Ateliê Geilson
Natura
Natália Calçados

CLIQUE NA IMAGEM PARA AMPLIAR

  • 28
  • 22
  • 24
  • 20
  • 11
  • 09
  • 11
  • 01
  • 29
  • 03
  • 04
  • 05
  • 07
  • 02

Supermercado
Portal Correio-PB

 
CLIQUE E ACESSE!
 

 Para visualizar este conteúdo corretamente, é necessário ter oFlash Player instalado. 

REFLEXÕES DO PASSADO E PRESENTE: PERSPECTIVA DE MELHORA PARA O FUTURO


 

REFLEXÕES DO PASSADO E PRESENTE: PERSPECTIVA DE MELHORA PARA O FUTURO


 

Educação

Escola sem Partido é adiado de novo na Câmara após 6 meses de embate

Após mais de três horas de embates, a comissão especial da Câmara dos Deputados que discute o projeto Escola sem Partido adiou nesta terça-feira (13), novamente, a votação do seu relatório. A próxima sessão deve ocorrer na semana que vem. Já são seis meses de tentativa de análise da proposta, uma das mais polêmicas em tramitação no Congresso. Defendido pelas alas mais conservadoras do parlamento, o projeto sofre grande oposição dos partidos de esquerda, que nesta terça conseguiram mais uma vez impedir a votação. Os parlamentares desses partidos fizeram durante a sessão várias “questões de ordem”, que são formulações baseadas no regimento da Câmara usadas, na maior parte dos casos, para atrasar ao máximo ou inviabilizar as votações.Após duas suspensões para a realização de votações no plenário da Câmara, a presidência da comissão decidiu encerrá-la no início da noite desta terça.Como em todas as tentativas anteriores, apoiadores e contrários à medida acompanharam a sessão e bateram boca em vários momentos. Um dos cartazes dos apoiadores do Escola sem Partido trazia os dizeres: “Exame toxicológico para professores da rede pública.” Outro, contrário, a inscrição “Lei da mordaça, não!”

Deputados de esquerda também discutiram com manifestantes e com colegas. Em um dos mais tensos, o relator, deputado Flavinho (PSC-SP), chamou aos gritos a petista Erika Kokay (DF) de “mentirosa” e “dissimulada”, dizendo que seu texto não propõe criminalização de professores. A deputada é uma das principais críticas da medida.

Bandeira de parlamentares à direita e da bancada religiosa, o projeto busca impedir o que seus defensores classificam como uma ideologização de esquerda feita por professores nas salas de aula.

O projeto estabelece, entre outros pontos, a afixação de cartazes nas escolas com os “deveres dos professores”, como o de “respeitar o direito dos pais dos alunos a que seus filhos recebam a educação religiosa e moral que esteja de acordo com as suas próprias convicções.”O projeto diz ainda que a educação “não desenvolverá políticas de ensino, nem adotará currículo escolar, disciplinas obrigatórias, nem mesmo de forma complementar ou facultativa, que tendam a aplicar a ideologia de gênero, o termo ‘gênero’ ou ‘orientação sexual’.”

Continue lendo

Educadores apontam que Escola Sem Partido representa um risco para a educação brasileira - Créditos: Tania Rêgo/Agência Brasil

Educadores apontam que Escola Sem Partido representa um risco para a
educação brasileira / Tania Rêgo/Agência Brasil

O Projeto de Lei 8180/2014, batizado de “Escola Sem Partido”, voltou ao palco das polêmicas da Câmara dos Deputados na última quarta-feira (7). Em nova tentativa, parlamentares da ala conservadora se mobilizaram para agilizar a tramitação da proposta, mas a iniciativa terminou frustrada.  Apesar de terem obtido, no colegiado que avalia o projeto, o quórum necessário para iniciar a sessão 

O projeto de lei prevê uma série de proibições para os professores das escolas públicas e privadas da educação básica. Expressar opiniões, preferências ideológicas, religiosas, morais e políticas estão na lista de restrições, assim como o uso dos termos “gênero” e “orientação sexual”. 

O texto tem recebido duras críticas de profissionais da educação e do direito em todo o Brasil por ferir a autonomia dos professores em sala de aula. Em 2016, a procuradora federal dos Direitos do Cidadão, Deborah Duprat, emitiu uma nota técnica ao Congresso Nacional em que afirmou a inconstitucionalidade do projeto Escola Sem Partido por impedir o pluralismo de ideias, negar a liberdade de cátedra, a possibilidade de aprendizagem e contrariar o princípio do Estado laico – aquele que garante a nação uma posição neutra no campo religioso. 

Além dos problemas alertados pelo Ministério Público Federal (MPF), há também a imposição da ideia de que os professores tornam-se ameaças para os alunos. O professor da Faculdade de Educação da Universidade Federal Fluminense (UFF), Paulo Carrano, explica que o projeto dificulta o trabalho pedagógico e fomenta a hostilidade em sala de aula. 

“Uma sociedade democrática precisa da educação para a diferença, que permita que tenhamos os nossos valores, mas que possamos fazer escolhas conscientes. Os estudantes são levados a enfrentar inimigos imaginários, que seriam os seus professores. No lugar de companheiros na aprendizagem e no acesso ao conhecimento, os educadores passam a ser inimigos a ser combatidos.”, afirma Carrano. 

Na sala de aula 

Pedro* é professor de História numa escola da rede privada de ensino no Rio de Janeiro. Ele conta que ainda não sofreu nenhuma ameaça por parte de pais de alunos ou pela equipe pedagógica, mas que em escolas próximas a sua instituição de trabalho já existe uma interferência na autonomia do professor.  

“Me parece um projeto de lei que tenta impor uma forma de pensamento, de linha filosófica, muito próxima de alguns estilos partidários que são mais de extrema-direita e que querem um ensino menos reflexivo. Como o atual presidente falou, ninguém gosta de um jovem com senso crítico”, comenta o professor que prefere não se identificar. 

A origem

O Escola Sem Partido surge em 2004, inicialmente como um movimento que se autodefine como uma associação informal, independente, sem fins lucrativos e sem qualquer espécie de vinculação política, ideológica ou partidária. A iniciativa é coordenada pelo advogado Miguel Nagib e criou canais de denúncias para o que o advogado chamou de “doutrinação ideológica” em sala de aula.

Em 2014, o então deputado estadual do Rio de Janeiro Fávio Bolsonaro, recém-eleito Senador pelo PSL, pediu a Nagib que escrevesse um projeto de lei para representar o movimento Escola Sem Partido. A partir de Bolsonaro, a iniciativa de Nagib começou a entrar nos debates políticos das Casas legislativas do país.

A saída é pelo diálogo

Para Carrano o movimento do Escola Sem Partido é mundial devido ao crescimento da extrema-direita, do fundamentalismo e do anti-intelectualismo de base religiosa. Segundo ele, a principal maneira de combater a censura no ambiente escolar é a partir do diálogo com os pais e estudantes.

