Ateliê Geilson

Natura

Natália Calçados

CLIQUE NA IMAGEM PARA AMPLIAR

  • 28
  • 22
  • 24
  • 20
  • 11
  • 09
  • 11
  • 01
  • 29
  • 03
  • 04
  • 05
  • 07
  • 02

Supermercado

Portal Correio-PB

 
CLIQUE E ACESSE!
 

 Para visualizar este conteúdo corretamente, é necessário ter oFlash Player instalado. 

REFLEXÕES DO PASSADO E PRESENTE: PERSPECTIVA DE MELHORA PARA O FUTURO


 

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) informou que a publicação dos dois editais de processos seletivos para 26.010 vagas temporárias está prevista para os dias 10 e 24 de abril. As oportunidades são para o Censo Agropecuário 2017. Os salários vão de R$ 1,5 mil a R$ 4 mil. As informações são do site do IBGE.

Do total das vagas, 171 serão de nível superior em 18 áreas diferentes. As demais serão para nível médio. A Fundação Getúlio Vargas (FGV) será a organizadora responsável pelas seleções.

O primeiro processo seletivo será para os cargos de analista censitário (171), agente censitário administrativo (377), agente censitário regional (349) e agente censitário de informática (174). No segundo processo seletivo as vagas serão para agente censitário municipal (1.256), agente censitário supervisor (4.854) e recenseador (18.829).

As remunerações são de R$ 4 mil para analista censitário, R$ 1,5 mil para agente censitário administrativo, R$ 2,5 mil para agente censitário regional, R$ 1,7 mil para agente censitário de informática, R$ 1,9 mil para agente censitário municipal e R$ 1,6 mil para agente censitário supervisor. Para o cargo de recenseador, a remuneração varia de acordo com a produtividade.

As oportunidades estão distribuídas nos 26 estados e no Distrito Federal.

O Censo Agropecuário 2017 vai subsidiar a implantação do cadastro de estabelecimentos agropecuários e do Sistema Nacional de Pesquisas Agropecuárias. Isso permitirá a criação da Pesquisa Nacional por Amostra de Estabelecimentos Agropecuários, que irá a campo, anualmente, captar dados pormenorizados sobre receitas e despesas na produção, crédito e seguro rural, proteção de mananciais, conservação da fauna e flora, uso de agrotóxicos, técnicas de produção, além da situação social e familiar dos trabalhadores do campo, entre outros temas.

Em 1º de outubro, as operações do Censo Agropecuário vão começar. Os recenseadores vão visitar mais de 5 milhões de estabelecimentos agropecuários em todo o país em 5 meses, levantando informações sobre a área, a produção, as características do pessoal ocupado, o emprego de irrigação, o uso de agrotóxicos, entre outros temas. Os resultados do censo devem começar a ser divulgados pelo IBGE em meados de 2018

Delator cita R$ 22 milhões em propinas em esquema no TCE-RJ

Reportagem do RJTV exibida nesta quarta-feira (5) apresentou a soma dos valores de propinas citados por Jonas Lopes Neto, filho do ex-presidente do Tribunal de Contas do Estado, em delação premiada. Segundo o delator, 24 empresas e órgãos públicos participaram do esquema, entre 2003 e 2016. A conta final chega a R$ 22 milhões em dinheiro ilícito.

Jonas Neto disse que, ainda em 2014, foi chamado pelo pai para organizar o recebimento dos pagamentos ilícitos. Disse que o dinheiro veio das empreiteiras que construíram o metrô e das empresas que participariam da despoluição das lagoas da Barra, que nem saiu do papel.

Veja a lista dos pagamentos:

  • Fetranspor – R$ 70 mil mensais para cada conselheiro (no mínimo seis parcelas), no total R$ 2,520 milhões, levando em conta os seis conselheiros acusados de corrupção
  • Detran – R$ 100 mil mensais
  • Governo do Estado – R$ 300 mil mensais
  • Secretaria de Obras e DER/RJ- R$ 900 mil
  • Consórcio da Linha 4 – R$ 750 mil mensais
  • Odebrecht – R$ 1 milhão
  • Queiroz Galvão – R$ 600 mil
  • Carioca – R$ 450 mil
  • Andrade Gutierrez – R$ 400 mil
  • OAS – R$ 150 mil
  • União Norte Engenharia – R$ 845 mil só para o conselheiro Jonas Lopes
  • Grupo Facility – R$ 120 mil mensais , pelo menos em sete parcelas. O total seria de R$ 840 mil
  • Uma OS ligada à Saúde, cujo representante é Mário Peixoto, foram pelo menos oito pagamentos de R$ 200 mil mensais, no total de R$ 1,6 milhões
  • A Fetranspor – R$ 450 mil mensais entre agosto de 2015 e maio de 2016. Jonas Lopes e o filho ficavam com R$ 30 mil e o restante (R$ 420 mil) era dividido por todos os conselheiros
  • As empresas Denjud, Cor e Sabor, Prol, Sublime, Masan, Home Bread, Comercial Milano, Masgov e Galley pagaram propina de R$ 1,2 milhão para cada conselheiro, no total de R$ 7,2 milhões
  • A Olimpíada passou, os pagamentos ficaram em outras áreas. Jonas Lopes Neto também contou que, no ano passado, recebeu da União Norte Engenharia R$ 145 mil exclusivamente para o pai, o então presidente do TCE. O valor era correspondente a 5% de uma obra que foi acertada com o Governo do Rio ou com o deputado Jorge Picciani, ele diz.

