Lojas Surya
Ateliê Geilson
Supermercado
Lojas Surya Acessórios
Natura
Portal Correio-PB

 
CLIQUE E ACESSE!
 

Para visualizar este conteúdo corretamente, é necessário ter o Flash Player instalado.

REFLEXÕES DO PASSADO E PRESENTE: PERSPECTIVA DE MELHORA PARA O FUTURO


 

Saúde

Ingredientes

Modo de preparo

Numa tigela, coloque 1 kg de frango com o mix de ervas e misture bem. Transfira os pedaços de frango para uma assadeira e cubra com papel alumínio. Leve ao forno médio pré-aquecido a 180°C por 40 minutos. Retire o papel alumínio e deixe por mais 20 minutos ou até dourar. Retire do forno e sirva.

mdemulher

URGENTE! URGENTE! URGENTE!
O Caos da Saúde Pública Brasileira
Que o caos em que se transformou a saúde pública brasileira não tem mais jeito, todo mundo sabe!A ONU (Organização das Nações Unidas) fez uma pesquisa entre os dias 11 e dia 15 desta semana em 126 países e constatou que o índice de insatisfação e aprovação popular da saúde pública de nosso país é muito grande.
Para se ter uma ideia, eis alguns casos estarrecedores que ocorreram nesta mesma semana em São Paulo e no Rio de Janeiro:
São Paulo: Família leva criança de seis meses de idade com suspeita de pneumonia ao médico do SUS e ele receita Wodka Scarloff para ela;
Médicos do SUS são flagrados batendo ponto para colegas com dedos de silicone. A filha do diretor da unidade, nunca apareceu para trabalhar. Todos foram afastados das funções, mas continuam recebendo seus salários como se nada tivesse acontecido (ah, Brasil!).Rio de Janeiro: Uma adolescente de 16 anos morreu vítima de 05(cinco) paradas cardíacas, após percorrer três unidades de saúde, receber atendimentos artificiais e ser mandada de volta para sua casa como se nada estivesse acontecendo. Enquanto isso, atividades totalmente supérfluas e fontes de enriquecimento ilícito para algumas ratazanas, como por exemplo, os preparativos para as realizações da Copa do Mundo de 2014 e das Olimpíadas de 2016, estão a todo vapor consumindo bilhões de reais que poderiam ter sido destinados para ajudar a reanimar e moralizar a F3 (falecida, fantasmagórica e falida) saúde pública nacional.Não obstante, os cofres do Tesouro Nacional são esvaziados constantemente para cobrir gastos e despesas com centenas de motivos inúteis, ajudando a deixar a população em mais polvorosa e a ver navios fantasmas arrastarem as suas saúdes pelas quais pagam tão caro ao Governo Federal.

Continue lendo

Uma menina vítima de desnutrição identificada como Hanaa Ahmad Ali Bahr é registrada no colo do seu pai na cidade de Hodeida, no Iêmen, em março de 2019 Foto: ABDULJABBAR ZEYAD / Reuters
Uma menina vítima de desnutrição identificada como Hanaa Ahmad Ali Bahr é registrada no colo do seu pai na cidade de Hodeida, no Iêmen, em março de 2019 Foto: ABDULJABBAR ZEYAD / Reuters

PARIS — Um relatório divulgado pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) na última terça-feira revelou que uma a cada três crianças com menos de cinco anos sofre de desnutrição ou sobrepeso no mundo. O fenômeno pode acarretar problemas de saúde durante toda a vida, segundo a entidade. Ao menos 227 milhões de crianças estão afetadas por estes problemas alimentares, entre as 676 milhões que habitavam o planeta em 2018.

É o maior relatório a respeito do assunto no maior relatório sobre o assunto dos últimos 20 anos. O estudou indica, ainda, que 340 milhões de crianças sofrem de algum tipo de carência na alimentação. A globalização dos hábitos alimentares, a persistência da pobreza e a mudança climática estão fazendo com que um número crescente de países acumule esta “tripla carga” de desnutrição, sobrepeso e carências, destaca o relatório. — Muitos países na América Latina, leste da Ásia e do Pacífico acreditavam ter relegado a desnutrição ao passado, mas agora descobriram que têm um problema novo muito importante — afirma Victor Aguayo, chefe do programa de nutrição da agência. Aguayo citou como exemplo o México, onde “ainda há uma grande proporção de crianças desnutridas e, ao mesmo tempo, uma grande pandemia de sobrepeso e obesidade infantil, considerada uma emergência nacional pelo governo”. — A maneira como entendemos e reagimos à desnutrição precisa mudar. Não se trata apenas de dar às crianças comida suficiente. Antes de tudo, é preciso lhes dar uma boa alimentação — ponderou Henrietta Fore, diretora da Unicef, em um comunicado que acompanha o relatório. A desnutrição segue sendo o principal problema, ao afetar as crianças quatro vezes mais que o sobrepeso. O número de crianças que não recebe suficiente comida para suas necessidades nutricionais retrocedeu 40% entre 1990 e 2005, mas prevalece como um grande problema em muitos países, especialmente na África subsaariana e no sul da Ásia.

Fome oculta

No total, 149 milhões de crianças no planeta têm atraso no crescimento devido à desnutrição crônica e 50 milhões são magros em relação à sua estatura, devido à desnutrição aguda ou a um problema de absorção de nutrientes. A Unicef pontua que cerca de 340 milhões de crianças sofrem de uma “fome oculta”, recebendo o número de calorias suficientes, mas não o de minerais e vitaminas indispensáveis para seu desenvolvimento, como ferro, iodo, vitamina A e C, devido principalmente à falta de frutas, verduras e produtos de origem animal.

Essas carências, segundo a entidade, podem ter consequências físicas e intelectuais severas (sistema imunológico deficiente, problemas de vista ou de audição). Esse fenômeno começa muito cedo, com uma amamentação insuficiente e uma diversificação alimentar baseada em produtos impróprios, e se agrava com a “crescente acessibilidade a alimentos ricos em calorias mas pobres em nutrientes”, como o macarrão instantâneo.