“No Brasil inteiro  estão sendo gestadas formas de organização social para que pais e estudantes compreendam que existe sim essa iniciativa de envenenar as relações dentro da escola.Grupos de conversa, rodas de diálogo e escolas que têm enraizamento em seus territórios estão conversando com os pais e muitos já começam a perceber que foram bombardeados por mentiras e pânico moral”, destaca.

” Sempre, que país é  este que os professores são escravizados.?”

Continue lendo

Foto: Blenda Souto Maior/DP/D.A Press
Foto: Blenda Souto Maior/DP/D.A Press
Panfletos distribuídos na Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) mostram ameaças a professores e alunos da instituição nos últimos dias. Na noite dessa terça-feira (6), nas redes sociais, as postagens passaram a circular e chamaram a atenção, sobretudo, do eixo acadêmico e estudantil. A lista é intitulada de “Doutrinadores e alunos que serão banidos do Centro de Filosofia e Ciências Humanas (CFCH) em 2019”. No fechamento, também é feita alusão ao presidente eleito Jair Bolsonaro: “o mito vem aí”. Um dos primeiros citados da lista, o sociólogo José Luiz Ratton, taxado como “doutrinador socialista que faz apologia ao uso de drogas”, afirmou que providências legais estão sendo tomadas”. “Não é a primeira vez que isto acontece na história do Brasil, nem será a última. O que cabe a nós é resistir de maneira racional, coletiva, sensata e firme, com estratégias de ação democráticas e cuidando muito uns dos outros”.

Continue lendo

concurso-campina-das-missoes-rs.jpg   

    Fala-se muito do serviço público. Dizem que falta condições de trabalho, equipamentos, estrutura, salário digno, mas falta também educação, qualidade no atendimento e capacidade de empatia por parte de muitos atendentes.

    A falta de educação, o despreparo e a impaciência de muitos atendentes chama a atenção mais do que qualquer outro problema aparente.

     A má vontade é um problema grave no setor público e faz aumentar, ainda mais, os conflitos sociais entre os usuários dos serviços e os agentes públicos.

     Existem, certamente, instituições públicas que levam a sério a importância de um atendimento com qualidade. O que hoje, as vozes das ruas têm chamado de “Qualidade Padrão FIFA”. Mas, certos órgão e instituições estão longe de alcançarem um padrão de qualidade, principalmente pelo fator humano. Por mais que haja dificuldades físicas e operacionais, é o funcionário, o agente público, que fará a diferença no atendimento. Muitos desconhecem a importância e o objetivo da função que exercem e principalmente da importância da função de servidor público para sociedade.

Ter a capacidade de atender com educação, paciência, qualidade, ainda que esteja na adversidade, é pra poucos.

   Alguns inclusive condicionam o atendimento de qualidade a classe social, a idade, ao sexo, dos que procuram o serviço. Se for pobre, há quem utilize um tom mais áspero, na voz.

   Há quem diga que o mundo trata melhor quem tem dinheiro. Eu diria que o serviço público trata melhor quem tem dinheiro, poder e fama.

Continue lendo

Da decadência ao caos na educação

O conhecimento amplo adquirido por uma educação formal digna e igualitária faz uma transformação tão sublime nas partes internas e externas do ser humano que os nossos digníssimos governantes administram de forma sorrateira seus investimentos deficientes, mal distribuídos e mal conduzidos para esse segmento. A prova desse caos ensurdecedor no déficit educacional brasileiro é a colocação do Brasil como um dos piores países no ranking mundial de Educação. Estamos entre os últimos colocados. Segundo o Pisa (Programme for International Student Assessment – Programa para Avaliação Internacional de Estudantes, em português), de 70 países avaliados estamos em 65°lugar.Nenhum representante de estado, federal, legislador, secretário da Educação e Cultura e nem muito menos o ministro da Educação, Mendonça Filho, desenvolve planos político-sociais e educacionais capazes de corromper essa classificação desumana. Nossos estudantes apenas ocupam salas de aulas enjauladas alimentadas por um falso e antiquado currículo escolar que esconde as verdades da história brasileira, desvaloriza a filosofia e sociologia e camufla suas hipocrisias com propagandas sem nexo de planejamentos e com intuitos de tornar os nossos jovens cidadãos em peças mecânicas e sem senso crítico. Podemos acusar todos os representantes e voltar na história para tentamos achar um verdadeiro culpado. Mas não podemos esquecer que todos nós, cidadãos brasileiros, também somos réus por tudo que acontece no cenário educacional, seja de maneira negativa ou positiva.

Continue lendo

       
      Este blog vem a público declarar repúdio ao comentário feito em facebook acerca de produto vencido nos kits que foram distribuídos aos alunos que foram no domingo (04) fazerem prova do Enem.
       É lamentável uma pessoa sem a menor formação, fazer um pré julgamento, como foi feito, pela mãe de um aluno da referida escola. Onde a mesma  ao invés de entrar em contato com a escola para esclarecimento,  agiu com baixaria, publicando e insinuando irresponsavelmente este comentário de um produto vencido que compunha nos kit’s. A mesma deveria lavar a boca com água sanitária para falar de algo, sem antes se informar de como aconteceu de fato.
       A gestora Acidália Pessoa é uma pessoa de caráter inquestionável,  já mostrou sua competência e cuidado com todos, sem acepção de pessoas. Trata da melhor maneira possível discentes e docentes.
        Depois que começou sua gestão a merenda que é  de qualidade começou ser servida em selve service. Tem realizado ações dignas de admiração,  como o aniversário de 70 anos da escola, que foi considerada a maior festa já realizada nesta instituição de ensino.  Inclusive estes kit’s que são distribuídos para os estudantes, foi iniciativa desta gestão também. Uma pessoa sem noção para falar mal é rápido, mas para ver as melhorias são poucos que reconhecem. Sem contar que provocar algo , insinuando e condenando algo ou alguém, maculando a imagem de alguém respeitável,  sem saber o fundamento da causa, pode gerar processo por calúnia e difamação. 
        Acidália trata todos igualitariamente, sempre procurando dar o melhor de si. Vale ressaltar que a mesma  não é forasteira aqui, ela é muito querida e admirada, pelo seu trabalho sério e justo, elevando muito o nível da Escola de Referência em ensino médio Santa Terezinha, podemos dizer que a mesma tornou-se uma cidadã terezinhense. Este blog apoia e se solidariza com a Escola EREM-ST e se disponibiliza para quaisquer esclarecimento. É tanto que a mesma estará recebendo uma moção de aplausos na Câmara Municipal de Santa Terezinha PE,  pelo relevante trabalho que vem desempenhando.
       Eu fui aluno da referida escola,  fui membro do Conselho Escolar por muito tempo. Posso falar que é uma escola de qualidade. Merece nosso respeito e gratidão pelo relevante trabalho que vem desempenhando junto a comunidade escolar, bem como podemos dizer o mesmo da secretária de educação municipial Mariza Lima, da gestora da E.M.J.P.S Lucineia e das coordenadoras Saledja Sales Patrícia, que vem desempenhando importante papel na educação do município. 
         Agradecemos ao pessoal de São José do Egito PE,  pelo elogios feitos a gestora Acidália, reconhecendo o seu trabalho e repudiando a mal intenção desta mãe de aluno para com a mesma.
Comentário do Padre Elton Wilson Ferreira 

   Venho aqui parabenizar o EREM Santa Terezinha – PE que a poucos dias festejou seus 70 anos de história. Quero parabenizar tbm toda equipe escolar na pessoa da diretora Acidália pela competência, dedicação e empenho em melhor a educação em nosso município de Santa Terezinha. Competência, amor e dedicação são marcas registradas da atual direção da EREM que deve ser valorizada por todos nós. Conte com nosso apoio, amizade e orações. Pe Elton Wilson Ferreira – Pároco.

