Houve um novo reajuste no valor do litro da gasolina. Com a mudança, desde 2021, o preço agora registrou seu menor valor, alcançando uma queda de 2,54%. Atualmente, já é a quinta vez consecutiva que há uma diminuição no valor das bombas do país todo. Além da gasolina, ainda houve queda no preço do diesel, do etanol e do gás, que também se encontram em um valor considerado alto, fora em outros setores  correlatos. Para saber quais foram as mudanças de preço, continue nos acompanhando abaixo!

Novo reajuste aprovado
Novo reajuste aprovado | Foto: Divulgação

Novo reajuste no preço da gasolina

Segundo a Agência Nacional do Petróleo (ANP), a partir do novo reajuste de 2,54%, o valor do litro passa de R$ 5,84 para R$ 5,74. Em algun lugares do país, na época de alta nos preços, a tarifa máxima encontrada em postos chegou a R$ 7,49, o que pesou no bolso de brasileiros que já estavam enfrentando problemas com a inflação na alimentação, por exemplo.A queda nos valores decorre da redução do Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), além dos reajustes de refinaria pela Petrobrás. Em dez dias, foram duas quedas nesse setor, que somaram um recuo total de 3,88%. A mudança passa a valer a partir de hoje (02/08).

Diesel, etanol e gás também passam por reajuste

Assim como a gasolina, o diesel também está na quinta semana de recuo nos valores, mesmo que timidamente: a queda, agora, fez com que o valor passasse de R$ 7,44 para R$ 7,42. De acordo com o Diretor de Comercialização e Logística da Petrobrás, Claudio Mastella, a companhia vê o fortalecimento do diesel com cautela, preferindo, primeiramente, criar um cenário de manutenção dos valores. Ademais, o gás natural, que vêm tomando espaço devido à alta nos preços da gasolina, também apresentou queda: de R$ 5,08 foi para R$ 5,07, bem como o gás de cozinha, que passou de R$ 111,80, em média, para R$ 111,75. Mudanças pouco efetivas por enquanto, mas positivas. Por fim, o etanol também apresentou uma queda (maior ainda que a da gasolina, aliás): a redução foi de 2,5%, fazendo com que o produto fosse de R$ 4,22 para R$ 4,21. Além de todos os combustíveis citados, a queda do ICMS também afetou outras áreas, como a de telecomunicações, a de energia elétrica e a de transporte público.

Auxílio Gasolina já está aprovado?

A alta dos preços dos combustíveis levou à mobilização do Congresso Nacional para a criação de um auxílio que tivesse como objetivo ajudar financeiramente pessoas que trabalham na área de transportes. De acordo com o Projeto de Lei (PL 1472/21), haverá três faixas de auxílio, que possui limite de R$ 300.

1) R$ 100: voltado para motoristas de moto cuja cilindrada seja de até 125.

2) R$ 300: voltado para condutores de embarcações consideradas pequenas, cujo motor não ultrapasse 16hp;

3) R$ 300: voltado para quem é motorista profissional de transportes individuais.

No entanto, para estar apto a receber os valores do Auxílio Gasolina, ainda será preciso se enquadrar em requisitos. Um deles é, por exemplo, relacionado à renda familiar, que não deve ultrapassar a quantia correspondente à 3 salários mínimos.

Por fim, o Auxílio Gasolina foi aprovado no Senado Federal. No entanto, o texto ainda falta passar pela Câmara dos Deputados. Por isso, só é possível falar, até o momento, de uma aprovação parcial. Espera-se que novas atualizações apareçam nas próximas semanas.

pronatec.pro.br