Recicla Net

Óticas Olhar Brasil
Supermercado
Seg Vida
 

TEXTO ÁUREO
“Por isso, deixará o homem seu pai e sua mãe e se unirá a sua mulher; e serão dois numa carne.”  (Ef 5.31)    

VERDADE PRÁTICA
DEUS estabeleceu o casamento monogâmico, heterossexual e indissolúvel, isto é, a instituição da família para glória do nome dEle.    

LEITURA DIÁRIA
Segunda – Gn 2.24 DEUS planejou abençoar todas as famílias da terra

Terça – Ef 5.23 O marido é a cabeça do lar assim como CRISTO é a cabeça da Igreja
Quarta – Ef 5.25 O marido deve amar a esposa de forma incondicional
Quinta – Gl 5.13 O cristão desfruta da liberdade em CRISTO e não está sujeito à escravidão
Sexta – Lc 2.51 DEUS deseja que os filhos confiem na sabedoria de seus pais
Sábado – Ef 6.3 Aos filhos que obedecem e honram seus pais uma dupla promessa é assegurada    

LEITURA BÍBLICA EM CLASSE – Efésios 5.21-33; 6.1-4
Efésios 5

21 – sujeitando-vos uns aos outros no temor de DEUS. 22 – Vós, mulheres, sujeitai-vos a vosso marido, como ao Senhor; 23 – porque o marido é a cabeça da mulher, como também CRISTO é a cabeça da igreja, sendo ele próprio o salvador do corpo. 24 – De sorte que, assim como a igreja está sujeita a CRISTO, assim também as mulheres sejam em tudo sujeitas a seu marido. 25 – Vós, maridos, amai vossa mulher, como também CRISTO amou a igreja e a si mesmo se entregou por ela, 26 – para a santificar, purificando-a com a lavagem da água, pela palavra, 27 – para a apresentar a si mesmo igreja gloriosa, sem mácula, nem ruga, nem coisa semelhante, mas santa e irrepreensível. 28 – Assim devem os maridos amar a sua própria mulher como a seu próprio corpo. Quem ama a sua mulher ama-se a si mesmo. 29 – Porque nunca ninguém aborreceu a sua própria carne; antes, a alimenta e sustenta, como também o Senhor à igreja; 30 – porque somos membros do seu corpo. 31 – Por isso, deixará o homem seu pai e sua mãe e se unirá à sua mulher; e serão dois numa carne. 32 – Grande é este mistério; digo-o, porém, a respeito de CRISTO e da igreja. 33 – Assim também vós, cada um em particular ame a sua própria mulher como a si mesmo, e a mulher reverencie o marido. Efésios 6 1 – Vós, filhos, sede obedientes a vossos pais no Senhor, porque isto é justo. 2 – Honra a teu pai e a tua mãe, que é o primeiro mandamento com promessa, 3 – para que te vá bem, e vivas muito tempo sobre a terra. 4 – E vós, pais, não provoqueis a ira a vossos filhos, mas criai-os na doutrina e admoestação do Senhor.    

OBJETIVO GERAL – Mostrar que o relacionamento harmonioso está incluído no projeto divino para a família cristã.    

OBJETIVOS ESPECÍFICOS

Refletir sobre a conduta bíblica prescrita aos maridos;
Demonstrar como a mulher casada é comparada à Igreja de CRISTO;
Orientar a conduta dos pais e filhos no ambiente familiar.    

INTERAGINDO COM O PROFESSOR
A família é a principal instituição planejada por DEUS. O relacionamento familiar é um projeto divino que tem a responsabilidade de glorificar a DEUS e transmitir à sociedade o padrão moral e espiritual da família, fundamentado na Palavra de DEUS. Para tanto, a Bíblia ressalta o papel dos pais e dos filhos no seio familiar. Tais papéis devem ser exercidos em obediência à palavra divina a fim de que a família mantenha a comunhão e a convivência de forma harmoniosa.    

PONTO CENTRAL – O relacionamento familiar é um projeto divino.  

 Resumo da Lição 12, A Conduta do Crente em Relação à Família

I – A CONDUTA DO CRENTE COMO MARIDO
1. O papel do marido como líder da família. 2. O amor como elemento primordial.