“Estamos mais uma vez na lutar pelo bem estar social, custe o que custar, não podemos deixamos de valorizar as pessoas que querem o bem para nossa cidade, conte com o apoio do blogozefreitas.com.br , serei sempre um lutador contras as injustiça sociais. Zé Freitas”

 Estudantes participam do Ler - Salão Carioca do Livro, na Biblioteca Parque, no centro do Rio. Tomaz Silva/Agência Brasil/Agência Brasil

Metade da população brasileira ouve músicas e assiste a vídeos pela internet. A informação foi divulgada hoje (5) pelo Comitê Gestor da Internet (CGI) no Fórum da Internet no Brasil, que ocorre nesta semana em Goiânia. Ela faz parte da pesquisa TIC Domicílios Cultura, elaborada pelo CGI como detalhamento do estudo anual TIC Domicílios, lançado em julho deste ano.

Entre os entrevistados, 29% baixam músicas, 26% publicam textos, fotos ou vídeos de criação própria, 16% fazem download de filmes e 10% baixam séries. Entre 2014 e 2017, o hábito de consumir em tempo real áudio e vídeo (ou streaming, no termo em inglês) aumentou de 2014 até 2017: saiu de cerca de 58% para 71%. Já a prática de baixar obras sonoras ou audiovisuais ficou menos popular, caindo de 51% para 42% no caso de músicas e de 29% para 23% em relação a filmes. “A ampliação do consumo é muito devido às plataformas de streaming. Essa prática, que antes era mais predominante de fazer download e ter arquivo próprio no seu computador, agora as pessoas estão conseguindo mais acessar plataformas que disponibilizam esses conteúdos online”, analisa a coordenadora da pesquisa TIC Cultura, Luciana Lima.

Tipo de conexão

O tipo de conexão impacta esse acesso a conteúdos culturais. Enquanto o hábito de ouvir músicas na internet é de 70% dos usuários com conexão em banda larga fixa, entre aqueles que dependem de 3G e 4G o índice cai para 59%. No caso de vídeos, a diferença entre as pessoas com conexões fíxas e móveis é de 72% e 57%. Entre aqueles que usam a internet para ler notícias, os percentuais são, respectivamente, de 57% e 43%. “Você tem uma questão de renda. Enquanto as classes mais altas têm conexão tanto 3G quanto wi-fi [conexão sem fio], a população de baixa renda depende exclusivamente do dispositivo móvel. Isso tem impacto no consumo de conteúdos culturais, pois faz com que quem tem conexões fixas de banda larga no seu domicílio consuma mais streaming do que quem tem acessos só no celular”, destaca Alexandre Barbosa, gerente do Centro Regional de Estudos para o Desenvolvimento da Sociedade da Informação (CETIC Br), órgão vinculado ao Comitê Gestor da Internet.

Frequência e origem

Quanto à frequência, o tipo de conteúdo consumido mais comumente é a música: 29% da população ouve todo dia, 16% pelo menos uma vez por semana e 3% uma vez por mês. O restante não informou. A popularidade do streaming de filmes é menor: 12% assistem todo dia, 15% pelo menos uma vez por semana e 5% pelo menos uma vez por mês. Entre os fãs de séries, os índices foram, respectivamente, de 11%, 10% e 3%. Os serviços pagos ainda não têm grande preferência entre a população. Do total, 10% pagam para ver filmes ou séries 5% são clientes de streaming de música e 3% relataram compram filmes para baixar e assistir em seus computadores ou telefones celulares. A pesquisa também perguntou aos entrevistados a origem dos conteúdos consumidos. Do total, 48% ouvem músicas brasileiras e 28%, estrangeiras. No caso dos filmes, a diferença é menor, com 26% de obras nacionais e 24% internacionais. Em relação às séries, a preferência se inverte: 21% assistem a programas estrangeiros e 13% veem obras produzidas aqui.

Publicações e compartilhamento

O estudo avaliou o comportamento dos usuários na produção e compartilhamento de conteúdos diversos. Enquanto o hábito de postar textos, imagens e vídeos em blogs, sites e plataformas como redes sociais ficou estável entre 2014 e 2017, a prática de compartilhar esses tipos de mensagens e conteúdos cresceu no mesmo intervalo, saindo de 60% para 73% dos usuários de internet. O tipo de informação mais difundido é a imagem, publicada por 24% da população. Em seguida vêm textos, com 13%, vídeos, com 11%, e músicas, com 4%. A motivação mais comum, conforme o levantamento, foram a divulgação de situações cotidianas, com 17%, dar opinião sobre temas de seu interesse, com 14%, e aproximar-se de pessoas com interesses comuns (13%). A pesquisa TIC Domicílios é realizada anualmente pelo Comitê Gestor da Internet. Na edição relativa ao ano de 2017, foram ouvidos moradores de 23.592 domicílios em 350 cidades entre novembro de 2017 e maio de 2018.

agenciabrasil.ebc.com.br

Crédito: Wikimedia Commons/ Reprodução

Confira abaixo vagas em 28 concursos públicos com salário a partir de R$ 10 mil para diversas regiões do Brasil. Têm oportunidades para diversas áreas de atuação e formação escolar ee acadêmica.

