Recicla Net

Óticas Olhar Brasil
Farias Calçados

Lojas Surya
Supermercado
Natália Calçados

Seg Vida
 

Para visualizar este conteúdo corretamente, é necessário ter o Flash Player instalado.

REFLEXÕES DO PASSADO E PRESENTE: PERSPECTIVA DE MELHORA PARA O FUTURO


 

admin

Resultado dos esforços das SBU, em 2015, cerca de 160 milhões de pessoas puderam ter acesso a 50 novas traduções das Escrituras Sagradas. Desde a primeira tradução da Bíblia, a Septuaginta, ainda antes de Cristo, o mundo assiste a seguidas iniciativas para disseminar a Palavra de Deus. Dessa versão do Antigo Testamento Hebraico para o Grego até os dias atuais, as Escrituras Sagradas, incluindo Bíblias completas, Novos Testamentos e partes da Bíblia, tornaram-se disponíveis em 2.935 idiomas falados por 6.039 bilhões de pessoas. Só em 2015, foram feitas traduções para 50 idiomas, que atendem quase 160 milhões de pessoas.

Pesquisas provam que a Bíblia é o Livro Mais Lido

Posted: 29 Jun 2017 

Pesquisa Retratos da Leitura do Brasil destaca o Livro Sagrado como o preferido dos brasileiros. Bíblia Sagrada é o livro mais lido, em qualquer nível de escolaridade. A 4ª edição da pesquisa Retratos da Leitura no Brasil destacou o Livro Sagrado em primeiro lugar nas listas entre os “livros mais marcantes” e os “últimos livros mais lidos” pelos brasileiros. Nas duas pesquisas anteriores, realizadas em 2007 e 2011, a obra mais citada também foi a Bíblia. “Só posso ficar feliz e agradecido a Deus por resultados tão estupendos, que representam a Causa da Bíblia no Brasil”, avalia o diretor executivo da Sociedade Bíblica do Brasil, Rudi Zimmer. Desenvolvida pelo Ibope, sob encomenda do Instituto Pró-Livro (IPL), entidade mantida pelo Sindicato Nacional dos Editores de Livros (SNEL), Câmara Brasileira do Livro (CBL) e Associação Brasileira de Editores de Livros Escolares (Abrelivros), a pesquisa foi realizada com 5.012 pessoas, com idade a partir de cinco anos, de todas as regiões do País, representando 93% da população. De acordo com o presidente do Instituto Pró- Livro, Marcos da Veiga Pereira, a permanência e até o aumento na menção à Bíblia, em diferentes segmentos da pesquisa, deve-se, possivelmente, ao número crescente de evangélicos no País a aos novos filtros e perguntas que foram incorporados à pesquisa. pesquisa também aponta um aumento no número de leitores no País. Em 2011, registrou 50% da população, e em 2015 chegou a 56%. “Uma tendência apresentada, e que também chamou a atenção, foi o aumento da importância dos livros lidos por iniciativa própria em relação aos indicados pela escola, mesmo entre os estudantes”, explicou Pereira. resultado mostrou que o leitor brasileiro lê 4,96 livros por ano, sendo 0,94 indicados pela escola e 2,88 lidos por vontade própria. No “gênero” de livro que mais costuma ser lido, a Bíblia foi citada por 50% das pessoas que não estão estudando e por 31% das que estão estudando. Nesta pesquisa, foi registrado, ainda, que entre as principais motivações para a leitura de um livro estão religião (11%), distração (15%), conhecimento geral (19%) e gosto (25%). O local preferido para comprar livros, para 9% dos entrevistados, são as igrejas e outros espaços religiosos, 15% fazem uso das livrarias online, e 19% das bancas de jornal e revista, sendo que 44% fazem suas compras em livraria física.

 

TEXTO ÁUREO
“Porque a profecia nunca foi produzida por vontade de homem algum, mas os homens santos de DEUS falaram inspirados pelo ESPÍRITO SANTO.” (2 Pe 1.21) 

VERDADE PRÁTICA

VERDADE PRÁTICA
Cremos na inspiração divina, verbal e plenária da Bíblia Sagrada, única regra infalível de fé e prática para a vida e o caráter cristão.


  LEITURA DIÁRIA

SegundaJr 36.1,2 DEUS mandou que suas palavras fossem escritas em um rolo
Terça – 2 Pe 3.2 As Escrituras inspiradas por DEUS dizem respeito ao Antigo e ao Novo Testamento
Quarta – Mc 7.13 O Senhor JESUS disse que a Bíblia é a Palavra de DEUS 
Quinta – Jo 10.35 As Escrituras Sagradas jamais falharão
Sexta – Hb 4.12 A Palavra de DEUS é viva, poderosa e capaz de transformar vidas 
Sábado – Js 1.8 A Bíblia é o manual de DEUS para o nosso bem. 

LEITURA BÍBLICA EM CLASSE2 Timóteo 3.14-17
14 – Tu, porém, permanece naquilo que aprendeste e de que foste inteirado, sabendo de quem o tens aprendido. 15 – E que, desde a tua meninice, sabes as sagradas letras, que podem fazer-te sábio para a salvação, pela fé que há em CRISTO JESUS. 16 – Toda Escritura divinamente inspirada é proveitosa para ensinar, para redarguir, para corrigir, para instruir em justiça, 17 – para que o homem de DEUS seja perfeito e perfeitamente instruído para toda boa obra. 

OBJETIVO GERAL – Conscientizar a respeito da inspiração divina, verbal e plenária da Bíblia Sagrada. 

OBJETIVOS ESPECÍFICOS Reconhecer a revelação e inspiração da Bíblia Sagrada;Mostrar a inspiração divina na Bíblia Sagrada;Explicar a inspiração plena e verbal da Bíblia Sagrada;Saber que a Bíblia Sagrada é a nossa única regra de fé e prática. 

INTERAGINDO COM O PROFESSOR
Prezado professor, neste terceiro trimestre do ano estudaremos as principais doutrinas da fé cristã. O comentarista do trimestre é o pastor Esequias Soares, autor de diversos livros, graduado em Letras, Mestre em Ciência da Religião, presidente da Comissão de Apologética Cristã da CGADB (Convenção Geral das Assembleias de DEUS no Brasil) e líder da Assembleia de DEUS em Jundiaí, SP. 

PONTO CENTRAL – Cremos na inspiração divina e autoridade da Bíblia Sagrada.
Resumo da Lição 1, Inspiração Divina e Autoridade da Bíblia

I – REVELAÇÃO E INSPIRAÇÃO
1. Revelação.
2. Inspiração.3. A forma de comunicação.II – A INSPIRAÇÃO DIVINA1. A inspiração divina.2. Uma avaliação exegética.3. Autoridade.III – INSPIRAÇÃO PLENA E VERBAL 1. Inspiração plenária.2. Inspiração verbal. IV – ÚNICA REGRA INFALÍVEL DE FÉ E PRÁTICA 1. “Proveitosa para ensinar”.2. A conduta humana.3. As traduções da Bíblia. SÍNTESE DO TÓPICO I – A Bíblia é a revelada e inspirada Palavra de DEUS.SÍNTESE DO TÓPICO II– Toda a Bíblia é inspirada por DEUS 

SÍNTESE DO TÓPICO III – A inspiração da Bíblia Sagrada é plena e verbal. 

