Advogado do ex-ministro da Educação alega que a origem do dinheiro seria a venda de um carro para um dos pastores presos

Lucas Vasques Revista Fórum
 
Ex-ministro de Bolsonaro foi preso nesta quarta (22) – Clauber Cleber Caetano/PR

Uma equipe de agentes da Polícia Federal (PF) identificou depósito bancário na conta do ex-ministro da Educação, Milton Ribeiro, que teria sido feito pelo pastor Gilmar SantosAmbos foram presos, nesta quarta (22), pela Operação Acesso Pago. A quantia referente ao depósito feito pelo pastor não foi revelada, em função do sigilo do inquérito. Não foi divulgada, também, a data da transação bancária, de acordo com informações da BandNews TV.

O advogado de Ribeiro confirmou a informação, sem citar quem teria feito o depósito.

Ainda conforme a defesa do ex-ministro, a origem do depósito seria a negociação de um carro que Ribeiro teria vendido para um dos pastores que também foram presos: Gilmar Santos ou Arilton Moura Correia. Milton Ribeiro foi preso, em Santos, no litoral paulista, em operação da PF realizada na manhã desta quarta (22), suspeito de operar um balcão de negócios no MEC e na liberação de verbas do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE). A prisão é preventiva, ou seja, não tem prazo para ser revogada. A PF também cumpriu mandados de busca e apreensão em endereços de Ribeiro e dos pastores Arilton Moura e Gilmar Santos, ligados ao presidente Jair Bolsonaro (PL) e apontados como lobistas que atuavam no MEC. A operação chamada Acesso Pago investiga a prática de “tráfico de influência e corrupção para a liberação de recursos públicos” do FNDE

brasildefato