Obesidade nos países pobres

Paralelamente, o sobrepeso e a obesidade se desenvolvem rapidamente, com 40 milhões de crianças pequenas afetadas, inclusive nos países pobres. Enquanto o problema era quase inexistente nas nações com baixa renda em 1990 — 3% deles tinham mais de 10% de crianças com sobrepeso—, três quartos destes países enfrentam o desafio. Ainda segundo Aguayo, diferentes formas de má nutrição acabam se sobrepondo em um mesmo país e até mesmo em uma mesma casa. Há casos, por exemplo, de mães com sobrepeso e filhos desnutridos. O fenômeno pode ocorrer com o mesmo indivíduo ao longo da vida, uma vez que a má nutrição infantil é considerada um fator de risco de sobrepeso e obesidade na fase adulta.Esse cenário está estreitamente relacionado à pobreza, uma vez que afeta mais os países pobres e as populações em situação precária nos países ricos, segundo destaca a Unicef. Diante desta situação, a entidade convoca os governos no relatório a promover os alimentos necessários para uma dieta equilibrada e a agir para que seja acessível economicamente. O documento também defende a regulamentação da publicidade do leite infantil em pó e dos refrigerantes, assim como a aplicação de etiquetas com informação nutricional nos alimentos “facilmente compreensíveis”, para ajudar os consumidores a escolher produtos mais saudáveis.

oglobo

Dormir no chão faz bem para a coluna?
Foto Shutterstock

Camas são realmente incríveis, mas você abriria mão delas em prol de sua saúde? É o que algumas pessoas têm feito, alegando que dormir no chão é bom para a coluna. Será que essas informações são verdadeiras?“A longo prazo? Não”, garante Jennifer L. Solomon, fisioterapeuta do Hospital for Special Surgery (EUA). Ela acrescenta, no entanto, que a curto prazo algumas pessoas com dor aguda descobrem que posições diferentes em uma superfície dura podem aliviar parte de seu incômodo. “Isso costuma acontecer quando as pessoas se deitam no chão com os joelhos para cima, tirando a pressão das costas.”É também por isso que alguns dizem que colchões duros são melhores para dor nas costas – mas “todo mundo é diferente”, diz Solomon.Sim, algumas pessoas podem se beneficiar de uma superfície dura, enquanto outras preferem algo suave. Contudo, a única maneira de você realmente saber o que é melhor para você é testar por conta própria.

Então, como posso aliviar minha dor nas costas sem dormir no chão?

“Que costuma dormir de lado ou de costas pode colocar um travesseiro atrás ou entre os joelhos para alcançar o alinhamento adequado da coluna”, orienta Salomão. Para a cabeça, você só precisará de um ou dois travesseiros que não sejam muito fofos e que não deixem a cabeça muito elevada. Mas sua posição e local para dormir não são as únicas coisas que afetam sua espinha. De acordo com Salomão, a saúde da coluna também é determinada por quanto você se exercita, se come bem e como administra seu estresse. “Não há um remédio mágico”, diz Solomon. “Há vários fatores que afetam a saúde da coluna e dormir é apenas um dos aspectos”, finaliza.

womenshealthbrasil.com.b

É verdade que o suco de laranja perde a vitamina C assim que é espremido?

Assim que tiramos a casca da laranja, as vitaminas começam a oxidar em contato com o ar e com os raios ultravioleta. Um experimento da Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária) quantificou o quanto se perde na hora de tomar um suquinho. Para isso, eles usaram uma amostra de 100 gramas de suco de laranja, contendo 33 miligramas de vitamina C, e a deixaram em temperatura ambiente. 

Duas horas depois, a concentração de vitamina tinha caído para 28 miligramas. Mais duas horas e a quantidade caiu para 25 mg. Em resumo: depois de quatro horas, o suco perdeu 24% da sua vitamina C.  Mas existem algumas formas para burlar essa perda. A recomendação da nutricionista Bruna Gardim é conservar a sua bebida em uma jarra vedada (evitando maior contato com o oxigênio) e que não seja transparente (diminuindo a incidência da luz solar). Outra alternativa é misturar laranja com acerola, uma grande fonte de vitamina C. Na mesma pesquisa, a Embrapa testou a combinação (que continha incríveis 393 mg de vitamina) e, após quatro horas, apenas 10% do total de vitamina foi perdido. A vitamina C é um importante oxidante para o nosso corpo: combate os chamados radicais livres e, com isso, previne o envelhecimento precoce. Também ajuda a fortalecer a imunidade, a formação de colágeno e na absorção do ferro vindo de fontes vegetais. Quanto mais ácido for o seu suco, mais vitamina C ele terá: açúcar e leite, por exemplo, alteram essa quantidade.

super

Segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde), mais de 11 milhões de brasileiros sofrem com a depressão. Pelo mundo, são quase 300 milhões de pessoas, números que fizeram a OMS chamar a doença de “mal do século”.

Por ser um conjunto de sintomas que podem estar presentes em aspectos variáveis em cada pessoa, a depressão não é fácil de ser diagnosticada
Por ser um conjunto de sintomas que podem estar presentes em aspectos variáveis em cada pessoa, a depressão não é fácil de ser diagnosticada
Foto: Getty Images / BBC News Brasil

Tratamentos psiquiátricos e terapias diversas são apresentadas em textos e programas de TV. Famosos e até youtubers têm falado muito mais da doença, mas uma parte importante desta equação toda parece ficar de lado: o cuidador. Por ser um conjunto de sintomas que podem estar presentes em aspectos variáveis em cada pessoa, a depressão não é fácil de ser diagnosticada. E a pessoa que convive com o doente rotineiramente também pouco sabe o que fazer. Segundo o Ministério da Saúde, um paciente com depressão pode apresentar tristeza profunda, falta de apetite, de ânimo, pessimismo, baixa auto-estima – que aparecem com frequência – e podem combinar-se entre si. De acordo com os especialistas, o crescimento do diagnóstico pode estar ocorrendo por conta de maiores cobranças sociais e pessoais de hoje. Mas também existe mais informação e aos poucos os preconceitos estão sendo combatidos e reduzidos, o que aumenta a quantidade de pedidos de ajuda e, consequentemente, os diagnósticos.

Parceiros

O psiquiatra Roni Cohen, diretor do Centro Brasileiro de Estimulação Magnética (CBREMT), aponta onde normalmente é o calcanhar de Aquiles do parceiro: “Realmente aqueles que cuidam ficam em segundo plano. Cuidar de uma pessoa com depressão requer uma sobrecarga emocional grande, principalmente porque, além de absorver o sentimento do outro, advém uma sensação de impotência quando se percebe que nem sempre a ajuda está sendo efetiva”.