SÍNTESE DO TÓPICO IV – A Bíblia Sagrada é a nossa única regra de fé e prática. 

SUBSÍDIO TEOLÓGICO – Top 1
“[…] Um resumo a respeito do que a Bíblia alega sobre si mesma pode ser encontrado em duas passagens principais. Pedro disse que os autores foram impelidos pelo ESPÍRITO SANTO, e Paulo declarou que seus escritos foram soprados pelo próprio DEUS. Portanto, a Bíblia alega que autores movidos pelo ESPÍRITO SANTO expressaram as palavras inspiradas por DEUS (2 Pe 1.20,21). Em suma, os escritos proféticos (do Antigo Testamento) não tiveram sua origem nos homens, mas em DEUS, que agiu por meio de alguns homens chamados de profetas de DEUS” (GEISLER, Norman. Teologia Sistemática: Introdução à Teologia Sistemática, a Bíblia, DEUS, a Criação. 1.ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2011, pp. 213,214).
CONHEÇA MAIS – *A Septuaginta (LXX)“A versão padrão em grego [do Antigo Testamento], produzida em Alexandria, é conhecida como Septuaginta (LXX), que é a palavra latina para ‘setenta’. Essa tradução foi, sem dúvida, realizada durante os séculos III e II a.C.,” e “não foi projetada para ter as mesmas finalidades funcionais do AT hebraico, pois seu propósito era para ser lida publicamente nas Sinagogas, ao contrário dos propósitos educativos daqueles que precisavam do texto hebraico”. Para conhecer mais, leia Dicionário Bíblico Wycliffe, CPAD, pp.1994-95  SUBSÍDIO TEOLÓGICO – Top 2

“Existem muitas palavras ou frases que a Bíblia utiliza para se auto-descrever e que sugerem uma reivindicação de autoridade divina. JESUS disse que a Bíblia é indestrutível e que ela jamais passará (Mt 5.17,18); ela é infalível, ou ‘não pode ser anulada’ (Jo 10.35); ela tem a autoridade final (Mt 4.4,7,10); e ela é suficiente para a nossa fé e prática (Lc 16.31)” (HORTON, Stanley M. Teologia Sistemática: Uma perspectiva Pentecostal. 1.ed. Rio de Janeiro: CPAD, 1996, p. 218).
SUBSÍDIO TEOLÓGICO – Top 3
“Apesar do mistério que ronda o modo como DEUS fez com que sua palavra fosse fiel sem destruir a liberdade e a personalidade dos autores humanos, existem algumas coisas que ficam muito claras. Os autores humanos não eram simplesmente secretários que anotavam algo que estava sendo ditado a eles; a sua liberdade não foi suspensa nem negada. Eles não foram autômatos. As suas palavras correspondiam ao seu desejo, no estilo em que estavam acostumados a escrever. Na sua providência, DEUS promoveu uma concordância divina entre as palavras deles e as suas” (HORTON, Stanley M. Teologia Sistemática: Uma perspectiva Pentecostal. 1.ed. Rio de Janeiro: CPAD, 1996, p. 222).

SUBSÍDIO TEOLÓGICO – Top 4
“Através do mundo inteiro, qualquer crente, ao ler a Bíblia, recebe sua mensagem como se esta fora escrita diretamente para ele. Nenhum crente tem a Bíblia como livro alheio, estrangeiro, como acontece aos demais livros traduzidos. Todas as raças consideram a Bíblia como possessão sua. Por exemplo, ao lermos ‘O Peregrino’ sabemos que ele é inglês; ao lermos ‘Em seus passos que faria JESUS?’ sabemos que é norte-americano, porque seus autores são oriundos desses países. É assim com a Bíblia? Não! Nós a recebemos como ‘nossa’. Isso acontece em qualquer país onde ela chega. Ninguém tem a Bíblia como livro ‘dos outros’. Isto prova que ela procede de DEUS – o Pai de todos” (GILBERTO, Antonio. A Bíblia através dos Séculos: A história e formação do Livro dos livros. 14.ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2003, p. 46).

 PARA REFLETIR – A respeito da inspiração divina e a autoridade da Bíblia, responda:
Qual o significado da palavra teopneustia? A palavra teopneustia significa “inspiração divina da Bíblia”.
De onde deriva a autoridade das Escrituras? A autoridade da Bíblia deriva de sua origem divina.
O que significa a expressão “inspiração plenária”? Tal expressão significa que todos os livros das Escrituras são inspirados por DEUS.
O que significam as palavras “inspiração verbal”? Significa que cada palavra foi inspirada pelo ESPÍRITO SANTO (1 Co 2.13).
Segundo a lição, qual é o propósito das Escrituras? O propósito das Escrituras é o ensino para a salvação em JESUS. 


 CONSULTE – Revista Ensinador Cristão – CPAD, nº 71, p. 36  

Resumo Rápido da Lição 1, Inspiração Divina e Autoridade da Bíblia 

INTRODUÇÃO QUE  É  A  DOUTRINA  BÍBLICA? Doutrina: Conjunto de ensinos e crenças que constituem o cânon de fé e prática do cristão. “Doutrina é coisa prática, visto que desperta o coração”.1. Definição. A doutrina é um conjunto de princípios que, tendo como base as Sagradas Escrituras, orienta o nosso relacionamento com DEUS, com a Igreja e com os nossos semelhantes.2. Objetivos. Aprofundar o nosso conhecimento de DEUS (Os 6.3). Visa a doutrina bíblica à perfeição moral e espiritual do ser humano.3. Doutrina e costumes. Doutrina não são costumes.Não podemos dissociar os bons costumes da doutrina. Como aqueles dependem desta, logo: a boa doutrina gera, necessariamente, os bons costumes. 

NECESSIDADE DA DOUTRINA 1. A doutrina bíblica nos mantém na salvação em CRISTO.2. A doutrina bíblica santifica-nos.3. A doutrina bíblica torna-nos sábios.

Clik nesta segunda opção para ter o assunto na íntegra

Continue lendo

Temer precisará do apoio de 172 deputados para se livrar das acusações e salvar o mandato

O Supremo Tribunal Federal (STF) entregou na manhã desta quinta-feira (29) a denúncia de corrupção passiva contra o presidente Michel Temer (PMDB) à Câmara. O documento foi protocolado por volta das 9h30 pelo diretor-geral da Corte, Eduardo Silva Toledo, na Secretaria-Geral da Mesa da Casa. A denúncia da Procuradoria-Geral da República contra o presidente ainda tem um longo caminho a percorrer.

Continue lendo

Centrais sindicais convocaram para está sexta-feira (30) uma nova greve geral em protesto contra as reformas da Previdência e trabalhista do governo Michel Temer (PMDB). O movimento, convocado pelas centrais sindicais e também pelas as Frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo, promete ser menor que o último ato realizado no dia 28 de abril. No entanto, em diversas cidades do país, o dia promete ser de paralisação e protestos. Além das reformas, os manifestantes também protestam pelo “Fora Temer” e pelas “Diretas Já”. Na última quarta-feira (28), a reforma trabalhista avançou no Senado, com aprovação do parecer favorável na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Casa. Em São Paulo, os rodoviários voltaram atrás e decidiram não aderir à paralisação. O metrô deve funcionar parcialmente. Uma liminar do Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região (TRT-2) determinou que 80% dos metroviários trabalhem em horário de pico (das 6h às 9h e das 16h às 19h). Nos demais períodos, o efetivo deverá ser de 60%. Em caso de descumprimento, será aplicada multa no valor de R$ 100 mil. Segundo a CUT, haverá a adesão de bancários, professores, petroleiros e profissionais da saúde no estado. O Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto (MTST) ocupa, agora pela manhã, o Aeroporto de Congonhas e Guarulhos.