3. O cuidado do marido à esposa.

II – A CONDUTA DA CRENTE COMO ESPOSA
1. O conceito de submissão cristã. 2. A condição da mulher cristã. 3. A reverência devida ao marido.

III – A CONDUTA DO CRENTE COMO FILHO
1. A responsabilidade dos pais. 2. A conduta requerida dos filhos. 3. O mandamento com promessa.           Resumo rápido do Pr Henrique, da Lição 12, A Conduta do Crente em Relação à Família  

LEITURA BÍBLICA EM CLASSEEfésios 5.21-33; 6.1-4
Efésios 5.21 – sujeitando-vos uns aos outros no temor de DEUS. 22 – Vós, mulheres, sujeitai-vos a vosso marido, como ao Senhor; 23 – porque o marido é a cabeça da mulher, como também CRISTO é a cabeça da igreja, sendo ele próprio o salvador do corpo. 24 – De sorte que, assim como a igreja está sujeita a CRISTO, assim também as mulheres sejam em tudo sujeitas a seu marido. 25 – Vós, maridos, amai vossa mulher, como também CRISTO amou a igreja e a si mesmo se entregou por ela, 26 – para a santificar, purificando-a com a lavagem da água, pela palavra, 27 – para a apresentar a si mesmo igreja gloriosa, sem mácula, nem ruga, nem coisa semelhante, mas santa e irrepreensível. 28 – Assim devem os maridos amar a sua própria mulher como a seu próprio corpo. Quem ama a sua mulher ama-se a si mesmo. 29 – Porque nunca ninguém aborreceu a sua própria carne; antes, a alimenta e sustenta, como também o Senhor à igreja; 30 – porque somos membros do seu corpo. 31 – Por isso, deixará o homem seu pai e sua mãe e se unirá à sua mulher; e serão dois numa carne. 32 – Grande é este mistério; digo-o, porém, a respeito de CRISTO e da igreja. 33 – Assim também vós, cada um em particular ame a sua própria mulher como a si mesmo, e a mulher reverencie o marido. 
Efésios 6.1 – Vós, filhos, sede obedientes a vossos pais no Senhor, porque isto é justo. 2 – Honra a teu pai e a tua mãe, que é o primeiro mandamento com promessa, 3 – para que te vá bem, e vivas muito tempo sobre a terra. 4 – E vós, pais, não provoqueis a ira a vossos filhos, mas criai-os na doutrina e admoestação do Senhor.  

Meus comentários: Temos aqui nesta lição o “CAPÍTULO DA SUBMISSÃO” – De Efésios 5.21 a Efésios 6.1-9 JESUS submisso ao PAI. Marido submisso a JESUS. Esposa submissa ao esposo como a CRISTO Filhos submissos aos pais que representam CRISTO Empregados submissos aos patrões como sendo vistos por CRISTO. Patrões submissos a DEUS.    

 

I – A CONDUTA DO CRENTE COMO MARIDO

1. O papel do marido como líder da família. Ef 5.26 – para a santificar, purificando-a com a lavagem da água, pela palavra, A purificação do sacerdote, no Tabernáculo, era na água da Pia de Cobre à porta da Tenda da Congregação, antes de entrar para o lugar santo e ministrar. JESUS purificou a Igreja pela lavagem da água pela Palavra, pois ao ouvir a Palavra de DEUS e nela crêr é salvo e purificado de seus pecados. De sorte que a fé é pelo ouvir, e o ouvir pela palavra de DEUS. Romanos 10:17 Visto como, na sabedoria de DEUS, o mundo não conheceu a DEUS pela sua sabedoria, aprouve a DEUS salvar os crentes pela loucura da pregação. 1 Coríntios 1:21 Porque pela graça (JESUS e seu sacrifício) sois salvos, por meio da fé; e isso não vem de vós; é dom de DEUS. Efésios 2:8 em quem também vós estais, depois que ouvistes a palavra da verdade, o evangelho da vossa salvação; e, tendo nele também crido, fostes selados com o ESPÍRITO SANTO da promessa; Efésios 1:13   Ef 5.27 – para a apresentar a si mesmo igreja gloriosa, sem mácula, nem ruga, nem coisa semelhante, mas santa e irrepreensível. A Igreja salva e purificada é apresentada a JESUS como noiva pronta para ao casamento, sem pecado, santa e irrepreensível, pois está em CRISTO.    