Prefeitura de Monte Sião (MG)

Número de vagas: 212

Nível procurado: fundamental, médio e superior

Salário: R$ 11.583

Até quando e onde se inscrever: 30 de novembro pelo site

Prefeitura de Turmalina (MG)

Número de vagas: 259

Nível procurado: fundamental, médio e superior

Salário: R$ 13.155,71

Até quando e onde se inscrever: 30 de novembro pelo site

Prefeitura de Tijucas do Sul (PR)

Número de vagas: 5

Nível procurado: superior

Salário: R$ 11.096,16

Até quando e onde se inscrever: 29 de novembro pelo site

Prefeitura de Matinhos (PR)

Número de vagas: 13

Nível procurado: superior

Salário: R$ 13.299,22

Até quando e onde se inscrever: 27 de novembro pelo site

Brigada Militar (RS)

Número de vagas: 200

Nível procurado: superior

Salário: R$ 11.620,55

Até quando e onde se inscrever: 22 de novembro pelo site

Prefeitura de Garopaba (SC)    

Número de vagas: 26

Nível procurado: fundamental, médio e superior

Salário: R$ 13.745,82

Até quando e onde se inscrever: 21 de outubro no site

Polícia Civil (RR)               

Número de vagas: 330

Nível procurado: médio e superior

Salário: R$ 18.387,42

Até quando e onde se inscrever: 20 de novembro pelo site

Prefeitura de Estrela Velha (RS)

Número de vagas: 19

Nível procurado: fundamental, médio e superior

Salário: R$ 13.553,58

Até quando e onde se inscrever: 20 de novembro pelo site

Prefeitura de Maravilha (SC)   

Número de vagas: 26

Nível procurado: fundamental, médio e superior

Salário: R$ 16.576,14

Até quando e onde se inscrever: 19 de novembro pelo site

Prefeitura de Seara (SC)             

Número de vagas: 45

Nível procurado: fundamental, médio e superior

Salário: R$ 16.000

Até quando e onde se inscrever: 19 de novembro pelo site

Prefeitura de Taió (SC)

Número de vagas: 41

Nível procurado: fundamental, médio e superior

Salário: R$ 12.652,13

Até quando e onde se inscrever: 16 de novembro pelo site

Prefeitura de Querência (MT) 

Número de vagas: 168

Nível procurado: fundamental, médio e superior

Salário: R$ 18.372,60

Até quando e onde se inscrever: 15 de novembro pelo site

Prefeitura de Ituporanga (SC)  

Número de vagas: 68

Nível procurado: fundamental, médio e superior

Salário: R$ 12.914,64

Até quando e onde se inscrever: 14 de novembro pelo site

Prefeitura de Joaçaba (SC)        

Número de vagas: 33

Nível procurado: fundamental, médio e superior

Salário: R$ 10.505,12

Até quando e onde se inscrever: 14 de novembro pelo site

Prefeitura de Pato Branco (PR)               

Número de vagas: 26

Nível procurado: fundamental, médio e superior

Salário: R$ 16.006,18

Até quando e onde se inscrever: 14 de novembro pelo site

Prefeitura de Diamantino (MT)              

Número de vagas: 61

Nível procurado: fundamental, médio e superior

Salário: R$ 10.388,87

Até quando e onde se inscrever: 13 de novembro pelo site

Prefeitura de Pérola d’Oeste (PR)         

Número de vagas: 5

Nível procurado: superior

Salário: R$ 10.800

Até quando e onde se inscrever: 13 de novembro pelo site

Secretaria da Fazenda do Estado (RS)

Número de vagas: 50

Nível procurado: superior

Salário: R$ 20.463,50

Até quando e onde se inscrever: 13 de novembro pelo site

Prefeitura de São José de Espinharas (PB)        

Número de vagas: 25

Nível procurado: fundamental, médio e superior

Salário: R$ 11.708,77

Até quando e onde se inscrever: 11 de novembro pelo site

Ministério Público (SP)

Número de vagas: 9

Nível procurado: superior

Salário: R$ 13.790,08

Até quando e onde se inscrever: 7 de dezembro pelo site

Ministério Público (PR)

Número de vagas: 10

Nível procurado: superior

Salário: R$ 24.818

Até quando e onde se inscrever: 6 de novembro pelo site

Polícia Militar (SC)        

Número de vagas: 70

Nível procurado: superior

Salário: R$ 12.882,69

Até quando e onde se inscrever: 6 de novembro pelo site

Prefeitura de Centenário do Sul (PR)   

Número de vagas: 21

Nível procurado: superior

Salário: R$ 10.762,41

Até quando e onde se inscrever: 6 de novembro pelo site

Prefeitura de Florianópolis (SC)             

Número de vagas: 47

Nível procurado: médio e superior

Salário: R$ 13.593,24

Até quando e onde se inscrever: 6 de novembro pelo site

Defensoria Pública (MA)

Número de vagas: 8

Nível procurado: superior

Salário: R$ 26.125,15

Até quando e onde se inscrever: 5 de novembro pelo site

Prefeitura de Botuverá (SC)     

Número de vagas: 40

Nível procurado: fundamental, médio e superior

Salário: R$ 11.106,73

Até quando e onde se inscrever: 5 de novembro pelo site 

Procuradoria Geral do Estado (SC)

Número de vagas: 4

Nível procurado: superior

Salário: R$ 27.424

Até quando e onde se inscrever: 5 de novembro pelo site

Tribunal de Justiça (BA)

Número de vagas: 50

Nível procurado: superior

Salário: R$ 23.284,14

istoedinheiro

O lançamento do segundo fanzine do coletivo de mulheres negras marca o fim de um ciclo.

Por Karina Custódio Sousa, para Jornalistas Livres

Poesia, a noite começou com poesia, vozes lisas, flexíveis e fortes, cabelos encaracolados e crespos, violão, flauta metálica em uma grande boca vermelha, batuque, flores, fotos, zines e livros, uma conjunção de detalhes significativos, era noite de Preta Poeta um coletivo de mulheres negras que produz e declama poesias sobre suas trajetórias.

Júlia Elisa a idealizadora do projeto nos conta um pouco de sua história “O Preta Poeta começou em 2017, pensado a partir de um edital da PRAE (Pró Reitoria de Assuntos Estudantis) da UFMG, que visava apoiar projetos de alunos de graduação. Pensando a escrita como mecanismo de resistência e liberdade, sem critério estético ou literário, a escrita e a declamação das participantes é instigada, assim como uma escuta sensível e atenta, além de difundir a escrita feminina negra.” Desde 2017 o Preta Poeta só cresceu, passando por ele diversas mulheres negras, entre elas Magna Cristina comunicóloga de 56 que teve no Preta Poeta uma oportunidade para “se integrar com uma geração valente, generosa, inteligente, amiga.”  

Da esquerda para a direita: (sentadas) Alinne Damasceno, Lara Passos, Juliana Cristina, Raísa Muniz e Alice Teles. (em pé)  Adriana de Deus, Dilu Freitas, Juliana Tolentino, Franciele Marinho, Lorrany Mota, Leila, Maria, Magna Cristina, Tamires Nunes e Júlia Elisa. Foto de Sara Fonseca

O final do segundo ciclo do coletivo foi marcado para quarta feira (31) as 19:00h na biblioteca estadual de Minas Gerais, foi o lançamento de seu segundo fanzine e trazia dezenas de histórias, Alice, Julia, Magna, Francieli, Lara e outras, todas se intercalaram para contar suas vivências e declamar suas poesias. Teve pés descalços, olhos atentos, mãos tremulas e lagrimas de emoção no palco e na plateia. As bocas, os gestos e as poesias falavam de dor, falavam de preconceito, de uma dívida histórica com as mulheres negras que se arrasta por anos e que está em tudo e em quase todos.