No Rio de Janeiro, o movimento começou na madrugada. Na Ponte da Barra, em Macaé, no Norte Fluminense, manifestantes atearam fogo em pneus e fizeram um bloqueio para interditar a ponte. A cidade é conhecida como a capital nacional do petróleo, por produzir quase 80% do petróleo do país. Bancários, professores, metalúrgicos, vigilantes e petroleiros aderiram aos protestos. Os manifestantes fazem bloqueios em diversas vias e bairros do estado, bem como nos aeroportos do Galeão e Santos Dumont.

Em Curitiba, professores, bancários, vigilantes, metalúrgicos e petroleiros também paralisaram, mas os metroviários mantiveram a rotina de trabalho.

Já em Brasília,  metroviários, rodoviários, bancários, professores e trabalhadores do Judiciário decidiram cruzar os braços e farão movimentos pontuais na capital.

Continue lendo

A Reforma ataca os direitos do trabalhador - Créditos: Edson Lopes Jr/A2AD
                                               A Reforma ataca os direitos do trabalhador
                                                                  / Edson Lopes Jr/A2AD

Diversas frentes e Associações de juristas, que congregam mais de 40 mil magistrados, se uniram ao Ministério Público e, em nota, formalizaram um repúdio à proposta da reforma trabalhista que tramita no Congresso. Eles reiteram que a reforma é o maior projeto de retirada de direitos trabalhistas já discutido no Congresso Nacional, desde o surgimento da Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT). Afirmam ainda que a proposta fere a jurisprudência consolidada nos Tribunais Regionais e no Tribunal Superior do Trabalho. O empresariado é grande privilegiado no texto da proposição. O texto declara que se trata da criação e ampliação de novas formas de contratos de trabalho precários que configuram um corte de direitos e remuneração. A regra autoriza, inclusive, o pagamento abaixo do salário mínimo mensal, o que, de acordo com os magistrados, “concorreria para o aumento dos já elevados níveis de desemprego e de rotatividade no mercado de trabalho”. Um dos trechos de maior destaque e complexidade do projeto é o que se refere à terceirização nas atividades meio e fim e o que trata do trabalho intermitente – contrato de trabalho no qual o empregado fica à disposição da empresa para trabalhar conforme a demanda. Essas mudanças refletirão, nas palavras dos juristas, “em condições altamente precarizantes de trabalho em todo o mundo e no Brasil especialmente.”

A nota na íntegra está disponível a seguir:

Continue lendo

Juan Pablo Bohoslavsky critica a reforma trabalhista proposta pelo governo golpista de Michel Temer. - Créditos: Reprodução
Juan Pablo Bohoslavsky critica a reforma trabalhista proposta pelo governo golpista de Michel Temer. / Reprodução

Um grande número de países embarcou, nos últimos anos, em reformas de políticas e normas trabalhistas no sentido da austeridade com o objetivo de superar contextos econômicos recessivos ou prevenir crises financeiras.

Diante das reformas laborais em vigor e tomado por base a discussão no Brasil, gostaria de contribuir para o debate com algumas ideias que apresentei, em março deste ano, no relatório anual do Conselho de Direitos Humanos da ONU.

Geralmente essas reformas consistem em congelar ou reduzir salários, aumentar a jornada de trabalho, impor contratos precários, limitar os seguros para acidentes ou doenças ocupacionais, facilitar demissões e reduzir o número de funcionários públicos.Também se incluem as reformas que afetaram os sistemas de negociação coletiva, por exemplo, restringindo o alcance dos acordos coletivos setoriais e a negociação ao âmbito do local de trabalho, ou permitindo a negociação com representantes alheios aos sindicatos. Existe alguma evidência empírica de que a situação dos trabalhadores, dos desempregados ou da economia em geral melhore graças ao enfraquecimento dos direitos individuais e coletivos do trabalho? São muitos os exemplos que demonstram que tais reformas contribuíram para aumentar a desigualdade, a precarização e informalização do emprego, estimularam a discriminação no mercado de trabalho contra mulheres, jovens, idosos e outras pessoas pertencentes a grupos sociais marginalizados, diminuindo a proteção social dos trabalhadores. A ideia de que, em termos gerais, os direitos trabalhistas se exercem de em detrimento do desenvolvimento econômico tem sido questionada tanto no aspecto teórico quanto no plano empírico, e já se tem demonstrado de forma mais concreta que as reformas trabalhistas promovidas pelas políticas de austeridade geralmente não contribuem para a recuperação econômica. Essas reformas não melhoram os resultados econômicos; pelo contrário, causam graves prejuízos aos trabalhadores, que seguirão sentindo seus efeitos por muitos anos. A desregulamentação do mercado de trabalho não favorece o crescimento nem o emprego. Em um número cada vez maior se vem assinalando que as leis trabalhistas têm efeitos econômicos positivos, entre outras coisas, para a produtividade e a inovação.

Continue lendo

       A Loja FARIAS CALÇADOS,  localizada na rua José Horácio de Souza, N° 122, na cidade de Santa Terezinha PE, está promovendo uma grande PROMOÇÃO,  com preços a partir de R$ 15,00. A variedade em calçados masculino, feminino, adulto e infantil, com várias marcas e modelos. Maravilha  para seus pés, com economia para seu bolso. 

       Visite-nos e comprove nossa grande PROMOÇÃO. Participe das festas juninas de forma privilegiada, promovida pela FARIAS CALÇADOS. 

   

"Saímos bastante insatisfeitos" das negociações com o Governo, diz juíza Manuela Paupério

“Saímos bastante insatisfeitos” das negociações com o Governo, diz juíza Manuela Paupério 
ENRIC VIVES-RUBIO

Três reuniões com a ministra da Justiça, Francisca Van Dunem, não foram suficientes para juízes e Governo chegarem a acordo sobre a revisão do estatuto dos magistrados judiciais. Uma greve dos juízes em Agosto está agora em cima da mesa, confirmou ao PÚBLICO a presidente da associação sindical da classe, Manuela Paupério, no final do encontro desta quinta-feira, que foi também o último das negociações.

”Saímos bastante descontentes. O Governo tentou com esta negociação a quadratura do círculo, mas desde o início decidiu que nestas negociações não fosse acolhido nada que tivesse impacto orçamental”, frisou Manuela Paupério, especificando que os juízes saem deste processo sem que lhes tenha sido garantida a possibilidade de “terem uma carreira e de progredirem” nela.

Sem acordo ficou também a atualização do actual suplemento salarial de 620 euros, que se destina a compensar a exclusividade obrigatória.