2. O amor como elemento primordial. Ef 5.25 – Vós, maridos, amai vossa mulher, como também CRISTO amou a igreja e a si mesmo se entregou por ela, O Amor é a chave mestra de tudo. Primeiro amor a DEUS e segundo, amor ao próximo. Assim JESUS resumiu a Bíblia – E JESUS disse-lhe: Amarás o Senhor, teu DEUS, de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu pensamento. Este é o primeiro e grande mandamento. E o segundo, semelhante a este, Amarás o teu próximo como a ti mesmo. esses dois mandamentos dependem toda a lei e os profetas. Mateus 22:37-40 O amor (αγαπαω agapao), receber com alegria, acolher, gostar muito de, amar ternamente, estar satisfeito, estar contente sobre ou com as coisas, é visto aqui como o amor sacrificial de CRISTO para com a Igreja e do marido para com sua esposa. O verdadeiro amor dá a vida pelo ente amado. Eu sou o bom Pastor; o bom Pastor dá a sua vida pelas ovelhas. João 10:11; Mas DEUS prova o seu amor para conosco em que CRISTO morreu por nós, sendo nós ainda pecadores. Romanos 5:8.   Ef 5.28 – Assim devem os maridos amar a sua própria mulher como a seu próprio corpo. Quem ama a sua mulher ama-se a si mesmo. Assim como CRISTO amou a igreja, sua noiva, e deu sua vida por ela, o marido deve ser capaz de dar sua vida pela esposa. Se o marido se ama a si mesmo, então ama a esposa que é parte dele mesmo, pois ao se unir a ela, no casamento, se tornou um só com ela. Conhecemos o amor nisto: que ele deu a sua vida por nós, e nós devemos dar a vida pelos irmãos. 1 João 3:16 E serão os dois uma só carne e, assim, não serão dois, mas uma só carne. Marcos 10:8    

3. O cuidado do marido à esposa. Ef 5.29 – Porque nunca ninguém aborreceu a sua própria carne; antes, a alimenta e sustenta, como também o Senhor à igreja; Ninguém odeia seu próprio corpo. O corpo envelhece, mas não deixamos de amá-lo. Não deixamos de alimentar o corpo nunca, pois sabemos que, se o fizermos, morreremos. Para viver nosso corpo precisa de alimento, de sustento. Assim nossa esposa que faz parte de nosso corpo e deve ser alimentada e sustentada sempre. JESUS alimenta e sustenta a Igreja com sua Palavra e presença. O esposo deve dialogar com sua esposa, deve estar presente no lar, deve participar da família ativamente.    

II – A CONDUTA DA CRENTE COMO ESPOSA
1. O conceito de submissão cristã. Ef 5.22 – Vós, mulheres, sujeitai-vos a vosso marido, como ao Senhor; Subtende-se mulheres casadas. Sujeitai-vos (υποτασσω hupotasso) significa render-se à admoestação ou conselho de alguém, ou aceitar a autoridade que DEUS deu ao esposo. Esta sujeição é como se estivesse diante do Senhor JESUS.    