O arquiteto S. (que preferiu não se identificar), de 33 anos, conta como aprendeu a se frustrar com a noiva, a médica I.. Ele revela que a maior dificuldade disso é saber como lidar com ela em momentos críticos. “Você sempre quer que a pessoa que você ama se sinta bem, feliz, quer fazer coisas legais juntos e às vezes eu tinha que entender que não conseguiria isso, não importa o que fizesse.

Segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde), mais de 11 milhões de brasileiros sofrem com depressão
Segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde), mais de 11 milhões de brasileiros sofrem com depressão

Foto: Reuters / BBC News Brasil

É muito frustrante”, explica. “E algo que agrava isso é o fato de que muitas vezes não havia nenhum motivo ‘real’ pra que ela se sentisse triste. Então não há um problema que você possa resolver e fazer tudo ficar bem”. Um outro motivo para agravar o problema foi a negligência da família, algo muito comum no mundo dos depressivos.”Eles (os familiares) tinham um certo preconceito com tratamento psiquiátrico e medicação. A depressão dela nunca me causou transtornos diretamente, mas sim à ela. Mas como vivemos juntos me atingem de alguma forma. Não procurei ajuda psicológica e tenho certeza que isso traria benefícios.”. A perda de compromissos importantes era um dos maiores problemas. “Há dias que ela acaba dormindo o dia todo e perde compromissos”.

Continue lendo

    Sair de casa sem um pingo de maquiagem, uma gota de corretivo ou mesmo base, é o sonho de muitas mulheres. Mas, para a maioria delas, as manchas, rosácea, acne, danos causados pelo sol e melasmas, ainda geram dependência da pele facial pelos pigmentos.

Mas a dúvida sempre fica: é possível ter uma pele perfeita sem recorrer ao make?  “Uma pele naturalmente bonita deve ser saudável e ter uma rotina de cuidados adequados a cada tipo, idade e época do ano. Independentemente da boa genética, bons hábitos de vida são pilares que promovem a beleza, saúde e longevidade. A alimentação equilibrada, sono de boa qualidade, exercícios regulares, baixa ingestão de bebida alcoólica e evitar o tabagismo são fundamentais para a manutenção da beleza da pele, além do uso de fotoprotetores adequados, que são os princípios elementos para prover saúde ao nosso corpo como um todo e, isto, claramente inclui seu maior órgão: a pele”, afirma a dermatologista Dra Claudia Marçal, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia e da Academia Americana de Dermatologia.

O passo a passo diário de cuidados com a pele e o hábito constante de visitar o dermatologista podem colaborar muito nesse processo e aqui elencamos os principais deles:

A última etapa conclusiva do ritual de limpeza é a tonificação. “Estes produtos, apesar da nomenclatura tônico, podem ser calmantes, hidratantes, antioxidantes e adstringentes”. Os tônicos têm o papel de recuperar também o PH da pele.
Hidratação com antioxidantes e foto proteção – Após lavar e tonificar a pele pela manhã, é o momento de usar um sérum tensor com efeito lifting, hidratante, que promova ação antioxidante e de proteção à barreira cutânea. “Ácido ferúlico e um pool de Vitaminas podem estar na formulação, que é um booster de energia para a boa atividade celular principalmente para atuar da junção dermoepidérmica”, explica. “A seguir o uso de fotoprotetor sempre acima de FPS 30 E PPD sempre 1/3 do total da proteção solar com ação anti UVA”, recomenda. Fototipos mais claros devem aumentar a fotoproteção: FPS 50 no mínimo.

Tratamentos noturnos Principalmente durante as épocas mais frias do ano, à noite é o momento de seguir a prescrição do dermatologista e utilizar compostos à base de vitamina A ácida, alfa-hidroxiácidos e derivados associados a clareadores como hidroquinona, alfa arbutin, decapeptídeo e antioxidantes como o resveratrol a vitamina E e C, as antocianinas presentes nos frutos vermelhos, fatores de crescimento, dentre outras formulações específicas para cada caso, tipo de pele e idade. “O regime de tratamento utilizado é prescrito no receituário e pode variar de acordo com a necessidade da pele, o problema em questão, além do estilo de vida de cada paciente”, destaca.

Não esquecer de lábios e olhos  A dermatologista lembra que lábios e olhos devem ser tratados com cremes com boa espalhabilidade que promovam a formação de filme na pele da região para maior proteção. “O produto para a região dos olhos deve ser usado duas vezes ao dia e a fórmula em questão adequada a cada idade com ação tensora, nutritiva, hidratante e capaz de melhorar a turgescência local, com hidratação e volumização”, conta. “Quanto aos lábios, para a hidratação das mucosas podemos utilizar substâncias emolientes como a manteiga de karité, a vitamina B5, a Vitamina E, ácido hialurônico, fosfolipídios e glicerina”, recomenda.

Continue lendo

Um feixe de luz intenso que atinge apenas o alvo – essa é a forma simples de descrever um laser. Aliado da dermatologia estética, atua por afinidade. “De acordo com o comprimento da onda, cada tipo de laser interage com uma substância – que pode ser o sangue, a água ou a melanina –, produzindo um efeito específico”, explica a dermatologista Valéria Campos, de São Paulo. Ao acertar o alvo, o laser provoca uma pequena lesão. “Mas é totalmente controlada. O próprio organismo aciona o metabolismo para corrigi-la”, afirma a dermatologista Adriana Cairo, de São Paulo.Com a recente evolução tecnológica, os novos aparelhos proporcionam resultados mais naturais e recuperação rápida. Além disso, nem sempre provocam descamações e irritação da pele. Cada vez mais, os jovens vêm buscando o procedimento como prevenção por oferecer opções menos invasivas. “É uma geração que se cuida desde cedo, evitando assim longos protocolos para tratar tudo de uma vez quando chegarem a uma idade mais avançada”, acrescenta Valéria. Há também os procedimentos lunchtime. “São aqueles que não exigem muito tempo de recuperação. Então, não interrompem a rotina e podem ser feitos até na hora do almoço”, diz a dermatologista Kédima Nassif, de São Paulo.