Nos próximos dias, a direção da Associação Sindical de Juízes Portugueses irá reunir-se para decidir quais “as medidas mais adequadas para demonstrar” o descontentamento da classe, adiantou Manuela Paupério, acrescentando que entre estas continua a figurar a possibilidade de uma greve em Agosto, já provada pelos juízes e que poderá pôr em causa as eleições autárquicas de Outubro, já que é naquele mês que os tribunais são chamados a aprovar os candidatos a estas eleições.

Numa nota enviada à comunicação social, o Ministério da Justiça (MJ) confirma que não foi possível alcançar um “acordo quanto ao regime remuneratório [dos juízes], face às limitações decorrentes da conjuntura econômico-financeira do país”.

O MJ frisa, contudo, que se “logrou atingir um amplo consenso na generalidade das matérias” e que este processo negocial se traduziu num “debate com grande abertura, participação e empenhamento de ambas as partes, tendo sido acolhidas várias da sugestões e propostas apresentadas”.Manuela Paupério também sublinha que foram contempladas algumas das reivindicações dos juízes, nomeadamente no que respeita à parte disciplinar, mas que os aspectos que eram considerados “essenciais” pelos magistrados ficaram sem resposta. O estatuto dos magistrados judiciais está há seis anos para ser revisto. Entre as principais reivindicações dos juízes figuram a subida do atual suplemento salarial de 620 euros; o aumento das possibilidades de progressão na carreira; a adaptação do estatuto profissional à nova organização dos tribunais; a melhoria das salvaguardas de independência dos juízes; e a possibilidade de, em sede de recurso judicial das punições disciplinares, alterar em tribunal os factos apurados durante os processos disciplinares. 

publico.pt

   Nestas festas juninas faça a diferença,  calce seus pés com elegância, requinte e o melhor,  fazendo economia. 
  A Loja Natália Calçados tem o que há de melhor para manter seus clientes satisfeitos, a loja que sempre é atualizada com a moda, em todos os estilos e para todos os gostos. Mantendo estoques renovadores, masculino,  feminino, adulto e infantil. Com uma grande variedade: esporte, social, etc.
    Faça-nos uma visita e comprove o enunciado.  Faça sua compra e sinta-se satisfeito (a). Divirta-se numa boa e com conforto nos pés. Gratos pela preferência. 

Palácio da Alvorada: a Polícia Federal está no local para investigar o que houve

(Ichiro Guerra/Presidência da República/Divulgação

Brasília – Por volta das 19h desta quarta-feira, 28, um rapaz dirigindo uma espécie de van ou SUV preta chegou à portaria do Palácio da Alvorada como se fosse se identificar para entrar. Na hora que o segurança foi abordá-lo, o rapaz acelerou, derrubou o portão de entrada do palácio e seguiu invadindo a residência oficial da Presidência da República. O soldado do Exército que estava no local começou a disparar tiros de escopeta em direção ao carro. Foram cinco ou seis tiros e o motorista, que parecia menor de idade, só parou o carro perto da igrejinha do Alvorada. Após deixar o veículo, o rapaz saiu correndo e se escondeu nos jardins do palácio. A segurança vasculhou a área e o achou. O rapaz, que não foi atingido por nenhum tiro, falava frases desconexas quando foi abordado. A Polícia Federal está no local para investigar o que houve.Uma perícia está sendo realizada no local e o jovem foi detido. O presidente Michel Temer e sua família não moram no Alvorada, mas no Palácio do Jaburu.Temer, que estava no Planalto na hora do ocorrido, foi informado pelo ministro-chefe do GSI, general Sérgio Etchegoyen, do episódio.

O Planalto vai emitir uma nota dando maiores esclarecimentos sobre o ocorrido. Depois do incidente, o acesso ao Palácio da Alvorada foi fechado.

 Exame

 
Renan Calheiros, PMDB/AL

Renan Calheiros, PMDB/ALFoto: Reprodução/TV Senado

O senador Renan Calheiros (AL) deixou nesta quarta-feira (28) a liderança do PMDB no Senado afirmando que não tolera o que classificou de “postura covarde” do presidente Michel Temer.”Não detesto Michel Temer. Não é verdade o que dizem. O que eu não tolero é sua postura covarde diante do desmonte da consolidação do trabalho”, disse. A decisão de Renan foi tomada na manhã desta quarta depois de uma série de conversas com parlamentares do partido. “Convencido de que o problema do governo é o líder do PMDB, me afasto da liderança para expressar meu pensamento e exercer minha função com total independência”, disse o peemedebista, indicando que manterá independência em relação ao governo. Renan acusou o governo de “perseguir” os parlamentares que não “rezam a cartilha do governo” e disse não ter vocação para ser “marionete”. Em discurso que durou cerca de 15 minutos, o senador voltou a falar que o ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha (PMDB-RJ) continua influenciando o governo.

Continue lendo

 O projeto Sesi pelo Bem, do Sistema FIEPE liderado pelo Serviço Social da Indústria de Pernambuco, encerra o mês de junho com a marca de socorrer 15 mil famílias atingidas pelas enchentes, que ocorreram no final de maio no Estado. A iniciativa distribuiu cestas com alimentos não-perecíveis para consumo imediato e produtos de higiene pessoal nos 24 municípios que estão em situação de emergência. Beneficiada pelo projeto, Rilza Santos, moradora de Palmares, uma das primeiras cidades atendidas com o Sesi pelo Bem, fez questão de registrar seu agradecimento. “Eu fui agraciada com uma cesta. Deus continue abençoando esta empresa, porque só sabe quem passa por uma necessidade dessa natureza”. A professora da rede estadual, Cleide Fernandes, moradora de Belém de Maria, reforçou “esse ato de solidariedade faz muita diferença. Muito obrigada, em nome de todos nós que neste momento estamos precisando, a esta instituição respeitada no país inteiro em olhar para nossa cidade.”Já o superintendente da entidade, Nilo Simões, afirmou que “a prioridade para nós do Sesi são as pessoas, é isso o que chamamos de responsabilidade social. Por isso, neste momento de tanta dificuldade, nos apressamos para tentar aliviar o sofrimento dessas famílias”. Por isso, as cidades mais necessitadas foram atendidas primeiro e as menos afetadas por último. A entidade investiu cerca de R$ 1 milhão no projeto.O Sesi pelo Bem começou em 12 de junho. Além de Palmares e Belém de Maria, o projeto atendeu as cidades de Água Preta, Amaraji, Barra de Guabiraba, Barreiros, Caruaru, Catende, Cortês, Gameleira, Ipojuca, Jaqueira, Joaquim Nabuco, Jurema, Lagoa dos Gatos, Maraial, Primavera, Quipapá, Ribeirão, Rio Formoso, São Benedito do Sul, Sirinhaém, Tamandaré e Xexéu.

Começa nesta quarta (28) o maior e mais importante evento do calendário festivo de Afogados da Ingazeira: a 13ª Expoagro. E para garantir a plena participação dos servidores públicos municipais, a Prefeitura de Afogados da Ingazeira dá início ao pagamento do seu funcionalismo. “A expectativa para este ano é superar as edições anteriores, movimentando ainda mais a nossa economia e aquecendo o nosso comércio.

Expoagro não é despesa, é investimento que gera renda para a cidade. E nesse contexto não podíamos deixar de, fazendo um grande esforço, iniciar o pagamento de quem tanto contribui para o desenvolvimento de nossa querida Afogados,” destacou o Prefeito José Patriota.  