O delator disse também que haveria a entrega de outas parcelas, até o total de R$ 700 mil, e que essas tratativas ocorreram com o presidente do DER no Rio, que seria a pessoa ligada ao deputado Jorge Picciani.

Jonas Lopes Neto também falou do apetite por mais propina dentro do TCE. Segundo ele, depois da pressão de conselheiros do tribunal sobre a relação do pai com Arthur Soares, dono do Grupo Facility, um dos maiores prestadores de serviços do estado, o então presidente do TCE teria ajustado com o empresário o pagamento de R$ 120 mil mensais destinado aos conselheiros.

Jonas Lopes Neto disse que ia até a casa de alguns conselheiros para entregar o dinheiro. No caso de Marco Antonio de Alencar, entregou quantias em dinheiro do acerto ao TCE no estacionamento do clube Hípica Brasileira. Disse também que acredita que Marco Antonio alencar guardava o dinheiro ali, e supõe que possa ter escondido os valores no local.

Acusação também contra o TCM

Além de conselheiros do TCE, presos pela Polícia Federal, o Tribunal de Contas do Município (TCM) do Rio também foi acusado em delação premiada de receber pagamentos indevidos para fazer vista grossa em obras públicas.

A engenheira Luciana Salles Parente trabalhava na Carioca Engenharia, que fez um acordo de leniência – a delação das empresas. Ela contou que havia solicitação de pagamento de vantagens indevidas pelo TCM de 1% sobre o valor do contrato, que era de R$ 500 milhões. A notícia foi publicada pelo jornal O Dia e confirmada pelo RJTV.

O RJTV teve acesso ao documento com exclusividade. Luciana diz que tomou conhecimento da exigência de pagmento por meio de Antonio Cid Campelo, da OAS, que ele chegou a mencionar o nome da pessoa do Tribunal de Contas do Município, que teria feito as exigências, mas não se recorda do nome.

Ela conta que o secretário municipal de Obras do Rio, Alexandre Pinto, também exigiu 1%. E que outros 3% iriam para a equipe de fiscalização da obra e 1%, para o Ministério das Cidades. Segundo Luciana, desses valores, o único que foi pago integralmente foi referente ao Ministério das Cidades.

Os outros receberam só metade. Luciana, que era diretora operacional da obra da Transcarioca e fazia parte do conselho do consórcio formado também pelas empresas OAS e Contern, revelou que o dinheiro foi gerado por superfaturamento dos contratos e que a propina era paga em dinheiro vivo. Segundo ela, no total, foram R$ 2 milhões.

O dinheiro fácil gerava disputas. No TCE, Jonas Lopes Neto diz que o controle dos recursos ganhos de forma ilícita era precário. E que ele acha que eram assim porque havia desvios por parte dos envolvidos na coleta e distribuição da propina.

‘Cadê meu dinheiro?’

Continue lendo

Evento acontece desde 2000 em parceria com a Prefeitura de Campina Grande (Foto: Juliana Miranda/TV Paraíba)

Evento acontece desde 2000 em parceria com a Prefeitura de Campina Grande (Foto: Juliana Miranda/TV Paraíba)

O fim de semana será de muitas atividades para adultos e crianças na Rainha da Borborema. Neste domingo (9), a TV Paraíba e a Prefeitura Municipal de Campina Grande realizam mais uma edição do Domingo no Parque. A partir das 8h, o Parque da Criança estará de portas abertas com uma vasta programação que envolve cidadania, esporte, saúde e lazer.

Continue lendo

A campanha teve início em setembro de 2014 e é fruto de uma reivindicação das mulheres trabalhadoras rurais que na mobilização da Marcha das Margaridas reivindicaram ao Governo Federal a implantação de unidades móveis. O objetivo dessas unidades, os ônibus-lilás, é o de levar informações e esclarecimentos sobre a violência doméstica e familiar, lei Maria da Penha, rede de atendimento, através de rodas de diálogo com as mulheres da zona do rural.

Em Pernambuco, a campanha é coordenada pela Secretaria Estadual da Mulher e pela Comissão Permanente de Mulheres Rurais. Em Afogados, a iniciativa conta com o apoio da Coordenadoria Municipal de Políticas para as Mulheres e do Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais.

O ônibus irá atender nesta quinta (06) as comunidades do Alto Vermelho, a partir das 9h; e do Santo Antônio II, às 14h. A Prefeitura irá disponibilizar profissionais da assistência social para auxiliar no atendimento. Haverá também atividades recreativas para as crianças que estiverem acompanhando as suas mães.

