Lojas Surya
Lojas Surya Acessórios
Natália Calçados

CLIQUE NA IMAGEM PARA AMPLIAR

  • 28
  • 22
  • 24
  • 20
  • 11
  • 09
  • 11
  • 01
  • 29
  • 03
  • 04
  • 05
  • 07
  • 02

Supermercado
Portal Correio-PB

 
CLIQUE E ACESSE!
 


REFLEXÕES DO PASSADO E PRESENTE: PERSPECTIVA DE MELHORA PARA O FUTURO


 

Evento ocorreu no teatro da PUC, em São Paulo - Créditos: Mídia Ninja
Evento ocorreu no teatro da PUC, em São Paulo / Mídia Ninja

Representantes de movimentos populares e organizações da sociedade civil se reuniram nesta quarta-feira (11) no teatro da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP) para o ato “Resistir é Preciso”, em defesa de direitos sociais e ambientais. Com o auditório lotado, os participantes dirigiram críticas ao governo de Jair Bolsonaro (PSL) e compartilharam estratégias de resistência. O evento foi marcado pela presença de representantes de diferentes religiões, que se uniram na crítica às violações de direitos encabeçadas pelo Poder Executivo. “Ele é machista, racista e homofóbico”, definiu o padre Júlio Lancelotti sobre o capitão reformado. “Precisamos nos rebelar estando do lado dos que sofrem. Nas suas lutas, não esqueçam dos homens e mulheres que vivem pelas ruas”, completou o religioso, integrante da Pastoral do Povo de Rua.

“Qualquer ato que se faça em defesa da democracia precisa contar com a participação de nós, os povos originários, os povos negros”, disse o Babalorixá Pai Rodney de Oxóssi. “Quando estávamos em ‘franca’ democracia, meu povo nunca deixou de ser morto, preso, perseguido”, lembrou a Ialorixá Mãe Adriana de Naña. “Nós sempre resistimos, e continuaremos a resistir”. O objetivo do evento, segundo os organizadores, era fazer um pacto de mútua colaboração pró-democracia e fortalecimento da resistência.

Leana Naiman Bergel, do Observatorio Judaico de Direitos Humanos, deixou claro que o uso de símbolos judeus durante a campanha de Bolsonaro não significa apoio irrestrito ao presidente: “Contem conosco para a defesa da democracia”.

“Estamos num real golpe de Estado. Nós, evangélicos, nos organizamos para denunciar a suposta bancada evangélica, porque eles não nos representam. Eles não falam por nós. Não os reconhecemos como cristãos de fato e evangélicos de fato”, afirmou o pastor Ariovaldo Ramos. “Não aceitamos, sob hipótese alguma, a quebra do Estado laico”, completou.

Também participaram organizações como Greenpeace, Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), Ação Educativa, SOS Mata Atlântica, além de pessoas ligadas a movimentos negro, LGBTs e feministas.

* Com a colaboração de Poliana Dallabrida.

brasildefato.

Faça Sua Pesquisa no Google Aqui!
 
bove=""

 

Visitas
contador de visitas
Redes Sociais
Click e acesse
  CLIQUE AQUI e fale com os novos ministros, fiquem de OLHO bem aberto alguma informação entre em contato com os ministros. Imagem relacionada
Vejam as verbas de suas cidades ,naveguem e fiquem bem informados CLIQUE AQUI E ACESSE!

CLIQUE AQUI e veja receita e despesa do seu municípios.

Aqui você encontra informações sobre a aplicação do dinheiro público nos municípios e no estado de Pernambuco.

Zé Freitas no Facebook

Parceiros