Tudo isso, aliado a um bom profissional, permite diagnósticos e tratamentos bastante eficientes. A recomendação é totalmente personalizada. O médico levará em consideração, entre outros fatores, as condições da pele – quem aplica ácidos, por exemplo, sofre com o aumento da sensibilidade –, o uso de medicamentos controlados, como isotretinoína, e a dedicação aos cuidados após o procedimento. Com promessas mágicas pipocando nas redes sociais a preços tentadores, vale se informar antes de topar qualquer tratamento. A seguir, listamos algumas das opções disponíveis que fazem mais sucesso hoje e explicamos para que servem e como atuam.

Dúvidas frequentes
  • Laser funciona melhor na pele clara?

Sim, a melanina pode interferir no tratamento. “Nas peles mais escuras, em razão do maior risco de queimaduras, usamos lasers de menor intensidade. Os de rubi ou de alexandrita, por exemplo, são proibidos nesse caso”, alerta o dermatologista Abdo Salomão.

  • A pele pode ficar sensível após a sessão?

Alguns tipos de laser, chamados de ablativos, provocam aspereza ou ressecamento da pele – é o caso do CO2. Mas eles não são maioria. Informe-se com seu médico antes do procedimento.

  • Dá pra fazer uma sessão e ir direto para o trabalho?

Em geral, o procedimento não causa incômodos nem marcas, apenas uma vermelhidão tolerável. Mas não se pode abrir mão do protetor solar – reaplicando-o várias vezes ao dia.

Sonja Salles defende dietas personalizadas e fala sobre sucos funcionais e sobre os efeitos do jejum intermitente, tema em voga

Agência O Globo

O fantástico mundo da alimentação saudável é cheio de armadilhas. Na tentativa de desvendar alguns dos seus mistérios (parte deles um tanto contraditória), a nutricionista Sonja Salles, coordenadora da Câmara Técnica de Nutrição Clínica e Esportes, elenca a seguir alguns mitos. Entre eles, a ideia de que tomar água morna com limão limpa o organismo; a teoria de que as dietas de intolerância ao glúten e à lactose emagrecem; e os efeitos do jejum intermitente, tema que está mais do que em voga; entre outros assuntos. Com a palavra, a especialista.

Água morna com limão limpa o organismo?

Esta teoria não tem nenhum fundamento científico. A ideia da “detoxificação” é um mito. O fígado e os rins são os órgãos do corpo humano responsáveis por fazer esta limpeza. Se você tem uma alimentação saudável, se consome frutas e vegetais diariamente, está favorecendo para que este processo ocorra da melhor maneira possível.

Qual é a melhor forma para adoçar uma bebida ou um doce?

A gente sempre tenta usar o açúcar na sua forma mais íntegra. A melhor escolha é o mascavo, que não passa por refinamento e, por isso, mantém propriedades nutricionais, vitaminas e minerais. Além de dar energia. Mas tem pacientes que acham que ele deixa a comida com gosto de rapadura. Então, sugiro o demerara, que é um meio termo. O estévia também é outra opção, mas que também deixa sabor residual. Por fim, a sucralose, que é artificial, acaba sendo um bom adoçante, pois tem o poder de adoçar mais do que o açúcar, e não tem interferência no paladar se vai ao forno ou ao fogão. O mel é um adoçante muito interessante. Tudo depende do perfil e dos objetivos de quem consome estes ingredientes. Não é crime adoçar.Você foi consultora de uma empresa de sucos de caixinha, na qual ganhou o título de “frutommelier”. Você aprova o consumo da bebida neste formato? Recomendaria alguma outra opção?Trabalhei três anos numa empresa do gênero. Nela, eles tinham um suco que era feito com o néctar, que é pouco suco, muita água e muito açúcar; e o 100% natural, produzido só com frutas mesmo. Cada fórmula tem a sua particularidade. Se você está na rua correndo, um suco pode ser uma refeição. Esses prensados, de uma forma geral, eu acho que são interessantes.

A que você atribui o sucesso do suco verde?

Eu acho fantástico. Você tem abacaxi, maçã, couve, gengibre. Mas não sei por que virou moda. Eu até brinco com os meus pacientes. Vamos fazer um suco vermelho ou amarelo? Para um leigo, a variedade da cor pode ser uma forma de reeducação.

Poderia sugerir receitas de sucos funcionais?

Um alimento sozinho não é capaz de nos nutrir como um todo. O suco de cenoura, laranja e frutas vermelhas vai ter um tom amarelado. O de tomate com beterraba, mais avermelhado. Um suco que era superbacana e caiu em desuso é o de laranja com beterraba.

As dietas com intolerância ao glúten ajudam a emagrecer?

Continue lendo

Apesar do excesso de peso, quase sempre as crianças nessa condição são seletivas, comem pouco de alguns alimentos e muito de outros / Foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil

Apesar do excesso de peso, quase sempre as crianças nessa condição são seletivas, comem pouco de alguns alimentos e muito de outros
Foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil
Agência Brasil
A Sociedade de Pediatria de São Paulo (SPSP) promove, neste mês, a campanha Setembro Laranja, de combate à obesidade infantil. O intuito é conscientizar a comunidade médica e a população em geral sobre a importância de práticas alimentares saudáveis em casa e nas escolas, bem como estimular a prática de atividades físicas.

Número de crianças acima do peso

A Organização Mundial da Saúde (OMS) aponta que 41 milhões de crianças menores de cinco anos estejam acima do peso. Para a Sociedade de Pediatria esse dado é alarmante e a entidade está empenhada para que seja drasticamente reduzido. A conscientização é imprescindível para prevenir a obesidade infantil e outros problemas decorrentes de uma alimentação inadequada, defende a sociedade. De acordo com o pediatra e nutrólogo Mauro Fisberg, membro do Departamento de Nutrição da SPSP, as principais implicações do excesso de peso podem ser divididas em problemas de curto, médio e longo prazo. “A curto prazo é a falta de diagnóstico, principalmente falta de conscientização, porque parte das famílias e parte dos profissionais da saúde muitas vezes não avaliam ou interpretam as curvas de crescimento adequadamente e assim deixam de fazer o diagnóstico precoce do excesso e controle de peso”.