A partir desta quarta (28), serão injetados R$ 2.030.724,21 referentes ao pagamento de 1.364 servidores, incluindo aposentados e pensionistas. Confira o calendário:

28 de Junho – Secretarias de Assistência Social e Saúde

29 de Junho – Secretarias de Administração, Agricultura, Controle Interno, Cultura e Esportes, Educação, Finanças, Infraestrutura, Transportes, Gabinete, Procuradoria, Coordenadoria da Mulher e Ouvidoria

30 de Junho – Aposentados e Pensionistas

Prefeitura de Afogados da Ingazeira
Núcleo de Comunicação Social

TEXTO DO DIA

“E disse Deus: Haja Luminares na expansão dos céus, para haver separação entre o dia e a noite; e sejam eles para sinais e para tempos determinados e para dias e anos.” (Gn 1.14)

SÍNTESE

Deus criou o tempo (chronos) e seu objetivo era poder se relacionar com a raça humana.

AGENDA DE LEITURA

SEGUNDA – SI 39.4: A brevidade da vida

TERÇA – Ec 912: O homem que não conhece o seu tempo

QUARTA – Et 4.14: Aproveitando o tempo de Deus

QUINTA – Gl 6.10: Enquanto temos tempo, façamos o bem

SEXTA – Ef 5.15.16: Otimizando o tempo

SÁBADO – SI 31.15: O tempo está nas mãos de Deus

OBJETIVOS

APRESENTAR o conceito de tempo, sua origem, importância e implicações;

EXPLICAR que Deus não está sujeito às regras temporais;

MOSTRAR o sentido da vida no tempo, de maneira a poder conhecê-lo e aprender a contá-lo.

INTERAÇÃO

Caro professor, neste trimestre estudaremos a respeito do tempo. Você verá que as lições de 1 a 8 têm um enfoque prático e devocional, mas voltadas para a vida cristã saudável. Já as lições de 9 a 13 são mais apologéticas. Seus alunos terão uma grande oportunidade de compreender a vontade do Senhor na administração do tempo. Que possamos fazer uso do nosso tempo com sabedoria para que venhamos alcançar corações sábios.

O comentarista é o pastor Reynaldo Odilo Martins Soares, juiz de direito, bacharel em Direito pela UFRN, pós-graduado em Direito Processual pela UnP, mestre e doutorando pela Universidade do País Basco (Espanha) e autor do livro “Eu e Minha Casa” (editado pela CPAD).

ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA

Querido professor, você foi escolhido por Deus para o ministério do ensino, portanto, considere-se privilegiado. O Senhor confiou a você a tarefa de contribuir, de forma significativa, com a formação espiritual de uma pequena parte de seus filhos. Quanta responsabilidade! No entanto, apesar do imenso desafio inerente a essa tarefa, somado às muitas atividades do dia a dia, até aqui o Senhor tem o fortalecido. Creia que neste trimestre não será diferente. Dedique-se ao seu ministério e invista nele. O Mestre dos mestres é o maior interessado no êxito desta obra e Ele lhe ajudará a, num mundo em que as pessoas valorizam apenas o que é instantâneo, falar sobre “tempo para todas as coisas”! Inspire-se! Você será o instrumento de Deus para ensinar que não se deve querer atrasar ou apressar o kairós.

TEXTO BÍBLICO

Eclesiastes 3.1-8

1 TUDO tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo o propósito debaixo do céu.

2 Há tempo de nascer, e tempo de morrer; tempo de plantar, e tempo de arrancar o que se plantou;

3 Tempo de matar, e tempo de curar; tempo de derrubar, e tempo de edificar;

4 Tempo de chorar, e tempo de rir; tempo de prantear, e tempo de dançar;

5 Tempo de espalhar pedras, e tempo de ajuntar pedras; tempo de abraçar, e tempo de afastar-se de abraçar;

6 Tempo de buscar, e tempo de perder; tempo de guardar, e tempo de lançar fora;

7 Tempo de rasgar, e tempo de coser; tempo de estar calado, e tempo de falar;

8 Tempo de amar, e tempo de odiar; tempo de guerra, e tempo de paz.

COMENTÁRIO

INTRODUÇÃO

Os céus e a terra, e tudo quanto neles existem, pertencem ao Senhor (Dt 10.14; Jó 41.11). No que diz respeito ao tempo, essa assertiva se torna ainda mais forte, uma vez que o homem não pode produzir, ou reter, um único momento do seu tempo. Cada minuto da vida é um presente do Criador. Deus dá a todos apenas a mordomia sobre o tempo, ofertando-Ihes oportunidade de realizar todas as coisas. No fim de tudo, porém, o Senhor pedirá contas pelo gasto equivocado do tempo.

I- O TEMPO E SUAS IMPLICAÇÕES

1.Considerações preliminares.

Após a criação (Gn 1.1), Deus estabeleceu um tempo para todas as coisas debaixo do sol (Ec 3.1). Ele tem um propósito para todas as suas obras, pois não faz nada ao acaso. Na eternidade, onde Deus habita (Is 57.15), não se mede o tempo como nós medimos. O Senhor pode, simultaneamente, responder as orações de milhões de pessoas (Jr 33.3), dar comida aos corvos (Lc 12.24), fazer maravilhas (SI 72.18), e ainda compadecer-se e abençoar o parto das cabras monteses, bem como das gazelas nas savanas africanas (Jó 39.1-3), dentre muitas outras tarefas espalhadas por todo o imenso universo de aproximadamente trezentos bilhões de galáxias. Mas isso não é nada para o Todo-Poderoso, o qual é o Pai da eternidade.

  1. A origem do tempo (chronos).

A partir do século XX, com o surgimento da teoria do Big Bang, a maioria dos cientistas passou a defender que o universo teve um marco inicial há mais de 13 bilhões de anos, quando um “átomo primordial” teria explodido, dando origem a tudo. Porém, inexistem dados aferíveis cientificamente que comprovem a hipótese do Big Bang, como também não há revelação bíblica que indique a ocorrência de uma grande explosão no passado remoto, que tivesse liberado energia criadora. No entanto, tanto a Bíblia como a ciência concordam que o universo teve um início. Assim, se houve um início para o universo, é inegável admitir que existiu uma época – antes de Génesis 1.1 – em que não havia matéria, nem espaço para a conter, como também não havia tempo a ser contado (chronos). Era apenas a eternidade. Então, Deus decidiu criar todas as coisas, submetendo-as às regras do tempo.

  1. Importância do tempo.

A importância do tempo (chronos) se dá, dentre outras coisas, pela necessidade do estabelecimento de ciclos para todas as obras formadas, bem como para que o homem, a obra prima da criação, pudesse conhecer e buscar a Deus.

Pense!

O tempo para Deus seria uma opção ou uma condição imposta?

Ponto importante

Deus é Criador e Senhor do tempo, do espaço e da matéria e, por isso, ELe não está sujeito a nenhuma das Limitações e contingenciamentos deste mundo.