Continue lendo

Acelere o crescimento dos fios com cápsulas de cabelo | <i>Crédito: Shutterstock
    
Acelere o crescimento dos fios com cápsulas de cabelo | Crédito: Shutterstock

Vitaminas, sais minerais e aminoácidos são essenciais para a formação do cabelo. Sem a dose adequada desses elementos os fi os têm problemas para crescer e vão minguando. “Uma alimentação diária equilibrada seria o bastante para dar conta do recado. No entanto, o consumo muitas vezes é insuficiente e a suplementação surge como um bom caminho”, diz o dermatologista Daniel Dziabas (SP). Então basta tomar uma cápsula capilar para a reposição! Errado: se o seu organismo também estiver precisando de nutrientes para operar funções vitais, ou seja, mais importantes do que o crescimento ou a beleza das suas madeixas, os benefícios das pílulas vão direto para esses sistemas e não chegam aos fi os. Daí a importância de consultar um médico, que vai examinar as necessidades do seu metabolismo como um todo antes de receitar um complexo vitamínico. O ideal é seguir as doses recomendadas na bula à risca e ainda manter uma dieta balanceada para não jogar dinheiro fora, entendeu?

Se o seu problema é ressuscitar fios opacos, enfraquecidos, quebradiços, e não acelerar o crescimento, as cápsulas não são a melhor solução. Elas até podem ajudar a fortalecer as estruturas capilares, mas, como agem na construção dos fios (lá nos folículos pilosos, dentro do couro cabeludo), não regeneram a mecha danificada já crescida. Somente os tratamentos convencionais funcionam nesse caso — hidratações, máscaras de queratina, reconstruções…
Suplementação segura

Continue lendo

Reconhecimento é decorrente do prolongado período de seca e estiagem em alguns municípios e chuvas intensas e inundações em outros

O Ministério da Integração Nacional reconheceu situação de emergência em 40 cidades atingidas por desastres naturais no Amapá, Bahia, no Maranhão, Pará, Paraná, Mato Grosso, Rio Grande do Sul, em Minas Gerais, Sergipe e São Paulo.

Em 19 localidades, o reconhecimento federal é decorrente do prolongado período de seca e estiagem. Chuvas intensas, alagamentos, inundações, enxurradas e erosão costeira levaram à emergência outros 21 municípios. 

A medida, publicada no Diário Oficial da União desta quarta-feira (5), permitirá que as prefeituras solicitem apoio da Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil (Sedec) para ações de socorro e assistência à população, restabelecimento de serviços essenciais e recuperação de áreas danificadas.

Para ter acesso a recursos materiais e financeiros de apoio emergencial disponibilizados pela Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil (Sedec), do Ministério da Integração, os municípios devem apresentar um relatório com o diagnóstico dos danos e o Plano Detalhado de Resposta (PDR), por meio do Sistema Integrado de Informações sobre Desastres (S2ID), disponível no endereço eletrônico www.mi.gov.br/defesa-civil/s2id. Após a análise técnica por equipes da Sedec, o Ministério define o valor do recurso a ser disponibilizado

A lei que estabelece garantias e direitos de crianças e adolescentes vítimas ou testemunhas de violência foi publicada no Diário Oficial desta quarta-feira (5).

O projeto estabelece que sejam realizadas, periodicamente, campanhas de conscientização da sociedade, estimulando a mais rápida identificação da violência praticada contra crianças e adolescentes e a difusão dos seus direitos e dos serviços de proteção. A medida prevê que os sistemas de Justiça, segurança pública, assistência social e saúde devem adotar ações articuladas no atendimento das vítimas. Por exemplo, criação de atendimento telefônico para denúncias de abuso e de exploração sexual e de serviços de referência multidisciplinar no Sistema Único de Saúde (SUS) para atenção a crianças e adolescentes em situação de violência sexual.

Além disso, a nova norma também cria o depoimento especial que assegura à criança e ao adolescente vítimas de violência o direito de serem ouvidos em local apropriado e acolhedor, com infraestrutura e espaços físicos que garantam sua privacidade

Esses jovens não terão contato, nem mesmo visual, com o acusado. A nova legislação descreve diferentes formas de violência, como física, psicológica, sexual e institucional – essa última entendida como a praticada por instituições públicas ou conveniadas.

O texto diz ainda como serão feitos o atendimento e o encaminhamento das denúncias e detalha os procedimentos de escuta especializada e de depoimentos de crianças e adolescentes, durante as investigações de casos envolvendo violência. De acordo com o texto sancionado, a violação do sigilo processual sem autorização poderá resultar em pena de um ano e quatro meses de reclusão, além do pagamento de multa.

A lei foi sancionada pelo presidente da República, Michel Temer, nesta quarta-feira (4), durante a abertura do Fórum Global da Criança na América do Sul, em São Paulo.

Ações

Continue lendo

Valor total disponível para saque ultrapassa R$ 11,2 bilhões e equivale a 26% do total

Valor total disponível para saque ultrapassa R$ 11,2 bilhões e equivale a 26% do total

Mais de duas mil agências da Caixa Econômica Federal vão abrir neste sábado (8), das 9h às 15h, exclusivamente para pagamento de contas inativas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). O início do saque para os 7,7 milhões de brasileiros nascidos em março, abril e maio  estava previsto para a próxima segunda-feira (10), mas foi antecipado pelo banco.

O valor total disponível para saque ultrapassa R$ 11,2 bilhões e equivale a 26% do total. Nos dias 10, 11 e 12 de abril, as agências abrem duas horas mais cedo, também para atendimento exclusivo. No sábado, cerca de 2,3 milhões de trabalhadores (30% do total) receberão automaticamente o crédito em suas contas na Caixa.