Bullying

A segunda situação, de acordo com o pediatra, são as características emocionais como o bullying, “que começa dentro da própria casa; as características que levam alterações da dinâmica familiar ou de comportamento”. Segundo Fisberg, a carência nutricional é outro fator importante. “Apesar do excesso de peso, quase sempre as crianças nessa condição são seletivas, comem pouco de alguns alimentos e muito de outros. Elas podem ter alterações de pele, de postura, podem ter aumento do colesterol, dos triglicérides, e pode ter aumento da resistência insulínica [levando ao diabetes]. Isso pode causar no futuro um obesidade mais grave, hipertensão, doenças cardiovasculares, alterações lipídicas e todas os aspectos comportamentais e emocionais ligados ao excesso de peso”, alerta. O pediatra orienta também sobre a prevenção, que deve envolver toda a família. “É importante prevenir através de uma mudança global em todo o sistema de comportamento da família e da sociedade, modificando a alimentação, reduzindo a ingestão de alimentação inadequada e aumentando a atividade física, mas principalmente tendo um comportamento mais consciente em relação a esses aspectos: alimentação, atividade física e de uma forma geral a forma como encaramos o comportamento da alimentação dentro das famílias”. Fisberg alerta que a obesidade é mais fácil de ser prevenida do que tratada nas crianças. “Hoje aproximadamente uma para cada quatro crianças apresenta excesso de peso, e provavelmente dessas, em torno de 8% a 10% tem obesidade e quase todas tem obesidade grave. Por isso ela deve ser prevenida, porque não é muito simples perder peso exatamente numa fase de crescimento e desenvolvimento, onde faz parte da vida que se ganhe peso, ganhe massa muscular e massa gordurosa, então é preciso equilibrar crescimento e desenvolvimento com restrição de energia e que não modifique o crescimento, por isso é muito mais importante prevenir do que tratar”, adverte.

Orientação

Continue lendo

palpar tieroide 0916 1400x800
                                                                                                                     CHESIIRECAT/ISTOCK

A doença imunológica conhecida como tireoidite de Hashimoto, ou apenas Hashimoto, pode ser uma das condições responsável pela alteração da função da tireoide. A glândula é responsável pelo controle do metabolismo do corpo, o que inclui a frequência cardíaca e também a rapidez com que o organismo faz a queima das calorias dos alimentos que consome. Mas, além das condições genéticas, outras podem ser as causas da enfermidade.

Causas de tireoidite de Hashimoto além da genética

Iodo em excesso

Segundo pesquisas, o consumo de iodo pode estar associado aos problemas hormonais. Estes, então, podem vir a desencadear a doença de tireoide em pessoas suscetíveis.

Hormônios sexuais

Ao que tudo indica, hormônios sexuais podem ser responsáveis pela doença. Isso pode ser constatado devido à decorrência da tireoidite de Hashimoto sete vezes maior em mulheres do que em homens.

problema tireoide 0318 1400x80
                                                                               KATERYNA KON/SHUTTERSTOCK

Exposição à radiação

Pacientes que se submetem ao tratamento de radiação para um tipo de câncer de sangue, conhecido como doença Hodgkin, estão mais dispostas a desenvolver problemas na tireoide. Os sintomas da tireoidite são muito parecidos com os de outras doenças, por esse e outros motivos, é importante procurar um especialista para o diagnóstico completo.

 

Você está seguindo a dieta e praticando exercícios físicos, mas ainda assim não consegue emagrecer? A culpa pode ser do seu metabolismo. Da mesma forma que alguns alimentos podem acelerar o ritmo do nosso corpo, outros são responsáveis por deixá-lo mais lento, o que causa cansaço, desânimo e acúmulo de calorias – impedindo a perda de peso. O primeiro passo para descobrir o que está atrasando seu organismo é fazer um teste clínico para intolerâncias alimentares e alterações hormonais. “Se seu corpo não digere algum alimento, ele vai ficar inflamado e desacelerar o metabolismo”, explica a nutricionista Andrezza Botelho, de São Paulo. É o caso do leite e do trigo para algumas pessoas – mas antes de cortar qualquer item do seu cardápio, consulte um médico. Descartando doenças e desequilíbrios hormonais, você pode diminuir estes hábitos inimigos do metabolismo acelerado:

1. Adicionar açúcar em bebidas e receitas

açúcar proporciona um pico de energia quase instantâneo após o consumo, mas não se engane: a sensação dura pouco e ele logo se transforma em gordura. “Além de ser um agressor da mucosa, o açúcar fermenta no estômago e pode provocar estufamento e aumento das medidas”, ressalta Andrezza. Ele também causa compulsão: quanto mais você come, mais quer comer. Para acelerar o metabolismo, Andrezza sugere cortar o açúcar de adição, aquele que você coloca no cafezinho ou no suco. Alimentos que levam o ingrediente na composição, como iogurtes e granolas, devem ser consumidos com moderação: “Se no somatório do dia aquele açúcar em outros alimentos fizer a diferença, também é bom maneirar”.

2. Usar óleos em suas preparações

Não pense que só o óleo vegetal traz problemas. Se forem aquecidos além da conta, até mesmo os óleos saudáveis (como de gergelim, abacate e de coco) podem oxidar e atrasar o metabolismo. “No dia a dia, vale diminuir o consumo da gordura aparente, como a da carne vermelha”, indica Andrezza.

3. Consumir muitos produtos industrializados

No caso de alimentos industrializados, é importante ficar atentar aos rótulos. “O excesso de conservantes inflama o organismo, já que as células não sabem o que são esses ingredientes – elas só reconhecem vitaminas, minerais e proteínas”, diz a nutricionista. Quanto mais natural sua alimentação, melhor!

4. Dormir pouco

Não pense que só a comida é capaz de alterar o metabolismo, viu? Durante o sono, o organismo produz hormônios essenciais para o emagrecimento. “Você precisa dormir bem para manter o metabolismo acelerado”, indica Andrezza.

boaforma

Especialistas do mundo inteiro concordam que o café da manhã é inegavelmente a refeição mais importante do dia porque nos fornece a energia necessária para trabalhar durante todo o dia. Ingerir um café da manhã saudável está ligado a ter melhoria da memória e capacidade de se concentrar mais em suas tarefas, além do fato de que ele mantém você saudável, e é por isso que escolher os alimentos certos para comer de manhã é tão importante. 
Vamos listar aqui os 15 melhores alimentos para ingerir pela manhã.