II – DEUS E O TEMPO

  1. A atemporalidade de Deus.

A Bíblia afirma que Deus é atemporal. Ele é Deus de eternidade a eternidade, ou seja, não teve início e nem terá fim (SI 90.2). Nem mesmo todo o universo pode contê-Lo (2 Cr 6.18). Ademais, Ele não pode ser provado empiricamente porque nunca foi criado e, portanto, não teve início. Então, como o Criador poderia se relacionar com os homens, tão finitos, para salvá-los?

Para resolver este problema, Ele enviou o seu Filho Unigênito (Jo 3.16). O Verbo se fez carne (homem) e habitou entre nós. A encarnação de Jesus era a única forma da imagem de Deus se tornar tangível por um tempo, para que os seres humanos “vissem, contemplassem e tocassem da Palavra da Vida” (1Jo 1.1,2), e assim fossem conduzidos à salvação.

  1. Relacionando-se no tempo com uma pessoa atemporal.

A partir de Jesus, os homens puderam ver, enfim, a glória de Deus. Antes, se vissem, morriam, pois o finito não pode conter, e nem ao menos ver, o Infinito (Êx 33.20). Jesus, o Filho de Deus, para vir ao mundo precisou “aniquilar-se” a si mesmo, fazendo-se semelhante aos homens (Fl 2.7).

A Bíblia mostra que Deus é completamente ilimitado em relação ao tempo, não seguindo, portanto, o calendário humano, pois, para Ele, mil anos são como “o dia de ontem” ou a “vigília da noite” (SI 90.4). Precisamos entender que Deus tem o seu tempo para agir. Ele não se adianta ou chega atrasado. Como filhos precisamos aprender a confiar nEle, independentemente do tempo.

  1. Kairós X Chronos.

Kairós é uma palavra de origem grega, que significa “momento certo”, “tempo oportuno”, em oposição a chronos, que traz a ideia de tempo sequencial, cronológico, quantitativo.

Essas duas formas de definir, no grego, o tempo, trazem consigo um conflito épico, por assim dizer. De um lado o tempo linear, quantitativo, marcado pelos relógios e calendários – chronos -, do outro o tempo qualitativo, o momento ideal, próprio, para os fatos acontecerem – kairós.

Pense!

Como entender um Deus que, não está sujeito a qualquer Limitação, ou fragilidade, mas que decide relacionar-se com sua criação corrompida pela Queda?

Ponto Importante

A encarnação de Jesus foi uma oportunidade para que, por algum tempo, os homens pudessem, ver a glória de Deus.

Ill – A VIDA NO TEMPO

  1. Vivendo no tempo.

Deus colocou a eternidade no coração do homem, no seu espírito e alma. Mas o nosso corpo é corruptível e está sujeito a ação do tempo (SI 90.10). Talvez, por isso, seja tão difícil nos conformarmos com a morte, pois existe uma fagulha divina acesa em nosso espírito e que anela pela eternidade.

  1. Conhecendo o tempo.

Conhecer o tempo (kairós) faz toda a diferença, como aconteceu com alguns dos filhos de Issacar, os quais eram destros na ciência dos tempos, para saberem o que Israel devia fazer (1Cr 12.32). Eles tinham discernimento e, por isso, foram indispensáveis para a prosperidade da nação de Israel e ganharam muito destaque.

  1. Contando o tempo.

Moisés, certa vez, orou a Deus pedindo: “Ensina-nos a contar os nossos dias, de tal maneira que alcancemos coração sábio” (SI 90.12). O grande problema de muitas pessoas é que deixam para pensar sobre o fim da existência terrena somente quando lhes resta bem pouco tempo. Contar os dias é uma atitude de sabedoria, pois significa ter em perspectiva a iminência da morte, o que garante um melhor entendimento sobre como aproveitar os dias de vida.

Pensei

Como identificar o kairós, e não ficar apenas à mercê do chronos?

Ponto Importante

Se o timing perfeito existe, ele consiste em “acertar” o nosso relógio (chronos) com o relógio de Deus (kairós). Para tanto, é necessário estar em comunhão com Ele.

SUBSÍDIO 1

Deus não tem que se apressar no decurso do tempo deste Universo, assim como um autor não está sujeito ao tempo imaginário do romance que escreve. Deus tem uma atenção infinita para dispensar a cada um de nós. Não tem que Lidar conosco em conjunto. Você está tão a sós com Deus como se fosse o único ser que Ele criou. […] Deus, creio, não vive absolutamente numa sucessão temporal, […] Porque Ele é a sua própria vida.

Deus está num ambiente sem sucessões temporais e que me faz ter certeza de que pode atender-me no mesmo instante em que atende aos rogos de outros, mesmo quando estes são milhões. […] Deus não prevê os fatos, Ele os vê, e concomitantemente. Chegamos, então, à conclusão de que o meu tempo, ou o nosso tempo, não afeta aiónios (o tempo de Deus). Isso é algo confortante. E a explicação é que Deus é extrapolante, infinito, sempiterno, imensurável; logo, só pode estar na eternidade. Mas, por ser tudo isso, o tempo também pode estar nEle, pois o tempo é finito, O finito é um ponto fixo no infinito. O finito cabe no infinito, [..] Deus não é afetado pelo tempo, mas Ele afeta o tempo. Deus enche o mundo com uma parte de sua infinitude e por meio de sua onipresença” (DANIEL. Silas Reflexões sobre a Alma e o Tempo. 1.ed., Rio de Janeiro: CPAD, 2001. p. 142).

SUBSÍDIO 2

O que Deus fazia no princípio?

Não é fácil responder a essa pergunta, pois não dispomos de nenhuma informação acerca de suas atividades entre os três primeiros versículos do capitulo um de Gênesis. Todavia, permitam-me algumas conclusões, que acredito serem coerentes e razoáveis. Antes de Deus fazer a Terra, Ele criou sua própria morada.

Deus jamais faria a sua obra na eternidade, porquanto esta é um atributo exclusivamente seu d Tm 6.16). O Criador é sempiterno; a criação, temporal. Ao contrário dos gregos que acreditavam na eternidade da matéria, os hebreus creem que tudo quanto existe no tempo, foi criado pelo Eterno (Hb 11.3). Aliás, nem a própria morada de Deus é eterna.

Sendo o tempo a duração relativa das coisas, geramos a noção de presente, passado e futuro: um período contínuo no qual se sucedem os eventos. Deus, porém, é o que é. Ele não está sujeito a qualquer sucessão de dias ou séculos. Presente, passado e futuro são-lhe a mesma coisa, Logo, somente o Eterno poderia criar o tempo,

l…] O Criador não se acha limitado quer pelo tempo, quer pelo espaço; a criação, sim. Até mesmo, os anjos não podem estar em dois lugares ao mesmo tempo” (ANDRADE, Claudionor, O Começo de Todas as Coisas, 1.ed., Rio de Janeiro: CPAD, 2015, p. 23).

CONCLUSÃO

Deus, ao estabelecer que as coisas teriam um tempo oportuno (kairós] para serem realizadas, criou a possibilidade dos homens cumprirem, não o seu destino, mas o propósito para o qual foram criados.

HORA DA REVISÃO

  1. A Bíblia e a ciência discordam quanto ao universo ter uma origem? Explique.

Não! A ciência e a Bíblia concordam que o universo foi criado, que teve um início; há divergência, apenas, sobre como isso aconteceu.

  1. Aponte pelo menos uma importância da existência do tempo para a criação.

Para que, no tempo, o homem pudesse conhecer e buscar a Deus.