Foto de Sara Fonseca

Mas mais do que isso, falavam de amor, de poesia, de autodescoberta e esperança, mais potentes que qualquer tratado ou lei as palavras performance nos indicavam um mundo melhor em que mulheres pretas sabem que são capazes de tudo. Franciele Miranda estudante de Ciências sociais demonstra como o coletivo foi importante na sua vida acadêmica “O Preta Poeta foi um dos responsáveis pela minha permanência na universidade, o projeto me deu forças para perceber que eu posso me fazer presente em todos os lugares, e que por mais que seja difícil, é possível a minha voz ser ouvida.”

O encontro do dia 31 marca o final do segundo ciclo, segundo Júlia Elisa a ideia agora é “passar por reformulações, em tempos de radicalização de discursos e práticas de ódio, violência e discriminação, é um ato político e uma materialidade histórica investir na potência dos nossos corpos, das nossas escritas e das nossas vozes, permeando a política de afetos”. A política de afetos indicada por Júlia foi visível durante as apresentações, lá a palavra era passada com um abraço, as emoções não eram contidas e o decoro era inexistente, tudo isso nos mostra que não importa o quanto a realidade seja dura e cheia de intolerância. Há lugar para o afeto, há lugar para gritar a dor e comemorar o amor, e principalmente há lugar para poesia, e esse lugar não é um território delimitado, ele reside e habita na mulher negra.

                                         Foto de Sara Fonseca

jornalistaslivres.org

                          Professora é agredida por irmã de aluno em escola municipal de Porto Alegre

Professora é agredida por irmã de aluno em escola municipal de Porto Alegre

Uma professora foi agredida em frente a uma escola municipal, no fim da tarde de quarta-feira (31), em Porto Alegre. O caso aconteceu pouco antes do início do turno da noite, na Escola Municipal de Ensino Fundamental Grande Oriente, no bairro Rubem Berta, na Zona Norte. A professora, de 59 anos, foi agredida por trás, com socos, e na queda bateu com a boca no chão e quebrou os dentes. Ela chamava um estudante, que estava no pátio da escola, para entrar na na sala de aula. Segundo o boletim de ocorrência, a agressora é irmã de um aluno e teria se incomodado com a cobrança da educadora. “Nós, enquanto colegas e trabalhadores de educação, estamos tentando trabalhar com as questões pedagógicas do próprio ato, procurando trabalhar com a questão da paz e não com a agressividade. Já conversei com o secretário de Educação e ficou acertado que vem uma equipe da secretaria para trabalhar conosco”, disse o diretor da escola, Geraldo Tadeu Vargas Afonso.

Cartazes feitos pelos alunos — Foto: Josmar Leite/RBS TV

Cartazes feitos pelos alunos

— Foto: Josmar Leite/RBS TV

O clima na instituição de ensino pela manhã era de consternação. Em reunião entre a equipe diretiva, foi decidido que as aulas ficam suspensas nesta quinta (1). Alunos, professores e moradores colocaram faixas pedindo paz. Eles organizam uma caminhada, que deve sair da frente da escola e passar por ruas do bairro, a partir das 14h.“É um desrespeito com um professor que vem ensinar os nossos filhos. Vamos reagir para não acontecer novo”, disse a mãe de dois alunos que estudam na escola, Elizângela de Souza.

Alunos contam que não entenderam a reação da agressora. “Ela tinha que ter dado exemplo para o irmão dela. A professora estava convidando ele para estudar”, disse uma estudante que não quis se identificar.

A educadora trabalha há 36 anos na educação pública e há quatro anos é coordenadora pedagógica nesta escola. “Ela é muito legal. Uma boa pessoa. Sempre quando a gente precisa dela, ela está com a gente. Não tem reclamação dela. Ela é tipo uma psicóloga para todo mundo”, disse outra aluna que não quer ser identificada.

Alunos de escola onde professora foi agredida pedem paz — Foto: Josmar Leite/RBS TV

Alunos de escola onde professora foi agredida pedem paz

— Foto: Josmar Leite/RBS TV

A delegada Vandi Lemos investiga o caso. “Nós temos, até agora, um boletim de ocorrência. Hoje pretendo ouvir as partes para saber o que aconteceu. Sabemos que houve uma lesão. Estou tentando localizar as pessoas envolvidas para ouvir as duas”. A professora recebeu atendimento no Hospital de Pronto Socorro da capital após as agressões e foi liberada.Em nota, a Secretaria de Educação disse que a professora foi acompanhada pela Guarda Municipal para receber atendimento médico e registrar a ocorrência, e que considera inaceitáveis atos de agressão na comunidade escolar.

Caso semelhante

Na quarta-feira (24) da semana passada, Helena Lauenstein, professora da Escola Municipal de Ensino Fundamental Afonso Guerreiro Lima, no bairro Lomba do Pinheiro, levava uma turma do terceiro ano para o pátio quando, de repente, no saguão de entrada, foi surpreendida por socos e chutes. Ela também foi agredida pela irmã de um aluno.

Nota da Smed

A Secretaria Municipal de Educação (Smed) tomou conhecimento, na noite desta quarta-feira, 31, de um caso de agressão ocorrido em frente à Escola Municipal de Ensino Fundamental Grande Oriente, no bairro Rubem Berta. A professora, que foi agredida enquanto exercia as suas funções de coordenação, foi acompanhada pela Guarda Municipal para receber o atendimento necessário e registrar boletim de ocorrência. A Smed considera inaceitáveis atos de agressão na comunidade escolar e segue comprometida em promover um ambiente de paz nas escolas.

Alunos, professores e moradores farão uma manifestação nesta quinta — Foto: Josmar Leite/RBS TV

Alunos, professores e moradores farão uma manifestação nesta quinta

— Foto: Josmar Leite/RBS TV

” Até quando situações absurda vão acontecer com os professores? Qual são as leis para estes agressores? O por que as autoridade ficam omissa nestes causos? Alguém tem de ser punido rigorosamente de acordo com as leis, estes agressores não tem o direito de deixarem os outros alunos prejudicado por que ele (as) não querem assistirem as aulas.”

g1

As escolas pré-selecionadas como elegíveis pelo MEC têm em comum a alta vulnerabilidade socioeconômica, o mínimo de 100 alunos matriculados no ensino médio e ainda não contam com ensino médio em tempo integral. Escolas, mesmo sem a infraestrutura adequada, podem participar da pesquisa, mas é requisito a adequação até 2020. Segundo Soares, os recursos poderão ser utilizados para melhorar essa infraestrutura, em materiais pedagógicos e formação e em salários e gratificações. A portaria de avaliação de impacto deverá ser publicada mesta sexta-feira (5/10) pelo MEC, e a adesão poderá ser feita pelas escolas até 19 de outubro.

Implementação do ensino médio
Para apoiar a implementação do Novo Ensino Médio até 2020, cerca de 5 mil escolas de ensino médio receberão R$ 400 milhões do Programa Dinheiro Direto na Escola. Os recursos serão pagos em três parcelas, a primeira será paga ainda em 2018 e corresponde a 20% do valor do repasse. De acordo com o MEC, a escola terá que cumprir metas para o recebimento de cada uma das parcelas.