Segundo a vice-presidente de Fundos de Governo e Loterias da Caixa, Deusdina Pereira, a estratégia de antecipar o atendimento da segunda fase levou em conta diversos fatores técnicos. Nessa segunda fase dos saques, o número de beneficiados é maior em relação à primeira (para nascidos em janeiro e fevereiro). “Quando divulgamos o calendário das contas inativas, em fevereiro, já estávamos trabalhando para garantir essa abertura antecipada em abril”, esclarece.

Balanço de pagamentos

Continue lendo

RIO- Cássia Moreira responde sem titubear o que gostaria de fazer da vida: “ser professora”. Questionada sobre o motivo, também diz rapidamente: “queria aprender coisas novas e passá-las para outras pessoas”. Tal fé na educação vem de uma jovem de 19 anos que abandonou a escola no ano passado — quando ainda cursava a 8ª série — depois que seu filho mais novo nasceu com um problema respiratório. Fora da escola e sem concluir o ensino médio até os 19 anos, Cassia fará parte de uma estatística que já preocupa. Segundo estudo divulgado hoje pelo Movimento Todos Pela Educação, com base na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) cerca de 41,5% dos jovens de 19 anos não haviam terminado a etapa em 2015. Para piorar o cenário da educação pública, outros 2,4 milhões de crianças e jovens de 4 a 17 anos estavam fora dos bancos escolares no mesmo período.

Continue lendo

O Projeto de Lei 4330, que trata das regras para a terceirização de trabalhadores, aprovada pela Câmara dos Deputados no dia 22 de março e sancionada pelo Presidente Michel Temer, na última sexta-feira (31) representará um duro prejuízo a várias categorias, especialmente a dos professores.

A PL, além de autorizar a terceirização da atividade-fim nas empresas, permite contratos de trabalhos temporários de até 9 meses. Além disso, o projeto prevê que trabalhadores temporários possam também substituir grevistas em paralisações consideradas abusivas ou que atinjam serviços essenciais. Antes do Projeto de Lei, o Tribunal Superior do Trabalho (TST) autorizava a terceirização em todos os níveis, menos na atividade-fim. De acordo com o Contee (Confederação Nacional dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Ensino), a PL representará uma redução na representação sindical e é uma ameaça aos direitos adquiridos através de convenções trabalhistas, como a semestralidade, a hora atividade e a gratuidade de bolsas para filhos de professores.

Ainda de acordo com a nota oficial divulgada pela Contee, a Confederação luta desde 2014 para que nenhum tipo de terceirização seja permitida nas escolas.

revistaforum

reprodução

Mexe-se muito na Constituição brasileira. E mexe-se, cada vez mais, para piorá-la. Prestes a completar 30 anos, ela já coleciona quase 100 emendas. É a constituição mais emendada de todas as que já tivemos, salvo a de 1967, que foi totalmente reescrita em 1969 com uma canetada da Junta Militar que governava o país durante o regime de exceção. A Carta de 1988, quando recém nascida, já previa uma revisão e se manteve preservada em seus primeiros anos. Dali para nunca mais. Considerando-se desde que passou a ser emendada, a média já é de quase quatro modificações ao ano. Desde a Constituição de 1946 até hoje, 96% das propostas de emenda (PECs) e cerca de dois terços das emendas promulgadas (ECs) são provenientes do período pós-1988. Meter o bedelho para retirar direitos e garantias ou constitucionalizar algum jabuti em cima de uma árvore já virou um esporte de presidentes, deputados, senadores, tribunais superiores e dos lobbies das carreiras mais bem remuneradas do serviço público. 
 Há até incentivos do tipo “ajude a emendar a Constituição”. Na Câmara dos Deputados, qualquer PEC tem preferência na votação em relação a proposições em tramitação ordinária (Artigo 191 do Regimento Interno da Câmara). 
 
Reformas encaminhadas pelos presidentes são todas defendidas como urgentes, embora essa urgência apareça mais depois da posse. Argumentos de que algum problema está pela hora da morte atraem mais holofotes, pois são feitos para se criar algum pandemônio e pressionar por rapidez. A estratégia é a do estouro de boiada, para se carrear votos de roldão e para que o efeito manada atinja a opinião pública. E aí se vai mais um naco da Constituição e uma penca de direitos e garantias.
 
Noutros casos, sorrateiramente, como alertava Chico Buarque, a nossa pátria mãe, tão distraída, sem perceber que é subtraída, vê penduricalhos sendo propostos ao texto constitucional de forma a transformar uma carta de direitos em uma lista de privilégios e casuísmos.
 
Do Fundo Social de Emergência – que, de provisório, tornou-se a eterna Desvinculação de Receitas da União – à criação do “imposto da gasolina” (Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico – Cide); da reforma da previdência à proposta de tornar a rinhas de galo um direito (não dos galináceos, claro); do congelamento de gastos por 20 anos à “PEC da bengala”, a história do emendamento é a prova de que há algo mais entre o processo legislativo e a fábrica de salsichas do que sonha nossa vã filosofia.
A primeira seria impedir que propostas que podem figurar como projetos de lei virem emendas à Constituição. Com isso, preservaríamos uma Carta mais principiológica e menos casuística, evitando a banalização do processo de emendamento. 
 
A segunda proposta, ainda mais importante, seria exigir que propostas de emenda sejam submetidas a algum tipo de consulta popular. Além da iniciativa popular, plebiscito e referendo, as eleições presidenciais também podem cumprir esse papel de submeter um programa de reformas ao escrutínio público. 