1. Ovos

Fonte: http://bumbleholefoods.com

Ficou comprovado que comer ovos de manhã vai ajudá-lo a se sentir mais completo durante todo o dia, fazendo com que sua ingestão de calorias diminua na próxima refeição. Embora eles sejam ricos em colesterol, na verdade, eles reduzem as chances de contrair doenças cardíacas modificando a forma do colesterol ruim e melhorando sua sensibilidade à insulina. Ingerir ovos aumentam o metabolismo e ajudam a perder mais gordura na região da barriga. As gemas evitam a absorção de gordura enquanto fornecem ferro e vitamina A e B-12.

boaforma

Quem nunca saiu para almoçar e acabou pegando mais comida do que o necessário? Veja como fugir disso

É uma cena corriqueira para quem não tem tempo de preparar as marmitas da semana: você decide ir a um restaurante daqueles “por quilo” na hora do almoço, e acaba comendo muito mais do que a quantidade que te deixaria satisfeita. Ou então ataca as massas e as carnes gordurosas. Isso não é muito bom para quem está tentando manter os quilinhos em dia ou até mesmo para quem busca a alimentação equilibrada. Mas então como montar um prato saudável e conseguir resistir à tanta tentação disponível? A nutricionista Mariana Vilela Strang, da Clínica Cristiane Coelho, em São Paulo, dá as dicas:

Não vá morrendo de fome

Um dos erros mais comuns de quem almoça fora de casa é chegar no restaurante faminta. Desse modo, é claro, fica muito mais fácil exagerar. “Quando estamos morrendo de fome, perdemos a capacidade de escolher nossos pratos. O ideal é sair para almoçar quando a vontade está chegando”, diz Mariana. Se você perceber que ainda vai demorar para comer, vale a pena optar por um lanchinho entre o café da manhã e a próxima refeição. Frutas são ótimas opções.

Comece pela salada

Na hora de se servir, vá direto para a seção das saladas cruas, legumes e verduras quentes e sopas. É uma ótima maneira de começar a refeição, preparar o estômago e não fazer escolhas erradas quando for para os carboidratos e proteínas.

Escolha um de cada

Linguiça, picanha, peixe, macarrão, arroz e batata. Não é estranho vermos pratos com mais de um carboidrato e proteína, afinal, dá vontade de pegar de tudo um pouco mesmo, né? Mas saiba que essa não é uma boa estratégia. “Ao escolher um só tipo de carboidrato e proteína, consumimos a quantidade adequada do alimento. Caso contrário, pode surgir a vontade de comer bem mais e repetir o prato. Prefira um ingrediente de cada grupo alimentar”, explica a nutricionista.

Cuidado com as folhas cruas

Sim, salada e verduras cruas só em locais que você sempre vai e sabe que tudo é preparado com muita higiene. Isso vale principalmente para as grávidas. Se você estiver em um restaurante desconhecido, é mais seguro ingerir os cozidos.

Esqueça a bebida

Durante a refeição, Mariana aconselha não tomar líquidos. “Isso atrapalha o processo digestório. Se quiser, divida uma água com uma amiga, mas beba no máximo 200 ml. Já as quantidades maiores devem ser ingeridas no mínimo 10 minutos antes. Depois de comer, espere até 1h30”, diz.

boaforma

IMG 0711dddddO Fundo Nacional de Saúde (FNS) comemora o cinquentenário de sua criação em 2019. Na manhã da última quarta-feira (24/07), um café da manhã comemorativo foi realizado no hall do 2º andar do Anexo. Na ocasião, o diretor executivo do FNS, Dárcio Guedes Júnior e o ministro da Saúde, Henrique Mandetta, realizaram os discursos de abertura do evento. Também estiveram presentes na comemoração o secretário-executivo, João Gabbardo, o secretário de Atenção Especializada à Saúde, Francisco Figueiredo e a secretária especial de Saúde Indígena, Sílvia Nobre Waiãpi.

O diretor executivo do FNS abriu sua fala agradecendo aos colaboradores do Fundo Nacional de Saúde e ressaltando a importância do trabalho de cada um. “Esse é o Fundo Nacional de Saúde, ministro! Um povo valoroso, um povo que briga. Pessoas que não medem esforços para que o recurso chegue a cada cidadão brasileiro, a tempo e hora, da forma mais qualificada e transparente possível”, disse. 

Dárcio agradeceu também aos profissionais que já passaram pelo Fundo Nacional de Saúde. “São 50 anos de história e quantas pessoas já passaram por aqui? Nossa comemoração hoje é um momento de gratidão aos que se dedicaram durante todo esse tempo e aos que ainda se dedicam para entregar serviços de qualidade para a população”, concluiu. 

Em seguida, o ministro da Saúde, Henrique Mandetta, começou sua fala realizando uma homenagem ao ex-diretor executivo do FNS, Erasmo Ferreira, falecido em junho de 2014. “Nesse momento, queria relembrar de um amigo que fiz no Fundo Nacional de Saúde, o Erasmo. Me lembro que o conheci quando era um jovem secretário municipal de saúde, naquela época eu lutava pelos recursos para minha cidade e lutava com muita garra. Eu não tinha nenhum vínculo com o Erasmo na época, eu só pedia por Campo Grande, ele se interessava e lutava para ajudar. Depois, descobri que ele fazia o mesmo por todos os municípios. Acredito que o Erasmo retrata o espírito do que tem sido o Fundo Nacional de Saúde nesses 50 anos. Um trabalho quase anônimo, sem cara, sem holofote, mas que é o próprio coração do Ministério da Saúde”, relembrou. 

O ministro pediu ainda que os colaboradores do FNS continuem fazendo um serviço de qualidade pelo Brasil. “Ministros passam, governos passam e o Fundo Nacional fica. Por isso, façam o melhor pelos municípios. Continuem realizando um trabalho bem feito e ético para que possamos comemorar mais 10, 20, 30 ou 50 anos de Fundo Nacional de Saúde. Gostaria de cumprimentar todos os funcionários com meu respeito, minha admiração e dizer que estamos juntos! Parabéns Fundo Nacional de Saúde, muitos anos de vida para vocês”, finalizou. 

