da vacinação é explicada pelo não comparecimento do público aos postos de imunização.O levantamento da CNM aponta que 72,6% das cidades registraram casos de pessoas que foram convocadas e não compareceram para tomar a primeira dose. A pesquisa destaca ainda que 68,7% dos municípios tiveram pessoas que não voltaram para completar o esquema vacinal. Raphael Guimarães, pesquisador em saúde pública da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) afirmou à CNN que não concorda com a vacinação compulsória. De acordo com ele, tornar a imunização obrigatória é uma medida de controle o estado e não uma política sanitária.  “Esse tema cria polêmica há mais de 100 anos. Por um lado, você entende que é uma medida sanitária para conter uma pandemia. Por outro, você viola o direito humano dela escolher. Existem municípios que querem obrigar a vacinação, mas não aplicam médicas sanitárias de distanciamento, por exemplo. A obrigação da vacina é uma medida de controle estatal”, disse.

cnnbrasil.