Embora o Código Eleitoral exija a apresentação de programas de governo como um dos requisitos para o registro de candidatos a prefeito, governador e presidente da República, na prática eles não servem para nada. São mera formalidade, cartas de intenções vazias de significado. Houve eleição em que um dos candidatos apresentou, como programa, a transcrição de um discurso proferido em certa ocasião.
 
É muito fácil a um Congresso eleito sob o patrocínio de alguns grandes grupos empresariais aprovar emendas e outras leis a toque de caixa, como se viu durante a presidência de Eduardo Cunha. Difícil é o candidato que se arvora a tornar-se representante gastar sola de sapato, saliva e teclado (mais conhecido como internet) defendendo ideias sobre o que pretende fazer caso seja eleito

Continue lendo

Como é fabricado e o que há de especial nos ternos da grife italiana Ermenegildo Zegna que foram encomendados por Sérgio Cabral e que podem custar até R$ 150 mil

Flagrado num mega esquema de corrupção pela pela força tarefa da operação Lava Jato, o ex-governador do Rio de Janeiro Sergio Cabral adquiriu 20 ternos da grife italiana Ermegildo Zena, uma das mais conceituadas do mundo, por meio de depósitos fracionados em dinheiro, no valor de R$ 18 mil a 150 mil. Todos os trajes eram feitos a mão, o que requer um processo absolutamente artesanal. Primeiro, um mestre alfaiate precisa se reunir com o cliente, para definir o modelo. A medição começa no topo do corpo – uma lição da casa italiana, que faz costumes a mão há 40 anos. Primeiro pescoço, depois ombros, peito, braços, costas e cintura. Todos os itens do terno podem ser definidos: a forma das lapelas, o corte, os bolsos e o tipo de abotoamento, simples ou duplo. Um detalhe muito importante é que a feitura é toda na sede da empresa, em Trivero, no norte da Itália, onde também fica o Lanificio Zegna. O processo tem cerca de 30 estágios e pode durar até 90 dias. A última etapa é a costura em dourado da etiqueta, que vem com o nome do proprietário do terno. A seguir, alguns detalhes só possíveis nos costumes com mais de três dígitos:75

Além da novela, Eline Porto lança em breve seu novo single, Sei lá (Foto: Taissa Sterim)

Recém-chegada de Manaus, onde rodou suas primeiras cenas como Janete de A força do querer, próxima novela do horário nobre da TV Globo, que estreia no dia 3, Eline Porto desembarcou em São Paulo para a gravação de seu mais novo single, “Sei lá”. “É bem corrido conciliar as carreiras de atriz e cantora, mas sempre dou um jeito. Sempre levei paralelamente as duas profissões e o bacana de ser artista é poder ter várias vertentes”, diz ela.

No folhetim de Gloria Perez, Eline interpreta a personagem Janete. “Ela é uma mulher do interior de Belém, do Pará, apaixonada pelo Zeca, papel de Marco Pigossi. Janete é muito determinada, tem personalidade forte e vai fazer de tudo para chamar a atenção do moço, que namora Ritinha, papel da Isis Valverde. Ela vai aprontar fazendo intrigas e fofocas”, adianta.

Eline gravou suas primeiras cenas da novela em Manaus e em seguida desembarcou em São Paulo para gravar o novo single (Foto: Taissa Sterim)

Sobre as gravações em Manaus, ela diz: “Foram incríveis. Ficamos quase um mês filmando em uma cidade chamada Acajatuba, que fica a quase duas horas de Manaus. Lá, tivemos a oportunidade de mergulhar na cultura deles, saber as histórias e vivenciar o dia a dia da cidade. Foi muito rico para a construção da minha personagem estar ali, no meio da Amazônia, e conviver com as meninas queridas de Manaus”.

Já sobre seu novo single, a atriz e cantora explica que a produção é assinada por Pedro Dash e Marcelinho Ferraz, mesmos produtores que já trabalharam com nomes como Projota, IZA, Anitta, entre outros. “‘Sei lá’ fala sobre ser inteiro em tempos de metade. As relações estão muito líquidas, fragmentadas, descartáveis. A canção vai no contrafluxo dessa ideia e fala sobre intensidade e mais sinceridade quando o assunto é amor.

epoca.globo

Paulo Câmara precisará reverter insatisfação dos pernambucanos com o governo estadual se quiser se reeleger em 2018 / Roberto Pereira/Divulgação

Paulo Câmara precisará reverter insatisfação dos pernambucanos com o governo estadual se quiser se reeleger em 2018
Roberto Pereira/Divulgação
Franco Benites

O governador Paulo Câmara (PSB) ainda não declarou oficialmente se será candidato à reeleição, em 2018, mas terá que batalhar para reverter o índice de rejeição a sua gestão caso queira permanecer com a chave do Palácio do Campo das Princesas. Um levantamento do Instituto de Pesquisa Uninassau, feito em parceria com o Jornal do Commercio e o portal Leia Já, aponta que 74% dos pernambucanos desaprovam a atual administração e que apenas 16% estão satisfeitos com o governo. Dez por cento dos entrevistados não responderam ou não souberam responder.