50 anos de história 

IMG 0673xxxx

A história do Fundo Nacional de Saúde teve início no dia 24 de julho de 1969, com o decreto nº 64.867. Desde então, o FNS passou a ser o gestor dos recursos da saúde pública brasileira. Nos próximos meses, diversas atividades e homenagens serão realizadas no Ministério da Saúde em comemoração aos 50 anos do Fundo Nacional de Saúde

 

Foto: Ministério da Saúde

Brasília (DF) – O Ministério da Cidadania conquistou cerca de R$ 6,2 milhões para investir na prevenção ao uso de álcool, tabaco e outras drogas por gestantes, lactantes e mães de crianças na primeira infância, que vai até os três anos de vida. Elas irão receber orientações de técnicos capacitados, visando a promoção da saúde, o fortalecimento de vínculos familiares e a proteção e conscientização sobre os riscos que estas substâncias podem causar.

O projeto Hera, que faz referência à deusa do nascimento na mitologia grega, foi elaborado pela Secretaria Nacional de Cuidados e Prevenção ao Uso de Drogas (Senapred), e irá capacitar 10,4 mil trabalhadores do Sistema Único de Assistência Social (Suas), do Sistema Único de Saúde (SUS) e do Sistema Nacional de Políticas Públicas sobre Drogas (Sisnad) em todo o País.

Os mais de R$ 6 milhões de reais que serão investidos na prevenção, são provenientes do Fundo de Defesa de Direitos Difusos – ligado ao Ministério da Justiça e Segurança Pública. O dinheiro é fruto de condenações judiciais, indenizações e multas aplicadas em ações do Conselho Administrativo de Defesa do Econômica (Cade). Os projetos e programas que serão financiados pelo órgão devem ter como foco a recuperação, conservação e preservação do meio ambiente; à proteção e defesa do consumidor; à promoção e defesa da concorrência; ao patrimônio cultural brasileiro, entre outros. O Fundo é comandado por um Conselho Federal Gestor, composto por representantes do governo federal, Ministério Público Federal e sociedade civil.

Continue lendo

Por cerca de uma hora ministro da Saúde e sua equipe recebeu vaias da plenária da 16ª Conferência Nacional - Créditos: Foto: Setorial de Saúde do PT
Por cerca de uma hora ministro da Saúde e sua equipe recebeu vaias da plenária da 16ª Conferência Nacional / Foto: Setorial de Saúde do PT

A abertura oficial da 16ª Conferência Nacional de Saúde (8ª+8), em Brasília, indicou o descontentamento de gestores, trabalhadores e usuários do SUS com o atual governo Bolsonaro. O encontro reuniu aproximadamente 3 mil pessoas e foi realizado  pelo Conselho Nacional de Saúde (CNS) – vinculado ao ministério – na noite de domingo (4). Por volta de uma hora, o grande salão do Pavilhão de Exposições, na capital federal, foi tomado por vaias direcionadas ao ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta e sua equipe (com exceção da titular da Sesai, Silvia Waiãpi). Os presentes também gritaram palavras de ordem, como: “Ele não; ele nunca” e “Fora fascista”.Convidado do evento, Mandetta e sua equipe foram cercados por seguranças numa barreira humana distanciando-o do povo, ato em desalinho ao tema da conferência “Democracia e Saúde”.

Hostilização

As vaias acompanharam os discursos da maioria das autoridades presentes. No caso do ministro, último a falar, o período de tensão se arrastou por cerca de 17 minutos, segundo alguns conselheiros. O ministro citou escândalos de corrupção em governos anteriores, mau uso de recursos públicos para estar naconferência e disse que quem não usasse verbas públicas da forma correta teria o mesmo destino dos presos na Operação Lava-Jato. Ao lado de três ex-ministros da Saúde, Agenor Álvares, Arthur Chioro e Saraiva Felipe, Mandetta afirmou que só agora o país chegou “ao momento da democracia”, e “pela primeira vez o Ministério se faz sem toma lá, dá cá”.Sem ser ouvido e nem deixar de falar, Mandetta alcançou a antipatia explícita da maioria do público ao dizer que doenças como difteria e sarampo “nascem da maior ditadura da América do Sul”.

Revogação da EC 95

Na avaliação de Nayara Oliveira, delegada eleita para a 16ª Conferência Nacional de Saúde pelo segmento usuária, o primeiro dia surpreendeu. “Foi uma plenária mais à esquerda do que poderíamos imaginar. Fiz a defesa, em minha fala, sobre focarmos após a conferência na revogação da Emenda Constitucional 95”.Nayara Oliveira criticou a fala do ministro, que segundo ela, carregada de “fake news graves” e que criou animosidade na plenária.”Do tipo responsabilizar epidemias de sarampo ao governo da Venezuela. A cobertura vacinal na região da fronteira no Brasil é 2% para este tipo de [doenças] pólio, sarampo…É baixa para caramba. Uma falha no sistema de saúde do Brasil. E ele imputou a responsabilidade à Venezuela”, citou.Fernando Pigatto, presidente do CNS, foi obrigado a intervir para tentar acalmar o público. Mandetta, por outro lado, continuou alimentando o discurso da polarização. Conforme publicado no site Outra Saúde, o chefe da pasta disse que teremos duas escolhas: olhar para trás e se utilizar do sistema de saúde e dos espaços que ele oferece para “pequenos, míopes, tacanhos e remoermos os nossos ódios” ou “gigantes, altruístas” sermos defensores de uma história.Mandetta finalizou o discurso insinuando que a maior parte dos presentes havia viajado com recursos públicos para estar na conferência e que quem não usasse verbas públicas da forma correta teria o mesmo destino dos presos na Operação Lava-Jato. “Quem não faz bom uso de coisa pública, que sejam recebidos na suíte imperial de Curitiba”, disse o ministro ao jornal O Globo.