2. A condição da mulher cristã. Ef 5.23 – porque o marido é a cabeça da mulher, como também CRISTO é a cabeça da igreja, sendo ele próprio o salvador do corpo. Cabeça (κεφαλη kephale), a perda desta cabeça destrói a vida, é na cabeça onde está o controle de todos os sentidos do corpo, audição, olfato, paladar, tato e visão. O controle cerebral e neural de todo o corpo estão na cabeça. Não existe vida sem a cabeça. CRISTO é a cabeça da Igreja e sem ELE não há Igreja. O marido é a cabeça da mulher e sem ELE não há casamento, não há família, não há lar. Para que houvesse Igreja JESUS salvou os pecadores morrendo por todos nós e em nossos lugar, assim formou seu corpo místico na Terra, a Igreja, a família de DEUS. O marido dá sua vida pela esposa para que exista sua família.”cabeça” transmite a ideia de responsabilidade e de autoridade. O papel de “cabeça” do marido (e, portanto, a liderança masculina em geral) deve ter como modelo o fato de CRISTO ser “o cabeça” da igreja (o que o levou a entregar-se a si mesmo por ela), como também a nossa relação para com o nosso próprio corpo (que nos leva a nutri-lo e a cuidar dele). Em ambos os casos, “ser cabeça” implica sacrifício e serviço. É o “ser cabeça” do cuidado e não do controle. Seu propósito não é inibir, e muito menos esmagar, mas, sim, facilitar, criar condições de amor e segurança em que as mulheres sejam livres para ser elas mesmas e desenvolver-se a si mesmas. Autoridade e submissão parecem ser permanentes por serem da criação. Pode uma mulher ensinar a homens sob a autoridade da Escritura (não reivindicando uma autoridade própria), em espírito de humildade e mansidão (não se arrogando ares de importante) e como membro de uma equipe pastoral encabeçada por um homem. Será que estas três condições a capacitariam a ensinar a homens, sem com isso estar exercendo sobre eles uma autoridade inadequada e sem infringir o princípio da liderança masculina? “Sim, acho que sim.”  Podemos preservar a essência da revelação de DEUS (neste caso, a relação criacional dos sexos).    

3. A reverência devida ao marido. Ef 5.24 – De sorte que, assim como a igreja está sujeita a CRISTO, assim também as mulheres sejam em tudo sujeitas a seu marido. A Igreja está sujeita a CRISTO que é a cabeça, responsável pelo comando e organização da mesma, é quem possui a autoridade de DEUS sobre ela. Assim a esposa deve aceitar que DEUS colocou seu esposo com a responsabilidade pelo comando de seu lar e de seus membros.    

III – A CONDUTA DO CRENTE COMO FILHO Efésios 6.1 – Vós, filhos, sede obedientes a vossos pais no Senhor, porque isto é justo. 2 – Honra a teu pai e a tua mãe, que é o primeiro mandamento com promessa, 3 – para que te vá bem, e vivas muito tempo sobre a terra. 4 – E vós, pais, não provoqueis a ira a vossos filhos, mas criai-os na doutrina e admoestação do Senhor.
1. A responsabilidade dos pais. Ef 6.4 – E vós, pais, não provoqueis a ira a vossos filhos, mas criai-os na doutrina e admoestação do Senhor.

O que significa provocar os filhos à ira?