Quando a avaliação sobre o governo é esmiuçada, os números seguem desfavoráveis a Paulo Câmara. Para 37% dos entrevistados, a administração socialista é péssima. Já 27% consideram o governo ruim, 23% veem como regular, 7% enxergam como boa e apenas 1% indica a gestão como ótima. O número de eleitores que não responderam ou não souberam responder é de 5%.

De acordo com o cientista político Adriano Oliveira, professor da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) e um dos coordenadores da pesquisa Uninassau, a avaliação do governo Paulo Câmara está atrelada à percepção que o pernambucano tem dos serviços oferecidos pelo Estado.

“A pesquisa mostra que Segurança Pública, desemprego e Saúde são os principais problemas de Pernambuco. O responsável para resolver os referidos problemas, segundo parte majoritária dos eleitores, é o atual governador. As demandas dos eleitores e a responsabilização que eles dão ao governador explicam a alta reprovação da atual gestão”, diz Adriano Oliveira.

É provável que ocorra uma alteração, ainda que mínima, nos índices de aprovação e desaprovação do governo até a eleição de outubro do próximo ano e o governador já colocou em prática uma estratégia para garantir que a mudança seja positiva para sua gestão. No mês passado, ele deu início ao projeto Pernambuco em Ação, a partir do qual percorrerá o Estado para prestar contas das ações executadas e ficar mais próximo do eleitor.

O primeiro giro do Pernambuco em Ação, que ocorreu de 23 a 25 de março, englobou municípios do Sertão. Em Afogados da Ingazeira, Arcoverde e Petrolândia, Paulo Câmara e seus aliados – prefeitos, deputados estaduais e federais e secretários de governo – fizeram um balanço em tom positivo das realizações do governo. O intuito foi mostrar que a gestão socialista foi atuante nesses dois anos e que se não fez mais foi por conta da crise.

O roteiro de Paulo Câmara também incluiu as cidades sertanejas de Buíque, Floresta e Serra Talhada e contou com inaugurações e assinatura de ordens de serviço. A contabilidade dos socialistas é de que o governador liberou R$ 123 milhões em obras nos três dias que passou no Sertão.

Na última semana de março, fora do Pernambuco em Ação, mas dentro da agenda administrativa, o governador esteve em Caruaru, no Agreste, e em Palmares e Tamandaré, na Mata Sul, para mais uma rodada de inaugurações de obras. Paulo Câmara já anunciou que o ritmo de viagens vai aumentar, mas refuta que a iniciativa tenha caráter eleitoral.

“Vamos continuar a viajar pelo Estado dentro das possibilidades de agenda. Temos que fiscalizar o que está em andamento, conversar mais com as pessoas e mostrar o que estamos fazendo”, declarou o governador.

METODOLOGIA
O levantamento da Uninassau foi realizado nos dias 23 e 24 de março. Houve 2.014 entrevistas com moradores de todas as regiões do Estado maiores de 16 anos. O nível de confiança da pesquisa é de 95% e a margem de erro é de 2,2 pontos percentuais.

jconline.ne10

Monteiro – PB Dia 29/03/2017 a cidade de Novo Triunfo que já estava em estado de calamidade pública por conta da seca teve a sua situação piorada depois de aproximadamente duas horas de chuvas. Foram árvores arrancadas, carros levados pelas águas, muros e paredes de casas derrubadas, motos levadas, além de bueiros estourados e o calçamento desfeito em várias ruas. Graças à Deus até agora não temos informações de vítimas.

Do portal LeiaJá

O número é resultado de um levantamento divulgado pelo Instituto de Pesquisas UNINASSAU neste sábado (1º). O governador também é considerado o pior da história de Pernambuco

No comando da gestão estadual há dois anos e três meses, o governador Paulo Câmara (PSB) terá dificuldades para conquistar o apoio popular e disputar a reeleição em 2018. Ao menos é o que sugere uma avaliação da atuação dele à frente do Palácio do Campo das Princesas, divulgada neste sábado (1º) pelo Instituto de Pesquisas UNINASSAU. De acordo com o levantamento, encomendado pelo LeiaJá em parceria com o Jornal do Commercio, 74% dos entrevistados desaprovam o governo do pessebista. O percentual de aprovação é de 16%. 

O raio-x foi feito pelo Instituto a partir de 2.014 entrevistas realizadas em todas as regiões do estado. Os maiores índices de reprovação estão no Recife e no São Francisco. Já a aprovação é maiúscula nas outras áreas do Sertão. A forma como Paulo Câmara administra o Estado também foi aferida. Para 37% dos que responderam à amostra, a administração do afilhado político de Eduardo Campos é péssima; 27% disseram que era ruim e 23% apontaram como regular

Assisti, na minha adolescência, já trabalhando como telegrafista da Rede Ferroviária Federal, no dia 31 de março de 1964, na capital pernambucana, jeeps do Exército, puxando pessoas amarradas em cordas, sobre pedras de calçamento, pela Avenida Guararapes, no centro do Recife. Que coisa horrível.

O Presidente da República, João Belchior Marques Goulart, que chegou ao poder com a renúncia do então Presidente, Jânio Quadros, depois de submetido ao plebiscito do Sistema Parlamentarista de Governo, com uma vitória superior a 80% dos votos.