Continue lendo

Resultado de imagem para milhões

Recursos de R$ 283,1 milhões estão liberados para nove estados e respectivos municípios. Os valores referem-se à última parcela deste ano da complementação da União ao Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb). Ao longo do ano, foram transferidos R$ 5,07 bilhões em complementação para Alagoas, Amazonas, Bahia, Ceará, Maranhão, Pará, Paraíba, Pernambuco e Piauí. Esses estados não conseguem atingir, com arrecadação própria, o valor mínimo por aluno estabelecido para este ano.
O Fundeb financia a educação básica pública. Pelo menos 60% dos recursos de estados, Distrito Federal e municípios devem ser utilizados para o pagamento de professores, diretores e orientadores educacionais. O restante é destinado a despesas de manutenção e desenvolvimento do ensino; formação continuada de professores; aquisição de equipamentos; manutenção, construção e conservação de instalações.

Assessoria de Comunicação Social do FNDE

O Ministério da Educação liberou, nesta quarta-feira, 17, R$ 729,1 milhões em limite de empenho para as universidades federais, instituições da rede federal de educação profissional, científica e tecnológica e hospitais de ensino vinculados à pasta. Com essa verba, o MEC assegura às instituições federais de ensino 100% de execução das despesas de custeio e investimento em fontes do Tesouro. Até o momento, foram liberados limites de empenho no valor de R$ 8,20 bilhões para as despesas discricionárias, sendo R$ 7,5 bilhões em custeio e R$ 702,1 milhões em investimento. Os recursos das despesas discricionárias são geridos pelas próprias universidades, no âmbito de sua autonomia administrativa. É com o limite de despesas discricionárias que as instituições de educação superior efetuam os gastos com funcionamento, obras, contratação de serviços de terceirização de mão de obra e despesas com assistência estudantil.

Com os recursos, o MEC assegura às instituições federais de ensino 100% de execução das despesas de custeio e investimento em fontes do Tesouro (Foto: André Nery/MEC)

Em 2016, o MEC retomou a liberação do que estava previsto no orçamento de custeio para todas as universidades do país, garantindo, a partir de então, 100% da dotação orçamentária das despesas de custeio. Em 2015, as universidades federais não receberam sequer a totalidade da verba de custeio e atingiram somente 40% da verba de investimento disponível para o ano. Em 2017, o percentual liberado das despesas com investimento foi de 70%. Ainda no biênio 2016-2017, o MEC também assegurou 100% do orçamento de custeio para todas as universidades e institutos federais.

Assessoria de Comunicação Social

O presidente da comissão especial que analisa o projeto de lei da chamada Escola sem Partido (PL 7180/14), deputado Marcos Rogério (DEM-RO), anunciou o cancelamento da reunião em que estava prevista a votação da proposta, devido ao início da Ordem do Dia do Plenário da Câmara. Na foto, apoiadores e críticos do projeto batem boca Foto: Jorge William / Agência O Globo

 

 

 

 

 

 

 

 

O presidente da comissão especial que analisa o projeto de lei da chamada Escola sem Partido (PL 7180/14), deputado Marcos Rogério (DEM-RO), anunciou o cancelamento da reunião em que estava prevista a votação da proposta, devido ao início da Ordem do Dia do Plenário da Câmara. Na foto, apoiadores e críticos do projeto batem boca Foto: Jorge William / Agência O Globo

RIO — No dia em que o projeto de lei conhecido como “Escola sem Partido” seria colocado em votação em comissão especial da Câmara dos Deputados, educadores e especialistas mantêm opiniões conflitantes sobre o futuro da legislação, principalmente após as recentes mudanças que o texto original ganhou na terça-feira. O projeto, que anteriormente tinha o combate ao que classifica como “ideologia de gênero” e “preferências político-partidárias” direcionado a livros didáticos e paradidáticos, agora também deseja atingir os conteúdos curriculares e planos educacionais, em uma perspectiva mais abrangente. A votação acabou suspensa pouco depois do início, durante a tarde, após impasse provocado por manifestantes — a sessão deve ser retomada na semana que vem.

Continue lendo

      Neste dia 26/10/18, aconteceu o cerimonial de aniversário de 70 anos de existência da Escola de Referência em Ensino Médio Santa Terezinha (EREM-ST), que antes era denominada Escolas Reunidas Santa Terezinha. O evento teve início ás 19 horas, na quadra poliesportiva da referida escola, nomeada Quadra José Romão de Araújo, em homenagem a seu Nozinho, como era conhecido, pelo fato do mesmo ter sido o autor da doação de todo terreno onde foi construída a escola. Estiveram  presentes ex-professores, destacando Maria Leite de Melo, uma das mais antigas e demais que podem ser conferidas nas fotos e vídeos aqui exibidos nesta matéria, ex-gestores, ex-funcionários, o padre Elton vigário local, a pastora Terezinha da Igreja Cristo Salva, o prefeito Geovane Martins, a secretária de educação do município Marisa Lima, os vereadores, Neguinho de Danda, Lindomar da internet, a vereadora Langinha e seu esposo e ex-prefeito Teógenes Araújo, o vereador Helder de Viana, o vereador André de Afonsim, o professor Eduardo Oliveira, Antônio Vieira, a coordenadora do programa integral da GRE Sertão do Pajeú, a senhora Socorro Amaral, representando a gestora Cecília Patriota, entre outros convidados.

    A atual gestora Acidália Pessoa Xavier deu abertura com a inauguração da placa, em seguida foi cantado o hino nacional brasileiro, a apresentação do cordel contando em versos toda história da escola e dos funcionários que por ela passaram e os que estão atuando, contado pelos alunos Fernando Luiz, Maria Clara e Lívia do 2º ano B.

    O cerimonial foi conduzido pelos professores Edson Murilo e Glécia Albuquerque, que com precisão e competência desempenharam relevante trabalho. Em seguida o professor Manoel Miguel Leite, representando os demais professores, proferiu seu discurso, valorizando o trabalho que vem sendo desenvolvido ao longo destes anos, bem como o quadro de profissionais comprometidos com a educação que por ela tem passado, deixando um marco na história da educação do nosso município.

     A banda marcial da Escola José Paulino de Siqueira também fez uma belíssima apresentação, foi cantado pelo coral composto por alguns alunos o hino oficial da escola, inclusive muito lindo, o qual impactou todos os presentes, o hino é da autoria de Antônio de Nina e Zé de Teone, com a participação de uma aluna.

   Após a oração pela pastora Terezinha, a benção pelo padre Elton, foram entregues medalhas aos homenageados, certificados a duas alunas que se destacaram no esporte da escola, representando os demais atletas, houve pronunciamentos pela gestora Acidália, pela assistente de gestão Socorro Cruz, pelo prefeito Geovane Martins, pela secretária de educação municipal Mariza Lima.