 (a) Falta de moderação no relacionamento com os filhos: muitos pais usam de sua autoridade como pais para exercer um domínio ameaçador (desequilibrado e violento) diante do filho, fazendo com que ele seja como que um fantoche sem sentimentos, sem sonhos, sem vontades, que deve apenas obedecer a todas as ordens sem questionar nada. Isso gera conflitos (ira) porque a função dos pais é conduzir os filhos ao crescimento em todos os sentidos e não serem dominadores tiranos sobre eles. Pais tiranos produzirão filhos que sempre serão provocados a viver uma vida cheia de ira.
(b) injustiça nas punições: O lar é um dos primeiros lugares onde os pais devem ensinar o conceito de justiça aos filhos. Pais que usam de punições injustas, exageradas e que visam unicamente trazer sofrimento ao filho, gerarão no coração deste filho um sentimento de ódio, de raiva, de desespero, quando o sentimento que os pais deveriam buscar em suas repreensões é o de condução ao arrependimento e edificação por meio da justiça.
(c) Exigências sem sentido: Alguns pais irritam seus filhos quando os tratam como se fossem seus escravos pessoais, fazendo exigências sem sentido e usando os filhos para satisfazer exigências pessoais que nada têm a ver com criar os filhos na disciplina do Senhor. Conflitos desnecessários surgem aqui, pois os filhos, por mais imaturos que possam ser, conseguem perceber essa disfunção nas exigências dos pais. Um exemplo prático é um pai que exige que seu filho trilhe o caminho de uma certa profissão sem ter em mente o desejo do filho. Também imagine um pai que quer que seu filho beba bebida embriagante, ou que fume ou se drogue. Em nossos dias vemos até pais que usam seus filhos na prostituição para ganharem dinheiro com isso. Há pais que querem forçar seus filhos a uma identidade sexual contrária a sua natureza, etc…
(d) Importunações sem propósito: Alguns pais irritam seus filhos por usar sua experiência de vida para criar importunações sem propósito que tem o único objetivo de trazer alguma dor, alguma punição, alguma tristeza aos filhos. Isso, definitivamente, não é o alvo e não atinge o objetivo de criar os filhos na disciplina do Senhor (orientado na Bíblia). Um exemplo prático é um pai que sempre provoca seu filho em alguma deficiência que ele tem. Por exemplo, chamando-o de burro porque ele tirou uma nota baixa na escola.   O que NÃO significa provocar os filhos à ira? Temos que ter uma atenção especial também para aqueles pais que, com medo de cometer exageros, preferem não fazer nada ou quase nada na educação de seus filhos. É importante conhecer o caminho do equilibro para gerar filhos saudáveis. Por isso, é importante saber o que pode ser feito e que não fere o princípio de provocar os filhos à ira: (a) Colocar limites: Paulo não está ensinando que os filhos não devem ter limites. Pelo contrário, os limites são importantes quando aplicados de forma correta e justa. (b) Corrigir: É função dos pais corrigir. Mas essa correção deve sempre ter o objetivo de edificação e nunca de uma punição vazia para extravasar a raiva dos pais. (c) Colocar freios: Filhos criados totalmente soltos, fazendo o que querem e quando querem são candidatos ao fracasso na vida. Os pais foram levantados por DEUS para atuar como um freio diante dos excessos dos filhos. (d) Determinar obrigações: Obedecendo a cada faixa etária do desenvolvimento, os filhos devem ter suas obrigações determinadas. Isso faz parte do crescimento e do desenvolvimento e vai gerar filhos mais comprometidos com a família e com os melhores objetivos de vida. (e) Primar por mais conhecimento da Bíblia em menos tempo. Os pais devem ajudar e estimular a vida espiritual de seus filhos. Eles devem estar sempre aprendendo a entender assuntos da Bíblia de forma simples e rápida, ajudado por quem já superou as mesmas dificuldades que você pai ou mãe. Instrui o menino no caminho em que deve andar, e, até quando envelhecer, não se desviará dele. Provérbios 22:6 Ouve a teu pai, que te gerou, e não desprezes a tua mãe, quando vier a envelhecer. Provérbios 23:22 <https://www.esbocandoideias.com/2018/03/nao-provocar-os-filhos-a-ira.html<    

2. A conduta requerida dos filhos. Ef 6.1 – Vós, filhos, sede obedientes a vossos pais no Senhor, porque isto é justo. Por que ser obediente aos pais? Por ser justo (não precisa de mais explicação). É no Senhor, ou seja, a obediência está condicionada ao senhorio de CRISTO.    

3. O mandamento com promessa. Ef 6.2 – Honra a teu pai e a tua mãe, que é o primeiro mandamento com promessa Uma clara referência a Deuteronômio 5.16: “Honra teu pai e tua mãe, para que se prolonguem os teus dias e para que te vá bem na terra que o SENHOR, teu DEUS, te dá”. Há promessa de DEUS para os que obedecem e honram seus pais – honrar não é só reconhecer sua autoridade, mas também sustentar financeiramente caso seja necessário. A Bíblia diz que aquele que não cuida de sua família é pior do que o infiel. Mas, se alguém não tem cuidado dos seus e principalmente dos da sua família, negou a fé e é pior do que o infiel. 1 Timóteo 5:8   Ef 6.3 – para que te vá bem, e vivas muito tempo sobre a terra. No versículo anterior podemos destacar “se prolonguem os teus dias e para que te vá bem na terra que o SENHOR, teu DEUS, te dá” Prolongar os dias e ir bem. Isso significa longevidade e vida tranquila.    