Em pouco tempo de governo, o Presidente João Goulart, dentre outras ações democráticas, no dia 13 de março de 1964, em um Comício na Central do Brasil, propôs políticas de Reformas de Base, dentre elas, um conjunto de medidas capazes de modernizar a economia e a sociedade brasileira e, estabelecer a verdadeira promoção social, que o Brasil carecia, a partir de uma Reforma Agrária que atendesse aos trabalhadores e trabalhadoras rurais, mais humildes e necessitados.

A reação das elites conservadoras, da ala reacionária das forças armadas e da igreja obscurantista, foi fulminante. Taxaram esse plano de “comunista”, uma das mentiras mais ridículas de todos os tempos e, instalaram a ditadura no Brasil, que teve início com o golpe militar de 31 de março de 1964, resultando no afastamento do Presidente da República, João Goulart e, durou por mais de 22 anos, até a eleição de Tancredo Neves, em 1985.

Com o apoio dos Estados Unidos, as Forças Armadas do Brasil deram esse golpe, rasgaram a Constituição Federal e instituíram, durante mais de duas décadas, uma ditadura e um estado terrorista, que cassava mandatos, prendia pessoas, censurava a imprensa e as artes, torturava e matava quem ousasse discordar ou reagir a esse absurdo.

Esses militares envolvidos, na época, justificaram o golpe, sob a alegação de que havia uma ameaça comunista no país. Essa tomada do poder por parte dos militares, deu início à governação de 05 presidentes, todos eles pertencentes às chefias militares. Esse lamentável período da história do Brasil, ficou conhecido como a abolição dos direitos constitucionais, que levaram à prisão, os opositores desses governos ditatoriais.

   O Regime militar  foi o período da política brasileira em que militares conduziram o país. Essa época ficou marcada na história do Brasil, através da prática de vários Atos Institucionais que colocavam em prática a censura, a perseguição política, a supressão de direitos constitucionais, a falta total de democracia e a repressão, àqueles que eram contrários ao regime militar.

Após a tomada do poder democrático pelos militares, foi estabelecido o Ato Institucional nº 1, o chamado AI-1 que dava ao governo militar, o poder de modificar a constituição, anular mandatos legislativos, interromper direitos políticos, por até 10 anos e, demitir, colocar em disponibilidade ou aposentar compulsoriamente, qualquer pessoa que fosse contra a “segurança” do país, o “regime democrático” e a “probidade da administração pública”, além de determinar eleições indiretas para a presidência da República.

Durante o regime militar, ocorreu um fortalecimento do poder central, sobretudo do poder executivo, caracterizando um regime de exceção, pois o executivo se atribuiu a função de legislar, em detrimento dos outros poderes estabelecidos pela Constituição de 1946. O Alto Comando das Forças Armadas passou a controlar a sucessão presidencial, indicando um candidato militar que era referendado pelo Congresso Nacional, então obediente aos militares. Continue lendo

Uma licitação de mais de R$ 5 milhões que ocorreria ontem (31) para aquisição de medicamentos da Prefeitura de Tabira. Há quatro meses o Movimento Viva Tabira, da sociedade civil, vinha tentando fazer com que a Prefeitura de Tabira cumprisse a obrigação legal de publicar os documentos das licitações na internet.

A ideia era que toda a população e mais competidores tenham acesso ao que será licitado, como forma aumentar a fiscalização e também a concorrência e competitividade da disputa, evitando preços superfaturados e direcionamento dos vencedores.

As compras de medicamentos são conhecidas em todo o Brasil como uma das mais fáceis de se fraudar, tanto na licitação como na execução dos contratos, em razão de se tratar de materiais caros e de rápido consumo, e Tabira não está livre de graves denúncias, em razão da facilidade com que se licitam grandes valores e pouco tempo depois se sente a falta generalizada de medicamentos.

O Movimento ingressou com Ação Popular na Vara de Tabira, para suspender a realização da sessão e pedir que a Prefeitura corrija imediatamente a ilegalidade. O Juiz André Simões Nunes, juiz de Tabira, concedeu a medida liminar e a licitação está suspensa. O processo tem o nº 0000043-18.2017.8.17.3420,

“Em razão da importância e urgência da compra de medicamentos, o Movimento Viva Tabira pediu na ação e sugere novamente que a Prefeitura corrija rapidamente a irregularidade e faça uma licitação livre de vícios, com amplo acesso à população a todos os documentos, com clareza dos produtos que serão comprados e dos preços que serão praticados, para se evitar ao máximo licitações dirigidas, fraudadas e conluios de toda natureza”, diz o movimento em nota.

” Achá corrupção”

Marcelo Camargo/ Agência Brasil

O governo Temer tem se aproveitado de diversas medidas dos governos Lula e Dilma. A transposição do Rio São Francisco é talvez o exemplo mais emblemático. Outro exemplo é o “Conselhão”, criado por Lula em 2003, para dialogar com a Sociedade Brasileira, com academia, trabalhadores e empresários, foi reconfigurado pelo governo Temer. Ontem, houve uma apresentação do Ministro Meirelles para o “Conselhão”. A apresentação poderia se chamar como destruir um projeto de desenvolvimento inclusivo, mas segundo ele é a pauta para retomada do crescimento. Os pontos apresentados por ele deixariam os ideólogos do Consenso de Washington com inveja: como não pensaram em tanta maldade junta.
 