  1. Identifique três referências bíblicas que abordem a ideia da atemporalidade e/ ou eternidade de Deus.

Salmos 90.4; Isaias 57,15; 2 Pedro 3.8.

  1. Diferencie a ideia do tempo chronos e kairós.

O chronos fala de tempo linear, quantitativo, marcado pelos relógios e calendários. Já o kairós fala de tempo qualitativo, o momento ideal, oportuno para todas as coisas.

  1. Segundo a lição, o que significa “contar o tempo”?

Contar o tempo é ter em perspectiva a iminência da morte, o que garante um melhor entendimento sobre como aproveitar os dias de vida. 

A Presidência da República sancionou, nesta terça-feira (27), a Lei nº 13.460/2017, que dispõe sobre a participação, proteção e defesa dos direitos dos usuários de serviços públicos. A Lei, redigida com a contribuição do Ministério da Transparência e Controladoria-Geral da União (CGU), prevê também as atribuições e deveres das ouvidorias públicas, como forma de tratamento e o prazo de até 30 dias (prorrogáveis por igual período) de resposta final às denúncias, reclamações, solicitações, sugestões e elogios dos cidadãos. 

A Lei nº 13.460/2017 regulamenta o §3º do artigo 37 da Constituição Federal, garantindo as formas de participação da sociedade e de avaliação periódica da qualidade dos serviços públicos. Entre os direitos básicos estão: igualdade no tratamento dos usuários, vedado qualquer tipo de discriminação; atendimento por ordem de chegada, ressalvados casos de urgência e as prioridades asseguradas por lei; aplicação de soluções tecnológicas para simplificar processos e procedimentos, entre outros. 

De acordo com o normativo, os órgãos terão de disponibilizar e atualizar periodicamente uma Carta de Serviço ao Usuário, com informações claras a respeito do serviço prestado, tempo de espera para atendimento, prazo máximo e locais para reclamação, entre outros serviços. As regras valem para serviços prestados por órgãos e entidades da administração pública direta e indireta, contemplando os três poderes (Executivo, Legislativo e Judiciário), além de entidades que prestam serviços públicos de forma delegada. 

Ouvidoria 

O normativo define a ouvidoria como o canal de entrada das manifestações, bem como orienta que cada Poder e esfera de governo disponha de atos normativos específicos acerca da organização e funcionamento desses espaços de controle e participação social, que atuam como interface entre sociedade e Estado. 

Outro avanço é avaliação cidadã dos serviços públicos. A lei determina que órgãos e entidades deverão medir anualmente o índice de satisfação dos usuários e a qualidade do atendimento prestado. O ouvidor-geral da União, Gilberto Waller Junior, celebrou o avanço histórico para a consolidação da participação social por meio das ouvidorias. “A lei trata de direcionar o foco do Estado novamente ao cidadão, a fim de compreender e atender da melhor forma as necessidades e expectativas. É fundamental ouvir a sociedade para garantir um serviço de qualidade, ágil e sem burocracias”, avaliou.

A Lei nº 13.460/2017 entrará em vigor, a contar da data de publicação, em 360 dias para a União, os Estados, o Distrito Federal e os municípios com mais de quinhentos mil habitantes. O normativo terá prazos variados para os municípios poderem se adequar. A vigência será em 540 dias, para municípios entre 100 mil e 500 mil habitantes, e 720 dias para os com menos de 100 mil habitantes.

” É o mínimo que se pode fazer pela classe pobre”

                 

Esse guia foi criado especialmente para você com muita dedicação e carinho. Explicamos todo o método de forma simples e objetiva, passo-a-passo, para que qualquer pessoa comum possa entender. Criamos um mapa com tudo o que você deve fazer,  para exigir seus direitos na justiça e receber seu dinheiro de volta 

energiasemimposto

O senador Paulo Paim (PT-RS) voltou a protestar em Plenário contra as reformas propostas pelo governo do presidente da República, Michel Temer. Ele também afirmou que mais de 100 milhões de brasileiros serão prejudicados e comparou o PLC 38/2017 a “uma revogação da Lei Áurea”.

Segundo Paim, mesmo os parlamentares que defendem a reforma Trabalhista, por exemplo, estão querendo mudanças no texto aprovado pela Câmara dos Deputados. O único consenso, disse o senador, é o de que o Senado precisa cumprir seu papel de Casa revisora, aprovando alterações na matéria.

Ao citar madre Tereza de Calcutá, falecida em 1997, Paim questionou se o mundo perdeu sua capacidade de amar. Ele declarou que a vida só vai evoluir por meio da compreensão de que não vale a pena o isolamento e destacou que a humanização do trabalho melhora a qualidade de vida, dando aos cidadãos o direito de viver, trabalhar e morrer com dignidade.

— Se esta reforma for aprovada, fica decretado: a liberdade deixa de existir. Os livres, agora são cativos. Isso é a desumanização da ação política. O homem deixa de ser o centro do universo e transforma-se no opressor de si mesmo.

Universalização da banda larga, alta tributação dos serviços de telefonia, infraestrutura sub utilizada e aprovação da Lei Geral das Telecomunicações foram alguns dos temas abordados em audiência pública da Comissão de Ciência e Tecnologia (CCT) nesta terça-feira (27).

O debate foi o segundo promovido pela comissão para tratar da Política Nacional de Banda Larga, tema escolhido para ser analisado pelo colegiado ao longo deste ano. O representante da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), Igor de Freitas, disse na audiência que a falta de recursos para universalizar o serviço de banda larga no país levou à definição de critérios e de prioridades.

— O que a Anatel tem procurado fazer é orientar o uso eficiente e efetivo dos recursos. E quando a gente tem recursos escassos, a gente precisa olhar de forma objetiva e tentar definir critérios que possam orientar esses investimentos para atender o menor IDH, menor renda e mais gente possível — explicou.

Walter Pinheiro, senador afastado para ocupar o cargo de secretário de Educação da Bahia, afirmou que o país tem infraestrutura para levar banda larga a todos os recantos. O que falta, na visão dele, é regulamentação e implantação das políticas públicas.

— Para a gente ir para cidadão digital. As empresas só botam banda larga no lugar onde elas têm retorno. Isso é natural. Não estamos tratando com Irmã Dulce. Então, portanto, cabe ao Estado criar as regras e as condições para impor inclusive esse nível de condição. Que o Estado cumpra o seu papel regulador e não queira substituir as empresas — argumentou.

O senador Otto Alencar (PSD-BA), presidente da CCT, pediu agilidade da Casa na aprovação da Lei Geral das Telecomunicações (PLC 79/2006). A proposta já passou pela Câmara, por comissão especial no Senado e foi enviada à sanção. Mas o Supremo Tribunal Federal entendeu que a matéria deve ser discutida pelo Plenário do Senado.

— Eu estou muito mais convencido ainda de que o Senado Federal deveria votar esse projeto. Porque se fez aqui muito mais politicagem de quinta categoria do que defender os interesses do Brasil nesse setor — afirmou.

O debate sobre banda larga na CCT contou ainda com a participação de representantes do Ministério de Ciência e Tecnologia, das operadoras Claro e Telefônica e do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor.