Continue lendo

 

Resultado de imagem para Amamentação: um relato amor e persistência

Quando algo é difícil, bem difícil, quase insuportável, enrolado e tenso, comumente usamos a expressão “nossa, foi um parto”. Pois, na minha experiência, eu diria que desafiador mesmo é a amamentação. Depois de passar por um parto relativamente tranquilo e muito inspirado, vi minha pequena bebê prematura (Stella Nour nasceu com 35 semanas e 5 dias – oitavo mês de gestação) chegar em casa com cinco dias de vida e não conseguir sugar o leite que começava a descer. NMeus seios pareciam duas bolas de boliche – e obviamente nenhum dos meus sutiãs cabiam (nem mesmo os que comprei na gravidez). Stella vinha para os meus braços para tentar mamar e dormia profundamente naquele aconchego. A enfermeira que me ajudou neste começo colocava as luvas e fazia massagem em sua pequena boca para estimular a sucção. Chegávamos, bebê, eu e enfermeira, a ficar duas horas sentadas tentando fazer com que ela mamasse, processo que muitas vezes terminava comigo triste e frustrada, e com Stella morrendo de fome.Para aproveitar o leite que ia descendo (e consequentemente molhando sutiã, camiseta, pijama, roupa de cama, algo desesperador!), minha melhor amiga virou a máquina de extrair leite. Tenho a da marca Medela com dois bocais (encaixo-os num top que acompanha o equipamento para extrair o líquido dos dois seios simultaneamente). No começo chegava a chorar de dor nas primeiras sugadas! Para tentar descontrair, fazia selfies daquela situação bizarra, ordenhando como uma vaquinha…Stella começou finalmente a aprender a sugar quando passei a usar um bico de silicone, dica preciosa que ouvi de amigas (a tal rede de apoio, valiosíssima!). Antes disso, alimentava ela com a ajuda de um copinho ou na mamadeira. Quando tudo parecia mais calmo, um dia meus seios, cheíssimos de leite, começaram a ficar mais duros que o normal, com leite empedrado, as mamas doloridas e avermelhadas. Fui apresentada à mastite, inflamação nas mamas comum entre lactantes. Tive febre por dois dias e senti muita dor. Fui aconselhada a fazer massagem no chuveiro quente, para desobstruir os dutos inflamados. Mas só uma semana de antibióticos fez com que quadro melhorasse.

Continue lendo

Cubanos do Mais Médicos terão direito a residência no Brasil

Karina Zambrana

Os profissionais de Cuba que atuaram programa Mais Médicos vão poder solicitar autorização de residência no Brasil, de acordo com portaria publicada no Diário Oficial da União desta segunda-feira, 29. Os interessados devem apresentar o requerimento em uma das unidades da Polícia Federal e prazo da autorização de residência será de dois anos.Além de foto e documentos de identidade, os cubanos devem entregar declaração de que participaram do programa, certidão de antecedentes criminais dos Estados em que residiu no Brasil e de ausência de antecedentes criminais em qualquer outro país nos últimos cinco anos.Estima-se que, dos 8 mil profissionais que vieram para o Brasil para trabalhar no programa, cerca de 2 mil permaneceram no País após o fim do acordo de colaboração entre Brasil e Cuba, que foi rompido em novembro do ano passado.A ruptura se deu por iniciativa do governo cubano em resposta a críticas feitas pelo presidente Jair Bolsonaro, que comparou os profissionais a escravos.A portaria diz ainda que, antes da expiração do prazo de dois anos, será possível solicitar a autorização de residência por tempo indeterminado, desde que o interessado comprove meios de subsistência, não tenha se ausentado do Brasil por mais de 90 dias por ano e não tenha registros criminais.“É garantida ao migrante beneficiado por esta Portaria a possibilidade de livre exercício da atividade laboral no Brasil”, diz o texto. A autorização de residência implica na desistência da solicitação de reconhecimento da condição de refugiado pelos profissional

istoe

                                                                   Resultado de imagem para Conheça os benefícios de comer abacaxi todos os dias

Foto: Pixarbay

O abacaxi além de delicioso pode ser muito benéfico para a saúde se consumido da maneira correta. De acordo com o Serviço Nacional de Saúde do Reino Unido (NHS), a dose diária recomendada para se usufruir dos benefícios do fruto são de 2 fatias por dia.

Confira 7 bons motivos para consumir abacaxi todos os dias:

1. Diminuição da inflamação

O abacaxi contém bromelina, uma substância que ajuda a lutar contra as inflamações. Isso ajuda a diminuir o inchaço, a dor e acelera o processo de cura de feridas. Além disso, ajuda a eliminar as células ‘más’. Por ajudar a regenerar os tecidos  é muitas vezes aplicado em lesões de atletas.

2. O coração funciona melhor

A vitamina C do abacaxi protege o organismo de problemas vasculares e ajuda na produção de colágeno nos ossos, músculos e vasos sanguíneos.

3. Ajuda a emagrecer

Por conter bastante água, o abacaxi é um excelente diurético e, consequentemente, um bom aliado para o corpo, ajudando a diminuir a retenção de líquidos. O consumo de abacaxi diminui a vontade de comer doces, sendo como tal muito indicado para quem deseja perder peso. Recomenda-se consumir duas fatias da fruta com canela em pó logo de manhã.

4. Contribui para a preservação da memória

As substâncias presentes na fruta atuam diretamente nos nossos neurotransmissores, promovendo a melhoria da renovação celular, e desse modo preservando a memória e prevenindo doenças neuro-degenerativas como o Alzheimer.

5. Auxilia no controle do colesterol e triglicerídeos

O abacaxi é um ótimo remédio natural para diminuir os níveis de colesterol, pois ajuda a normalizar esta dislipidemia no sangue por ser rico em fibras solúveis que melhoram o trânsito intestinal e diminuem a captação do colesterol proveniente da alimentação. Além disso, por possuir fibras solúveis que ajudam a reduzir a concentração de gordura na corrente sanguínea, contribui para baixar os valores de triglicerídeos no sangue.

6. Prevenção do risco de AVC

O abacaxi contém muito potássio, que ajuda a reduzir a pressão sanguínea e ajuda a prevenir acidentes vasculares cerebrais.

7. Conserva a juventude por mais tempo

Esta fruta é riquíssima em manganês, que protege as células do corpo dos radicais livres, que destroem as células e aceleram o envelhecimento da pele dos órgãos.

portaldoholanda

Faça Sua Pesquisa no Google Aqui!
 
bove=""

 

Visitas
contador de visitas
Redes Sociais
Click e acesse
Zé Freitas no Facebook

Zé Freitas no Twitter
Parceiros