                                                         

Acessem os vídeos, vocês vão verem na íntegra todo este evento impactante que deixou os presentes em uma maior introversão já vista.

Acessem os vídeos, vocês vão verem na íntegra todo este evento impactante que deixou os presentes em uma maior introversão já vista.     

Acessem os vídeos, vocês vão verem na íntegra todo este evento impactante que deixou os presentes em uma maior introversão já vista.

 

Não eram  William Bonner e Renata Vasconcellos, mas esta dupla Glecia e Edsom Murilo  deram um exemplo sensacional, vejam nos vídeos

    No final foi cortado um bolo gigante, característico com o símbolo dos 70 anos da história da escola e servido com refrigerante a todos que se encontravam no local.

     Este blog também foi homenageado com medalha, pelo trabalho prestado nesta instituição de ensino de longas datas, sempre fazendo as coberturas dos eventos.

     Vale ressaltar que este blog também fez uma transmissão ao vivo, para todo o mundo, de mais de uma hora de duração, que se encontra na página do face do blogdozefreitas.social.

    Deixamos aqui nossos parabéns para a gestão e demais funcionários da EREM-ST, pela festa de nível bastante elevado, digno de nossa admiração. Deixando-nos motivados a acreditar numa educação de qualidade, a qual é a mola mestra para as demais profissões. “EREM-ST: VIVÊNCIAS E ÊXITOS, EU FAÇO PARTE DESSA HISTÓRIA.

Programa de alimentação escolar brasileiro é destaque na Tunísia

O Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae), gerenciado pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), é um dos destaques da 20ª edição do Fórum Global de Nutrição Infantil (Global Child Nutrition Forum), que ocorre na Tunísia, nesta semana. O evento é considerado o maior acontecimento na agenda da alimentação infantil do planeta.Participante do fórum, o presidente do FNDE, Sílvio Pinheiro, reafirmou a disposição do Brasil em manter a cooperação com os países africanos. Durante evento paralelo para lançamento do Cluster da União Africana – grupo de trabalho voltado para questões da alimentação escolar nos países da África –, Pinheiro relembrou o histórico da parceria entre o governo brasileiro e a União Africana e falou sobre como o Pnae segue no caminho da evolução de suas ações e do fortalecimento de seus atores.A coordenadora-geral do PNAE, Karine Santos, falou na plenária sobre a importância das ações de educação alimentar e nutricional. “Apresentamos as nossas ações no Brasil como exemplo daquilo que eles podem fazer em seus países, como a estratégia de conteúdo de nutrição nos livros didáticos, as jornadas de Educação Alimentar e Nutricional e o concurso Melhores Receitas da Alimentação Escolar, que visa valorizar as merendeiras brasileiras”, afirmou Karine.

O Fórum

O Fórum Global de Nutrição Infantil promove troca de conhecimentos e ações de assistência técnica. Este ano, atinge um recorde de participação, com cerca de 350 pessoas de 60 países. Há representantes dos governos da Síria, Ruanda, Sudão, Iraque; integrantes de organizações não governamentais do Canadá e dos Estados Unidos; pesquisadores e diferentes membros da Organização das Nações Unidas (ONU); entre outros participantes de todo o mundo. Algumas delegações estão se reunindo diretamente com o Brasil, com a intenção de promover articulações para a implementação de aspectos que levem à sustentabilidade e ao aprimoramento de seus programas locais. De acordo com a diretora executiva da Fundação do Fórum Global de Nutrição Infantil, Arlene Mitchell, que promove o evento junto com o Programa Mundial de Alimentos da ONU, a metodologia do fórum facilita o planejamento e estimula a cooperação entre os países. “É também a oportunidade de conscientizar o público sobre os desafios que as crianças enfrentam na nutrição ao redor do mundo”, destacou Arlene Mitchell.

Baseado em um clássico infantil do século 19, o jogo ensina as crianças a distinguir alimentos saudáveis dos que provocam obesidade (Arte: ACS/MEC)

O projeto de mestrado de um pesquisador de Santa Catarina tem ajudado professores a estimular hábitos saudáveis na rotina de crianças e adolescentes. Para falar sobre esse trabalho, o programa Trilhas da Educação, produzido e transmitido pela Rádio MEC, tem como convidado da edição desta sexta, 19, o criador do projeto, Salvador Sergi Agati, da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc). O ponto de partida foi o clássico João e Maria, conto infantil de tradição oral que, adaptado no século 19 pelos Irmãos Grimm – no original, em alemão, Hänsel und Gretel –, percorreu o mudo em várias versões, tanto na literatura quanto no cinema. Na história, dois irmãos, filhos de um pobre lenhador, se perdem na floresta e, de repente, encontram uma casinha especial, com telhado de chocolate, paredes de bolo e janelas de jujuba. Porém, não tardam a descobrir que algo de muito errado havia com tamanha maravilha encontrada “ao acaso” – eles acabam se tornando prisioneiros da dona da casinha, uma bruxa, que os enchia de guloseimas com a intenção de devorá-los quando estivessem bem gordinhos. Baseado nesse conto, Salvador criou o jogo para computador João e Maria contra a Bruxa Guloseima, indicado para crianças a partir oito anos. Tanto quanto na historinha, o desafio é frustrar os planos da bruxa – que simboliza a obesidade –, ajudando as crianças na escolha por alimentos saudáveis, a fim de que rejeitem aqueles recheados de gordura e açúcar.

 O jogo – A didática do jogo, com três níveis de dificuldade, favorece o trabalho do professor em sala de aula na hora de explicar aos alunos sobre a classificação e o processamento dos alimentos e composição dos grupos alimentares. “É apresentada à criança uma imagem de um alimento e ela tem que escolher entre duas alternativas”, explica Salvador. “Uma delas é a correta. No começo, a criança vai por tentativa, mas depois, habituando-se às imagens, já tem uma noção se o alimento é in natura, processado ou ultraprocessado”. A ideia do professor foi muito bem recebida pela Udesc. “Achamos que seria uma temática muito boa de ser explorada e muito útil para a sociedade, porque hoje em dia realmente nós temos uma pandemia de obesidade”, avalia o orientador do programa de pós-graduação no qual Salvador inscreveu seu projeto. “O jogo contempla todas as temáticas relevantes para discutir a problemática da obesidade e da promoção da vida saudável. ”