O neoliberalismo começou em 1973, com um golpe de Estado no Chile. No Brasil, ele entrou por via eleitoral e, justamente por isso, foi mais tímido do que em outros países. A memória do regime militar e toda a agenda defendida na Constituição Cidadã ainda estavam muito frescos durante os Governos Collor e FHC para que fossem destruídos os pilares básicos da Constituição. Não faltaram tentativas, mas os instrumentos não foram destruídos. Com a vitória de um projeto inclusivo nas urnas, em 2002, os instrumentos foram utilizados para promover, pela primeira vez na história do Brasil, um projeto de crescimento inclusivo. Podem existir várias críticas e muitos podem achar que faltou aprofundar em algumas áreas chave. Mas é difícil não reconhecer todos os avanços dos 13 anos que terminaram com mais um golpe.
 
Ontem, foi apresentada a destruição desses mecanismos pelo Sr. Meirelles.
 
Em primeiro lugar, ele propõe o ajuste fiscal permanente como condição necessária para retomada do crescimento, tendo como os elementos centrais dois pontos. A EC95/2016 (teto declinante dos gastos), que promoveu uma redução dos mínimos constitucionais de saúde e educação e irá impor diversos cortes nas despesas sociais. E o segundo ponto é a Reforma da previdência, uma reforma que irá excluir diversos brasileiros do sistema e que destrói o sistema como o pilar de distribuição de renda e da proteção social no Brasil. Eu não sei em que mundo eles vivem, mas há um movimento mundial para demonstrar que ajuste fiscal só aprofunda a crise econômica.
Na apresentação, ele chegou a afirmar que o crescimento está sendo retomado. Eu não sei em qual País, porque os últimos números divulgados pelo IBGE mostram que, na margem, nos últimos dois trimestres de 2016, a economia voltou a piorar. O carryover para o crescimento de 2017, que é o crescimento da economia se esta ficar onde está, é de -1,1%. Ou seja, se nada acontecer, teríamos uma terceira queda do PIB. Algo visto apenas em países com grandes catástrofes.
Depois, ele apresentou a tal Agenda de Produtividade e Crescimento no Longo Prazo. O início é uma agenda de desburocratização, sem impactos concretos e com alguma penalidade aos consumidores. O mais interessante é que apresentou reformas relacionadas ao crédito, sem fazer o básico, que era aumentar o crédito dos bancos públicos. O BNDES tem acumulado caixa ao invés de contribuir para retomada do crescimento. Os números são de mais de R$100 bilhões em caixa, fora a devolução antecipada de R$ 100 bilhões ao Tesouro.

Continue lendo

Beto Barata/PR

A dinâmica do movimento político é mesmo surpreendente. Já dizia o falecido político mineiro Magalhães Pinto que a política é como as nuvens no céu: você olha em um determinado momento, está de um jeito. Passados alguns minutos, você vai conferir a configuração acima da tua cabeça e está tudo mudado. Se já é difícil entender o fenômeno em si, a tarefa torna-se ainda muito mais complexa ainda quando se tenta fazer algum tipo de previsão.

 Depois de ter conseguido aprovar a chamada “PEC do Fim do Mundo” no final do ano passado com relativa facilidade na Câmara dos Deputados e no Senado Federal, o governo começa agora a enfrentar a realidade da chamada resistência generalizada. Aquela emenda constitucional estabelecia o congelamento das despesas sociais do orçamento por longos 20 anos e foi aceita pela maioria dos parlamentares ainda muito influenciados pelo discurso uníssono do governo e da imprensa em torno da necessidade imperiosa de um ajuste fiscal rigoroso.
 Apesar de todo o debate que os opositores tentamos abrir na sociedade a respeito da irresponsabilidade criminosa subjacente àquela medida, o fato é que a reação popular não foi forte o suficiente para impedir o avanço da proposição e sua aprovação em 13 de dezembro. Até a data parece ter sido escolhida com bastante empenho e atenção pelos dedicados assessores palacianos. Em 1968, no mesmo dia, havia sido editado o famigerado AI-5, quando o Brasil mergulhou de forma profunda na pior fase da ditadura militar.
Não obstante a amplitude do arsenal de maldades envolvidos na mudança constitucional válida por 2 décadas, talvez a pulverização das atrocidades a serem cometidas no futuro tenha dificultado o sentimento de revolta da maioria da população. Por mais que o Brasil esteja afundado em uma crise econômica e social sem precedentes, assistimos a um inexplicável grau de apatia e consentimento das forças sociais. Essa relativa passividade fica ainda mais difícil de ser compreendida em se tratando de redução das verbas públicas dedicadas a temas como previdência, saúde, educação, assistência e tantos outros tão necessários em momentos como o que vivemos atualmente.
 
Reforma da Previdência: desaprovação generalizada.

Continue lendo

Faça Sua Pesquisa no Google Aqui!

 
bove=""

 

Visitas

contador de visitas

Redes Sociais

Click e acesse
  CLIQUE AQUI e fale com os novos ministros, fiquem de OLHO bem aberto alguma informação entre em contato com os ministros. Imagem relacionada
Vejam as verbas de suas cidades ,naveguem e fiquem bem informados CLIQUE AQUI E ACESSE!

CLIQUE AQUI e veja receita e despesa do seu municípios.

Aqui você encontra informações sobre a aplicação do dinheiro público nos municípios e no estado de Pernambuco.

Zé Freitas no Facebook

Zé Freitas no Twitter

Parceiros