ACRESCENTO IV –Aos crentes casados   Ef 5.30 – porque somos membros do seu corpo. JESUS alimenta e sustenta a Igreja, faz isso individualmente, para que todos sejam fortalecidos e continuem em seu corpo, a igreja. Cada um de nós é um membro do corpo de CRISTO na Terra. Todos são importantes, desde o menor ao maior.   Ef 5.31 – Por isso, deixará o homem seu pai e sua mãe e se unirá à sua mulher; e serão dois numa carne. Citação de Gênesis 2.24 – Portanto, deixará o varão o seu pai e a sua mãe e apegar-se-á à sua mulher, e serão ambos uma carne. Passagem bíblica usada por JESUS nos evangelhos (Mt 19.5; Mc 10.7; No ato sexual entre o esposo e a esposa, mesmo que um dos dois não seja salvo, os dois se tornam um só, são santos. Por isso mesmo os filhos são abençoados por DEUS. Porque o marido descrente é santificado pela mulher, e a mulher descrente é santificada pelo marido. Doutra sorte, os vossos filhos seriam imundos; mas, agora, são santos. 1 Coríntios 7:14 O casamento torna santa a união formando um só, porém, é evidente que não torna o imundo salvo. A mulher que tem marido descrente não deve deixá-lo e nem o marido que tem esposa descrente deve deixá-la. O marido deve amar a esposa para que ela seja salva e a esposa deve obedecer e portar-se com muita prudência para ganhar seu marido para CRISTO. Mas, aos outros, digo eu, não o Senhor: se algum irmão tem mulher descrente, e ela consente em habitar com ele, não a deixe. E se alguma mulher tem marido descrente, e ele consente em habitar com ela, não o deixe. 1 Coríntios 7:12,13 Semelhantemente, vós, mulheres, sede sujeitas ao vosso próprio marido, para que também, se algum não obedece à palavra, pelo procedimento de sua mulher seja ganho sem palavra, considerando a vossa vida casta, em temor. O enfeite delas não seja o exterior, no frisado dos cabelos, no uso de joias de ouro, na compostura de vestes, mas o homem encoberto no coração, no incorruptível trajo de um espírito manso e quieto, que é precioso diante de DEUS. Porque assim se adornavam também antigamente as santas mulheres que esperavam em DEUS e estavam sujeitas ao seu próprio marido, como Sara obedecia a Abraão, chamando-lhe senhor, da qual vós sois filhas, fazendo o bem e não temendo nenhum espanto. Igualmente vós, maridos, coabitai com ela com entendimento, dando honra à mulher, como vaso mais fraco; como sendo vós os seus coerdeiros da graça da vida; para que não sejam impedidas as vossas orações. 1 Pedro 3:1-7   Ef 5.32 – Grande é este mistério; digo-o, porém, a respeito de CRISTO e da igreja. A Relação entre marido e esposa é complexa, mas possível, desde que haja amor do marido e submissão da esposa. A igreja será esposa de CRISTO se não o trair com outro (o mundo, Satanás e e seus encantos). A fidelidade conjugal é primordial no casamento assim como a fidelidade espiritual é que nos mantém unidos a CRISTO. Ele vem nos buscar, sejamos encontrados fiéis.   Ef 5.33 – Assim também vós, cada um em particular ame a sua própria mulher como a si mesmo, e a mulher reverencie o marido. Aqui o segredo do casamento feliz – o marido ama a esposa (dá a vida por ela) e a esposa reverencia (φοβεω phobeo reverenciar, venerar, tratar com deferência ou obediência reverencial) o marido.    

IV- RELAÇÕES COMERCIAIS Vós, servos, obedecei a vosso senhor segundo a carne, com temor e tremor, na sinceridade de vosso coração, como a CRISTO, não servindo à vista, como para agradar aos homens, mas como servos de CRISTO, fazendo de coração a vontade de DEUS; servindo de boa vontade como ao Senhor e não como aos homens, sabendo que cada um receberá do Senhor todo o bem que fizer, seja servo, seja livre. E vós, senhores, fazei o mesmo para com eles, deixando as ameaças, sabendo também que o Senhor deles e vosso está no céu e que para com ele não há acepção de pessoas. Efésios 6:5-9 1- Empregados submissos aos patrões como sendo vistos por CRISTO. 2- Patrões submissos a DEUS, tratando bem seus funcionários.      