Da Rádio Senado

Algumas dicas podem te ajudar a passar pelo período de

transição de uma forma melhor. Confira!

Foto Patrícia Canola

química excessiva dos alisamentos – seja pela progressiva, escova definitiva, relaxamento ou qualquer outro método – é um dos principais motivos que fazem as mulheres “artificialmente lisas” desejarem seus cachos de volta. Como conta Marta Gutenberg,  22 anos, psicóloga, de Jundiaí (SP).  “A química estava fazendo meu cabelo cair demais, então, para não ficar destruído, resolvi deixá-lo voltar ao normal”, diz. Outro motivo é o tempo enorme que os cuidados exigem,  acabando em muito trabalho e pouco resultado. “Não tinha tempo pra arrumar o cabelo como eu gostaria e saía de casa irritada porque ele vivia desarrumado e preso. Nada o fazia ficar bonito. Aí desisti. Estava disposta a aceitar o meu cabelo natural e não me preocupei em como ele ficaria”, relata Jéssica Martins, 26 anos, empresária, de São Paulo (SP). 

Porém, essa escolha implica em uma questão crucial: como sobreviver ao período de transição, em que o cabelo fica com a raiz ondulada e o comprimento alisado? “Antes de pensar em qualquer método ou cosmético milagroso, a palavra de ordem é paciência. E quanto maior a diferença de textura entre os fios naturais e os processados quimicamente, maior a necessidade de eliminá-los”,  explica Wilson Eliodório, cabeleireiro,  de São Paulo (SP). A boa notícia é que ao longo desse caminho alguns aliados facilitam a jornada, como penteados que disfarçam, um bom corte (na hora certa), produtos que nutrem e hidratam e cuidados essenciais no dia a dia, que amenizam essa fase de ansiedade que é preciso atravessar para ver os cachos naturais.

Penteados e acessórios

Estilizar e fazer penteados nesse período é fundamental para tornar o processo mais leve. Como explica Pitty Braga, hairstylist do salão Jacques Janine, de Belo Horizonte (MG): “O jeito é lançar mão de algumas alternativas para minimizar o contraste entre o fio natural que começa a aparecer com o que continua alisado. Por exemplo, vale investir no difusor, acessório do secador que distribui o ar quente de forma homogênea para dar movimento e maleabilidade aos fios”. O babyliss também é outra opção muito útil, como conta Jéssica Martins,  que também enfrentou o resgate dos cachos: “Eu usei o acessório durante todo o período de transição. Li em diversas reportagens que não seria o mais adequado, mas bateu um desespero porque eu tinha franja e ficou complicado. Comprei um babyliss bem fino e usei muito! Troquei a chapinha por ele”, relata. De fato,  o superaquecimento do babyliss pode fragilizar ainda mais a haste capilar que já está comprometida, mas parece não ter muita alternativa para o seu uso. “Ondular e criar cachos com a ajuda de produtos fixadores e o amigo babyliss são fundamentais para um bom resultado”, endossa Wilson Eliodório. 

Mas há outras saídas. O bom e velho penteado também é uma redenção nesse período. “Além de chorar de raiva, eu costumava usar constantemente o cabelo preso com um rabo de cavalo, assim conseguia esticar a raiz enrolada e deixar a parte lisa solta. Como a raiz era muito curta no começo, ficava praticamente impossível alisá-la com chapinha, então tinha que prender e passar creme ou gel na raiz”, lembra Marta Gutenberg. “Outra opção interessante para essa fase são as tranças e coques, muito práticos para o dia a dia, que não mostram muito o comprimento dos fios”, sugere Pitty Braga.

Contraste menos radical

Para amenizar a diferença de texturas é possível fazer um alisamento mais light na raiz. “Hoje, conseguimos minimizar o contraste entre a raiz crespa e os fios alisados com uma progressiva menos agressiva, com a fórmula mais suave e sem formol. A execução do tratamento também é diferente, é necessário diminuir o calor da chapinha e passá-la menos vezes no cabelo. E se o fio estiver muito fragilizado, usamos apenas o secador para ativar os benefícios do produto, sem usar a prancha”, detalha Pitty. Wilson Eliodório destaca que qualquer produto que altera a estrutura interna do fio vai desestruturar o cabelo e, por consequência, ele deixa de ser natural. “Em alguns casos, uso a própria progressiva para ajudar neste momento de transição, mas vale deixar claro que estamos processando o fio. Alguns profissionais utilizam a técnica de permanente nos fios alisados, é outra opção para minimizar a diferença de texturas”, diz o cabeleireiro.

corpoacorpo

Se consumida com casca, a pera contribui ainda mais

para o bom funcionamento do intestino

Foto Shutterstock

Você já parou para pensar como a pera pode ser uma boa opção para adicionar ao cardápio? Além de ter apenas 50 calorias por unidade, a fruta possui, ainda, um altíssimo poder de hidratação: a água representa mais de 80% de sua composição.

Os benefícios que podemos encontrar nela também chamam bastante atenção, já que é uma verdadeira fonte de beleza e saúde de fácil acesso. “Além de ser ótima fonte de vitamina C, que ajuda na boa coagulação do sangue, na manutenção da imunidade e na produção de colágeno da pele, possui ainda vitamina A, importante para a visão e pele, e vitaminas do complexo B, que colaboram para o bom funcionamento do sistema nervoso central e do metabolismo energético”, explica Renata Guirau, nutricionista do Oba Hortifruti.

Outro destaque da pera é a presença de minerais, especialmente o potássio, fundamental para a contração muscular e para a pressão arterial. “É ideal para quem faz atividades físicas em ambientes muito quentes ou quem precisa controlar a pressão arterial e, em complemento, apresenta manganês, magnésio e cobre, auxiliando na saúde dos ossos”, aponta a profissional. 

Como se não bastasse, a fruta ainda é rica em fibras, contribuindo para o bom funcionamento intestinal e para o controle do açúcar no sangue, principalmente se consumida com a casca. “Contém também antioxidantes que atuam no combate aos radicais livres, evitando o envelhecimento precoce das células e prevenindo o organismo de doenças crônicas”, completa Renata. 

Como escolher 

Na hora da compra, observe se a casca está íntegra e sem pontos de amassados, que podem indicar que a pera está muito madura e deve ser consumida mais rapidamente ou utilizada em preparações. A parte do talo pode ajudar também: se estiver macia ao toque, já está pronta para ser ingerida; se estiver ainda muito firme, precisa de mais alguns dias para estar no ponto certo. Nas frutas maduras, o aroma é igualmente mais acentuado.

Como conservar 

Por ser uma fruta bem delicada, a pera deve ser armazenada em geladeira para ter uma validade maior, preferencialmente na gaveta de vegetais, onde a temperatura não é fria a ponto de machucar (“queimar”) a casca.

corpoacorpo

Faça Sua Pesquisa no Google Aqui!
 
bove=""

 

Visitas
contador de visitas
Redes Sociais
Click e acesse
Zé Freitas no Facebook

Clínica Climed / Plano Assistencial

Clínica Climed.

Av: Vereador Horácio José de s/n de frente o Banco do Brasil.

Contato (87) 9.9161-1779

Santa Terezinha PE

Lições Bíblicas
Zé Freitas no Twitter
Portal Correio-PB

 
CLIQUE E ACESSE!
Parceiros