Testes – Para desenvolver o game, Salvador consultou pesquisas sobre obesidade infantil, a partir de material disponível no Ministério da Educação e no Ministério da Saúde, além de ouvir nutricionistas e especialistas nessa área. A seguir, o jogo foi apresentado a três públicos distintos. Especialistas técnicos testaram a interface e a usabilidade da ferramenta. Profissionais da saúde, como nutricionistas e educadores físicos, avaliaram o conteúdo e as informações nutricionais. Por fim, professores e um grupo de 20 crianças do ensino fundamental da rede pública de Joinville (SC) testaram o conteúdo pedagógico. O objetivo dos testes foi garantir que todas as informações ficassem claras na tela, para que a criança, atenta às opções, entendesse também o resultado de suas escolhas. Caso o jogador ignorasse o consumo de alimentos que não são saudáveis, poderia prejudicar a vida dos personagens. “Conforme a criança vai coletando o alimento, vai vendo o que acontece com esses medidores e vai percebendo se esse alimento é bom para ela ou não”, revela Salvador. João e Maria contra a Bruxa Guloseima foi eleito, durante um simpósio internacional de jogos, o melhor artigo acadêmico da América Latina. O game é compatível com o sistema operacional Windows e pode ser baixado gratuitamente. Os dados gerados pela ferramenta podem ser usados pela comunidade científica para a criação de estudos.

mec.gov.br

Julia Lapa Comarin, de 18 anos, conseguiu neste ano uma vaga no curso de Direito da Universidade Lusófona, em Portugal

Julia Lapa Comarin, de 18 anos, conseguiu neste ano uma vaga no curso de Direito da Universidade Lusófona, em Portugal

Arquivo Pessoal

Além de ser o principal caminho de acesso ao ensino superior público no Brasil, o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) também abre portas para instituições estrangeiras. No exterior, Portugal é o país com maior número de universidades que aceitam o Enem para selecionar brasileiros.Desde 2014, quando a Universidade de Coimbra, em Portugal, se tornou a primeira instituição estrangeira a utilizar o exame como forma de seleção para brasileiros, o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), braço do Ministério da Educação (MEC), passou a firmar acordos de cooperação com as instituições do país.Embora o MEC oficialmente só tenha convênios com Portugal, universidades de outros países, como França, Irlanda, Reino Unido e Canadá, também já utilizam as notas do Enem em seus processos seletivos.

Universidade de Coimbra, em Portugal, foi a primeira estrangeira a aceitar o Enem

Arquivo Pessoal

Segundo o MEC, 35 instituições portuguesas já adotam o Enem. Até abril deste ano, elas aprovaram mais de 1,2 mil brasileiros por meio do exame, de acordo com o ministério. Cada universidade tem autonomia para definir as notas de corte para acesso aos cursos. Pelo acordo firmado, o Inep é acionado para conferência das notas dos candidatos no Enem. Edmilson Motta, coordenador-geral do Colégio Etapa, lembra que, muitas vezes, para aceitar os estudantes, as universidades estrangeiras exigem que eles tenham sido aprovados em alguma instituição de seu país. “Por isso, é muito comum o aluno usar o Enem para estudar no exterior. A Fuvest não é conhecida fora do país, já o Enem, sim. Até pelo tamanho que tem, ele se tornou o segundo maior exame do mundo (só perde para o da China).”Motta reforça que o Enem virou quase “um vestibular para Portugal” e, para conseguir uma vaga em uma universidade portuguesa de ponta, as notas exigidas são consideradas baixas, se comparadas com as do Brasil.“Para cursar Direito no Brasil, por exemplo, é preciso de pelo menos uma média 700 no Enem. Para Portugal, com 600 pontos o aluno é competitivo. Algumas universidades exigem notas bem baixas. E o preço não é tão absurdo, é a média do que se gastaria em uma boa universidade no Brasil.”

Continue lendo

                                                                                                                                          

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

    Neste dia 18.10.18, às 17 hs, na Escola de Referência em Ensino Médio Santa Terezinha (EREM-ST), aconteceu a abertura dos eventos em comemoração ao aniversário de 70 anos da referida escola. O evento iniciou com o projeto acima descrito,idealizado pelas professoras: Dalvaneide Ferreira de Vasconcelos e Alexandra Soares Quirino, com apoio da Gestora Acidália de Lourdes Pessoa Xavier de Siqueira, da assistente de gestão Maria do Socorro Cruz de Freitas, os alunos do 2º ano e demais colaboradores.

   

 

 

 

 

 

 

 

Idealizado pelas professorasDalvaneide Ferreira

de Vasconcelos e Alexandra Soares Quirino

Com o objetivo de reconhecer e valorizar o trabalho desenvolvido pelos ex-funcionários da escola. Ao longo do projeto, foi feito documentários (entrevistas) pelos alunos a alguns funcionários, os quais foram exibidos em data show, com a presença de alguns convidados que participaram do evento, onde foram citado o nome de todos que já passaram por esta instituição de ensino, inclusive os que já faleceram.

  A cerimônia foi iniciada com a apresentação dos organizadores, com a citação dos nomes dos homenageados (ex-funcionários), hino nacional, entrega de troféus aos homenageados, e finalizado com um delicioso jantar.

  “Evento muito organizado, onde os presentes saíram do local bastante satisfeito com o resultado. Parabéns a todos”  

 blogdozefreitas.com.br.

                                                         

ACESSEM OS VÍDEOS

                                                         

ACESSEM O VÍDEO

   E as comemorações continuam, no dia seguinte 19.10, ás 17 horas com o jogo futsal, com a participação dos funcionários da referida escola e de escolas convidadas, também um campeonato organizado pelos alunos do 3º ano B.

    O encerramento das comemorações dos 70 anos será neste dia 26.10.18, às 19 horas, na quadra poliesportiva da EREM-ST.

ENSINO MÉDIO INOVADOR, MAIS CULTURA, ESC.DE FRONTEIRA, ATLETA NA ESCOLA, ESC.SUSTENTÁVEL – Valor Total R$ 12.435,00

Esfera Quantidade de Entidades Valor Total
PARTICULAR 3 12.435,00
PROGRAMA NACIONAL DE APOIO AO TRANSP DO ESCOLAR – Valor Total R$ 92.135,51
Esfera Quantidade de Entidades Valor Total
MUNICIPAL 1 92.135,51
TRANSFERÊNCIA DE RECURSOS FINANCEIROS, A TÍTULO DE APOIO, AOS ENTES FEDERATIVOS QUE RECEBEM O FPM  Valor Total R$ 72.210,07
Esfera Quantidade de Entidades Valor Total
MUNICIPAL 1 72.210,07
QUOTA ESTADUAL / MUNICIPAL – Valor Total R$ 283.062,18
Esfera Quantidade de Entidades Valor Total
MUNICIPAL 1 283.062,18
PROG.NACIONAL DE ALIMENTAÇÃO ESCOLAR Valor Total R$ 176.891,20
Esfera Quantidade de Entidades Valor Total
MUNICIPAL 1 176.891,2
Faça Sua Pesquisa no Google Aqui!
 
bove=""

 

Visitas
contador de visitas
Redes Sociais
Click e acesse
CLIQUE AQUI e fale com os ministros, fiquem de OLHO bem aberto alguma informação entre em contato com os ministros.

CLIQUE AQUI e veja receita e despesa do seu municípios.

Aqui você encontra informações sobre a aplicação do dinheiro público nos municípios e no estado de Pernambuco.

Zé Freitas no Facebook

Zé Freitas no Twitter
Parceiros