CONCLUSÃO O papel do marido como líder da família deve ser o de um sacerdote e representante de CRISTO. O amor deve ser o elemento primordial na função de líder da família. Esse amor é sacrificial. O cuidado do marido à esposa é assim como o cuidado de CRISTO com a igreja. Amar como a si mesmo. A esposa deve aprender sobre a submissão cristã inteligente e serviu. A condição da mulher cristã para com seu marido deve ser de respeito e submissão como a CRISTO. A esposa deve ter reverência devida ao marido como representante de CRISTO no lar. A responsabilidade dos pais deve ser de ensinar o princípio de autoridade e de ensinar sobre DEUS e sua Palavra. Os pais são exemplos para os filhos. A conduta requerida dos filhos é de respeito e honra para com seus pais. O mandamento de honrar os pais vem com promessa de vida longa e próspera. A receita para um lar feliz está aí – Esposa seja submissa e reverencie seu marido. Esposo ame sua esposa e se sacrifique por ela. Pais eduquem seus filhos na admoestação do Senhor. Filhos obedeçam e honrem seus pais.

A Igreja como Noiva de CRISTO

Efésios 5:21-33
A Igreja como Noiva de CRISTO. Esta primeira alusão remete à importância que as Escrituras dão ao matrimônio como instituição divina, quando o compara ao relacionamento entre CRISTO e a Igreja (Ef 5.24-27). É primordial na Igreja fortalecer o casamento; isso porque há uma ação em curso, orquestrada pelo Maligno, para desgastá-lo por ser, em primeiro lugar, a estratégia que melhor serve ao Inimigo no seu famigerado propósito de tentar destruir o plano de DEUS para o homem. Em segundo lugar, o desgaste do casamento desmoraliza a instituição que melhor representa o tipo de comunhão que CRISTO mantém com a sua Noiva, no presente, e a perspectiva da vida que ambos desfrutarão na era vindoura (Ap 19.7,8). Outra lição desse rico simbolismo é a da sujeição da Igreja a CRISTO (Ef 5.24). O apóstolo Paulo a usa para exemplificar a mesma atitude da mulher para com o marido. No entanto, a idéia aqui não é a de uma sujeição imposta pela força ou por uma decisão unilateral e legalista da esposa. È fruto do amor intenso dedicado pelo esposo, que produz nela profundo sentimento de afeto, resultando no reconhecimento espontâneo de sua sujeição posicionai. E assim a relação de CRISTO com a sua noiva. O amor que Ele lhe devota é tal — como demonstrado no ato da redenção — que ela se sente espontaneamente constrangida a ser-lhe eternamente fiel e a viver sob sua abençoada liderança (2 Co 5.14,15). Outro detalhe expresso no símbolo é que a pureza da Igreja como Noiva resulta da entrega do Senhor por ela (Ef 5.26,27). E Ele quem a santifica, purifica e a torna imaculada e irrepreensível. Não é um ato intrínseco da Igreja, que, por si mesma, possa desenvolver essas qualidades da vida cristã. Ela depende de estar abrigada sob o amor do noivo e ter a noção exata da grande compaixão implícita nessa entrega. Só assim poderá viver essas características e apresentar-se, no dia das Bodas, como Igreja gloriosa, sem mácula, nem ruga, nem coisa semelhante! Esse é o comportamento que DEUS espera dos cônjuges. O amor do marido pela esposa deve evidenciar-se de tal maneira, não só por palavras, mas acima de tudo por atos. Com isso, a mulher se sente prazerosamente motivada a manter a sua pureza interior, bem como as suas qualidades morais e físicas, para que ambos tenham, por toda a vida, plena satisfação na união conjugal. Assim, estarão dando um testemunho sem palavras, na dimensão humana, do que representa, no nível mais sublime, a comunhão entre CRISTO e a Igreja (Ef 5.32). A Igreja como Templo de DEUS. A Igreja como Templo de DEUS traz a idéia subjacente da construção de um edifício que se ergue sob as rigorosas normas da engenharia — “bem ajustado” (Ef 2.21). Aqui se evidenciam duas coisas: Quem normatiza e aplica os detalhes técnicos da obra é o engenheiro responsável; este princípio denota a mesma responsabilidade no trato de CRISTO com a Igreja. As normas partem dEle e já estão reveladas na Bíblia, não podendo ser substituídas por suposições humanas, sob pena de fazer ruir todo o edifício (Cl 2.20-23). A Igreja foi projetada como lugar da habitação do DEUS trino, que, mediante o ESPÍRITO SANTO, envolve-se em toda a sua peregrinação histórica. O projeto, portanto, pertence ao Pai; a execução, ao Filho; e o acompanhamento, ao ESPÍRITO SANTO (Ef 3.9; Mt 16.18; Jo 14.16,17,26). Outro desdobramento cabível aqui é a doutrina da transcendência e da imanência de DEUS. Em sua transcendentalidade, DEUS é chamado de Altíssimo, haja vista habitar “em um alto e santo lugar”. Todavia, ao mesmo tempo em que o Céu dos céus é a sua eterna morada, identifica-se também como o DEUS imanente, que habita “com o contrito e abatido de coração” (Is 57.15). DEUS é aquEle que, durante o dia, acompanhava Israel através de uma nuvem e, durante a noite, se fazia presente através de uma coluna de fogo. Hoje, sua presença é sentida na igreja mediante o poder do ESPÍRITO SANTO. Mais um conceito implícito no símbolo do Templo é o de que faz parte da natureza essencial da igreja adorar a DEUS. Este é o sentido do verbo “cultuar”. Nesse caso, a adoração não deve passar para o plano secundário ou mesmo terciário, tampouco esquecida. DEUS deve se destacar no culto ocupam e ser o centro das atenções. No culto a DEUS deve haver reverência, mas esta não deve ser confundida com formalismo. A Noiva do Cordeiro é também o Templo de DEUS, no sentido coletivo, e deve adorá-lo na beleza de sua santidade. Desse modo, o ESPÍRITO SANTO terá liberdade para atuar (I Co 14.26-33). A Igreja como Corpo de CRISTO. A Igreja é também um Corpo. Este simbolismo traduz a idéia de que são diversos órgãos e muitos membros, mas todos trabalham de forma orgânica e harmônica, interligados, em benefício do Corpo de CRISTO (I Co 12.12). Vale a pena reiterar: ninguém trabalha em favor de si. Qualquer ação de um órgão ou membro em corpo saudável está relacionada com toda a estrutura orgânica que sustenta a vida. E acima está a Cabeça — o cérebro — no comando. Assim são as igrejas. Elas somam milhões de membros no mundo. Quando todos cumprem a sua parte, elas se beneficiam, mas, se algum de seus membros está enfermo espiritualmente e não é logo restaurado, afeta o “corpo”. Haja vista inúmeros exemplos que promovem escândalos e trazem má fama ao povo de DEUS. E responsabilidade de todos os crentes trabalharem de forma orgânica e harmônica, interligados, em favor do crescimento, saúde e fortalecimento da igreja, tendo CRISTO como Cabeça, na liderança (Ef 1.22,23). Sem nenhum exagero, a igreja atual precisa ser mais “corpo” e menos “indivíduos”. Todavia, esta idéia não anula a utilidade de cada membro em particular. Todos cumprem uma atividade regular e indispensável no processo da vida. Se algum deles, por qualquer motivo, pára de trabalhar, o “corpo” ressente-se de sua inatividade. Essa é visão que norteia a nossa presença na Terra (I Co 12.14,27). Muitos crentes, por não entenderem corretamente esse princípio, sentem-se inúteis e não se envolvem no serviço cristão. Mas, se todos se impregnarem do senso de utilidade, a vida de oração será aprofundada, não faltarão recursos para a expansão do Reino, a evangelização será mais rápida, a obra missionária não andará a passos lentos, a unidade não se constituirá em utopia, e a igreja terá relevância no mundo (1 Co 15.58).
Como a Noiva de CRISTO, a Igreja tem o Senhor como fonte de sua pureza espiritual. Como Templo de DEUS, ela é o lugar santo da habitação dEle na Terra e tem o compromisso de permanentemente adorá-lo. Como Corpo de CRISTO, bem ajustado, cada membro cumpre com alegria a sua responsabilidade em benefício do Corpo. Assim, a igreja vive a plena espiritualidade no mundo.
Teologia Sistemática Pentecostal
Faça Sua Pesquisa no Google Aqui!
 
bove=""

 

Visitas
contador de visitas
Redes Sociais
Click e acesse
Zé Freitas no Facebook

Clínica Climed / Plano Assistencial

Clínica Climed.

Av: Vereador Horácio José de s/n de frente o Banco do Brasil.

Contato (87) 9.9161-1779

Santa Terezinha PE

Lições Bíblicas
Portal Correio-PB

 
CLIQUE E ACESSE!
Parceiros